A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Doença do refluxo gastroesofágico e carcinoma do esôfago.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Doença do refluxo gastroesofágico e carcinoma do esôfago."— Transcrição da apresentação:

1 Doença do refluxo gastroesofágico e carcinoma do esôfago

2 1.Porção distal do esôfago recoberta por epitélio colunar, sendo que é nítida a presença de ilha de epitélio escamoso, achado comum no esôfago de Barrett. Note uma área atrófica, com vascularização submucosa bem visível.

3 2. Diferente região do mesmo caso, vista com alta resolução e magnificação. Com estas novas técnicas endoscópicas, é possível mapear os diferentes tipos epiteliais que caracterizam o Barrett, direcionando a biópsia para as regiões suspeitas de displasia ou neoplasia.

4 3. Diferente região do mesmo caso, vista com alta resolução e magnificação. Com estas novas técnicas endoscópicas, é possível mapear os diferentes tipos epiteliais que caracterizam o Barrett, direcionando a biópsia para as regiões suspeitas de displasia ou neoplasia.

5 4. Diferente região do mesmo caso, vista com alta resolução e magnificação. Com estas novas técnicas endoscópicas, é possível mapear os diferentes tipos epiteliais que caracterizam o Barrett, direcionando a biópsia para as regiões suspeitas de displasia ou neoplasia.

6 5. Esôfago de Barrett em sua apresentação clássica, quando 3 cm ou mais do órgão estão recobertos por epitélio metaplásico. Nesse caso, a doença está acompanhada de esofagite erosiva.

7 6. A foto evidencia o esôfago de Barrett em sua forma curta..

8 7. Exemplo de adenocarcinoma da porção distal do esôfago. Observe que a presença do Barrett é nítida.

9 8. Exemplo de adenocarcinoma da porção distal do esôfago. Nessa imagem, como observado na maioria dos casos, a presença do Barrett não é clara.

10 9. Antes: Não é raro que a presença de erosões dificulte o diagnóstico de segmentos curtos de epitélio colunar, que apenas serão evidenciados após a cicatrização.

11 10. Após 8 semanas de esomeprazol 40 mg/dia: Não é raro que a presença de erosões dificulte o diagnóstico de segmentos curtos de epitélio colunar, que apenas serão evidenciados após a cicatrização..


Carregar ppt "Doença do refluxo gastroesofágico e carcinoma do esôfago."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google