A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução Antecedentes Roma – Alto Império Após do suicídio do Imperador Nero por volta do ano 68, chega ao fim da Dinastia Júlio- Claudiana (27 a.C.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução Antecedentes Roma – Alto Império Após do suicídio do Imperador Nero por volta do ano 68, chega ao fim da Dinastia Júlio- Claudiana (27 a.C."— Transcrição da apresentação:

1

2 Introdução Antecedentes Roma – Alto Império Após do suicídio do Imperador Nero por volta do ano 68, chega ao fim da Dinastia Júlio- Claudiana (27 a.C a 68 d.C.). Só para lembrarmos: Nero mandou matar sua Mãe (Agripina Minor), seu Tutor (Sêneca), suas Esposas, Senadores, entre outros. Perseguiu Cristãos, jogando-os aos Leões na Arena, e também foi o responsável pelas mortes dos Apóstolos Pedro e Paulo. Assume o poder Galba, que na época tinha 72 anos. Governa por apenas 7 meses. É assassinado em 69 por Otão. Este também em 69, suicida-se. Vitélio assume o poder com o apoio de legiões germânicas (que se opunham a Gauba e Otão), mas logo é assassinado por Vespasiano. Este período ficou conhecido como O Ano dos Quatro Imperadores (68-69).

3 Discussão Dinastia Flaviana (69-96) Vespasiano lutou a Primeira Guerra Judaico-Romana, foi proclamado Imperador pelas Tropas em 21 de dezembro de 69. Seu filho Tito Flávio (segundo na linha sucessória) teve a responsabilidade de acabar com os Judeus Sediciosos e o final desta luta é conhecido como Episódio da Fortaleza de Massada, onde 10 mil soldados judeus cercados pelas Tropas Romanas no alto da fortaleza, preferem cometer Suicídio Coletivo a se entregarem aos Romanos. Após o Episódio de Massada, Tito proíbe os judeus de ficarem em suas terras. E retira deles o controle da Judéia. E a partir de então os Judeus se espalhariam e perambulariam pelo mundo. Em seu governo foi iniciado a construção do Coliseu. O Imperador Vespasiano faleceu em 23 de junho de 79. Tito Flávio assume o Império e inaugura o Coliseu. Pelo bom governo, recebeu o título de “Delícias do Gênero Humano”. Ocorreu também nesse período a famosa erupção do Vesúvio, que engoliu as cidades de Pompéia, Herculano e Stabia. Morre devido a uma doença perigosa no ano de 81 ano, e existem rumores de que Domiciano, seu irmão, ordenara que ele fosse deixado à morte, antes que tivesse dado seu último suspiro, para assim subir ao poder. Sua morte foi chorada por todos.

4 Discussão Domiciano (81-96) O poder de Roma sempre esteve na força de seus exércitos, por isso Domiciano escolhe um alvo fácil, um grupo despreparado e desarmado de Bárbaros Germânicos. Estes são derrotados em uma sangrenta batalha e Domiciano elogiou e muito as suas legiões triunfantes, elevando seu pagamento em 25% e dando a si mesmo um novo título honorário: Germânico Conquistador dos Germanos. Enquanto Domiciano, um homem ganancioso, fraco, covarde e sem pudores se promove ativamente, um jovem chamado Trajano afirma discreta autoridade na fronteira do Rio Reno, ganhando respeito através da Liderança ao invés da Violência. Trajano é um homem de Ambição e Paciência. Nesse meio tempo, Decébalo, Rei da Dácia (região situada onde hoje é a Romênia, cordilheira dos Bálcãs), desobedece as Leis Romanas, mantendo dentro de seu território uma oficina de aço aumentando assim, seu arsenal de Espadas e Lanças... Sem aviso, nem provocação os Dácios atacam a província romana de Moesia, província abundante em grãos, frutas, cerâmicas, além das escavações das minas de ouro para a cunhagem da Moeda Romana.

