A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL MISSÃO PROMOVER DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SETOR AGROPECUÁRIO FLUMINENSE ESTRATÉGIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL MISSÃO PROMOVER DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SETOR AGROPECUÁRIO FLUMINENSE ESTRATÉGIA."— Transcrição da apresentação:

1 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL MISSÃO PROMOVER DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SETOR AGROPECUÁRIO FLUMINENSE ESTRATÉGIA (MICROBACIA) AUMENTO DE PRODUTIVIDADE COM CONSERVAÇÃO RETENÇÃO DE ÁGUA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL / GEF / BIRD Alameda São Boaventura, 770 Fonseca, Niterói, RJ Tel/fax: (21) / / www. microbacias.rj.gov.br NELSON TEIXEIRA Superintendente CHRISTINO ÁUREO Secretário de Estado

2 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL GEF/ DOAÇÃO: U$ BIRD/FINANCIAMENTO: U$ CONTRAPARTIDA: U$ TOTAL EM U$: TOTAL EM R$ a 2,30: GEF/ DOAÇÃO: U$ BIRD/FINANCIAMENTO: U$ CONTRAPARTIDA: U$ TOTAL EM U$: TOTAL EM R$ a 2,30: DOS RECURSOS:

3 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL POSSIBILIDADE DE AUMENTO DOS RECURSOS 1 - NO 3°ANO DE EXECUÇÃO DO PROJETO: + U$ INTEGRAÇÃO GOVERNAMENTAL (FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL) Exemplos: Territórios da cidadania, Pontos de cultura, Saúde da Família, APLs, Hortos Municipais,... Reunião de avaliação final da proposta do Projeto, janeiro 2009

4 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL 270 MICROBACIAS EM 59 MUNICÍPIOS, SENDO: 69 MICROBACIAS 103 MICROBACIAS 52 MICROBACIAS NA ÁREA DE EXPANSÃO 46 MICROBACIAS NA ÁREA DE REPLICAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL DA ABRANGÊNCIA: ÁREA TOTAL: 3,3 milhões de ha

5 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL DOS BENEFICIÁRIOS/ AGRICULTURA FAMILIAR: PROGRAMA RIO RURAL AtividadeNº de Beneficiários Incentivos (Individual e Grupal) Estradas, Saneamento e Cadeias Produtivas Aprimoramento de Políticas PublicasSetor Agropecuário do Estado do Rio de Janeiro

6 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Comitê Regional de Microbacias, COREM- Norte/Noroeste Secretaria Executiva do Projeto - SEP Secretário Executivo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável - CEDRUS Sub-Secretarias Executivas Regionais (SER-N e SER-NO) Sub-Secretário Executivo Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável - CMDRS EMATER e Prefeitura Responsável pelo Projeto no município Comitê Gestor da Microbacia - COGEM Técnico Executor do projeto de Microbacia COORDENAÇÃO EXECUÇÃO CENTRAL REGIONAL MUNICIPAL LOCAL MICROBACIA Controle dos Recursos

7 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Gestão Participativa

8 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL SOCIALAMBIENTAL ECONÔMICA Microbacia Hidrográfica Como forma de promover o Desenvolvimento Rural Sustentável SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL

9 PROGRAMA RIO RURAL SOCIAL PROGRAMA RIO RURAL

10 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Formação do Comitê Gestor de Microbacias Identificação de grupos de interesse Diagnóstico Rural Participativo CONSTRUÇÃO DO PLANO EXECUTIVO DA MICROBACIA DIMENSÃO SOCIAL CAPACITAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS PROGRAMA RIO RURAL

11 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL AMBIENTAL PROGRAMA RIO RURAL

12 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL RIO ASSOREADO

13 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Melhoria das condições hídricas

14 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL DIMENSÃO AMBIENTAL

15 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DE RECARGA PROGRAMA RIO RURAL DIMENSÃO AMBIENTAL

16 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL SUPERINTENDÊCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL CONTROLE DE EROSÃO DIMENSÃO AMBIENTAL

17 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL PLANTIO EM CURVAS DE NÍVEL PROGRAMA RIO RURAL DIMENSÃO AMBIENTAL

