A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 1 Mito e Razão. Mito e filosofia. Do grego μθος (mythos)– narrativa, relato História que representa a realidade. Discurso (narrado por um poeta-rapsodo)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 1 Mito e Razão. Mito e filosofia. Do grego μθος (mythos)– narrativa, relato História que representa a realidade. Discurso (narrado por um poeta-rapsodo)"— Transcrição da apresentação:

1 Aula 1 Mito e Razão

2 Mito e filosofia. Do grego μθος (mythos)– narrativa, relato História que representa a realidade. Discurso (narrado por um poeta-rapsodo) que atinge todas as esferas da vida e ligado à explicação das origens de tudo o que existe. Relações sexuais entre deuses. Rivalidades ou alianças entre os deuses. Trata das recompensas e castigos dos deuses àqueles que os obedecem ou desobedecem. Possui valor de verdade (é inquestionável). Busca afastar o medo do desconhecido tornando-o compreensível.

3 Prometeu acorrentado - Jacob Jordäns, 1640 O mito queria relatar, denominar, dizer a origem, mas também expor, fixar, explicar (Dialética do Esclarecimento. Jorge Zahar, 2006, p. 20) Autores gregos de narrativas míticas Homero – Ilíada; Odisseia Hesíodo – Teogonia

4 Mito cosmogonia (Narrativa que conta a origem e a organização do mundo a partir de deuses) teogonia (narrativa da origem dos deuses) Filosofia cosmologia (kósmos – ordem, lógos – estudo de) conhecimento racional da ordem do mundo Contrapontos entre mito e filosofia O discurso filosófico contrapõe-se ao discurso mítico ao tentar explicar as mesmas questões a partir de uma perspectiva racional. Toda explicação sobre o mundo deve estar fundada na autoridade da razão, sem a necessidade de se recorrer a elementos sobrenaturais.

5 A filosofia em seus primórdios busca estabelecer conhecimento não apenas sobre um passado, mas encontrar explicações atemporais, mas mesmo assim os primeiros filósofos partem de questões que os mitos respondiam. As questões que movem os primeiros filósofos são semelhantes àquelas que os mitos buscavam responder. De onde as coisas vêm? Como explicar as transformações e a permanência na natureza? Há uma essência que define os seres?

6 Condições sócio-históricas para o surgimento da Filosofia. Viagens marítimas – desencantamento da visão de mundo mítica. Capacidade de troca – nova forma de abstração. Urbanização e crescimento do comércio – ameaça às famílias aristocráticas e a manutenção do discurso mítico. Criação da escrita alfabética – signos abstratos passam a representar ideias. Os sinais deixam de ter um caráter sagrado.

7 (UEL – PR) Há, porém, algo de fundamentalmente novo na maneira como os gregos puseram a serviço do seu problema último – da origem e essência das coisas – as observações empíricas que receberam do Oriente e enriqueceram com as suas próprias, bem como no modo de submeter ao pensamento teórico e causal o reino dos mitos, fundado na observação das realidades aparentes do mundo sensível: os mitos sobre o nascimento do mundo (W. Jaeger. Paideia. 3. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995, p. 197) Com base no texto e em seus conhecimentos assinale a alternativa correta: a) Mesmo sendo considerada como criação dos gregos, a filosofia se origina no Oriente sob a influência da religião e apenas posteriormente chega a Grécia. b) A filosofia representa uma ruptura radical em relação ao mito, uma nova forma de pensamento plenamente racional desde suas origens. c) Apesar de ser pensamento racional a filosofia se desvincula dos mitos de forma gradual. d) Filosofia e mito sempre mantiveram uma relação de interdependência, uma vez que o pensamento filosófico necessita do mito para se expressar. Resposta no próximo slide

8 RESPOSTA: c) Essa não é difícil. Ao contrário do que diz a alternativa a a filosofia não se origina no Oriente. Embora os gregos tenham sido bastante influenciados por outras culturas, o que se entende por filosofia é um tipo de pensamento com origem na Grécia. A alternativa b considera a passagem entre mito e filosofia uma ruptura radical. Não é bem assim. A filosofia gradualmente afasta os elementos míticos das explicações de mundo, herdando as questões antes respondidas pelo mitos. Embora haja essa ruptura, é excessivo falar que a filosofia depende dos mitos para se expressar. Os filósofos não eliminaram todas as figuras divinas de repente, mas a expressão do pensamento filosófico parte de princípios racionais, baseia-se em uma argumentação que pode ser afirmada a partir de evidências (como veremos com os pré-socráticos, os primeiros filósofos), o que o difere do mito. Sim bem primeiro nasceu Caos, depois também Terra de amplo seio, de todos sede irresvalável sempre, dos imortais que têm a cabeça do Olimpo nevado, e Tártaro nevoento no fundo do chão de amplas vias, e Eros: o mais belo entre Deuses imortais, solta-membros, dos Deuses todos e dos homens todos ele doma no peito o espírito e a prudente vontade. HESÍODO. Teogonia – os deuses primordiais


Carregar ppt "Aula 1 Mito e Razão. Mito e filosofia. Do grego μθος (mythos)– narrativa, relato História que representa a realidade. Discurso (narrado por um poeta-rapsodo)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google