A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA 1 1. A transição do século XVIII para o século XIX Acontecimentos que influenciaram o processo de independência das.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA 1 1. A transição do século XVIII para o século XIX Acontecimentos que influenciaram o processo de independência das."— Transcrição da apresentação:

1 INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA 1 1

2 A transição do século XVIII para o século XIX Acontecimentos que influenciaram o processo de independência das Américas: Independência das 13 colônias (1776): A formação dos Estados Unidos da América pode ser considerado o pontapé inicial no processo de independência das colônias americanas. Serviu como exemplo e fonte de inspiração para os movimentos latino–americanos que lutavam pela emancipação política e pela ruptura do pacto colonial. O regime republicano, baseado no pensamento iluminista, exerceu enorme fascínio sobre a aristocracia criolla da América Espanhola. 2

3 A transição do século XVIII para o século XIX Revolução Industrial (1780): As relações capitalistas alcançavam distâncias cada vez maiores. + Já em 1713, a Inglaterra passa a ter o direito sobre oasiento (fornecimento de escravos para as colônias) e o chamado permiso (comércio direto com as colônias). Necessidade de substituir o monopólio comercial pela livre concorrência: abolição do sistema de Porto Único (1797). Aumento da produção Demanda por matéria-prima Demanda mercado consumidor 3

4 A transição do século XVIII para o século XIX Revolução Francesa (1789): Os ideais iluministas de igualdade, liberdade e fraternidade contra o Antigo Regime A Era Napoleônica ( ): defesa da República Francesa e início de novas conquistas (contra as monarquias absolutistas). E Portugal? Como ficou diante de Napoleão? Espanha ocupada pelas tropas de Napoleão A estrutura político-administrativa em relação às colônias se desorganizou 4

5 A transição do século XVIII para o século XIX Juntas Governativas: estratégia para acabar com as restrições da metrópole. As Juntas, organizadas em várias cidades pela elite colonial, passaram a defender a idéia de ruptura definitiva com a metrópole Com a derrota de Napoleão e a ação do Congresso de Viena (1815) e da Santa Aliança, intensificaram-se as lutas pela independência. A liberdade representava a independência e foi essa visão liberal e iluminista que predominou 5

6 Relembrando a estrutura administrativa da América Espanhola 6

7 As lutas pela independência no Vice-Reino de Nova Espanha (atual México e América Central) A independência só aconteceu em 1821, com a vitória do General Itúrbide (espanhol que acabou se proclamando Imperador do México). Em 1823, os republicanos expulsaram o general e proclamaram a República. O restante do território desse vice-reino também tornou-se independente em 1821: Províncias Unidas da América Central. Mais tarde, fragmentaram-se em Guatemala, Honduras, El Salvador e Nicarágua. As lutas iniciaram em 1810 com Hidalgo e Morellos, liderando um exército de mestiços, índios e brancos pobres. 7

8 As lutas pela independência nos Vice-Reinos de Nova Granada, Peru e Rio da Prata Na América do Sul: San Martín e Simon Bolívar Organizaram exércitos formados por índios, mestiços e colonos pobres. A Inglaterra teve papel preponderante nas lutas pela independência das colônias hispano-americanas. San Martín ( ): militar argentino Argentina (1816), Chile (1818) e Peru (1821) Simon Bolívar ( ): aristocrata venezuelano Colômbia (1819), Venezuela (1821), Peru (1821), Equador (1822) e Bolívia (1825) 8

9 As lutas pela independência nos Vice-Reinos de Nova Granada, Peru e Rio da Prata Simon Bolívar defendeu uma postura pan-americana para os territórios BOLIVARISMO Defendia a necessidade de união das nações americanas face à possível contra-ofensiva da Espanha, apoiada pela Santa Aliança. Criou a Grã-Colômbia (1819), que duraria até 1830, mesmo ano de sua morte. A Grã-Colômbia foi fragmentada em três Estados; Venezuela, Equador e Colômbia, à qual se integrava o Panamá. 9

10 Os mapas: antes e depois da independência 10

11 Quais as propostas dos novos estados nacionais? Seriam dirigidos e organizados de acordo com os interesses das elites criollas. Muitos proprietários de terras, comerciantes e liberais buscavam, com a independência, viabilizar seus projetos: cargos na alta administração fim do monopólio comercial metropolitano expansão dos negócios e propriedades A mita foi restabelecida com o nome de Serviço à República 11

12 A fragmentação política e o caudilhismo A fragmentação política da América hispânica pode ser explicada pelo próprio sistema colonial, uma vez que as diversas regiões do império espanhol eram isoladas entre si. Essa situação favorece também o surgimento de lideranças locais fortes, os CAUDILHOS, dificultando a realização de um projeto de unidade colonial. O Caudilhismo: O caudilho era (ou ainda é?) um chefe político local, grande proprietário de terra e que procurava manter as mesmas estruturas sociais e econômicas herdadas do período colonial. Convencionou-se como figura típica da América Latina, notadamente dos países surgidos do Império espanhol. 12

13 Independência da América Espanhola X América Portuguesa Assim como o movimento de independência das colônias espanholas é tradicionalmente visto a partir dos interesses da elite, costuma-se compara-lo com o movimento que ocorreu no Brasil: participação popular, porém sob liderança dos criollos o caráter militar, envolvendo anos de conflito com a Espanha; a fragmentação territorial, processo caracterizado pela transformação de uma região em vários países livres adoção do regime republicano - exceção feita ao México (depois tornou-se uma República) 13

14 Será que mudou alguma coisa? A inserção de novos estados nacionais no cenário internacional do trabalho: continuava nos mesmos moldes coloniais... X exportação de matéria-prima (agrícola e mineral) importação de produtos industrializados valores de mercado diferentes entre produtos (industrializados X agrícolas) Balança Desfavorável Dívidas (interna e externa) Empréstimos 14

15 A dependência ao longo dos séculos XIX e XX: Inglaterra e EUA À emancipação e divisão política latino-americana segue-se nova dependência: não mais das antigas metrópoles, porém da Inglaterra. No início do século XX: início da influência estadunidense que, gradualmente substitui a inglesa. Os Estados Unidos não concordavam com as práticas de intervenção dos europeus e com isso se distanciaram da Europa, tudo isso depois da Santa Aliança (1815). Diante da insatisfação do governo americano o então presidente, James Monroe, elaborou a chamada Doutrina Monroe: 15 A América para os americanos

16 EM SUMA No início do século XIX, a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua guerra de independência vitoriosa contra colonialismo espanhol para, em seguida, fragmentar-se em um grande número de jovens repúblicas oprimidas por caudilhos militares, exploradas por oligarquias rurais e acorrentadas a uma nova dependência econômica imposta pelo capitalismo industrial inglês e, posteriormente, estadunidense. 16

17 MÉXICO – 1821 EQUADOR – 1822 PERU – 1824 VENEZUELA – 1821 COLÔMBIA – 1819 BOLÍVIA – 1825 CHILE – 1818 ARGENTINA – 1816 URUGUAI – 1828 PARAGUAI – 1811 BRASIL –


Carregar ppt "INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA 1 1. A transição do século XVIII para o século XIX Acontecimentos que influenciaram o processo de independência das."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google