18 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL ECONÔMICA PROGRAMA RIO RURAL

19 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL DIMENSÃO ECONÔMICA

20 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL PASTOREIO ROTACIONADO Pequenas unidades de processamento de produtos agropecuários CASA DE FARINHA PROGRAMA RIO RURAL

21 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE PASTAGEM VISÃO INTEGRADA RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA RECUPERAÇÃO DE MATA CILIAR CANAFORRAGEIRA CASA DE FARINHA PROGRAMA RIO RURAL

22 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL RIO RURAL GEF PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE MIE U$ 932,9 mil SISTEMA DE INCENTIVO PARA O MSRN / MIE U$ 8.801,,2 mil ORGANIZAÇÃ E CAPACITAÇÃO P/ O MIE U$ 2.388,8 mil FORTALECIMENTO DOS SISTEMAS DE INCENTIVO E PLANEJAMENTO P/ MIE (ESTUDOS - PSA) PROGRAMA RIO RURAL GERENCIAMENTO, MONITORAMENTO, AVALIAÇÃO E DISSEMINAÇÃO U$ 2.740,3 mil SISTEMA DE INCENTIVO PARA O MSRN / MIE (INCENTIVOS + SUBPROJETOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS – PRATICAS CONSERVACIONISTAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL) ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA P/ AUTO- GESTÃO DOS RECURSOS NATURAIS (INCUBADORA) GESTÃO DO PROJETO (SEP / SER / TEC. EXECUTORES + SISTEMA FISICO- FINANCEIRO) PLANEJAMENTO LOCAL PARA ADOÇÃO DO MSRN/MIE EM MICROBACIAS PILOTO (MET. MBHS C/ DRP, PEM, PID, ECC + CEDRUS, COREM, CMDRS, COGEM, PREFEITURAS + BD GEO) APOIO A ADAPTAÇÃO DE PRÁTICAS DE MSRN (PESQUISA ADAPTATIVA) CAPACITAÇÃO DE EXE- CUTORES NO MSRN/ MIE (CAPACITAÇÕES) APOIO A ADAPTAÇÃO DE PRÁTICAS DE MSRN (PESQUISA ADAPTATIVA) CAPACITAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL P/ MSRN / MIE (CAPACITAÇÕES + EDUCAÇÃO AMBIENTAL) DISSEMINAÇÃO DO PROJETO (TELECENTROS, MATERIAL DIVULGAÇÃO, EVENTOS)

23 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL RIO RURAL BIRD APOIO À PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE DA AGRICULTURA FAMILIAR U$ 61,1 milhões ARCABOUÇO INSTITUCIONAL U$ 5,2 milhões COORDENAÇÃO DO PROJETO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO U$ 7,6 milhões FORTALECIMENTO DAS INSTITUIÇÕES RURAIS E DOS MECANISMOS DE COORDENAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROJETO PRÉ- INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS MELHORIA DOS MECANISMOS PÚBLICOS E PRIVADOS DE APOIO FINANCEIRO GESTÃO DA INFORMAÇÃO PESQUISA PARTICIPATIVA PROGRAMA RIO RURAL

24 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Sistema de Sustentabilidade Econômica Subcomponente 2.2 – Melhoria dos Mecanismos Públicos e Privados de Apoio Financeiro Necessidade de se criar um sistema econômico para aprimorar o elo entre oferta e demanda por recursos públicos e privados em apoio às atividades de DRS. de modo a permitir a construção de parcerias (público-público, privado-privado e privado-público) a serem canalizadas aos projetos das comunidades rurais.

25 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Objetivo O objetivo do SSE é criar um canal mais robusto para direcionar a oferta existente de recursos públicos e privados e facilitar o entendimento e o acesso a essa oferta pelos agricultores familiares. Dessa forma, pretende-se assegurar o suporte contínuo às atividades de DRS após o termino do Projeto. Princípios Será baseado em quatro princípios: (i) visão e compromisso de longo prazo com o DRS junto às comunidades rurais das microbacias; (ii) apoio governamental ativo para um mecanismo que possibilite colaboração mais flexível entre os setores público e privado, externo ao controle governamental; (iii) preferência para uma massa crítica de atores chave envolvidos para inovar e trabalhar juntos na promoção do DRS (governos, setor privado, comunidades locais, sociedade civil, etc.); e (iv) transparência legal, financeira e de gestão (incluindo auditorias, contratações e contabilidade).

