A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ir p/ primeira página n É a parte do projeto na qual se determina o grau de necessidade que a sociedade apresenta em relação ao bem ou serviço cuja produção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ir p/ primeira página n É a parte do projeto na qual se determina o grau de necessidade que a sociedade apresenta em relação ao bem ou serviço cuja produção."— Transcrição da apresentação:

1 Ir p/ primeira página n É a parte do projeto na qual se determina o grau de necessidade que a sociedade apresenta em relação ao bem ou serviço cuja produção se deve estudar. n Objetivo: realizar um levantamento de informações e estudos sobre o comportamento do setor a que se pretende investir ou implantar um projeto, particularmente sobre os seguintes aspectos: u Através do confronte entre a demanda e a oferta, a provável escassez de demanda futura. Este resultado fornecerá elementos importantes para que seja determinada a escala de produção do projeto. u A região geográfica de abrangência, em que o produto poderá ser comercializado, sendo um dos aspectos determinantes para se estabelecer a localização do investimento. u O preço de venda, os custos de comercialização e os estoques nos canais de comercialização, constituem- se elementos para projeções relacionadas ao empreendimento. n Estimar em que quantidade, a que preço e quem adquirirá o produto ou serviço proporcionado pelo empreendimento (unidade de produção) em estudo e que se quer implantar. ANÁLISE DE MERCADO AULA 13

2 Ir p/ primeira página n Lei da Demanda: No mercado, a quantidade de um bem que os consumidores desejam e podem comprar, em dado intervalo de tempo, tende a variar inversamente com o preço do bem, quando todas as demais condições permanecem constantes. n Demanda Efetiva (D): Quantidade de um bem que os consumidores podem desejam e podem comprar a um determinado Preço. DEMANDA

3 Ir p/ primeira página FUNÇÃO DA DEMANDA Expressão Numérica da Demanda Exemplo: procura por Automóveis hipotética: Q= P R+0,02 (POP) C+0,04 (PU) Q: Quantidade demandada de Automóveis P: Preço médio do Automóvel R: Renda disponível per Capita POP: População C: Índice de disponibilidade de Crédito PU: Despesa com Publicidade A cada aumento de $1,00 no preço (P), a quantidade demandada cai em automóveis. Para cada aumento de $1,00 na Renda (R), a quantidade demandada aumenta Automóveis. Para cada 100 pessoas na população (POP), a quantidade demandada aumenta 2 automóveis. Para cada uma unidade de índice de crédito (C) a quantidade demandada aumenta Automóveis. Para cada aumento de $ 100,00 nos dispêndios com Publicidade (PU), tem-se que a Quantidade demandada aumenta em 4 automóveis.

4 Ir p/ primeira página n Oferta (S): A quantidade que determinada empresa está disposta a colocar no mercado, é reflexo dos custos praticados por esta empresa. n O custo unitário de produção do bem diminui à medida que aumenta a quantidade ofertada. As empresas estão dispostas a aumentar a quantidade ofertada se lhes for oferecido um preço capaz de cobrir o custo de produzir uma unidade adicional. ANÁLISE DA OFERTA n MERCADO DE INSUMOS n NÍVEL E ORIGEM n REGIME DO MERCADO INTERNO COMPETIÇÃO u Concorrência Pura (Perfeita) u Concorrência Imperfeita e Concorrência Monopolística u Monopólio u Oligopólio OFERTA

5 Ir p/ primeira página EQULÍBRIO NO MERCADO Ocorre quando o preço (P) é tal que a quantidade ofertada e a quantidade demandada (Q) se igualam. Se o preço for maior do que p, os produtores ofertam mais do que os consumidores procuram a esse preço, tendendo a haver um excedente. Face ao excesso de produção, as empresas menos e reduzem o preço para se desfazer dos estoques. Essa situação persistirá até que os preço atinja p, e haja equilíbrio entre a oferta e a demanda.

6 Ir p/ primeira página ELASTICIDADE Conceito: Corresponde à variação relativa (percentual) da quantidade procurada (ofertada) por cada variação unitária na variável determinante considerada (preço). Expressa a sensibilidade da demanda (ou da oferta) em relação às variáveis independentes. Ep = % de variação na quantidade % de variação no preço AULA 14

7 Ir p/ primeira página CÁLCULO DA ELASTICIDADE A diminuição de 1% no preço trará um aumento de 3% na quantidade demandada, se todas as outras condições mantiverem-se constantes. A elasticidade-preço de A para B será igual a: A elasticidade-preço de B para A será igual a:

8 Ir p/ primeira página ELASTICIDADE No exemplo anterior, embora a interpretação continue a mesma, o valor da elasticidade-preço muda sensivelmente. Isto ocorre devido ao cálculo da elasticidade ser realizado ao longo de um arco da curva de demanda. Para contornar o problema, pode-se trabalhar com a média aritmética de preços e quantidades. Assim, o valor obtido no cálculo da elasticidade de A para B, permanece o mesmo quando o cálculo é feito de B para A Elasticidade Cruzada: É a relação entre a variação na quantidade demandada de um bem, causada pela variação no preço de outro bem. E 1,2 = Q 1 /Q 1 P 1 /P 1 Se E 1,2 >0 : substitutos - o aumento do preço do outro reduz o seu consumo e aumenta a demanda do primeiro Se E 1,2 <0 : complementares - o aumento do preço do outro reduz a demanda pelo outro bem e daquele em consideração

9 Ir p/ primeira página FAIXAS DE VARIAÇÃO DA ELASTICIDADE Sendo |E p | o valor absoluto da elasticidade-preço, tem- se: Se, |E p | > 1,0 : Curva de Demanda elástica, em que as quantidades variam mais do que às variações de preço. Se, |E p | < 1,0 : Curva de Demanda inelástica, em que as variações nas quantidades variam menos do que as variações de preço. Se, |E p | = 1,0 : Curva de elasticidade unitária. As variações nas quantidades são iguais às variações no preço.

10 Ir p/ primeira página ANÁLISE HISTÓRICA DO CONSUMO AULA 15 Definição da área geográfica Histórico da formação da oferta Evolução da Produção Amplitude da séries de dados Ciclo de Vida do Produto CONSUMO EFETIVO (Ce) CONSUMO APARENTE (Ca) Ca= P + M - X Ce= P + M - X + E P: Produção M: Importação X: Exportação E: estoque Inicial - Estoque Final

11 Ir p/ primeira página COLETA DE OUTROS DADOS População Renda Grau de Urbanização ANÁLISE DO MERCADO ABRANGÊNCIA Mercado Global Mercado Setorial CARÁTER Projetos de Implantação Projetos de Expansão NÍVEL DE SATISFAÇÃO Procura Insatisfeita Procura Satisfeita

12 Ir p/ primeira página CLASSIFICAÇÃO DAS PROJEÇÕES Quanto ao Prazo Curto: um mês a um ano Previsão de Vendas Médio: Um a dois anos Decisão de Longo: mais de dois anos Investimento Quanto ao Nível de Agregação Projeção Macroeconômica: econometria ou não Desagregação Setorial: obtém-se valores projetados de consumo para cada setor Quanto ao Critério de Projeção Qualitativos: Delphi, Analogia Histórica, Painel de Especialistas, Elaboração de Cenários etc. Quantitativos: Análises de Séries temporais, Análise de regressão, modelos econométricos, matrizes de entrada-saída


Carregar ppt "Ir p/ primeira página n É a parte do projeto na qual se determina o grau de necessidade que a sociedade apresenta em relação ao bem ou serviço cuja produção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google