A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho realizado por: Carla Dias nº7 Diogo André nº9 Tiago Rodrigues nº29 Gerardo Lima nº14 Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Disciplina: Aplicações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho realizado por: Carla Dias nº7 Diogo André nº9 Tiago Rodrigues nº29 Gerardo Lima nº14 Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Disciplina: Aplicações."— Transcrição da apresentação:

1 Trabalho realizado por: Carla Dias nº7 Diogo André nº9 Tiago Rodrigues nº29 Gerardo Lima nº14 Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Disciplina: Aplicações Informáticas B Professora: Cátia Sousa Ano Lectivo:2010/2011

2 Introdução Formatos de imagens Utilizar imagens em computador é algo rotineiro e comum a várias actividades. Na internet, figuras são encontradas aos montes e são essenciais para a transmissão de ideias, para o design de sites, para exemplos, para uma série praticamente infinita de aplicações. Como não poderia deixar de ser, existem várias tecnologias que tratam desse assunto e consequentemente, temos formatos diferentes de imagens. Quando falamos de formatos, estamos nos referindo aos tipos de arquivos próprios para o trabalho com imagens. Na internet, são comuns os formatos JPEG, GIF e PNG.

3 JPEG Joint Photographic Experts Group

4 Na internet, são comuns os formatos JPEG. O formato JPEG (Joint Photographic Experts Group) é um tipo de arquivo para armazenamento de imagens que pode trabalhar com esquema de cores em 24 bits. O que significa que: Este formato aceita 16,8 milhões de cores. Tem a capacidade de formar imagens fiéis à original. Os arquivos em JPEG não costumam ser grandes.

5 JPEG Compressão O JPEG utiliza um algoritmo de compactação que se baseia na capacidade do olho humano. Arquivos em JPEG podem trabalhar com até 16,8 milhões de cores, no entanto o olho humano não é capaz de visualizar todas de uma vez. Assim sendo: O formato JPEG retira" da imagem aquilo que o olho humano não consegue ver. Esse processo é conhecido como compressão. Isso faz com que imagens bastante realistas sejam criadas, ao mesmo tempo em que esses arquivos não ficam pesados.

6 JPEG Técnicas de Compressão A técnica de compressão JPEG procede dividindo a imagem em blocos de 8 x 8 pixéis que são individualmente processados. As regiões mais claras correspondem aos valores mais altos. Ao se realizar a transformada em uma imagem, a matriz de pixéis que originalmente era composta de elementos inteiros, possui agora coeficientes reais. Para reduzir estes coeficientes reais é aplicada a quantificação, que nada mais é que o arredondamento de um número real em um inteiro. Essa etapa produz a perda natural do JPEG. Em contra partida, permite altas taxas de compressão

7 JPEG Técnicas de Compressão O olho humano é mais sensitivo aos valores de luminância, logo, a transformação da cor concentra a informação mais importante em um único componente. Como os blocos 8 x 8 são processados independentemente, descontinuidades nas arestas dos blocos tornam-se aparentes quando aplicados a taxas de compressão muito altas. Além disso, frequentemente é necessário termos a possibilidade de reconstruir eficientemente a imagem em resoluções intermediárias. O algoritmo JPEG 2000 divide a imagem em blocos maiores. O tamanho do bloco pode ser arbitrário, portanto, uma imagem inteira pode estar contida em um único bloco.

8 JPEG Desvantagens As desvantagens do JPEG são: A imagem normalmente perde qualidade a cada vez que o arquivo é salvo O formato JPEG não funciona bem com gráficos que contêm grandes áreas de uma só cor, pois os fragmenta, descaracterizando a imagem

9 JPEG Quando usar? / Exemplos Quando a imagem tem tons contínuos (ex. fotos), quando for necessário um menor tamanho possível do arquivo, quando a imagem deve ser true color (24 bits/píxel) e para publicar imagens fotográficas na internet. É um desenho que possui 225 x 180 pixéis num total de 7 kbytes Possui um tamanho de 2021 bytes. A dimensão é 109 x 81 pixéis. Total de 8 kbytes

10 Formato Bitmap PSD Exemplos de Logos e Ícones em formato PSD para Photoshop.

11 PSD O formato PSD (Photoshop) é o formato de arquivo padrão, com suporte para a maioria dos recursos do Photoshop. Devido à estreita integração entre os produtos da Adobe, outros aplicativos, tais como: o Adobe Illustrator, o Adobe InDesign, permite importar arquivos PSD directamente e preservar vários recursos do Photoshop.

12 PSD Ao salvar um arquivo PSD, é possível definir uma preferência para maximizar a compatibilidade desse arquivo. Isso, guarda uma versão composta de uma imagem em camadas no arquivo, permitindo que ele seja lido por outros aplicativos (inclusivé por versões anteriores do Photoshop).

13 PSD Curioso é que, imagens de 16 bits por canal e de 32 bits por canal com intervalo dinâmico completo podem ser guardadas como arquivos PSD.

