A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Efeito das Barragens sobre o Ambiente Físico Equipe 2: Adelina Silva, Ana Celly, Delfin Vilam, Denilson Oliveira, Leib Carteado, Michele Amurim e Simone.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Efeito das Barragens sobre o Ambiente Físico Equipe 2: Adelina Silva, Ana Celly, Delfin Vilam, Denilson Oliveira, Leib Carteado, Michele Amurim e Simone."— Transcrição da apresentação:

1 Efeito das Barragens sobre o Ambiente Físico Equipe 2: Adelina Silva, Ana Celly, Delfin Vilam, Denilson Oliveira, Leib Carteado, Michele Amurim e Simone.

2 Conceito de População (Odum, 2007): Qualquer grupo de organismos da mesma espécie que ocupa um espaço particular e funciona como parte de uma comunidade biótica, ou seja, um conjunto de populações que funciona como uma unidade integrativa, por meio de transformações metabólicas co-evoluídas em uma área determinada de um habitat físico.

3 Propriedades das População (Odum, 2007): Densidade Natalidade Mortalidade Distribuição etária Potencial biótico Dispersão Formas de crescimento

4 Densidade: É o tamanho de uma população em relação a uma unidade de espaço definido (Ex: 200 árvores por hectare). Densidade bruta: número (ou biomassa) por unidade do espaço total; Densidade ecológica: número (ou biomassa) por unidade do espaço de habitat (área ou volume disponível que pode ser colonizado pela população).

5 Natalidade (taxa de nascimento): É a capacidade de uma população de crescer por meio da reprodução. = número de novos indivíduos produzidos unidade específica de tempo. Natalidade ecológica ou efetiva: é o crescimento populacional sob uma condição ambiental de campo específica ou real.

6 Mortalidade (taxa de morte): Quantifica as mortes dos indivíduos na população. = número de indivíduos que morrem unidade específica de tempo. Mortalidade ecológica ou específica: a perda de indivíduos sob dada condição ambiental – como a natalidade ecológica, não é uma constante, mas varia de acordo com as condições de população e ambiente.

7 Distribuição etária: Atributo importante das populações, influencia tanto a natalidade quanto a mortalidade. A razão entre os vários grupos etários em uma população determina o estado reprodutivo atual da população e indica o que esperar do futuro.

8 Potencial biótico: P ropriedade inerente aos organismos de se reproduzir, sobreviver, aumentar em número. É um tipo de soma algébrica do número de jovens produzidos a cada reprodução, do número de reproduções em um dado período de tempo, da razão sexual e sua capacidade geral de sobreviver sob determinadas condições físicas..

9 Dispersão: Movimento dos indivíduos ou propágulos (sementes, esporos, larvas, etc.) para dentro ou para fora da população ou da área da população. Suplementa a natalidade e a mortalidade na configuração do crescimento populacional. Emigração: movimento unidirecional dos indivíduos para fora – afeta a forma de crescimento local do mesmo modo que a mortalidade. Imigração: movimento unidirecional de indivíduos para dentro – age como a natalidade. Migração: saída e entrada periódica dos indivíduos – suplementa a sazonalidade tanto da natalidade como a mortalidade.

10 Formas de crescimento: Seleção K: uma população k-estrategista vive em um hábitat relativamente constante. Como consequência, é estabelecida uma população de tamanho adensado e mais ou menos constante. Há uma intensa competição entre s adultos, sendo resultado desta competição um forte determinante de suas taxas de sobrevivência e fecundidade. Seleção r: uma população r-estrategista vive em um habitat imprevisível no tempo ou de curta duração. A população, assim, experimentará períodos favoráveis de rápido crescimento, livre de competição (p. ex., quando um local está sendo colonizado). Esses períodos são interrompidos por períodos desfavoráveis, com inevitável mortalidade (p. ex., quando um local efêmero tem sido muito explorado ou mesmo quando desaparece).

11 Conceito de Comunidade (Begon, 2007): É uma assembléia de populações de espécies que ocorrem juntas no espaço e no tempo. As comunidades possuem propriedades que são a soma das propriedades dos indivíduos residentes mais suas interações. Ecologia de comunidades: procura entender a maneira como agrupamentos de espécies são distribuídos na natureza e as formas pelas quais tais agrupamentos podem ser influenciados pelo ambiente abióticos e pelas interações das espécies.

12 Interações (Begon, 2007): Competição Predação Mutualismo Simbiose Parasitismo Comensalismo

13 Competição: Interação entre indivíduos, provocada por uma necessidade comum de um recurso que leva à redução da sobrevivência, crescimento, e/ou reprodução de pelo menos alguns dos indivíduos competidores envolvidos.

14 Predação: C onsumo de um organismo por outro, em que a presa está viva quando o primeiro predador ataca.

15 Mutualismo: Organismos de espécies diferentes interagem em seu benefício mútuo, envolvendo, em geral, troca direta de bens ou serviços e resulta tipicamente na aquisição de capacidades novas ao menos por um parceiro.

16 Simbiose: Associações físicas fechadas entre espécies, em que um simbionte ocupa um hábitat fornecido por um hospedeiro, nessas interações deve haver, ao menos, um indício de mutualismo.

17 Parasitismo: Ocorre quando um organismo (parasito) obtém seus nutrientes de um ou de muito poucos indivíduos hospedeiros, normalmente provocando dano, mas sem causar morte imediata.

18 Comensalismo: Interação entre duas espécies em que a primeira proporciona um hábitat para a segunda, mas não é prejudicado nem beneficiado.