26 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL O SSE será implementado com base no desenho elaborado no Projeto Rio Rural GEF. Os recursos do BIRD funcionarão como capital semente para atração de novos investimentos, públicos e privados; O SSE deverá ser constituído de dois eixos: consultivo e executivo. O corpo consultivo, a ser criado dentro do CEDRUS, terá a atribuição desenhar e desenvolver regras e regulamentos para o Sistema, consoantes com as normas estaduais e do Banco, de modo a assegurar o alcance dos objetivos esperados, supervisionar a implementação do SSE, aprovar planos operativos anuais e sugerir ajustes baseados nos relatórios de M&A. O executivo será um agente externo, que terá o papel de agenciar os recursos que encontram-se dispersos e facilitar sua aplicação no fomento de projetos priorizados pelas comunidades rurais; Estratégia

27 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Metas Contratação de Consultoria (ONG, fundação, associação civil sem fins lucrativos, etc) com experiência na área de fomento a projetos de DRS junto a agricultores familiares para Agenciamento de recursos; 45 ações/projetos comunitários apoiados; Desenho de estratégia para beneficiar/compensar os agricultores pelo aumento dos estoques de carbono nas microbacias, promovido pelas práticas de DRS incentivadas.

28 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL OBRIGADO PELA ATENÇÃO ! PROGRAMA RIO RURAL PRODUTOR NO VERMELHO NÃO PROTEGE O VERDE NEM O AZUL! SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Alameda São Boaventura, 770 Fonseca, Niterói, RJ Tel/fax: (21) / / www. microbacias.rj.gov.br NELSON TEIXEIRA Superintendente

29 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL PROGRAMA RIO RURAL SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS ESTRATÉGIA DE AÇÃO DE CONSTRUÇÃO DE VALIDAÇÃO Total de subprojetos: A- Norte e Noroeste 50 Microbacias (GEF + BIRD) B – Norte e Noroeste 134 Microbacias (BIRD) C – Serrana e Replicabilidade 86 Microbacias (BIRD) NÚCLEOS ESTUDOS INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL CAPACITAÇÃO ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA MONITORAMENTO REDE DE PESQUISA DIFUSÃO GESTÃO A + B C METAS

30 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Mapeamento das MBHs FLUXOGRAMA DOS SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS DE CONSTRUÇÃO Processo de seleção das MBHs Adesão da comunidade Elaboração DRP Elaboração de Sub-Projetos Executivos Implantação dos subprojetos Disseminação dos resultados Troca de experiências Formação do COGEM Elaboração PEM Contrapartidas e Co-financiamentos Elaboração PID FASE DE SENSIBILIZAÇÃO FASE DE EXECUÇÃO FASE DE PLANEJAMENTO A C B

31 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL CRONOGRAMA DOS GRUPOS A e B: GRUPO A - MICROBACIAS DO N E NO (GEF + BIRD) JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDez FASE: PLANEJAMENTO Entrega PEM validado no COGEM ETAPA: Plano Individual de Desenvolvimento (PID) FASE: EXECUÇÃO ETAPA: Elaboração de Sub-projetos Executivos Capacitação de beneficiários Implantação de Sub-projetos + ATER MBH (1 e 2) Disseminação de Resultados PROGRAMA RIO RURAL GRUPO B - MICROBACIAS DO N E NO (BIRD) JANFEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Identificação de técnicos (estado e municípios) Capacitação de técnicos (Nivelamento) FASE: SENSIBILIZAÇÃO ETAPA: Adesão / validação das Prefeituras FASE: PLANEJAMENTO ETAPA:Diagnóstico Rural Participativo (DRP) Plano Executivo da Microbacia (PEM) Plano Individual de Desenvolvimento (PID) FASE: EXECUÇÃO ETAPA: Elaboração de Sub-projetos Executivos Capacitação de beneficiários Implantação de Sub-projetos + ATER Disseminação de Resultados

