A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geografia II Unid. 1 – As atividades primárias Prof.: Evandro Cruz.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geografia II Unid. 1 – As atividades primárias Prof.: Evandro Cruz."— Transcrição da apresentação:

1 Geografia II Unid. 1 – As atividades primárias Prof.: Evandro Cruz

2 “Metade da humanidade não come; e a outra metade não dorme, com medo da que não come.” “O problema da fome mundial não é, por conseguinte, um problema de limitação da produção por coerção das forças naturais; é antes um problema de distribuição.” - Josué de Castro -

3 1. Agricultura, subnutrição e fome 1.1 -Importância da agricultura > matéria-prima: alimento, empregos, renda, produção agroindustrial, divisas para o Estado (exportação) 1.2 – Por que da fome no mundo? >Uso da terra para fins especulativos, distribuição, herança colonial 2. Sistemas agrícolas: 2.1- intensivos X extensivos Elevado grau de capitalização => grande investimento tecnológico=>alta produtividade Pequeno grau de capitalização => técnicas rudimentares => baixa produtividade

4 2.2 Agricultura de subsistência: Não gera excedentes e, portanto, não há aprimoramento técnico. Utiliza mão-de-obra familiar e obtém pequena produtividade. pequena capitalização – extensivo 2.3 – Agricultura Itinerante: Desmata => queima => planta => pasto => busca nova área. pequena capitalização – extensivo 2.4 – Agricultura Comercial: Elevada capitalização - intensivo => técnicas avançadas => alta produtividade excedente de capital

5 2.4.1 – Agricultura de Plantation. Exploração de latifúndios por monoculturas de exportação Recorre ao uso extensivo do solo Utiliza mão-de-obra barata e abundante investimento de insumos - extensivo. Herança do período colonial. Impactos negativos: Intercepta grande parte dos recursos financeiros à agricultura. Prejudica culturas alimentares para consumo interno. Induz às importações.

6 Cultivo especulativo: organizado para atender o mercado exterior Despreza os interesses da economia e da sociedade local. Cultivos perenes: grandes áreas com plantas arbóreas e arbustivas de cultivo perene. Zonas Mediterrâneas e Intertropicais são as principais.

7 2.5 Agricultura de Jardinagem Mão-de-obra familiar Técnicas sustentáveis Elevada produtividade Fixação da famíliar na propriedade

8 2.6 - Cinturão verde e bacias leiteiras. Áreas periféricas, onde a terra é valorizada. Elevada capitalização - intensiva => alta produtividade. Destinada a atender as necessidades do população local circundada. Excedente é reinvestido em melhorias técnicas

9 2.7 Agricultura Orgânica Sistema de manejo sustentável da terra, valorizando a agrobiodiversidade, os ciclos biogeoquímicos e a qualidade de vida humana. Unidade de produção é um organismo integrado com toda fauna e a flora ao redor. Processos biológicos substituem os insumos tecnológicos. Princípios agroecológicos de conservação: Respeito à natureza => ciclagem de resíduos orgânicos. Diversificação de culturas => agrobiodiversidade. O solo é um organismo vivo => manejo e reposição orgânica. Independência dos sistemas de produção => rejeita insumos agroindustriais.

10 - UFJF – - PROVA de GEOGRAFIA – 1º FASE do VESTIBULAR- 2006

11 3. Agropecuária e comércio internacional Os benefícios do governo aos agricultores da Europa e dos EUA despertaram uma disputa no comércio internacional Com objetivo estabelecer regras e acordos que orientem o comércio internacional de produtos e serviços, assim como os fluxos financeiros entre os países, surge o GATT e mais tarde a OMC (Organização Mundial do Comércio), visando: O combate ao protecionismo; Liberalização dos mercados; Preservação do meio ambiente; Regulamentação das compras governamentais, realizadas entre estados e empresas, o comércio via internet; as barreiras tarifárias e alfandegárias e a questão dos subsídios agrícolas; Princípios do Liberalismo econômico. Liberalismo econômico.