19 Reservatórios podem ser considerados ecossistemas híbridos rios/lagos, por características típicas, como intensa influência externa, morfologia e hidrologia distintas de lagos e rios e fontes externas e internas de matéria orgânica. Compartimentos de ambientes lênticos:

20 Características de Represas artificiais (Tundisi & Tundisi, 2008) : 1. Reservatórios são construídos em uma região mais a jusante de uma bacia de drenagem, enquanto lagos naturais estão localizados no centro de bacias de drenagem simétricas e contínuas; 2. A variação do tempo de retenção estabelece padrões horizontais diferenciados em represas de uma forma muito mais dinâmica que em lagos; 3. Reservatórios possuem gradientes longitudinais característicos e acentuados em relação aos lagos, nos quais se distinguem três regiões: Região sob a influência de rios tributários; Região transicional, funcionando como um intermediário entre rio e lago; Região de caráter mais lacustre, sujeita às ações da abertura dos vertedouros e das turbinas.

21 Ecologia de Indivíduos e Populações e Ecologia de Comunidades Problema 1 Características de Represas artificiais (Tundisi & Tundisi, 2008) : 4. Essas três áreas se expandem e retraem na dependência do fluxo dágua, da entrada de tributários, do tempo de retenção e das características construtivas das represas. 5. Os sistemas de circulação da água são dirigidos pelo processo de operação da represa, que determinam o padrão de sucessão das populações planctônicas, no espaço e no tempo, horizontal e verticalmente, na dependência da circulação vertical e dos padrões hidrodinâmicos horizontais. 6. O transporte de substâncias tóxicas, carbono, fósforo e nitrogênio também sofre influência da circulação vertical e pelos transportes lateral e horizontal.

22 Impactos da construção de reservatórios, a montante e sobre o ambiente aquático formado: Ambiente físico Transformação do meio hídrico; Elevação do lençol freático, com efeitos prováveis na agricultura regional (aumento da umidade do solo) e na epidemiologia (criação de brejos com a proliferação insetos transmissores de doenças); Aumento da taxa de sedimentação a montante em seus afluentes; Instabilidade dos taludes marginais do reservatório;

23 Erosão das margens do reservatório e a montante; Desaparecimento de extensas áreas de terras; Degradação de solos para a construção da barragem; Inundação de áreas florestais ou agrícolas, o que pode causar alterações físicas e químicas no meio aquático (alteração do PH e surgimento de SO 2 ), com a possibilidade de ocorrência contaminação e eutrofização; Inundações de reservas minerais, de áreas férteis para agricultura e pecuária, além de estradas, sítios arqueológicos e de valor histórico; Desaparecimento de recursos naturais como: florestas, rios, lagos, cavernas, quedas dágua.

24 Impactos da construção de reservatórios a montante e sobre o ambiente aquático formado : Ambiente biótico Alterações nas condições de reprodução das espécies aquáticas, devido, por exemplo, à destruição das lagoas marginais e alterações na qualidade física e química da água; Modificações substanciais nos habitats em torno da represa afetando a fauna e flora silvestres; Aumento, de maneira explosiva, das comunidades de macrófitas aquáticas, principalmente as flutuantes;

25 Grandes riscos de desaparecimento de espécies vegetais e animais raros ou em extinção na área; Profundas modificações na fauna ictiológica; Decomposição da biomassa submergida; Perturbações causadas pelo deslocamento de animais durante o enchimento do reservatório.

26 Impactos da construção de reservatórios a jusante: Ambiente físico: Alteração no regime hidrológico que passa a ter regime de cheia e seca aperiódico, portanto independente do regime pluviométrico da região; Alteração na qualidade física e química da água, que implicam em alterações dos valores de PH e na oxigenação do meio; Pouca deposição de sedimentos nas várzeas à jusante durante os períodos de cheia, por retenção a montante;

27 Redução do valor fertilizante da água efluente; Eliminação da fertilização natural das áreas alagáveis; Erosão das margens do curso dágua.

28 Impactos da construção de reservatórios a jusante: Ambiente biótico: Consequências imediatas das alterações do regime hidrológico nos organismos aquáticos e terrestres; Perturbações causadas pelo deslocamento de animais durante o enchimento da represa; Ciclos de crescimento e reprodutivo de populações totalmente alterado pela ausência de períodos sazonais de cheia e seca, o que leva a forte redução ou mesmo extinção. Este fenômeno é observado especialmente nas espécies de ciclo de vida curto;

29 Modificações de composição da fauna e flora (longo prazo), com desaparecimento de algumas espécies e o surgimento de outras na área de inundação, em decorrência principalmente da ausência de inundações periódicas e da redução da disponibilidade de nutrientes no ambiente aquático; Impactos sobre as propriedades das populações e interações nas comunidades; Fluxos hidrodinâmicos e tempo de retenção da água nas represas influenciam na distribuição de fitoplâncton e zooplâncton, interferindo nos ciclos de vida das espécies; Reservatórios situados em cascata interferem sucessivamente na distribuição e na reprodução dos organismos, nos ciclos biogeoquímicos, na circulação horizontal daqueles a jusante, produzindo novos padrões hidrodinâmico, químicos e biológicos.


Carregar ppt "Efeito das Barragens sobre o Ambiente Físico Equipe 2: Adelina Silva, Ana Celly, Delfin Vilam, Denilson Oliveira, Leib Carteado, Michele Amurim e Simone."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google