32 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL GRUPO C - MICROBACIAS DA SERRANA E REPLICABILIDADE (BIRD) JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Estruturação das equipes - SER Identificação de técnicos executores: (estado e municípios) Capacitação de técnicos (Nivelamento) FASE: SENSIBILIZAÇÃO ETAPA: Apresentação do projeto no município ETAPA: Adesão das Prefeituras Mapeamento das microbacias Priorização das microbacias Adesão da Comunidade FASE: PLANEJAMENTO ETAPA: Diagnóstico Rural Participativo (DRP) Formação COREM Plano Executivo da Microbacia (PEM) Plano Individual de Desenvolvimento (PID) FASE: EXECUÇÃO ETAPA: Elaboração de Sub-projetos Executivos Capacitação de beneficiários Implantação de Sub-projetos + ATER Sensibilização e elaboração de projetos de outras linhas (Pronaf, setoriais, etc) Disseminação de Resultados PROGRAMA RIO RURAL

33 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL a) PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL ADUBAÇÃO RACIONAL C/ANÁLISE DO SOLO INCENTIVO À DIVERSIFICAÇÃO AQUIS. DE MATRIZES DE BOVINOS (quatro p/produtor) AQUIS. DE MATRIZES DE CAPRINOS (dez p/produtor) AQUISIÇÃO DE ALEVINOS (MILHEIRO) INTRODUÇÃO DE RAINHAS AQUIS. DE REPRODUTORES BOVINOS AQUIS.DE REPRODUTORES CAPRINOS PREVENÇÃO E CONTROLE DE ZOONOSES/PARASITOS AQUISIÇÃO DE SÊMEN (dez ampolas p/produtor) AQUISIÇÃO DE PULVERIZADOR MANUAL/FERTI.ORGÂNICO EXEMPLOS DE SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS DE CONSTRUÇÃO

34 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL (cont.) AQUIS.MAT.PESCA(REDES/TRALHA/CHUMBO) AQUIS.EQUIPAMENTO P/TRAÇÃO ANIMAL AQUIS. KITS P/ANÁLISE ÁGUA AQUIS.PROD.FLORESTAIS CERTIFICADOS INST. DE ESTUFAS DE BAIXO CUSTO PLANTIO DE CANA FORRAGEIRA AQUIS. DE MUDAS DE QUALIDADE CULTIVO MÍNIMO CULTIVOS CONSORCIADOS PASTOREIO ROTACIONADO PLANTIO EM NÍVEL SISTEM. AGROFLORESTAIS E SILVOPASTORIS MANEJO DA IRRIGAÇÃO INST. P/TRATAMENTO EFLUENTES(AQÜICULTURA) INST.P/TRATAMENTO DE EFLUENTES (CAFÉ) AQUISIÇÃO DE DISTRIBUIDOR DE CALCAREO TOMATE SISTEMA SUSTENTÁVEL AQUIS.EQUIP. IRRIGAÇÃO LOCALIZADA

35 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Grupal VIVEIROS PARA PRODUÇÃO DE MUDAS FLORESTAL AQUISIÇÃO DE BUTIJÃO P/SEMEN - grupal INST.VIVEIROS P/PEIXES (01 ha) AQUIS. DE TANQUES RESFRIAMENTO litros (GRUPAL) AQUISIÇÃO DE DISTRIBUIDOR DE ESTERCO LÍQUIDO - GRUPAL READEQUAÇÃO DE CENTRO COMUNITÁRIO MELHORIA DE ACESSO À INFORMAÇÃO DE MERCADO PROGRAMA RIO RURAL

36 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL ADEQUAÇÃO AMBIENTAL ACEIROS ADEQUAÇÃO AMBIENTAL DA PROPRIEDADE RECUPERAÇÃO DA MATA CILIAR PLANTIO DE ESPÉCIES NATIVAS PROTEÇÃO DE NASCENTES ADEQUAÇÃO DE ESTRADAS INTERNAS/CARREADORES SANEAMENTO INDIVIDUAL AGROECOLOGIA FERTILIZANTES ORGÂNICOS TRANSIÇÃO P/SISTEM.AGROECOLÓGICO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS(MIP) CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS BIOFERTILIZANTES CALDAS ALTERNATIVAS(PRODUÇÃO) ADUBAÇÃO VERDE COMPOSTAGEM COBERTURA MORTA INST. ESTERQUEIRA/COMPOSTEIRA

