A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Prof: Leonardo Martins Analista em Tecnologia da Informação Administrador de Empresa, especialista em Gestão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Prof: Leonardo Martins Analista em Tecnologia da Informação Administrador de Empresa, especialista em Gestão."— Transcrição da apresentação:

1 Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Prof: Leonardo Martins Analista em Tecnologia da Informação Administrador de Empresa, especialista em Gestão Pública

2 Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Reflexão: A urna eletrônica brasileira, oferece segurança nos dados coletados das eleições!

3 Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Assessoria do TRE-SP divulga: Uma delegação norte-americana visitou no dia 07 deste mês o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para conhecer o funcionamento da urna eletrônica.

4 É um método automático de reconhecimento individual baseado em medidas biológicas (anatômicas e fisiológicas) e características comportamentais. As biometrias mais comumente implementadas ou estudadas incluem as impressões digitais, reconhecimento de face, íris, assinatura e até a geometria das mãos. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação O que é Biometria?

5 Todo sistema biométrico é preparado para reconhecer, verificar ou identificar uma pessoa que foi previamente cadastrada. Para o reconhecimento individual são coletados dados biométricos por meio de sensores que os colocam em formato digital. Quanto melhor a qualidade do sensor, melhor será o reconhecimento alcançado. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação O que é Biometria?

6 A identificação biométrica dos eleitores brasileiros também servirá para outros fins, como o a implantação do Registro de Identificação Civil (RIC), o número único que identificará cada brasileiro para identidade, carteira de motorista, passaporte e outros documentos. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Biometria na Justiça Eleitoral

7 O desenvolvimento das urnas com leitor biométrico, possibilitam ao eleitor registrar seu voto após a identificação biométrica, isto é, depois do reconhecimento das impressões digitais do cidadão previamente cadastradas. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Identificação Segura

8 No dia da votação, após a apresentação dos documentos pelo eleitor, a identidade do eleitor será confirmada por meio do reconhecimento biométrico de sua impressão digital. Se o mesário tiver dúvidas com relação ao eleitor, ou se a sua digital não for reconhecida, aquele terá à sua disposição a folha de votação com as fotos de todos os eleitores daquela seção, a qual poderá recorrer para confirmação da identidade. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Identificação Segura

9 Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) suspenderam, liminarmente, o uso do voto impresso nas eleições de O dispositivo que prevê a mudança está na Lei de O Ministério Público diz que: a impressão do voto pode dar condições para a quebra de sigilo do eleitor. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Voto impresso está suspenso para 2014

10 Recadastramento biométrico Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação

11 A Justiça Eleitoral brasileira deu início à segunda etapa do recadastramento biométrico do eleitorado, que tem como objetivo habilitar, já para as Eleições 2012, cerca de 10 milhões de eleitores para votar após serem identificados pelas impressões digitais. Até o momento, eleitores já foram convocados para participar da revisão eleitoral obrigatória. Recadastramento Biométrico

12 Com o sistema de recadastramento, o Brasil poderá criar o maior banco de dados de imagens de impressão digital existente no mundo. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Recadastramento Biométrico

13 Os eleitores mal notaram as mudanças na hora de votar. Isso porque a urna biométrica informatizou um procedimento operacional: a liberação das urnas não mais é feita pelos mesários, mas sim pela leitura das impressões digitais do próprio eleitor. É a tecnologia a serviço da segurança do voto e da lisura do processo eleitoral. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Na hora do Voto

14 A urna eletrônica somente grava a indicação de que o eleitor já votou. Pelo embaralhamento interno e outros mecanismos de segurança, não há nenhuma possibilidade de se verificar em quais candidatos um eleitor votou, em respeito à Constituição Federal brasileira, que determina o sigilo do voto. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação A Urna Eletrônica

15 A assinatura digital é uma técnica criptográfica para garantir que um conteúdo, no caso um arquivo digital, possa ser verificado principalmente no que se refere à sua integridade, isto é, busca garantir que o programa de computador não foi modificado de forma intencional ou não perdeu suas características originais por falha na gravação ou leitura. Isso significa que se a assinatura digital for válida, o arquivo não foi modificado. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Segurança

16 A Unicamp, a Polícia Federal e a Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação (FACT), concluíram que o sistema eletrônico de votação brasileiro atende às exigências fundamentais do processo eleitoral, descartando todas as suspeitas de fraudes nas urnas eletrônicas. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Auditoria

17 É uma auditoria que ocorre no dia das eleições e para a qual são convidados fiscais de partidos políticos e coligações, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, bem como entidades representativas da sociedade. É realizada em local designado pelos tribunais regionais eleitorais, após o sorteio de duas a quatro urnas eletrônicas na véspera da eleição. Prof: Leonardo Martins – Analista em Tecnologia da Informação Votação paralela

18 Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Reflexão: A urna eletrônica brasileira, oferece segurança nos dados coletados das eleições!

19 Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Muito Obrigado Deus Abençoe a todos! Prof: Leonardo Martins Analista em Tecnologia da Informação Administrador de Empresa, especialista em Gestão Pública


Carregar ppt "Eleições 2012 Biometria e Urna Eletrônica Prof: Leonardo Martins Analista em Tecnologia da Informação Administrador de Empresa, especialista em Gestão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google