A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Incidentes em Terra Um Custo Desnecessário para a Atividade Aérea.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Incidentes em Terra Um Custo Desnecessário para a Atividade Aérea."— Transcrição da apresentação:

1 Incidentes em Terra Um Custo Desnecessário para a Atividade Aérea

2 ObjetivoObjetivo  Valorizar as melhores práticas para evitar as ocorrências de solo com helicópteros

3 RoteiroRoteiro  O Problema  Fatores Contribuintes  Os Casos e a Prevenção  O Problema  Fatores Contribuintes  Os Casos e a Prevenção

4 O Problema OCORRÊNCIA DE SOLO  Toda ocorrência envolvendo aeronave e não havendo intenção de vôo, da qual resulte dano ou lesão.  Ocorrem em operações de solo;  Entrando e saindo do hangar, e em movimentações na área operacional. OCORRÊNCIA DE SOLO  Toda ocorrência envolvendo aeronave e não havendo intenção de vôo, da qual resulte dano ou lesão.  Ocorrem em operações de solo;  Entrando e saindo do hangar, e em movimentações na área operacional.

5

6 Fatores contribuintes  Fator humano Aspecto Psicológico Aspecto Psicológico Aspecto Operacional Aspecto Operacional InstruçãoInstrução SupervisãoSupervisão Infra-estruturaInfra-estrutura Pessoal de apoioPessoal de apoio OutrosOutros  Fator humano Aspecto Psicológico Aspecto Psicológico Aspecto Operacional Aspecto Operacional InstruçãoInstrução SupervisãoSupervisão Infra-estruturaInfra-estrutura Pessoal de apoioPessoal de apoio OutrosOutros

7

8 Caso 1  A aeronave encontrava-se no pátio de estacionamento. Por solicitação da manutenção, a referida aeronave foi tratorada para dentro do hangar.  No caminho a mangueira de uma das rodas do reboque estourou, o que resultou na queda brusca do esqui, que se arrastou por meio metro  Caso reincidente.  A aeronave encontrava-se no pátio de estacionamento. Por solicitação da manutenção, a referida aeronave foi tratorada para dentro do hangar.  No caminho a mangueira de uma das rodas do reboque estourou, o que resultou na queda brusca do esqui, que se arrastou por meio metro  Caso reincidente.

9 Caso 2  Para o deslocamento, foi instalado o “truck” no esqui do helicóptero. Ao erguer a aeronave e apoiá-la somente sobre as rodas do reboque, ocorreu a quebra do olhal do pino de fixação da roda ao esqui do lado esquerdo e a aeronave caiu.  Foram encontrados problemas em outros “trucks”  Para o deslocamento, foi instalado o “truck” no esqui do helicóptero. Ao erguer a aeronave e apoiá-la somente sobre as rodas do reboque, ocorreu a quebra do olhal do pino de fixação da roda ao esqui do lado esquerdo e a aeronave caiu.  Foram encontrados problemas em outros “trucks”

10 PrevençãoPrevenção  Usar uma lista de verificações  Escolher o veículo adequado  Checar a operacionalidade Rodas e pneus Rodas e pneus Fluidos e Vazamentos Fluidos e Vazamentos Conexões Conexões Equipamento de segurança Equipamento de segurança Freios e “Towbar” Freios e “Towbar”  Usar uma lista de verificações  Escolher o veículo adequado  Checar a operacionalidade Rodas e pneus Rodas e pneus Fluidos e Vazamentos Fluidos e Vazamentos Conexões Conexões Equipamento de segurança Equipamento de segurança Freios e “Towbar” Freios e “Towbar”

11 Caso 3  a aeronave estava sendo rebocada para o local previsto de pernoite, quando ao passar sobre o desnível existente sofreu uma guinada, vindo a colidir com outra aeronave que já estava estacionada.

12 PrevençãoPrevenção  Planejar a rota: Aeronaves e veículos Outros serviços Pessoas  Proximidade outras aeronaves outros equipamentos  Condições do piso

13 Caso 4  Após apoiar a partida em dois helicópteros, o motorista posicionou a fonte externa junto a outra aeronave, deixando-a conectada.  Imediatamente foi solicitado apoio do trator para retirar uma aeronave de dentro do hangar.  Após apoiar a partida em dois helicópteros, o motorista posicionou a fonte externa junto a outra aeronave, deixando-a conectada.  Imediatamente foi solicitado apoio do trator para retirar uma aeronave de dentro do hangar.

14 Caso 4  Na ânsia de atender ao chamado, o motorista movimentou o trator com a fonte externa ligada a ele, e como estava ainda conectada ao helicóptero, o deslocamento causou danos leves na estrutura da tomada e no “plug” de conexão da fonte

15 PrevençãoPrevenção  Somente pessoal treinado  Aderência aos procedimentos  Checar se a área está livre para a operação Aeronave Aeronave Equipamento Equipamento O caminho etc. O caminho etc.  Somente pessoal treinado  Aderência aos procedimentos  Checar se a área está livre para a operação Aeronave Aeronave Equipamento Equipamento O caminho etc. O caminho etc.