37 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL AGREGAÇÃO DE VALOR A PRODUÇÃO Grupal ESTRUTURA ARMAZ/BENEFICIAMENTO/SECAGEM ESTRUTURA DE ENTREPOSTOS EQUIP.SELEÇÃO/PROCESSAMENTO/BENEF/SECAGEM EQUIP.AGROINDÚSTRIA FAMILIAR CÃMARA FRIA P/PESCADO CÂMARA DE ESPERA P/ PESCADO FÁBRICA E SILO DE GELO LABORATÓRIO P/CLASSIFICAÇÃO CAFÉ AQUIS.EQUIPAMENTO E MATÉRIA PRIMA P/ARTESANATO (GRUPAL) AGREGAÇÃO DE VALOR A PRODUÇÃO Individual RASTREABILIDADE ADEQUAÇÃO EMBALAGEM/ROTULAGEM APOIO ESTRATÉGICO SUSTENTABILIDADE DAS CADEIAS AQUISIÇÃO DE COLHEITADEIRA DE CANA MÁQUINA PARA BENEFICIAMENTO DE CAFÉ PENEIRÃO PARA CAFÉ MICROTRATOR C/CARRETA TRACIONADA – TRANSP. INTERNO LIXO/PRODUÇÃO AQUIS. VEÍCULO DE PORTE MÉDIO C/BAÚ ISOTÉRMICO

38 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL CRONOGRAMA DOS SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS DE VALIDAÇÃO NÚCLEO - INFRAESTRUTURA RURAL JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDez 1. Estradas Laudo de avaliação das máquinas 1.5. Levantamento de pontos críticos em Estradas Especificação das máquinas Formação das equipes 1.4. Aquisição de Máquinas 1.1 Reforma de máquinas ESER 1.2 Aquisição de software p/Topografia 1.3 Contratação de consultor estradas Desenho da estratégia de formação do consórcio Adesão dos Municípios Formalização dos consórcios 1.5 Elaboração de Sub-projetos de Adequação de Estradas 1.6 Adequação de trechos críticos 2. Saneamento Básico 2.1 Levantamentos de demandas ( Grupo A) 2.1 Levantamentos de demandas ( Grupo B 2.1 Levantamentos de demandas ( Grupos C) Contratação de consultor de saneamento Identificação de Tecnologias para Saneamento Individual 2. 2 Implantação de subprojetos em saneamento individual ( Gurpo A ) 3. 2 Implantação de subprojetos em saneamento individual ( Gurpos B) 4. 2 Implantação de subprojetos em saneamento individual ( Gurpo C ) 2. 3 Elaboração de Projeto de Saneamento coletivo (FECAM) 2. 3 Estratégia para captação de recursos no FECAN 2. 4 Implantação de Projeto de Saneamento coletivo (FECAM) 3. Melhoria Habitacional Elaboração de estratégia para captação de recursos 3.1 Levantamento de Demandas para Melhoria Habitacional 3.2 Elaboração de Projetos de melhoria habitacional 3.3 Implantação de projetos de melhoria habitacional PROGRAMA RIO RURAL

39 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL fossas biodigestoras Saneamento Individual Saneamento coletivo nos aglomerados rurais ESTRATÉGIA DE SANEAMENTO

