A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CREATION WILLI GELLER INTERNACIONAL – SIMPLESMENTE BRILHANTE INSTRUÇÕES DE USO CERÂMICAS CLASSICAS PARA METALO CERÂMICA CC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CREATION WILLI GELLER INTERNACIONAL – SIMPLESMENTE BRILHANTE INSTRUÇÕES DE USO CERÂMICAS CLASSICAS PARA METALO CERÂMICA CC."— Transcrição da apresentação:

1 CREATION WILLI GELLER INTERNACIONAL – SIMPLESMENTE BRILHANTE INSTRUÇÕES DE USO CERÂMICAS CLASSICAS PARA METALO CERÂMICA CC

2  ARMAÇÃO Metais preciosos ou não preciosos com um coeficiente de expansão térmica de 13.8 a 14.9 de 25°C a 50°C podem ser cobertos com Creation CC. Coeficiente expansão térmica > 14.5 resfriamento prolongado Coeficiente expansão térmica < 14.1 o objeto deve ser removido rapidamente da câmara de cocção. Oxidação de acordo com as instruções do fabricante da liga metálica. Tenha a certeza de que a camada de oxidação esteja UNIFORME.

3  AGENTE DE UNIÃO AO METAL (CREA ALLOY BOND) A queima do agente de união ao metal (Crea Alloy Bond) 980 °C sob vácuo. Desligue a bomba de vácuo e faça o ar entrar na câmara de cocção após o final do ciclo de queima quando a temperatura final for atingida. O tempo de manutenção na temp. final é de 1 min. O tempo de pré-aquecimento do agente de união é de 6 min a 550 °C e deve ser realizado. Após a estrutura metálica ser jateada com óxido de alumínio, aplique o agente de união para metal especial Crea AlloyBond com uma consistência opaca e fina.Então realize a queima. (Veja tabela de queima na pág. 18). Isto proporciona uma força de união aproximadamente de 70 MPA e desta forma uma união segura entre cerâmica e liga metálica. Ao mesmo tempo, ele age como uma película entre a zona do metal e a cerâmica. O óxido vindo do metal fica contido sob o agente de união, produzindo uma superfície com a aparência amarelo-dourada. Isto cria um plano de fundo favorável para uma alta estabilidade de cor. A aparência do agente de união pode diferir, dependendo do tipo de liga utilizada.

4  QUEIMA DO OPACO Aplique Creation CC Creapast ou o pó de opaco Creation CC umedecido com líquido de opaco em movimentos contínuos com pincel, utilizando um pincel com creapast sobre a estrutura metálica proporcionando uma cobertura de aproximadamente 75%. É fundamental assegurar que o píncel esteja somente levemente umedecido. A primeira queima é realizada a uma temp. final de 980°C, (para metais não preciosos a 1000 °C; com agente de união ao metal queime a 980°C), sob vácuo. Ao Atingir 980°C desligue o vácuo e mantenha sob a atmosfera por 1 minuto. Tempo de manutenção: 1 minuto Tempo de pré aquecimento: 6 minutos a 550 °C

5 A segunda queima do opaco Creapast é aplicada de forma bem OPACIFICANTE. Se necessário, a confecção do opaco pode ser modificada e intensificada com Crespast colorido (marron, ocre, lilás, etc). Pó de opaco com líquido de opaco pode ser também modificado e intensificado com corantes (marrom, ocre, lilás, etc) numa segunda camada de opaco. Temperatura final Da segunda queima do grosso ocorre a 950°C sob vácuo. Ao atingir 950°C desligue mantenha o vácuo sob esta temperatura na camara de cocção por 1 minuto. A segunda queima do opaco deverá produzir um brilho de casca de ovo. Sugestões técnica Somente utilize pincéis Creapast levemente umedecidos. Evite qualquer diluição com água. A consistência do creapast pode ser modificada levemente com o líquido universal do kit EVITE um secamento muito brusco antes ou no interior da câmara de cocção (bolhas de ebulição poderá aperecer) Uma vez que o material Creapast foi retirado da seringa, ele não deve ser recolocado dentro cela novamente. O tempo de pré-aquecimento de 6 minutos a 550°C é recomendado.  SEGUNDA QUEIMA DO OPACO