14

15 PDF Portable Document Format (ou PDF) é um formato de arquivo, desenvolvido pela Adobe Systems em 1993, para representar documentos de maneira independente do aplicativo, do hardware e do sistema operacional usados para criá-los. Um arquivo PDF pode descrever documentos que contenham texto, gráficos e imagens num formato independente de dispositivo e resolução. O PDF é um padrão aberto, e qualquer pessoa pode escrever aplicativos que leiam ou escrevam neste padrão. Há aplicativos gratuitos para Linux, Microsoft Windows e Apple Macintosh, alguns deles distribuídos pela própria Adobe.

16 Vantagens do PDF Pequeno tamanho do arquivo; Não apresentam problemas de fontes e/ou formatação dos arquivos; Garantem a integridade da informação (é impossível abrir um arquivo que tenha sido carregado parcialmente); Impedem qualquer tipo de alteração no arquivo original; Pode ser lido em diversos sistemas operacionais.

17 O que necessitamos para o computador ler documentos PDF? Para apresentar documentos PDF na tela precisa de um programa de leitura de arquivos PDF, como por exemplo Acrobat Reader ou Acrobat Exchange, provido por Adobe Systems Incorporated.

18 Razões para o PDF ser popular? Um documento PDF tem a mesma aparência, cor, tipo de imprensa, gráficos e formato que um documento impresso. Os arquivos PDF podem ser vistos utilizando o navegador mesmo ou podem ser armazenados no computador para uso ou impressão posterior. O programa Acrobat Reader não se pode usar para editar (modificar) um documento PDF, permite copiar texto do documento a outro arquivo, e também efectuar buscas para localizar uma palavra ou texto. PDF Pode se distribuir por toda a Web, ou mediante e- mails, ou estar em CDs; porém, este tipo de arquivos é muito utilizado na hora de compartilhar informação gráfica ou de texto, como por exemplo, contratos, manuais, e até e-books.

19 SVG Scalable Vectorial Graphics

20 Trata-se de uma linguagem XML para descrever de forma vectorial desenhos e gráficos bidimensionais, quer de forma estática, quer dinâmica ou animada. Umas das principais características dos gráficos vectoriais, é que não perdem qualidade ao serem ampliados. Foi criado pela World Wide Web Consortium, responsável pela definição de outros padrões, como o HTML e o XHTML. A grande diferença entre o SVG e outros formatos vetoriais, é o fato de ser um formato aberto, não sendo propriedade de nenhuma empresa.

21 SVG Scalable Vectorial Graphics A criação deste formato foi baseada noutros já existentes: CSS, DOM, JPEG, PNG, SMIL e XML. É um padrão aberto desenvolvido desde 1999 por um grupo de trabalho do W3C com base nos formatos PGML, da Adobe, e VML, da Microsoft, submetidos ao W3C por essas empresas em SVG é suportado por todos os navegadores Web modernos de forma nativa ou através de biblioteca JavaScript. O suporte nativo no Microsoft Interne Explorer só é possível a partir da versão 9. Bibliotecas JavaScript permitem suporte limitado em navegadores mais antigos.

22 SVG Descrição O formato SVG permite três tipos de objectos gráficos: Formas geométricas vectoriais (isto é, linhas e curvas descritas matematicamente, ao contrário das imagens bitmap compostas por pixéis); Imagens raster / bitmap; Texto; Quanto ao armazenamento, as imagens no formato SVG podem ser gravadas com a compressão gzip, sem perda de dados, podendo-se chamar neste caso, ficheiros SVGZ (assim como a extensão). Devido ao XML conter muitos dados redundantes, pode ser comprimido, resultando em ficheiros bastante menores. No entanto muitas vezes, o formato SVG já é por si menor que a sua versão em raster.

23 SVG Visualização na Web Gráficos SVG podem ser visualizados directamente nos principais navegadores, com suporte limitado nas versões mais antigas: Opera (desde versão 8.0); Firefox desde Suporte a animação SMIL, desde 2011 (versão 4.0); WebKit (Apple Safari e Google Chrome, desde 2006; Microsoft Internet Explorer, desde 2011 (versão 9.0).

24 SVG Dispositivos móveis Devido às necessidades da indústria, foram introduzidos dois novos formatos no SVG 1.1: o "SVG Tiny" (SVGT) e o "SVG Basic" (SVGB). Ambos são derivados do SVG padrão, destinados a máquinas com limitações. Em particular, o SVG Tiny foi definido para dispositivos móveis com limitações de hardware, como os telemóveis (no Brasil, celulares), quanto ao SVG Basic é destinado a dispositivos móveis com mais capacidades, como os Assistentes Pessoais Digitais (PDA, sigla inglesa).

25 SVG Versões SVG lançado a 4 de Setembro de SVG lançado a 14 de Janeiro de SVG em estudo SVG Tiny - (dispositivos móveis) lançado a 14 de Janeiro de SVG Tiny em estudo SVG Basic - (dispositivos móveis) lançado a 14 de Janeiro de 2003.

