A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Texto de: Ir. Zuleides Andrade Chegando ao topo dos Anos Dourados, com o olhar da imaginação, recordo tantas mulheres e mães que, de muitas formas e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Texto de: Ir. Zuleides Andrade Chegando ao topo dos Anos Dourados, com o olhar da imaginação, recordo tantas mulheres e mães que, de muitas formas e."— Transcrição da apresentação:

1

2 Texto de: Ir. Zuleides Andrade

3 Chegando ao topo dos Anos Dourados, com o olhar da imaginação, recordo tantas mulheres e mães que, de muitas formas e em diferentes momentos, marcam presença tecendo a malha dos anos da nossa vida.

4 Mães são tecelãs apaixonadas que se entrelaçam e acolhem em seu corpo, mente e coração, a vida que se aninha e se engendra. Com fios de luz e seiva fecunda elas tecem o corpo do seu bebê, em noites cheias de sonhos e temores, madrugadas insones, em dias de múltiplos desejos e planos.

5 Tecelãs dedicadas e persistentes, em preces e canções de ninar e mesmo lágrimas silenciosas, com cuidados e agrados, tecem confiança, oferecendo o senso de bondade a seus filhos. Vestem o corpo e a imaginação dos pequenos, enquanto colocam babados e laços para dar um toque extra de conforto e graciosidade.

6 Mães são eternas professoras e tecelãs do saber, da curiosidade, do riso, da vontade de descobrir, de construir e de aprender. São hábeis criadoras de fantasias, de bonecas e tapetes mágicos, para a imaginação dos pequenos. Também acarinham os cabelos, acalmam, tecem cachos e tranças.

7 Mães são exímias tecelãs e, quando preciso, reatam e apertam nós de afetos, juntam as tramas rebeldes e acreditam na sua arte. Crêem tanto que não levam tão a sério a esquisitice de seus filhos adolescentes que, em certas ocasiões, decidem andar às avessas. Elas bem sabem que eles têm o lado belo da vida, que é o mais importante.

8 As mães continuam tecendo a vida com fios coloridos e naturais, de branco silêncio, rósea ternura, verde esperança, azuladas preces. Tecem igualmente com fios amargos e rudes, descoloridos pelas decepções, pelo cansaço, suor e terra.

9 São tantas as mães e tão diferentes, todas belas a seu modo e crentes! Crêem no milagre da vida, na possibilidade da primavera que, de certa forma, também dependem delas.

10 Mães tecem com o coração nas mãos, sempre prontas para acariciar, afagar, perdoar, esperar e, em prece, aconchegar outras mãos nas suas. São tecelãs que se inspiram na mais santa das mães - Maria, a Mãe do Divino Mestre - para tecer vestes de seus rebentos.

11 Essas prendadas tecelãs têm um pouco de Deus, um pouco de anjos e um pouco de fadas ao tecer alento e encantamento que nos dão a segurança de serem colo seguro e ombro amigo, que nos permitem fazer beicinho, buscar carinho e alimento para tudo de que precisamos na vida.

12 Mães são tecelãs longamente testadas. Por isso, entendem de fios e desafios, de nós, de laços e fitas, de alma que silencia ou que grita.

13 Mães são tecelãs de bandeiras de paz e são promessas de arco-íris que abraçam todas as cores, todas as nuances de amores, sonhos desfeitos, amizades refeitas. Mães são tecelãs de toalhas dupla-face, naturais e aveludadas, para os mais frágeis, os que se banham, para os que se refazem das quedas e tropeços nos caminhos da vida.

14 São tecelãs incansáveis de túnicas e mantos que acolhem, abrigam e protegem, de pulôveres e mantas que abraçam e aquecem nosso corpo e, muito mais, o nosso coração, que busca espaço de aconchego e segredo.

15 Mães tecem ninhos repletos de esperança e alegria. Mães tecem espaços de aconchego e sossego para um soninho. Mães tecem pavios escondidos para acender a chama da fé.

16 Mães são tecelãs de mãos ágeis e ternas, extensões do coração materno de Deus, que se tornam perenes, entregando novelos e retalhos para que outras pessoas, outras mulheres continuem a sua arte.

17 Benditas mães! Benditos filhos, frutos tecidos de amor! Benditas tecelãs da vida, cúmplices do Criador! Ir. Zuleides Andrade, ASCJ Curitiba - PR 22 / 02 / 2005 Autor do Slide: Ria Ellwanger Texto: Mães são tecelãs, de Ir. Zuleides Andrade Música: Ernesto Cortazar - The Greatest Miracle Imagens: Ir. Zuleides Andrade e Getty Images Este slide é exclusivo do site Ria Slides


Carregar ppt "Texto de: Ir. Zuleides Andrade Chegando ao topo dos Anos Dourados, com o olhar da imaginação, recordo tantas mulheres e mães que, de muitas formas e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google