A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ITED NOVAS REGRAS IEFP - Lisboa Jorge Martins Direcção de Fiscalização 23 de Julho de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ITED NOVAS REGRAS IEFP - Lisboa Jorge Martins Direcção de Fiscalização 23 de Julho de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 ITED NOVAS REGRAS IEFP - Lisboa Jorge Martins Direcção de Fiscalização 23 de Julho de 2010

2 ÍNDICE Generalidades Infra-estruturas genéricas Caracterização de edifícios e de equipamentos e materiais CVM ATE Salas técnicas MICE Projecto Adaptação à fibra óptica Instalação Regras para os vários tipos de edifício Ensaios

3 Generalidades O Manual ITED como regulamentação mínima Suportado na Normalização Europeia Adequação ao tipo de edificio Responsabilidade acrescida dos projectistas Capacidade de inovação Considerar a solução técnica mais exigente

4 Normalização Europeia

5 Infra-estruturas genéricas Par de cobre – contexto europeu das Classes e Categorias Cabo coaxial – Classe de ligação Fibra óptica – especificações da EN50173 Caracterização das fronteiras Definições de tubagem Locais de instalação Tipos e aplicação de tubos

6 Características PAR DE COBRE Classe de Ligação Categoria dos materiais Frequência máxima (MHz) A-0,1 B-1 C-16 D5100 E6250 F7600 TCD-PC-1000 DVSS-0,1 CABO COAXIAL Perdas de inserção máxima a 1GHz Distância máxima do canal Classe de Ligação TCD-C TCD-C-L 8,6 dB32 m TCD-C-M 17,1 dB76 m TCD-C-H21,7 dB100 m FIBRA ÓPTICA Classe de LigaçãoCategoria OF-25OP1, OP2 OF-50OP1, OP2 OF-100OP1, OP2, OH1 OF-200OP2, OH1 OF-300 OM1, OM2, OM3, OS1, OS2 OF-500 OM1, OM2, OM3, OS1, OS2 OF-2000 OM1, OM2, OM3, OS1, OS2 OF-5000OS1, OS2 OF-10000OS1, OS2

7 Tubagem REDE DE TUBAGENS OU TUBAGEM CONDUTASTUBOSCALHAS CAMINHOS DE CABOS CORETESESTEIRASCALEIRASGALERIASCAIXASCOLECTIVASINDIVIDUAISARMÁRIOSBASTIDORESATEATIATUCEMU LOCAL DE INSTALAÇÃOTIPOS DE TUBO A APLICAR EnterradoVD-F, ERM/Isogris-F, MC-F LajeVD-F, ERM/Isogris-F, MC-F ParedeVD-M, ERM/Isogris-M, MC-M Parede em gaiolaMA-M, MA-F a) Saliente - zona de acesso privativo VD-M Saliente - zona de acesso público VD-F EsteiraVD-M, ERM/Isogris-M, MC-M CoreteVD-M, ERM/Isogris-M, MC-M TectoVD-F, ERM/Isogris-F, MC-F Tecto em gaiolaMA-M, MA-F a)

8 Tipos de edifício e materiais Caracterização dos tipos de edifício - Divisão por tipos de edifício – como as EN Caracterização genérica de materiais, equip. e ligações - Características técnicas mínimas - Cabo de pares de cobre, coaxial e fibra óptica - Tubagem - Proibição de tubos anelados (excepto em paredes ocas ou tectos falsos) - Armários. ATE, ATI, bastidores - Repartidores gerais e de cliente - CEMU - Antenas

9 TIPO DE EDIFÍCIOTUBOS Moradia unifamiliar 2 X 40 Edifícios residenciais de 2 a 4 fogos 3 X 50 Edifícios residenciais de 5 a 10 fogos 3 X 63 Edifícios residenciais de 11 a 22 fogos 3 X 75 Edifícios residenciais de 23 a 44 fogos 4 X 75 Edifícios residenciais com mais de 44 fogos A definir pelo projectista (no mínimo 4 X 90) Edifícios de escritórios, comerciais, industriais e especiais A definir pelo projectista (no mínimo 3 X 50) A fronteira entre o ITED/ITUR ou via pública Acesso dos vários operadores ao edifício Possibilidade de partilha por vários edifícios (FAQ 8) CVM