40 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Infra-estrutura rural

41 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL NÚCLEO - ESTUDOS JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDez 1. PSI 1.1. Contratação Consultoria para coordenar construção do PSI 1.2. Capacitação/Elaboração do PSI 1.3. Elaboração de Subprojetos Institucionais 2. Sistema Sustentabilidade Econômica Contratação de consultoria para Desenho SSE Seminário SSE Desenho SSE Contratação de Consultoria para operacionalizar o SSE 3. Estratégias Subbacias 3.1 Contratação consultor individual para Revisão Estratégias Subbacias Elaboração do Estudo Seminário Validação Estabelecimento de termo de compromisso com comuites de sub-bacia Elaboração do Estudo Seminário Validação 4. Estudos Corredores Biodiversidade 4.1- Seminário restituiçao informacoes Comprometimento do INEA Elaboração Material divulgação (livro, folder, cartilha) 5. Ordenamento Espaço Rural 5.1 Contratação Consultor individual para Estudo Ordenamento Espaço Rural Elaboração do Estudo Seminário Validação Estabelecimento de termo de compromisso junto aos comites de bacias Estratégia de Plano Fundiário junto ao ITERJ e UTE 6. IG/PSA Contratação Consultor individual para Estudo IG/PSA Elaboração do Estudo Sub-projetos de IG/PSA PROGRAMA RIO RURAL CRONOGRAMA DOS SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS DE VALIDAÇÃO

42 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL SISTEMA AGROPECUÁRIO FLUMINENSE PLANO DE SUSTENTABILIDADE INSTITUCIONAL (PSI) MDAMAPA SEAPPA SEC. MUNICIPAIS DE AGRICULTURA AGRICULTORES SETOR AGRÍCOLA SAÚDE EDUCAÇÃO MEIO AMBIENTE SETORES NÃO AGRÍCOLAS

43 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL Núcleo - DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDez 1. Cadeias Produtivas Contratação de consultor 1.1. Validação das Ações Identificadas 1.2. elaboração de subprojetos para as cadeias (Café, cana, Pesca, Oleric, Frutic, Leite) 2. Integração Setorial Desenho da estratégia de integração com Programas Setorial Estadual Elaboração e Validação dos Sub-Planos Setoriais Implantação dos Subsídios Setoriais e Intersetoriais Plano de Ação Integrada em Implantação 3. Integração Territorial Contratação Consultoria Elaboração e Revisão Diagnósticos Territoriais Contratação Facilitadores Territoriais Consulta Pública e Participação em Foruns e Eventos Territoriais Integração com estratégias do MDA Planos Territoriais Validados em Implantação 4. Co-Financiamento Regional 4.1- Estruturação de Equipe de Elaboração de Projetos para Co-Financiamento Regional 4.2 Acompanhamento de Editais de Co-Financiamento público e privado 4.3 Elaboração de Projetos de Co-Financiamento Regional e/ou territoriais PROGRAMA RIO RURAL CRONOGRAMA DOS SUBPROJETOS COMUNITÁRIOS DE VALIDAÇÃO

44 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL CADEIASGARGALOS IDENTIFICADOSPROPOSTAS CaféQualidade / ComercializaçãoLaboratório / colheita / classificação Melhoria de terreiros Torrefadores OlericulturaAgregação de valorEstrutura de beneficiamento e processamento Certificação Pesca artesanalComercializaçãoSistema informatizado de cotação Entreposto CanaColheita / queimadaColheitadeira piloto ESTRATÉGIA DE APOIO ÀS CADEIAS

45 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL DAS PREFEITURAS: RECOMENDAÇÕES* PROGRAMA RIO RURAL O sucesso do programa depende de uma prefeitura aberta às demandas do projeto. Quando a prefeitura participa, oportuniza os recursos de infra-estrutura, financeiros e outros. A parceria com os sistemas de governo locais (Prefeituras, Câmara de Vereadores e outros serviços governamentais existentes no município) amplia a probabilidade de sucesso na implementação e sustentabilidade do Projeto de Microbacias. A participação e o conhecimento dos técnicos e gestores das Secretarias Municipais de Agricultura são primordiais para agilizar as ações e implementá-las de forma mais eficiente. CONVÊNIOS COM A EMATER * Extraído de texto elaborado pelo Consultor do Banco Mundial Zander Navarro OS RESULTADOS DO PROJETO DE MICROBACIAS FORAM MAIS SIGNIFICATIVOS ONDE A PREFEITURA APOIOU.


Carregar ppt "SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO SUTENTÁVEL PROGRAMA RIO RURAL MISSÃO PROMOVER DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SETOR AGROPECUÁRIO FLUMINENSE ESTRATÉGIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google