26 SVG Programas para criar e editar gráficos SVG Apache Squiggle - Visualizador baseado no framework SVG Batik (Java) disponível em Apache Batik Project, ABViewer- Visualizador, conversor e editor (comercial) (www.katalogo.com.br); Google Docs (Aplicação Web disponível em docs.google.com); SVG-edit (Aplicação Web disponível em code.google.com/p/svg- edit); GIMP (Software Livre); Inkscape (Software Livre); Xara (Software Livre para Linux - Versão Proprietária para Windows); Adobe Illustrator; Corel Draw; Microsoft Visio 2003; Biblioteca RSVGTipsDevice da linguagem de programação R.

27 Desenho Vectorial

28 Desenho vectorial Desenho vectorial é um tipo de desenho de imagem através de computador que utiliza descrições geométricas, formas e funções matemáticas ao contrario das normais imagens que são compostas simplesmente por pixéis de diferentes cores.

29 Uma imagem vectorial normalmente é composta por curvas, elipses, polígonos, texto, entre outros elementos, isto é, utilizam vectores matemáticos para sua descrição. Um programa vectorial ao abrir uma imagens de vectores apenas repete o padrão das funções armazenadas no ficheiro, não tendo que armazenar dados para cada pixel, mas apenas respectivas funções.

30 Por esta razão por muito que tentemos aumentar a uma imagem vectorial esta ficara sempre com a mesma qualidade e o tamanho do ficheiro será muito mais reduzido pois não terá de guardar a informação para cada pixel mas sim as equações dos gráficos que as compõem. Imagem de pixéis aumentadaImagem vectorial aumentada

31 Desenho Vectorial Desvantagens Apesar de ocuparem menos espaço e de poderem ser ampliados ao infinito sem perda de qualidade este tipo de imagens apenas são gerados por computador e não são de captura. Apesar de se poderem transformar algumas fotos normais para imagens de vectores isto é muito difícil visto isto só poder ser feito em casos muito especiais e com imagens relativamente simples.

32 Desenho Vectorial Formato de imagem vectorial DWG DWG é a extensão de arquivos de desenho em duas e três dimensões criados pela Autodesk para o software AutoCad. Este formato tem proprietário, ou seja, pertence à AutoDesk o fabricante do AutoCAD.

33 Desde 1982 até hoje, foram criadas mais de 18 variações do formato DWG. Mesmo assim, diversos criadores tentaram fazer versões de programas capazes de ler e escrever arquivos DWG tais como o Open Design Alliance, GNU Project's LibreDWG, DWGdirect e outros mas apesar disto a AutoDesk não garante a compatibilidade desses programas com o DWG original. Somente a bentley systems fabricante do Cad Microstation tem um projecto de interoperabilidade com AutoDesk entre os formatos nativos dos seus produtos. Desenho Vectorial Formato de imagem vectorial DWG

34 Informações principais

35 Utilização Visto as imagens vectoriais serem definidas por funções estas apresentam imensas vantagens quando as imagens são utilizadas para cálculos complexos de áreas e volumes bem como massas e por ai além ou seja acabam por ter inúmeras utilizações.

36 Desenhos vectoriais são mais fiáveis aritmeticamente e mais fazeis de medir pelo que podem ser facilmente interligadas com objectos da vida real e a características da vida real através da física, coisa da qual programas de prototipagem e Cads como o Solid Works e o Autodesk inventor encarregam-se.

37 Programas compatíveis Apesar de este tipo de ficheiro ter sido inicialmente desenvolvida pela Autodesk para o software AutoCad rapidamente tornou-se tão famosa que hoje em dia pode-se abrir com a maioria dos programas da Autodesk, e até já com programas de outras empresas tal como os da Dassault Systèmes criadores do Solid Works e Catia que são também programas de desenho vectorial.

38

39 Alguns programas até chegam a ser desenvolvidos apenas para a leitura de DWGs visto serem muito visualizados constantemente devido a fazerem parte de planos de construções e projectos de engenharia.

40 Bibliografia up up ent=WSfd1234e1c4b69f30ea53e ab html ent=WSfd1234e1c4b69f30ea53e ab html PT&sl=en&u=http://www.adobe.com/svg/&ei=G- FeTaPGJM238QOI0exZ&sa=X&oi=translate&ct=result&resnu m=5&ved=0CE4Q7gEwBA&prev=/search%3Fq%3Dsvg%26hl %3Dpt-PT%26rls%3Dcom.microsoft:pt:IE- SearchBox%26rlz%3D1I7ADRA_pt-PT%26prmd%3Divnsl

41 Bibliografia &id= &id=


Carregar ppt "Trabalho realizado por: Carla Dias nº7 Diogo André nº9 Tiago Rodrigues nº29 Gerardo Lima nº14 Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco Disciplina: Aplicações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google