A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica Artur Monteiro Leitão Júnior I Seminário Nacional de Desapropriação e Reassentamento 14 de Maio de 2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica Artur Monteiro Leitão Júnior I Seminário Nacional de Desapropriação e Reassentamento 14 de Maio de 2014."— Transcrição da apresentação:

1 Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica Artur Monteiro Leitão Júnior I Seminário Nacional de Desapropriação e Reassentamento 14 de Maio de 2014

2 1. Pressupostos a) Identificação e qualificação dos moradores em faixas de domínio de empreendimentos viários do SNV; c) Licenciamento Ambiental x Decreto-Lei 3.365/41; b) Ocupações irregulares x ausência do Estado; d) Conflito jurídico: “Embora as faixas de domínio não sejam passíveis de usucapião, devendo ser mantidas, assim como as áreas non aedificandi, livres e desimpedidas, não pode a Administração agir de forma alheia à realidade social. [...] 33. Constata-se que no caso de ocupações irregulares das áreas públicas por populações carentes, entram em choque interesses conflitantes tutelados constitucionalmente. De um lado, temos o direito à segurança no tráfego e a imprescindibilidade dos bens públicos, do outro, o direito à moradia, ao trabalho e à dignidade da pessoa humana.” (PFE, 2012, p.66v.),

3 1. Pressupostos e) Sobre o deslocamento involuntário: “[...] nos programas de indenização de benfeitorias e relocação da população afetada na faixa de domínio ou áreas non aedificandi, em regra não deve ser admitida a inclusão daqueles ocupantes não hipossuficientes. Afinal, quanto a estes, não houve impacto ou ameaça aos direitos sociais. Pelo contrário, são invasores que, ao menos potencialmente, tinham pleno conhecimento da ilicitude da ocupação, assumindo claramente o risco de serem retirados do local pelo uso indevido de um bem público.” (PFE, 2012, p.69v.) f) Paradigma da VULNERABILIDADE SOCIOECONÔMICA; h) Critérios de definição objetiva??? g) “Tais critérios [técnicos a serem adotados para classificar as famílias socialmente vulneráveis] devem ser elaborados por equipe técnica, o que reforça mais a necessidade de avocar a parceria dos órgãos preparados para o exercício das competências de implementação de políticas habitacionais.” (PFE, 2013, p.13).

4 2. Critérios e Variáveis Divisão dos questionários em função da tipologia do uso da terra: (a)Módulo I: Imóveis de uso predominante ou exclusivamente residencial e/ou uso misto; (b)Módulo II: Imóveis de uso predominante ou exclusivamente comercial. MÓDULO I MÓDULO II Anexo 1 – Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica para Fins de Reassentamento (58 questões) + Questionário Complementar de Planejamento Estratégico (26 questões) Anexo 2 – Questão de classificação da unidade familiar no escopo da Classe Especial de Vulnerabilidade (01 questão) Anexo 3 – Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica para fins de Indenização de Benfeitoria (21 questões)

5 2. Critérios e Variáveis Duas tipologias de sistemas de pesos: (a)Pesos contábeis; (b)Pesos compulsórios

6 2. Critérios e Variáveis Critérios: i.Imóvel localizado integral ou parcialmente na faixa de domínio e usado diária e exclusivamente como núcleo de reprodução social; ii.Não realização com grupos humanos tipicamente migratórios e/ou nômades; iii. Para os imóveis ocupados pertencentes a terceiros, a análise recairá tanto sobre os proprietários quanto sobre os ocupantes (inquilinos); iv.Para as unidades domiciliares multifamiliares, a aferição da condição de vulnerabilidade recairá sobre cada unidade familiar, condicionada à comprovação de, no mínimo, um ano de convivência compartilhada;

7 2. Critérios e Variáveis v.Para uso da terra predominante ou exclusivamente agrícola, serão as benfeitorias (cultura agrícola) avaliadas se forem de cunho de autossustento, procedendo-se, neste caso, à indenização das culturas em seu valor de mercado; vi.Para uso da terra predominante ou exclusivamente com atividades comerciais, a condição de vulnerabilidade implicará em indenização do imóvel (edifício/ ponto comercial/manufatureiro/artesanal); vii.Para o caso de uso da terra predominante ou exclusivamente com estabelecimento comerciais/industriais reconhecidamente não vulneráveis, a opção institucional será pela não indenização dos proprietários;

8 2. Critérios e Variáveis viii.Para o caso de moradias coletivas (hospedarias, albergues, barracões de trabalhadores etc.), proceder-se-á à não indenização desses objetos de análise; ix.Para os imóveis/edifícios de uso misto, em que um deles seja para fins de moradia, a aferição da vulnerabilidade se dará conforme o Módulo I.