5 Discussão Depois de uma batalha sangrenta, os Dácios eliminam as Legiões e o próprio Comandante Cornélio Fusco, além de terem seus estandartes tomados. É um duro golpe no coração do Império. Então para sustentar o exército, mais uma vez Domiciano aumenta os impostos dos cidadãos romanos, recorrendo também para todos os tipos de roubo. Ele usava qualquer tipo de acusação para confiscar as propriedades tanto dos vivos quanto dos mortos. Assim ele se torna objeto de terror e ódio de todos. Novamente Domiciano envia novas legiões para o ataque a Decébalo. Neste meio tempo o Governador da Província da Germânia se rebela. Mas desta vez é enviado um Jovem e Leal Comandante Legionário chamado Trajano para restaurar a ordem. A revolta é esmagada e o líder rebelde é levado preso ao Imperador em Roma. Como recompensa Domiciano faz de Trajano, Cônsul em 91 d.C.

6 Discussão Não conseguindo deter os Dácios, Domiciano, um líder fraco e covarde, faz um acordo com Decébalo. Entregaria à Dácia grande soma de dinheiro e prometeu continuar dando estas grandes somas no futuro, somente para manterem certa Paz entre a Província e o Império... Desperdiçou a Riqueza de Roma, para Comprar a Lealdade de um Bárbaro Domiciano tinha o hábito de matar seus próprios parentes com certa regularidade. Além de descobrir ou inventar Conspirações no Senado, então, volta e meia ele também fazia uma “Limpa” no Senado. Por volta de 93 d.C. Domiciano se declara Dominus Et Deus – Senhor e Deus – ele tinha se tornado Imprevisível, Vingativo e Perigoso. Enquanto Domiciano viver, ninguém que está perto dele estará seguro. Então, em 96 d.C. sua esposa Domicia, seu assistente Stéfano, decidiram cuidar do assunto com suas próprias mãos. Domiciano foi apunhalado dentro de seu próprio quarto. Tinha apenas 45 anos e seu reinado durou 15 anos.

7 Discussão Como conseqüência imediata da Morte do Imperador, o Senado lançou um nome de seu seio, um homem chamado Nerva, que era um homem Idoso e Sem Filhos e sem qualquer Distinção Militar em particular. Era uma saída interessante, colocar um idoso, já doente e sem filhos para ocupar o lugar de um Imperador, enquanto se espera o momento de realmente fazer as escolhas certas. Nerva sabe que o seu papel é apenas Temporário, mas ele faz o Melhor Possível. Conquanto ele não tinha distinção militar, mas para aliviar este lado ele nomeia como Co-Imperador o jovem Trajano, que como Comandante e Cônsul era muito querido pelos exércitos e também pelo próprio Senado. Em 98 d.C. Trajano volta para Roma, agora para assumir o Império, pois, o Imperador Nerva havia falecido. Quando Trajano chega a Roma, os seus habitantes o recebem com alegria, pois, ali está um Imperador jovem e pronto para colaborar com o povo e com o Senado para a continuação do Império e isto estava quase sendo visto como o Surgimento de uma Nova Era.

8 Discussão Trajano herda o tratado humilhante e caro no qual Domiciano tinha estabelecido com Decébalo. Graças a Domiciano estes bárbaros tem acesso ao armamento romano, aos desertores e a cada ano a uma grande porção da riqueza. Mas Trajano não irá tolerar isso, pois, ele via esse acordo como uma má reputação dos romanos. Trajano reforça a fronteira junto ao Danúbio e prepara sua infra-estrutura para a batalha contra os Dácios. Em 106 d.C. começa então mais uma Sangrenta Batalha. Existem corpos caídos dos dois lados dos exércitos. Os presos romanos eram entregues pelos Dácios às suas mulheres para serem humilhados, torturados e por fim mortos. No final Trajano triunfou sobre a Dácia, condenando os Bárbaros ao desejo de Roma. Os Dácios preferem a morte a serem capturados, pois sabiam que o exército romano era Sanguinário e tratavam seus prisioneiros com uma Crueldade Inimaginável e assim o fazem tomando todos, um veneno letal.

9 Discussão Decébalo, encurralado por soldados romanos, não será pego vivo. Ele se suicida. Mas seu braço direito implora por sua vida e que em troca indicará ao Imperador Trajano onde estão escondidas todas as Riquezas Dacianas. Como troféu um soldado romano corta a cabeça do Rei e a entrega para Trajano, onde mais tarde sairá em praça pública exibindo a sua cabeça como recompensa por seus vigorosos trabalhos na guerra. Era o primeiro grande sucesso militar de um imperador reinante desde os tempos de Augusto e Júlio Cesar. Esta foi uma realização extraordinária. A quantidade de ouro que Trajano recebeu ou pegou em sua conquista da Dácia foi enorme, além da imaginação. De acordo com as crônicas, Roma recupera: – 225 toneladas de ouro; – 500 toneladas de prata; – e escravos.

