A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O CNPq e a Rede BIONORTE Dr. Paulo Sérgio Lacerda Beirão Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde – DABS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O CNPq e a Rede BIONORTE Dr. Paulo Sérgio Lacerda Beirão Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde – DABS."— Transcrição da apresentação:

1 O CNPq e a Rede BIONORTE Dr. Paulo Sérgio Lacerda Beirão Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde – DABS

2 O GRANDE DESAFIO É TRANSFORMAR C,T & I COMO EIXO ESTRUTURANTE DO DESENVOLVIMENTO

3 Conselho Deliberativo Presidente GPR PROJUR OUVIDORIA DABS DCOI DGTI DEHS AUD

4 Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde – DABS Diretor: Paulo Sérgio Lacerda Beirão Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Ciências da Terra e do Meio-Ambiente – CGCTM Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde – CGSAU Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Agropecuária e Biotecnologia – CGAPB Coordenação do Sistema de Autorização de Acesso ao Patrimônio Genético

5 A Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal BIONORTE É dirigida por um Conselho Diretor, gerenciada por um Coordenador Executivo e assessorada por um Comitê Científico

6 Objetivo: Integrar competências para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação e formação de doutores, com foco na biodiversidade e biotecnologia, visando gerar conhecimentos, processos e produtos que contribuam para o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal.

7 Foram aprovados 20 projetos, com duração de 36 meses. As Fundações de Amparo à Pesquisa – FAPs e as Secretarias de Estado de Ciência e Tecnologia – SECTs também participam da Rede, cofinanciando as propostas selecionadas cujas instituições executoras estejam sediadas em seus respectivos estados, no valor global aproximado de 5,4 milhões de reais Edital MCT/CNPq/FNDCT-AÇÃO TRANSVERSAL/CT-AMAZÔNIA/CT- BIOTEC/BIONORTE Nº 066/2009 A vigência da maioria dos projetos se encerrará em julho/2013. Os demais se encerrarão em data posterior a esta.

8 FONTEAPLICADO CNPq / FNDCT ,43 FAPEAM ,16 FAPEMA81.204,33 FAPEMAT ,80 FAPESPA ,65 SEPLAN-RO ,93 FEMACT-RR ,00 SECT-TO ,26 Total Estados ,12

9 Projetos Aprovados por Estado Quase todos os projetos (17) já receberam tudo do CNPq, com exceção dos marcados com asterisco(s) * Possuía pendência até recentemente. Por esse motivo, não recebeu a 2ª parcela do CNPq ** Foi contratado posteriormente (termo aditivo com a FAPEAM). Ainda não recebeu do CNPq. *** Possui pendência. Ainda não recebeu a 2ª parcela do CNPq. UFFAP/SECTPROPONENTE AMFAPEAMValdir Florencio da Veiga Junior AMFAPEAMWanderli Pedro Tadei AMFAPEAMLuiz Antonio de Oliveira * AMFAPEAMJosé Francisco de Carvalho Gonçalves AMFAPEAMJosé Odair Pereira ** MAFAPEMAAna Lúcia Abreu -Silva MTFAPEMATDomingos Tabajara de Oliveira Martins MTFAPEMATCarolina Joana da Silva PAFAPESPAGiorgio Cristino Venturieri PAFAPESPAJose Guilherme Soares Maia PAFAPESPAAlessandra Santos Lopes PAFAPESPAAlberdan Silva Santos PAFAPESPAMaria Paula Cruz Schneider *** PAFAPESPAMaria Iracilda da Cunha Sampaio PAFAPESPACleusa Yoshiko Nagamachi ROSEPLAN-ROLuiz Hildebrando Pereira da Silva ROSEPLAN-RORodrigo Guerino Stabeli RRFEMACT-RREdvan Alves Chagas TOSECT-TOMarcos Antonio Lima Bragança TOSECT-TOPaula Benevides de Morais