9 3. Temas / Dimensões i.Identificação: variáveis básicas para o estabelecimento da identidade do responsável (pessoa de referência / arrimo de família) pela unidade familiar em análise, a qual responde; ii.Dados Básicos: variáveis que complementam a identificação do responsável e do imóvel/edifício, pautando-se em pesos compulsórios; iii.Composição familiar: variáveis de caracterização da organização familiar em suas diversas faixas etárias, estabelecendo as condições na estrutura doméstica e o arranjo familiar, crucial na aferição da capacidade de geração de renda; iv.Renda Potencial: variáveis de caracterização do trabalho, renda e escolaridade do responsável; v.Habitação: variáveis de caracterização do padrão físico do imóvel/edifício, da posse do domicílio e acesso/disponibilidade dos serviços urbanos. MÓDULO I

10 3. Temas / Dimensões Para além do comércio propriamente dito, consideram-se, neste módulo, as práticas agrícolas em regime de autossustento – estando, neste caso, pré-definida a indenização das culturas conforme o preço de mercado – e as atividades de caráter de baixo/precário nível tecnológico (produção manufatureira/artesanal). i.Identificação/Dados básicos: variáveis básicas para o estabelecimento da identidade do responsável (pessoa de referência / arrimo de família) pela atividade econômica em análise, a qual responde; ii.Condições de Renda Potencial/ Ambiente familiar: variáveis de caracterização da renda e da escolaridade do responsável pela unidade familiar e, diretamente, pela atividade econômica que a sustenta; e variáveis de caracterização da organização familiar e da capacidade de geração de renda pela atividade econômica. MÓDULO II

11 4. Grupos de Vulnerabilidade Socioeconômica A partir dos fatores e valores de inflexão, definiram-se os seguintes grupos de vulnerabilidade: Para resultados maiores ou iguais a 15 (quinze) OU pesos compulsórios de vulnerabilidade socioeconômica: deve-se incluir a unidade familiar nos Programas de Reassentamento; Para resultados menores que 15 (quinze) OU pesos compulsórios de não vulnerável socioeconomicamente: “Repescagem” para determinação de enquadramento (ou não) da unidade familiar na classe especial de vulnerabilidade: se sim, indenização do imóvel/edifício/benfeitoria; se não, reintegração de posse. MÓDULO I

12 4. Grupos de Vulnerabilidade Socioeconômica Classe Especial de Vulnerabilidade: Unidade familiar classificada como não socioeconomicamente vulnerável, mas que possuem no imóvel/edifício em questão a única moradia; -Condição estabelecida/determinada pelo Anexo 2 da pesquisa; -Resultado: indenização do imóvel/edifício/benfeitorias localizados na faixa de domínio -Valores facultativos da indenização: (i)Avaliação imobiliária, conforme os preços correntes no mercado imobiliário local, do imóvel/edifício em questão; ou (ii)Valor máximo regionalizado das unidades habitacionais no escopo do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) do Ministério das Cidades.

13 4. Grupos de Vulnerabilidade Socioeconômica Diagrama de ações a serem impetradas a partir da aferição da vulnerabilidade socioeconômica

14 4. Grupos de Vulnerabilidade Socioeconômica O corolário da aferição de vulnerabilidade indica indenização da benfeitoria (estabelecimento de serviço/comércio de autossustento, pequenos estabelecimentos e/ou estabelecimentos manufatureiros/artesanais); A partir dos fatores e valores de inflexão, definiram-se os seguintes grupos: Para resultados maiores ou iguais a 6 (seis) OU pesos compulsórios de vulnerabilidade socioeconômica: indenização da benfeitoria da atividade econômica; Para resultados menores que 6 (seis) OU pesos compulsórios de não vulnerável socioeconomicamente: a atividade econômica será alvo de reintegração de posse. MÓDULO II

15 5. Encaminhamentos... Legitimação da Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica:  Aprovação da pesquisa pelas demais diretorias da Autarquia e Superintendências Regionais DNIT;  Endosso da pesquisa por parte de órgãos interessados/intervenientes (Ministério das Cidades, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Secretaria de Direitos Humanos – Presidência da República);  Validação da pesquisa em campo, nas obras da BR-135/MA e da BR-101/RJ (Arco Metropolitano do Rio de Janeiro). Instrução de Serviço n o 18, de 30 de dezembro de 2013 (Boletim Administrativo n o 05, de 27 a 31 de janeiro de 2014). Desenvolvimento de software (dispositivo móvel) para aplicação da pesquisa.

16 Obrigado! Artur Monteiro Leitão Júnior Analista de Infraestrutura Ministério dos Transportes


Carregar ppt "Pesquisa Básica de Vulnerabilidade Socioeconômica Artur Monteiro Leitão Júnior I Seminário Nacional de Desapropriação e Reassentamento 14 de Maio de 2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google