A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ácido Tranexâmico reduz de forma segura a mortalidade por hemorragias em pacientes com traumatismos Aqui está a evidência.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ácido Tranexâmico reduz de forma segura a mortalidade por hemorragias em pacientes com traumatismos Aqui está a evidência."— Transcrição da apresentação:

1 Ácido Tranexâmico reduz de forma segura a mortalidade por hemorragias em pacientes com traumatismos Aqui está a evidência

2 Hemorragia 45% Lesões do SNC 41% Falência de orgãos 10% Outros 4% Anualmente, ocorrem milhões de mortes por traumatismos. Muitos pacientes sobrevivem até chegarem ao hospital. Este slide mostra as causas de morte hospitalar por traumatismos A cada ano, milhões morrem por hemorragias causadas por traumatismos

3 Em pacientes com trauma hemorrágico:  A coagulação ocorre rapidamente no local da lesão vascular  Fibrinólise – ocorre a quebra os coágulos sanguíneos  Em pacientes com hemorragias severas, a fibrinólise piora o sangramento Coagulação e Fibrinólise

4  Ativadores de plasminogênio convertem plasminogênio em plasmina, no vaso lesionado.  Plasmina liga-se ao coágulo sanguíneo, e o fragmenta. Isso é fibrinólise. Fibrinólise

5  Ácido tranexâmico inibe plasmina e reduz a decomposição do coágulo Ácido tranexâmico reduz fibrinólise

6 Ácido tranexâmico (ATX) reduz em aproximadamente um terço a necessidade de hemotransfusões em pacientes cirúrgicos TXA ATX – melhoraATX – piora 0,61 (0,54–0,69) RR (95% CI) 0,40,81,21,6 Necessidade de hemotransfusão Ácido tranexâmico reduz sangramento cirúrgico

7 Ácido tranexâmico reduz a decomposição do coágulo Ácido tranexâmico reduz sangramento cirúrgico Muitos pacientes com traumatismos morrem por hemorragias Para avaliar se o ácido tranexâmico poderia salvar vidas de pacientes com hemorragias por traumas, nós conduzimos um ensaio clínico de ampla extensão denominado CRASH-2 O ensaio clínico CRASH-2

8  Mais de pacientes com sangramento por traumatismos foram randomicamente alocados para receberem ácido tranexâmico ou placebo (de aspecto similar)  Foram incluídos todos os pacientes traumatizados adultos, cujas lesões haviam ocorrido em um intervalo prévio de até 8 horas, e cuja avaliação médica era que havia ou poderia haver hemorragia significante  Foram coletados dados sobre mortes ocorridas no hospital quatro semanas após o trauma, e sobre todos os efeitos colaterais importantes Métodos

9

10 TratamentoDose de ácido tranexâmico Dose de ataque 1g em 10 minutos (por injeção intravenosa lenta ou em infusão isotônica intravenosa) Manutenção 1g em 8 horas (em infusão isotônica intravenosa) Nós usamos a seguinte dosagem de ácido tranexâmico

11 Pacientes recrutados  pacientes  de 274 hospitais  em 40 países Nós randomizados um amplo número de pacientes traumatizados

12 receberam TXA receberam placebo dados iniciais dados iniciais Foram seguidos = 10,060 (99,7%) Foram seguidos = 10,067 (99,5%) 20,211 randomizados 1 retirou consentimento 47 perdas de seguimento 33 perdas de seguimento 3 retiraram consentimento Nós tivemos um excelente seguimento

13 ATX n (%)Placebo n (%) Gênero Masculino8.439 (83,6)8.496 (84,0) Feminino1.654 (16,4)1.617 (16,0) [desconhecido]01 Idade (anos) < (27,6)2.855 (28,2) 25– (29,8)3.081 (30,5) 35– (19,6)1.841 (18,2) > (23,0)2.335 (23,1) [desconhecida]22 Fatores estavam bem balanceados no início do estudo (linha de base)

14 ATX n (%)Placebo n (%) Tempo decorrido a partir do trauma (horas) ≤1 hora3.756 (37,2)3.722 (36,8) >1 a ≤3 horas3.045 (30,2)3.006 (29,7) >3 horas3.006 (29,7)3.380 (33,4) [desconhecido]56 Tipo de trauma Contundente6.812 (67,5)6.843 (67,7) Penetrante3.281 (32,5)3.271 (32,3) Fatores estavam bem balanceados no início do estudo (linha de base)