10 Considerações Finais A Coluna de Trajano Essas riquezas recuperadas foram usadas nos projetos de construção em uma escala que Roma não havia visto antes. Incluindo nestas construções o Novo Fórum de Roma, embora fosse magnificente em seus dias, pouco além de sua Coluna Central existe hoje. Este monumento assombroso, chamado de Coluna de Trajano traz uma Narrativa Pictórica Enigmática das Guerras Dacianas que levaram Roma de volta à Glória. E como o fato central da Arte Inspirada na Guerra é a figura do Imperador Trajano e suas Guerras contra os Dácios, a Coluna de Trajano é o símbolo da conquista de Roma e sua superioridade em relação aos Reinos Bárbaros da Época. A Coluna de Trajano era um monumento fora do comum que se destacava no horizonte da cidade, provavelmente cercada por outros monumentos. O Imperador Trajano possuía o titulo militar mais alto de todos Traianus Optimus Maximus.

11 Considerações Finais E para fazer jus ao título ele construiu o mais alto monumento. A vasta estrutura de 30 Metros de altura tinha como base uma serie de anéis de mármore de 40 Toneladas cada, sobrepostos com excepcional precisão. Dentro da coluna temos uma escada em caracol, as fendas são janelas, cada bloco tem um patamar da escada. Todos perfeitamente alinhados. As pedras são muito unidas sem interstícios tudo se ajusta perfeitamente. – As figuras talhadas no mármore têm o caráter de uma crônica, não importando a técnica usada (foram várias), mas sim a mensagem que ela transmite. – Ela tem um total de figuras Humanas, o Imperador Trajano aparece 59 Vezes, sempre sendo visto como Figura Humana e nunca como um Deus. – Os Soldados Romanos estão sempre com suas vestimentas, seus escudos e os Generais e Comandantes montados em seus Cavalos.

12 Considerações Finais – Os Bárbaros estão sempre com cabelos e barbas grades, indicando que são realmente Bárbaros, “Bichos” sem a Educação e os Costumes Romanos. – Indica em seu início o Deus Romano Netuno – Deus dos Mares – onde protege os Romanos das Águas e os faz atingir a Dácia para completar seu desejo de expansão.

13 Metodologia Estudo da História Romana e de suas Dinastias, do contexto histórico no qual ocorreu a construção do Novo Fórum de Roma, e sua Coluna Central, este monumento assombroso, chamado de Coluna de Trajano. Deixar uma visão sobre para quê este colosso foi construído, além de mostrar mais uma vez a crueldade de como os Romanos tratavam os Bárbaros. Motivar os participantes da Palestra a interagir diante de um tema tão importante para o Estudo da História Romana, como um todo.

14 Referências Bibliográficas Aventuras na História – A coluna de Trajano Disponível no endereço: Acessado em 15/07/2013 Obra-Prima do Dia (Semana dos Monumentos) Arquitetura – Coluna de Trajano Disponível no endereço: Acessado em 14/07/2013 Político Brasileiro – Oswaldo Aranha Disponível no endereço: Acessado em 15/07/2013 Aventuras na História – Diáspora: o povo do êxodo Disponível no endereço: Acessado em 15/07/2013

15 Referências Bibliográficas Dinastias Romanas Disponível no endereço: Acessado em 15/07/2013 Curso de História – Ensino Médio – Novo Telecurso Disponível no endereço: professoredley.com.br/aulas/ensinomedio10.htm Acessado em 15/07/2013 Ascensão e Queda de um Império – As Guerras Dalmacianas Disponível no endereço: professoredley.com.br/romanos/up06.htm Acessado em 15/07/2013

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39


Carregar ppt "Introdução Antecedentes Roma – Alto Império Após do suicídio do Imperador Nero por volta do ano 68, chega ao fim da Dinastia Júlio- Claudiana (27 a.C."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google