10 RESUMO DO PAGAMENTO DAS FAPs/SECTs (1) FAPEAM – SOMENTE NÃO PAGOU O PROJETO DO DR. JOSÉ ODAIR PEREIRA. PAGOU OS OUTROS QUATRO PROJETOS. (2) FAPEMA – PAGOU O PROJETO. (3) FAPEMAT – PAGOU PARCIALMENTE OS DOIS PROJETOS (METADE DO VALOR) (4) FAPESPA – PAGOU TOTALMENTE O PROJETO DE CLEUSA YOSHIKO NAGAMACHI PAGOU PARCIALMENTE O PROJETO DE GIORGIO CRISTINO VENTURIERI, ALBERDAN SILVA SANTOS, MARIA PAULA CRUZ SCHNEIDER E MARIA IRACILDA DA CUNHA SAMPAIO. NÃO PAGOU – JOSE GUILHERME SOARES MAIA (EM FASE DE CONTRATAÇÃO) E ALESSANDRA SANTOS LOPES (NÃO INFORMOU CONTA-CORRENTE). (5) SEPLAN-RO – NÃO TENHO INFORMAÇÕES (6) FEMACT – RR – NÃO TENHO INFORMAÇÕES (7) SECT – TO – PAGOU PARCIALMENTE OS DOIS PROJETOS.

11 - EDITAIS * Tradicionais: o Universal o Casadinho o Realização de eventos o Editoração o Jovens Pesquisadores * Em parceria com FAP´s: o Programa de Núcleos de Excelência – PRONEX o Programa de Núcleos Emergentes - PRONEM o Programa Primeiros Projetos - PPP o PPSUS * Temáticos: o Fundos Setoriais o Ministérios o Outros parceiros * INCTs Parcerias

12

13 2010 Editais Temáticos na área da CGCTM EDITALVALOR (R$)No. de Processos CT-AMAZÔNIA-27/ ,9138 CT-AMAZÔNIA-32/ ,2843 CT-AMAZÔNIA-06/ ,6429 CT-AMAZÔNIA-13/ ,2941 GEOMA-61/ ,286 BIONORTE-66/ ,3219 SISBIOTA-47/ ,16(*)4(*) TOTAL ,89180

14 REGIÃOVALOR APROVADO (R$) No. de Processos Centro-Oeste ,423 Nordeste ,326 Norte Sudeste ,3019 Sul ,177 TOTAL ,3739 Distribuição Geográfica do Programa SISBIOTA Edital 47/2010

15 Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil

16 UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO.

17 Como superar os desafios nacionais? Investir na formação de pessoal altamente qualificado, nos melhores centros mundiais de P&D Foco nos grandes desafios nacionais −Engenharias e demais áreas tecnológicas −Áreas Estratégicas Promoção da P&D&I empresarial

18 Porque investir em Bolsas no Exterior para estudantes e pesquisadores brasileiros? Melhor aproveitamento do conhecimento desenvolvido nas melhores instituições de ensino e pesquisa do mundo; Exposição dos melhores talentos nacionais a um ambiente educacional e profissional onde inovação, empreendedorismo e competitividade já são o padrão; Preparação dos jovens brasileiros para um mundo e sua economia cada vez mais globalizados Maior visibilidade e inserção dos avanços nacionais; Maior inserção das empresas brasileiras no mundo da inovacão

19 Objetivos Avanço da ciência, tecnologia, inovação e competitividade industrial Aumentar a presença de estudantes e pesquisadores brasileiros em instituições de excelência no exterior Promover maior internacionalização das universidades brasileiras Aumentar a cultura inovadora do pessoal das indústrias brasileiras Atrair jovens talentos e pesquisadores altamente qualificados para trabalhar no Brasil

20 Modalidades de Bolsas e Metas Globais Graduação- sanduíche Doutorado-sanduíche Doutorado integral no exterior9.790 Pós-doutorado no exterior8.900 Estágio Senior no Exterior2.660 Treinamento de Especialistas de Empresas no Exterior700 Jovens cientistas de grande talento860 Pesquisadores Visitantes Especiais (grandes lideranças científicas) 390 Total75.000

21 Muito Obrigado pela Atenção e Inovação


Carregar ppt "O CNPq e a Rede BIONORTE Dr. Paulo Sérgio Lacerda Beirão Diretoria de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde – DABS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google