A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vigilância Epidemiológica Brasil. Vigilância das DDAs no Brasil MDDAVE-DTASIVEP_DDA VE AMPLIADA ROTAVÍRUS 19941999 2002 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vigilância Epidemiológica Brasil. Vigilância das DDAs no Brasil MDDAVE-DTASIVEP_DDA VE AMPLIADA ROTAVÍRUS 19941999 2002 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Vigilância Epidemiológica Brasil

2 Vigilância das DDAs no Brasil MDDAVE-DTASIVEP_DDA VE AMPLIADA ROTAVÍRUS

3 Objetivos Monitorar a incidência das diarréias (visando atuar em situações de surtos), e manter contínuas atividades de educação em saúde com a finalidade de diminuir sua incidência e letalidade

4 Situação Epidemiológica Importante causa de morbimortalidade no Brasil e em países subdesenvolvidos Têm incidência elevada e os episódios são freqüentes na infância, particularmente em áreas com precárias condições de saneamento básico O SRO diminui a letalidade, mas a morbidade ainda é importante causa de desnutrição e do retardo de crescimento.

5 Definição de caso Indivíduo que apresentar fezes cuja consistência revele aumento do conteúdo líquido (pastosas, aquosas), com maior número de dejeções diárias, acompanhada ou não de vômitos, febre e dor abdominal, com duração inferior a 2 semanas

6 Notificação Não é DNC devido sua elevada freqüência A vigilância é feita pela MDDA, que consiste no registro de dados mínimos dos doentes, em U.S sentinelas, que serão inseridos no SIVEP_DDA É de responsabilidade da SES, da SMS e das U.S notificantes, analisar os dados da MDDA, verificando a sua qualidade e oportunidade

7 Surtos A notificação é compulsória e imediata (Anexo II, item 6, alínea a, da Portaria nº 104, da SVS/MS, de 25/01/11) quando há alteração no padrão epidemiológico de doença conhecida, independente de constar no Anexo I desta Portaria.

8 Monitorização das Doenças Diarréicas Agudas (MDDA

9 Objetivos e Finalidades A MDDA consiste em coletar, consolidar e analisar dados mínimos: Idade, procedência, data do início dos sintomas e plano de tratamento Finalidade de recomendar: Medidas de prevenção e controle

10 Rotina Diariamente as UBSs, PAs e Hospitais sentinelas, registram todos os casos suspeitos de DDA no Impresso I Ao final de cada SE, todos os impresso I são consolidados, inseridos no Impresso II e analisados (impresso enviado toda segunda- feira à VE da SMS)

11 A VE da SMS por sua vez, condensa todos os impressos II de suas unidades notificantes, e envia o condensado do município à sua Regional (quarta-feira) A Regional condensa todos os impressos II de seus municípios, no impresso III, analisa-os e envia às quintas-feiras para a VE da SES. Mensalmente a VE-SES analisa os dados de todas as regionais e envia um relatório mensal para a COVEH- MS.

12

13 Impresso I

14 Impresso II

15 Impresso III

16 SIVEP_DDA Sistema Informatizado de Vigilância Epidemiológica das DDAs Sistema onde digitam-se os dados coletados pela MDDA Digitação dos dados no sistema depende da estrutura de cada UF (geralmente na VE da SMS)

17 Finalidade Acompanhar as DDAs ao longo do tempo Emitir relatórios e gráficos para análise

18

19

20

21

22 Óbitos por diarréias e gastroenterites de origem infecciosa presumível 2000 a 2012


Carregar ppt "Vigilância Epidemiológica Brasil. Vigilância das DDAs no Brasil MDDAVE-DTASIVEP_DDA VE AMPLIADA ROTAVÍRUS 19941999 2002 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google