15 ATX n (%)Placebo n (%) Pressão arterial sistólica (mmHg) > (68,4)6.791 (67,1) 76– (16,0)1.697 (16,8) ≤ (15,5)1.608 (15,9) [desconhecida]1118 Escala de coma de Glasgow Grave (3–8)1.799 (17,8)1.839 (18,2) Moderada (9–12)1.353 (13,4)1.351 (13,4) Meigo (13–15)6.934 (68,7)6.908 (68,3) [score desconhecido]716 Fatores estavam bem balanceados no início do estudo (linha de base)

16 Causas de óbito ATXPlacebo Risco de morteValor 10,06010,067de P Hemorragia ,85 (0,76–0,96) 0,0077 Trombose ,69 (0,44–1,07) 0,096 Falência de orgãos ,90 (0,75–1,08) 0,25 Trauma craniano ,97 (0,87–1,08) 0,60 Outra ,94 (0,74–1,20) 0,63 Todas as causas ,91 (0,85–0·97) 0·0035 Isto é o que encontramos

17 ATX – pioraATX – melhora 0,8 0,91,0 1,1 RR (95% IC) ATX (n= 10,060) 489 (4,9%) Placebo (n= 10,067) 574 (5,7%) 0,85 (0,76–0,96) 2P=0,0077 O maior benefício é para prevenção de óbitos por hemorragias

18 1,7,8,9 1,11,2 1,31,41,5 RR (99% IC) p=0, ≤1 hora 0,68 (0,54–0,86) >1 a ≤ 3 horas 0,79 (0,60–1,04) >3 horas 1,44 (1,04–1,99) 0,85 (0,76–0,96) Óbitos por hemorragias – tratamento precoce é melhor

19 Tratamento deve ser administrado precocemente porque óbitos por hemorragias ocorrem logo após o trauma Mortes por todas as outras causas Mortes por hemorragias

20 Risk ratio (95% CI) ATX – pioraATX –melhora Receberam TXA (10.060) Receberam Placebo (10.067) Todos 168 (1,63%) 201 (1,95%),6,7,8,911,11,2 AVC 57 (0,56%) 66 (0,65%) (Acidente vascular cerebral) TVP 40 (0,40%) 41 (0,41%) (Trombose venosa profunda) EP 72 (0,69%) 71 (0,70%) (Embolia pulmonar) IM 35 (0,35%) 55 (0,52%) (Infarto miocárdico) Não houve aumento de trombose

21 ATX [n=10.060] Placebo [n=10.067] RR (95% CI) valor de P Assintomáticos1.483 (17,3%)1.334 (15,8%)1,11 (1,04 – 1,19)0,0023 Sintomas menores3.054 (30,4%)3.061 (30,4%)1,00 (0,96 – 1,04)0,94 Algumas restrições2.016 (20,0%)2.069 (20,6%)0,97 (0,92 – 1,03)0,36 Dependentes1.294 (12,9%)1.273 (12,6%)1,02 (0,95 – 1,09)0,63 Completamente dependentes 696 (6,9%)676 (6,7%)1,03 (0,93 – 1,14)0,57 Morte1.463 (14,5%)1.613 (16,0%)0,91 (0,85 – 0,97)0,0035 Ácido tranexâmico reduz sintomas

22 CRASH-2 foi conduzido em 4 continentes, e… mostrou redução de mortalidade em todos!

23 O uso do ácido tranexâmico tem uma alta relação custo-benefício

24  Ácido tranexâmico reduz mortalidade por hemorragias em pacientes com traumatismos  Ácido tranexâmico não parece aumentar trombos indesejáveis  Ácido tranexâmico deve ser administrado precocemente – em até 3 horas após o trauma  Ácido tranexâmico não é caro e pode salvar milhares de vidas em todo o mundo, a cada ano O que nós concluímos?

25  Depois do ensaio clínico CRASH-2 ácido tranexâmico foi adicionado à lista de Medicamentos Essenciais da OMS (Março 2011) Ácido tranexâmico está sendo usado agora  Os militares estão usando ácido tranexâmico para tratar acidentados em combates  Ácido tranexâmico está sendo usado em hospitais em todo o mundo  Ácido tranexâmico pode ser administrado em ambulâncias


Carregar ppt "Ácido Tranexâmico reduz de forma segura a mortalidade por hemorragias em pacientes com traumatismos Aqui está a evidência."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google