A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Período histórico A partir das décadas de 1960 e 1970, as produções artísticas e literárias passaram a ser afetadas por inúmeros fatores, dentre eles.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Período histórico A partir das décadas de 1960 e 1970, as produções artísticas e literárias passaram a ser afetadas por inúmeros fatores, dentre eles."— Transcrição da apresentação:

1

2 Período histórico A partir das décadas de 1960 e 1970, as produções artísticas e literárias passaram a ser afetadas por inúmeros fatores, dentre eles estão a supressão dos direitos civis na ditadura militar, a censura à comunicação, a repressão policial e a prática de torturas. A década de 1960 se inicia com o governo de J.K., marcado por uma euforia desenvolvimentista. Logo após, crises políticas foram aparecendo, sendo que uma delas foi resultado da renúncia do então presidente Jânio Quadros. Essas crises culminaram no golpe militar de 1964, derrubando João Goulart do poder e iniciando-se assim a ditadura militar no Brasil, que teve fim somente em 1985, com a eleição de Tancredo Neves. Na década de 1970, um fato marcante foi a Copa do Mundo de 70, em que os militantes da ditadura acabaram por desenvolver uma onda de nacionalismo pelo país. A frase Brasil: ame-o ou deixe-o permaneceu nas mentes alienadas das pessoas durante esse período. No final da década de 1970, a lei da anistia foi corroborada e permitiu a volta das pessoas exiladas, iniciando um sentimento de esperança em quem discordava da política militar da ditadura. Na década de 1980, começou uma mobilização pelas eleições diretas. Em 1985 acabava a ditadura com a eleição indireta de Tancredo Neves, primeiro presidente civil no cargo de presidente da república. Entretanto, Tancredo morreu antes de tomar posse e José Sarney assumiu o cargo, criando a atual Constituição. No início da década de 1990 ocorreu a primeira eleição direta de Fernando Collor, que acabou decepcionando a nação brasileira com escândalos de corrupção e de incompetência. Desde então, os governos sucessores ficaram responsáveis por buscar a estabilidade econômica no país, tentando resolver os problemas principais, como distribuição de renda, educação, moradia, reforma agrária, entre outros.

3 Literatura contemporânea A prosa No final da década de 1960, a literatura contemporânea fica mais questionadora, surgindo personagens que buscam o tempo todo a sua identidade, e as questões urbanas começam a ser abordadas. A censura da ditadura militar também trouxe uma nova definição de valores para a literatura, fazendo com que os escritores procurassem novas formas de expressar os seus protestos. A prosa contemporânea se caracteriza pela pluralidade de estilos, tendências e aspectos expressivos. A partir da década de 1970, os gêneros literários se interagem e acabam incorporando técnicas e linguagens que antes não eram usadas pelos mesmos. Romance e conto, crônica e notícia, conto e crônica foram se transformando aos poucos em romances com ares de reportagem, contos parecidos com poemas e crônicas, autobiografia romanesca, narrativa mais teatral, entre outros. A geração de novos autores começa então, marcada, por exemplo, por Rubem Fonseca, Caio Fernando de Abreu, Marcelino Freire, Ignácio de Loyola Brandão, Dalton Trevisan e Lygia Fagundes Telles.

4 O romance na prosa contemporânea Da mesma forma que aprofunda temas tradicionais, o romance procura inovar os temas. 3.1) Romance Regionalista: relata o homem com seus problemas no ambiente rural. Ex.: O Coronel e o Lobisomen, de José Cândido de Carvalho. 3.2) Romance Intimista: exploração da vida interior dos personagens, tentando retratar seus problemas, traumas, sentimentos e angústias. Ex.: Ciranda de Pedra, As Meninas, de Lygia Fagundes Telles e Reunião de Família, Lya Luft. 3.3) Romance Social-Urbano: retrata a vida urbana, a burguesia, o proletariado, a luta de classes, a violência e a marginalização. Ex.: Rubem Fonseca e Dalton Trevisan. 3.4) Romance Político: a censura foi responsável por fazer surgir novas espécies de prosa, tais quais: a) Paródia Histórica b) Romance Reportagem, linguagem jornalística para protesto contra a opressão. Ex.: O Caso Morel, de Rubem Fonseca, Zero e Não Verás País Nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão. c) Romance Policial, com aspectos políticos e urbanos. Ex.: A Grande Arte, Bufo & Spallanzani e Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos, de Rubem Fonseca. d) Romance Histórico, que une a narrativa policial com fatos políticos e históricos. Ex.: Agosto, de Rubem Fonseca, retratando o suicídio de Getúlio Vargas.

5 O conto e a crônica na prosa contemporânea Esses dois gêneros são narrativas curtas que se tornaram úteis na década de 1970 para atender às necessidades do mundo moderno. Como exemplo de contos, temos Lygia Fagundes Telles, Dalton Trevisan, Moacyr Scliar, Rubem Fonseca e Marcelino Freire. A exemplo de crônicas destaca-se Luís Fernando Veríssimo.

6 Exemplos de textos da prosa contemporânea Totonha, de Marcelino Freire.

7 O Príncipe Sapo, de Caio Fernando de Abreu.

8 Passeio Noturno Parte II, de Rubem Fonseca.

9 Grupo Aline Abranches Gabriele Rocha Jéssica Cordeiro Paola Delgado Wellington Paro


Carregar ppt "Período histórico A partir das décadas de 1960 e 1970, as produções artísticas e literárias passaram a ser afetadas por inúmeros fatores, dentre eles."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google