6  QUEIMA DA MASSA DE OMBRO Impermeabilize o troquel de forma bem delgada (fina) na área e lubrifique com Creapen (caneta isolante). Posicione o coping, de forma não muito justa no troquel. Aplique a porcelana opaca de ombro, dependendo da cor dental selecionada (SP27-29) na área de transição da estrutura metálica com ombro, para estabilizar o valor do brilho na área cervical. Utilize uma porcelana de ombro selecionada para a cor desejadada (SP21-26), para cobrir o ombro até a margem do preparo. Após, seque gentilmente com um secador de cabelo ou na entrada da câmara de cocção, o coping deve ser cuidadosamente removido do troquel. A primeira queima de ombro ocorre a 950°C sob vácuo. Período de manutenção a 950°C : 1 minuto Período de pré-aquecimento: 2 minutos a 600°C

7  SEGUNDA QUEIMA DA MASSA DE OMBRO Repetir isoladamento com Creapen. Adicionar a cerâmica na região que contraiu como resultado da queima, utilizando uma mesma porcelana de ombro selecionada para a cor dental (SP21-26). A segunda queima do ombro ocorre a 950°C sob vácuo. Período de manutenção a 950°C: 1 minuto Período de pré-aquecimento: 2 minutos a 600 °C

8  TABELA DE COMBINAÇÃO DAS CORES DDA MASSA DE OMBRO

9  CONSTRUÇÃO DA DENTINA Dentina opaca intensiva: OD32, 41, 43 e 44. Utilize o OD43 na área do terço médio coronário para determinar o valor do brilho. Tabela de cores de dentes para dentina opaca A1-D4 disfarça as áreas das marginais incisais do coping. Evitar a colocação de muitas sombras nas áreas interproximais da coroa. E previnir o aparecimento de muitas sombras nas áreas interproximais da coroa. Ela também vitrifica com mais intensidade e isto assegura uma maior homogeneidade sob o ponto de vista de higiene periodontal. Isto também é muito importante, principalmente na área do pôntico e adicionalmente auxilia a estabilidade de cor no terço cervical do mesmo. Construa (estabeleça) a forma total da área vestibular da coroa com dentina. Uma vez que a anatomia estiver corretamente remodelada, reduza a dentina da porção incisal e interproximal para criar espaço para a camada de esmate e transparentes, deixando a forma dos mamelões na dentina. Irregularidades nas regiões incisais da dentina são mais vantajosas. Sugestão técnica: É fundamental manter a umidade durante a construção – evite ressecamento excessivo. Não umedeça materiais secos com o líquido para moldelagem. Somente utilize água destilada.

10  CONSTRUÇÃO DO INCISAL Individualmente adicione à construção da camada de dentina incisalmente em direção vertical, utilizando porcelanas incisais e transparentes. Inicie a construção pelos bordos distal ou mesial com porcelanas incisais puras. A área incisal média é construída de forma alternada com esmaltes (E58 – E60), incisais opalescente, incisais perolado (P50-P53), transparente opalescente SO01 – SO06 e transparentes (T1 – T5).Na superfície vestibular no terço incisal a massa de cerâmica Creation é pintada suavemente com make up ou make up instant sôbre a dentina umedecida, dependendo das características necessárias com objetivo de recriar mamelões com vida dando uma aparência natural. Cubra a superfície vestibular com esmalte (E58 – 60), incisais opalescente (S/1-S/6), incisal perolado (PS0-PS3), transparente e opalescente (NT,OT), CLO, UC ou porcelanas TI (T/1 - T1N5, dependendo do efeito desejado. Aplicação do TI1 para o ângulo incisal da coroa com objetivo de proporcionar efeito azulado opalescente e transparente. O efeito de halo é alcançado com uma mistura de dentina e encisal.