16 Caso 5  Após o engate do garfo de reboque à bequilha da aeronave, o tratorista inicia o procedimento. Quando percebe que o freio não foi liberado, atua na embreagem e acelerador de forma excessiva por duas vezes.

17 Caso 5  Sem obter sucesso à ré, o motorista tenta se deslocar à frente.  O freio solta-se bruscamente partindo o garfo de reboque e danificando parte da bequilha e sua fixação à aeronave.  Sem obter sucesso à ré, o motorista tenta se deslocar à frente.  O freio solta-se bruscamente partindo o garfo de reboque e danificando parte da bequilha e sua fixação à aeronave.

18 PrevençãoPrevenção  Checar os freios Antes, durante e depois Antes, durante e depois  Pessoas de cada lado da aeronave Sinalização, vestimentas Sinalização, vestimentas  Prevenir RI  FOD  NA DÚVIDA, PARE!!!!  Checar os freios Antes, durante e depois Antes, durante e depois  Pessoas de cada lado da aeronave Sinalização, vestimentas Sinalização, vestimentas  Prevenir RI  FOD  NA DÚVIDA, PARE!!!!

19 PrevençãoPrevenção  Checar os freios Antes, durante e depois  Pessoas de cada lado da aeronave Sinalização Vestimentas  NA DÚVIDA, PARE!!!!

20 Caso 6  O helicóptero estava pousado heliponto do hospital, com o motor cortado e rotores parados.  Parte da tripulação guarnecia a aeronave e a outra parte acompanhava a vítima que fora transportada.  O helicóptero estava pousado heliponto do hospital, com o motor cortado e rotores parados.  Parte da tripulação guarnecia a aeronave e a outra parte acompanhava a vítima que fora transportada.

21 Caso 6  Uma ambulância que estava estacionada próxima do heliponto iniciou um deslocamento de ré em direção ao helicóptero.  A tripulação começou a orientar a ambulância para evitar uma colisão com a aeronave.  Uma ambulância que estava estacionada próxima do heliponto iniciou um deslocamento de ré em direção ao helicóptero.  A tripulação começou a orientar a ambulância para evitar uma colisão com a aeronave.

22 Caso 6  O motorista não atendeu a solicitação para que a ambulância parasse, apesar da insistência da tripulação.  O veículo veio a colidir com a aeronave, danificando a bolha direita e o farol de busca.  Um dos tripulantes foi atingido pela ambulância na tentativa de para o deslocamento, sendo atendido no hospital.  O motorista não atendeu a solicitação para que a ambulância parasse, apesar da insistência da tripulação.  O veículo veio a colidir com a aeronave, danificando a bolha direita e o farol de busca.  Um dos tripulantes foi atingido pela ambulância na tentativa de para o deslocamento, sendo atendido no hospital.

23 PrevençãoPrevenção  Brifar a equipe que vai ajudar Sinalização Sinalização Rádios Rádios  Assertividade  Brifar a equipe que vai ajudar Sinalização Sinalização Rádios Rádios  Assertividade

24 Caso 7  A aeronave estava sendo rebocada do interior do hangar para o pátio.  Quando ao passar por cima de uma grade de escoamento de águas pluviais, onde existia um pequeno buraco, sofreu um dano na bequilha que não foi percebido no momento.  Durante o vôo a bequilha não pode ser recolhida.  A aeronave estava sendo rebocada do interior do hangar para o pátio.  Quando ao passar por cima de uma grade de escoamento de águas pluviais, onde existia um pequeno buraco, sofreu um dano na bequilha que não foi percebido no momento.  Durante o vôo a bequilha não pode ser recolhida.

25 PrevençãoPrevenção  Escolher o caminho mais seguro  Velocidade do homem andando  Devagar se desconfiar do terreno  Escolher o caminho mais seguro  Velocidade do homem andando  Devagar se desconfiar do terreno

26 Caso 8  O helicóptero estava em manutenção no hangar.  Durante uma chuva torrencial, foi percebido que o local oferecia perigo à aeronave e tentaram retirá-la, porém não houve tempo e parte do telhado do hangar desprendeu-se e caiu sobre o estabilizador horizontal direito causando pequenos danos.  O helicóptero estava em manutenção no hangar.  Durante uma chuva torrencial, foi percebido que o local oferecia perigo à aeronave e tentaram retirá-la, porém não houve tempo e parte do telhado do hangar desprendeu-se e caiu sobre o estabilizador horizontal direito causando pequenos danos.

27

28

29

30


Carregar ppt "Incidentes em Terra Um Custo Desnecessário para a Atividade Aérea."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google