A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nuno Manuel O Processo de Rotogravura Escola Profissional Val do Rio Curso Técnico de Artes Gráficas Curso Técnico de Indústrias Gráficas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nuno Manuel O Processo de Rotogravura Escola Profissional Val do Rio Curso Técnico de Artes Gráficas Curso Técnico de Indústrias Gráficas."— Transcrição da apresentação:

1 Nuno Manuel O Processo de Rotogravura Escola Profissional Val do Rio Curso Técnico de Artes Gráficas Curso Técnico de Indústrias Gráficas

2 Processo de Rotogravura 2 Nuno Manuel O que é? –Trata-se de um processo de impressão directa, cujo nome deriva da forma cilíndrica e do princípio rotativo das impressoras utilizadas.

3 Processo de Rotogravura 3 Nuno Manuel O que é?

4 Processo de Rotogravura 4 Nuno Manuel Enquadramento histórico A 1ª máquina com uma matriz em baixo relevo, foi patenteada em 1784 por Thomas Bell. No entanto o projecto só avançou em 1860, e deve-se a Karl Klic, que é considerado o pai da rotogravura.

5 Processo de Rotogravura 5 Nuno Manuel Características do Processo Quanto à matriz: –Grande durabilidade –Geometricamente cilíndrica –Metálica em baixo relevo –Possibilidade de imagens contínuas

6 Processo de Rotogravura 6 Nuno Manuel Características do Processo Quanto à tinta: –Líquida –Secagem por evaporação dos solventes –Secagem logo após a impressão

7 Processo de Rotogravura 7 Nuno Manuel Características do Processo Quanto ao suporte –Lisos –Flexíveis –Semi-rígidos –Macios

8 Processo de Rotogravura 8 Nuno Manuel Características do Processo Quanto ao sistema de impressão –Directo –Alta velocidade –Possibilidade de frente e verso –Possibilidade de acoplar corte e vinco ao sistema de saída –Imprime todas as cores numa única entrada de máquina

9 Processo de Rotogravura 9 Nuno Manuel Características do Processo Quanto à viabilidade comercial –Caro ou não dependendo da natureza dos trabalhos –Obriga a uma análise atenta das características do trabalho a executar

10 Processo de Rotogravura 10 Nuno Manuel Mercados alvo Embalagem –Flexível ex.: celofane, plásticos (polipropileno, nylon polietileno, poliéster, etc), alumínio –Semi-rígida ex.: caixas para detergentes em pó

11 Processo de Rotogravura 11 Nuno Manuel Mercados alvo Editorial –Revistas e jornais (Brasil e E.U.A.)

12 Processo de Rotogravura 12 Nuno Manuel Mercados alvo Diversos –Papel de valor –Papel para decoração –Papel de embrulho decorado –Suportes para transferência em aglomerados de madeira e cerâmica

13 Processo de Rotogravura 13 Nuno Manuel Mercados alvo Embalagem –Alta tiragem A matriz resiste até 10 milhões de cópias, contra 1 milhão no Offset –Impressão sobre substratos impermeáveis Plásticos ou alumínio exigem uma tinta de secagem imediata, após a impressão de cada cor, que contenha solventes altamente voláteis

14 Processo de Rotogravura 14 Nuno Manuel Mercados alvo Embalagem –Alta qualidade A exigência do mercado obrigou este sistema a evoluir em qualidade e técnica –Impressão em contínuo Permite imprimir layouts que não podem ter interrupções no padrão ou desenho

15 Processo de Rotogravura 15 Nuno Manuel Mercados alvo Diversos –Papel de valor Faz parte do processo de impressão, imprimindo certos detalhes que evitam a falsificação –Papel para decoração e de embrulho Permite a impressão em contínuo. (só os papéis de embrulho de alta qualidade são impressos em rotogravura)

16 Processo de Rotogravura 16 Nuno Manuel Equipamentos de impressão Embalagem –Entrada: Bobina –Saída: Bobinas, folhas, sacos –Boca: até 1,2 m –Corpos impressores: 4 ou mais

17 Processo de Rotogravura 17 Nuno Manuel Equipamentos de impressão Editorial –Entrada: Bobina –Saída: Cadernos –Boca: até 2,5 m –Corpos impressores: múltiplos de 4 ou 5

18 Processo de Rotogravura 18 Nuno Manuel Equipamentos de impressão Diversos –Entrada: Bobina –Saída: Bobina e folhas –Boca: até 1 m –Corpos impressores: 4 ou mais

19 Processo de Rotogravura 19 Nuno Manuel Características da matriz A matriz cilíndrica oca ou maciça Corpo em ferro, revestido de níquel, cobre e crómio

20 Processo de Rotogravura 20 Nuno Manuel Execução da matriz Electrodeposição (electrólise)

21 Processo de Rotogravura 21 Nuno Manuel Execução da matriz Electrodeposição –Niquelagem Permite que o cobre se fixe, uma vez que não adere directamente ao ferro. 10 a 30 microns.

22 Processo de Rotogravura 22 Nuno Manuel Execução da matriz Electrodeposição –Cobre Base Determina as dimensões finais do cilindro para posterior rectificação. 0,5 a 3 mm.

23 Processo de Rotogravura 23 Nuno Manuel Execução da matriz Rectificação –Tem como fim a regularização da face do cilindro uma vez que há maior depósito de cobre nas extremidades

24 Processo de Rotogravura 24 Nuno Manuel Execução da matriz Electrodeposição –Cobre camisa: Serve de suporte à gravação e é aplicada sobre uma camada de nitrato de prata ou sulfato de níquel para permitir a sua remoção rápida e o reaproveitamento do cilindro. 80 a 150 microns. Remoção do cobre camisa

25 Processo de Rotogravura 25 Nuno Manuel Execução da matriz Polimento –Tem a finalidade de deixar a superfície do cilindro pronta para receber a gravação

26 Processo de Rotogravura 26 Nuno Manuel Execução da matriz Gravação –Consiste na transposição para a camisa de cobre do layout a imprimir, com: estiletes diamantados laser processo químico Verificação da gravação Gravadora laser

27 Processo de Rotogravura 27 Nuno Manuel Execução da matriz Cromagem –Feita depois da gravação, é necessária para aumentar a sua durabilidade protegendo-a do atrito. 4 a 7 microns.


Carregar ppt "Nuno Manuel O Processo de Rotogravura Escola Profissional Val do Rio Curso Técnico de Artes Gráficas Curso Técnico de Indústrias Gráficas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google