11  CONSTRUÇÃO DO INCISAL Para compensar contração de queima, realize um sobrecontorno de forma na superfície vestibular e em direção incisal. Após a remoção do modelo adicione nos pontos de contato uma dentina opaca proximal e porcelanas incisais. Separe os espaços interdentais com um instrumento afiado (lâmina de bisturi delgada, etc). A superfície palatina que ainda não está coberta permite que a superfície vestibular seja conferida em relação à subestrutura metálica em fase de trabalho. A superfície é normalmente coberta com uma OD (dentina opaca) mais escura (ex: OD41) ou com uma mistura modificada de OD utilizando Creation CC in Nova aplicando de forma delgada em direção à borda incisal. Construa a área do tubérculo e sub estrutura das cristas marginais com dentina. As áres escuras e as descoloridas na face palatina podem ser reproduzidas com uma mistura de porcelanas de dentina com innova (modificador para todos os fins). Após, complete a superfície palatina com porcelana incisal, transparente e transparente cervical. Na área interproximal, um triângulo é removido e preenchido com dentina opaca (OD32) ou dentina proximal (AD1, AD2). Após isto, cubra, abtem-se uma maior luminosidade e estabilidade de cor.

12  QUEIMA DE DENTINA A queima de dentina ocorre a 920°C sob vácuo, ver tabela da pág 18. Deixe o ar entrar na câmara de cocção depois que a temperatura for atingida (920°C) o tempo de espera nesta temperatura é de 1 minuto. Uma prova confiavél de conferir o correto ciclo de queima é através do aspecto visual após a queima. Se a aparência for como apresentado na figura, o ciclo de queima foi perfeito (levemente brilhante).

13  QUEIMA DE CORREÇÃO Antes da queima de correção, finalize a supefície e faça a limpeza das coroas. A segunda forma de queimar é uma pura e simples queima de correção. Isto envolve somente pequenas correções de forma, com porcelanas incisais e transparentes cervicais. Queima ocorre a 910°C sob vácuo veja tabela de queima pag.18, desligue o vácuo e deixe o ar entrar após o final quando a temperatura for atingida. Tempo de espera nesta temperatura (910°C) 1 minuto. Se o ciclo de queima estiver correto, a cerâmica apresentará uma aparência levemente brilhante. Normalmente, somente correções pequenas de forma são necessárias. Contudo, a estrutura natural da superfície da coroa é também importante. O objetivo da harmonia estética com os dente adjacentes pode ser abtido com pontas diamantadas comuns, pedras especiais e pontas de tungstênio-carbide.

14  QUEIMA DO GLAZE Descolorações na superfície dental podem ser mimetrizadas de uma forma natural com Creation CC, AV make Up (corantes de glaze) ou Creation CC, LF Make Up instant ( Corantes de Glaze fluorescentes). A superfície da coroa glazeada pode ser mecanicamente finalizada. Dependendo do grau de brilho e da textura, adapte a superfície a uma situação igual ao dente da boca utilizando pontas de borracha para polimento, lixas, rodas de feltro, pó de pedra pomes com torno de polimento. As porcelanas Creation são caracterizadas através da correta quantidade de fluorescente, ao qual sempre permite uma transição natural, harmoniosa em relação á dentição remanescente, mesmo sob condições de extrema luminosidade.

15  DIAGRAMA DE CONSTRUÇÃO DA CREATION CC

16  TABELA DAS CORES

17  TABELA DE QUEIMA Quando usar liga não preciosa a temperatura final é A aparência do agente de união parou de ser diferente dependendo do tipo de liga. O parâmetro de queima dados na tabela acima, deve sempre seu ajustado em cada forno usado e estado de conservação, o que é importante ter uma queima final correta.

18  PROPRIEDADES FÍSICAS


Carregar ppt "CREATION WILLI GELLER INTERNACIONAL – SIMPLESMENTE BRILHANTE INSTRUÇÕES DE USO CERÂMICAS CLASSICAS PARA METALO CERÂMICA CC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google