A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Situação Epidemiológica da Sífilis Congênita: A leitura da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Carmen Silvia Bruniera Domingues Programa Estadual.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Situação Epidemiológica da Sífilis Congênita: A leitura da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Carmen Silvia Bruniera Domingues Programa Estadual."— Transcrição da apresentação:

1 Situação Epidemiológica da Sífilis Congênita: A leitura da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Carmen Silvia Bruniera Domingues Programa Estadual de DST/Aids –SP Vigilância Epidemiológica

2

3

4

5 Primary and Secondary SyphilisRates by Sex and Male-to- Female Rate Ratios, United States, 1990–2010

6

7 Sífilis Congênita, um desafio para a saúde pública?? A sífilis tem cura; A sífilis congênita pode ser evitada se a sífilis materna e de seu parceiro sexual for diagnosticada e tratada adequadamente; O não tratamento da sífilis durante a gestação pode acarretar o óbito fetal ou deixar sequelas (surdez, problemas neurológicos, má formação óssea...); O diagnóstico é de baixo custo; O tratamento (penicilina benzatina) é barato e está disponível para a rede pública de saúde.

8 Fatores que contribuem para a persistência da sífilis congênita Falta de percepção dos formuladores de políticas, gerentes de programas, prestadores de serviços, técnicos e usuários sobre o problema da sífilis materna e congênita e as possíveis consequências; Barreiras de acesso aos serviços de controle pré-natal; Estigma e discriminação relacionados às infecções de transmissão sexual.

9 Estudo Sentinela Parturiente de prevalência para sífilis de 1,6% – Sudeste e ESP

10 A transmissão vertical do HIV e/ou da Sífilis deve ser considerada um evento sentinela Cada criança infectada por transmissão vertical pode representar uma falha na identificação da gestante infectada ou na aplicação das medidas profiláticas para diminuir a transmissão.

11

12 Eliminação da TV do HIV: 2 crianças HIV+/100 mães soropositivas Eliminação da Sífilis Congênita: 0,5 caso em nascidos vivos Definição OPS/OMS

13 1986: Sífilis Congênita e Aids – Ministério da Saúde – Portaria Nº 542 de 22/12/ : Gestante com Sífilis – Ministério da Saúde - Portaria Nº 33 de 14/07/2005 Notificação Compulsória

14 SÍFILIS EM GESTANTES E SÍFILIS CONGÊNITA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

15 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal ESP – RMSP – (59%) ESP - 3 vezes RMSP – 3,5 vezes

16 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal

17 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal % dos mun. ESP

18 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal % dos mun. RMSP

19 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade

20 Município Ano de diagnóstico Total Caieiras Cajamar Francisco Morato Franco da Rocha Mairiporã CRG Franco da Rocha Total NV TD /1000NV-ano 0,81,1 2,21,8 Casos de sífilis em gestantes e nascidos vivos, segundo município de residência e ano de diagnóstico. Colegiado Franco da Rocha, 2007 a 2012* Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/Aids-SP; Fundação Seade * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal

21 Município Ano de diagnóstico Total Cotia Embu Embu-Guaçu Itapecerica da Serra Juquitiba São Lourenço da Serra Taboão da Serra Vargem Grande Paulista CRG Mananciais Total NV TD /1000NV-ano 1,81,42,43,22,4 Casos de sífilis em gestantes e nascidos vivos, segundo município de residência e ano de diagnóstico. Colegiado Mananciais, 2007 a 2012* Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/Aids-SP; Fundação Seade * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal

22 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade

23

24 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal 657 casos 520 ñ trat/ign 137 out esq casos – não realizado/ign

25 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP 14 casos – 10 a casos – 15 a % casos

26 Colegiados Nº de casos Nº estimado*Diferença % Captação Mananciais ,0 Rota dos Bandeirantes ,1 Franco da Rocha ,5 Região Guarulhos ,1 Alto Tietê ,4 Grande ABC ,4 São Paulo ,5 RMSP ,2 ESP ,4 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Prevalência de 1,6% - Estudo Sentinela Parturiente – ESP Casos estimados de sífilis em gestantes e percentual de captação. Região Metropolitana de São Paulo, 2011

27 ESP 89% RMSP 76% Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal ESP – RMSP – (70%)

28 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal

29 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal % dos mun. ESP 2009 a % nº serviços

30 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade 86%

31 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade 74%

32 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade 67%

33 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP e Fundação Seade

34 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP

35 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP

36 Sintomas/sinaisESPRMSP Assintomático9.670 (69%)6.862 (70%) Icterícia1.043 (7,4%) 732(7,5%) Hepatomegalia304 (2,2%) 145 (1,5%) Anemia301 (2,1%) 148(1,5%) Esplenomegalia229 (1,6%) 109 (1,1%) Alteração RX ossos longos371(2,6%) 196 (2,0%) Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal Casos de sífilis congênita segundo principais sinais e sintomas. Região Metropolitana, Estado de São Paulo, 1998 a 2012*

37 VDRL sangue periférico ESPRMSP Reagente (72%)726 (70%) Não reagente243 (16%)173 (17%) Não realizado139 (9%)101 (10%) Ign/Branco57 (4%)32 (3%) Total1.561 (100%) (100%) Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal Casos de sífilis congênita segundo resultado do VDRL no sangue periférico. Região Metropolitana, Estado de São Paulo, 2011

38 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP Dados preliminares até 30/06/2012, sujeitos a revisão mensal Casos de sífilis congênita segundo evolução da criança e ano de diagnóstico. Região Metropolitana de São Paulo, 2007 a 2012* 2010 Aborto/natimorto/óbito por sífilis = 101 casos (13%) 2011 Aborto/natimorto/óbito por sífilis = 89 casos (9%)

39 Colegiados Nº de casos Nº estimado*Diferença % Captação Mananciais ,5 Rota dos Bandeirantes ,4 Franco da Rocha ,0 Região Guarulhos ,9 Alto Tietê ,1 Grande ABC ,7 São Paulo ,5 RMSP ,0 ESP ,9 Fonte: SINAN-ESP – VE-PEDST/AIDS-SP * Prevalência de 1,6% - Estudo Sentinela Parturiente – ESP – 2004 e taxa de 25% de transmissão Casos estimados de sífilis congênita e percentual de captação. Região Metropolitana de São Paulo, 2011

40

41

42 JUNTAR AS PEÇAS: Integrações necessárias Insumos Assistência Multidisciplinar Vigilância Epidemiológica Saúde do Homem Laboratório VONTADE POLÍTICA Monitoramento Avaliação Sociedade Civil Maternidade

43

44 Por que o pré-natal do homem é importante? Estratégia para eliminação da TV – HIV/sífilis DO – SP Seção I Vol.118, nº /10/2008

45

46

47

48

49 FOLDER

50

51

52

53 Folder e cartazes destinados à população de gestantes e seus parceiros sexuais

54

55

56 OBRIGADA!!


Carregar ppt "Situação Epidemiológica da Sífilis Congênita: A leitura da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Carmen Silvia Bruniera Domingues Programa Estadual."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google