10 ATE Necessidade de projecto e instalação dos secundários dos RG Primários da responsabilidade dos operadores Figura do armário unico ou multi-armário em função do numero de fogos

11 Salas técnicas Obrigatória a existência de Sala Técnica sempre que: O Grau de Complexidade do edifício for 3 ou 4; O número de fogos seja superior a 64. TIPO DE SALA TÉCNICA Nº DE FOGOSDÍMENSÕES MÍNIMAS [cm] S0até x 100 S1de 33 a x 200 S2de 65 a x 300 S3mais de x 300 NÍVEL DE COMPLEXIDADE DA INFRA-ESTRUTURA TIPO DE EDIFÍCIO NÚMERO FIXO DE CABOS 2 a 1011 a a 1000 > 1000 Escritórios1234 Industriais1234 Residenciais1234 Mistos2334

12 Conectores coaxiais e caixas de aparelhagem Compressão Caixas de aparelhagem - Profudidade minima 55mm (fundo duplo)

13 MICE Caracterização do meio em função das caracteristicas Mecânicas, Ingresso, Climáticas e Electromagnéticas Adaptação do projecto e da instalação às condições específicas da infra- estrutura

14 Projecto 4 – Regras genéricas de projecto 4.2 – Projecto das redes de tubagem - Aplicação das fórmulas - Gráficos de aplicação de diâmetros

15 Esquema de tubagens

16 Tabelas de Diâmetros

17 Prescrições mínimas - cablagem 4.3 – Projecto das redes de cablagens - Imposições mínimas nas redes de cablagem - Categoria 6 (PC) - 4 pares por fogo (PC) - CATV (CC) - MATV 2 fogos (Digital) - 2 fibras ópticas por fogo

18 Adaptação à fibra óptica 6 – Adaptação dos edifícios construídos à fibra óptica - Edifícios ITED - Edifícios RITA - Edifícios pré-RITA (para alterar um edifício para outras tecnologias, cabo e cobre, deverá seguir-se os artigos 83.º e 84.º do DL123) - projecto técnico simplificado (contemplando a parte alterada) - emissão de termo de responsabilidade

19 Instalação 7 – Regras genéricas de instalação - Cumprimento do projecto, como documento que define as arquitecturas das redes - Definições - Cumprimento das regras dos fabricantes - Elaboração obrigatória do REF - Emissão obrigatória do Termo de Responsabilidade

20 Instalação Instalação de redes de tubagem e de cabos - Raios de curvatura - Adequação ao meio - Identificação dos elementos - Utilização de cargas nas saídas coaxiais não utilizadas - Posicionamento das antenas nos mastros - Ajuste correcto dos elementos activos

21 Edifício residencial Regras específicas de projecto, para cada tipo de edifício 8 – Residenciais (73,72% - moradias; 9,66% - apartamentos) - Pares de cobre em cat. 6 - CEMU – ATI - CATV - MATV 2 fogos - 2 fibras por fogo - ZAP. Multi-função. 2 cabos por tecnologia - PAT - Diâmetros mínimos

22 ZAP

23 Outros tipos de edifício Regras específicas de projecto, para cada tipo de edifício 9 – Escritórios 10 – Comerciais 11 – Industriais 12 – Especiais 13 - Mistos

24 Ensaios 14 - Ensaios - Responsabilidade do instalador - Emissão do termo de responsabilidade - Ligação aos procedimentos de avaliação das ITED - Inspecção visual e registo (ficha de inspecção) - Realização de ensaios e registo - REF - Check-List (identificações, ficha de inspecção, equipamentos, anomalias, condicionantes)

25 Jorge Martins Direcção de Fiscalização


Carregar ppt "ITED NOVAS REGRAS IEFP - Lisboa Jorge Martins Direcção de Fiscalização 23 de Julho de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google