12 Diversas “rodadas”de negociações foram criadas para colocar em prática acordos entre os países. -8 Rodadas como GATT -Grupo de CAINRS -Rodada do Uruguai -Instituição da OMC -Rodada se Doha As nações subdesenvolvidas: Desejam a remoção das barreiras protecionistas ao comércio de produtos alimentares Querem a redução global dos subsídios agrícolas As nações ricas: Querem abertura dos mercados das nações subdesenvolvidos aos seus produtos industrializados. Não abrem mão de continuar subsidiando seus agricultores. Interesses das nações dominantes sempre prevalecem sobre os desejos das nações subdesenvolvidas.

13 4. Estrutura Fundiária. Razões para a elevada concentração fundiária no Brasil: Origem colonial – Lei da sesmarias. Ação ilegal dos grileiros. Leis de Terras que regulamentam a posse de terras. Subsídios do governo à agricultura comercial. 15 % do número total de imóveis, ocupa 80% da área total dos imóveis rurais

14 5. As raízes históricas da luta pela terra no Brasil Lei de Terras – 1850:Lei de Terras – 1850:  Extinguia a posse e torna obrigatória a compra à vista. Ligas camponesas – 1950: Ligas camponesas – 1950:  Surgem os sindicatos rurais.  Atuação da Igreja e do PCB Governo Militar :Governo Militar :   Cria o Estatuto da Terra.  Define os Módulos Rurais. Fronteiras agrícolas ( ):Fronteiras agrícolas ( ):  Investe na agricultura comercial  Intensificação da grilagem. Assembléia Constituinte 1988:Assembléia Constituinte 1988:  Proíbe a desapropriação de terras produtivas. Manobras políticas para “acalmar os ânimos” apenas concentram os conflitos.

15 Relação entre número de assentamentos rurais e assassinatos no Brasil.

16 Movimento pela reforma agrária contemporâneo Diminuição dos conflitos e violência no campo; Redução do êxodo rural - Incrementa a agricultura familiar; Geração de emprego e renda às famílias; Melhoria nas condições de moradia, saúde, alimentação, educação e lazer ; Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra. - MST O MST é, atualmente, o principal movimento social. É composto por ex- bóias frias, ex-operários, ex- trabalhadores da construção civil, ex- empregados de fazendas, desempregados do campo e da cidade. O MST busca, fundamentalmente, a redistribuição das terras improdutivas para o assentamento agrário através da agricultura familiar.

17 6. Formas de trabalho no campo PosseiroPosseiro => camponeses que ocupam pequenas áreas de terras devolutas. GrileiroGrileiro => Falsificam documentos de posse da terra para requererem o usucapião. ArrendatáriosArrendatários => Compram o direito de uso da terra por determinado período de tempo, como se fosse um aluguel. Parceiros ou meeirosParceiros ou meeiros => Trabalhadores rurais que usam a terra de outro proprietário para suas lavouras ou criações. Trabalhadores assalariados permanentesTrabalhadores assalariados permanentes => contratados com carteira de trabalho assinada. Trabalhadores assalariados temporáriosTrabalhadores assalariados temporários => contratados para uma tarefa específica. Ex: preparo do solo, adubação ou colheita Escravidão por dívida => contratado para um serviço distante, deve arcar com as despesas da viagem, hospedagem e ferramentas, endividando-se e trabalhando gratuitamente para saldar a dívida contraída.

18 7. Modernização agrícola brasileira. O processo de modernização atingiu desigualmente os diferentes produtos, produtores agrícolas e áreas: Soja, cana-de-açúcar, laranja – maior valor tecnicidade; Feijão, arroz e mandioca – atrasados tecnologicamente.

19 8. Principais problemas ambientais do campo. Visando aumentar a produção mundial de alimentos, implementou-se um conjunto de mudanças técnicas na produção agropecuária – proposto aos países subdesenvolvidos. Consistia num “pacote tecnológico” contendo novas técnicas de cultivo, equipamentos para a mecanização, fertilizantes, defensivos agrícolas e semente selecionadas. Foi a chamada Revolução verde. Conseqüências:Conseqüências: Intensificou o processo de desertificação; Aumentou o número de mortes no campo pela contaminação por agrotóxicos; Acentuou a concentração de terras; Elevou os índices de produtividade e da fome; Aumentou a agricultura de exportação em detrimento a agricultura de subsistência;

20 8. Os principais problemas ambientais do campo: Com a valorização das monoculturas em grandes propriedades, típicas da modernização agrícola, ocorre:Com a valorização das monoculturas em grandes propriedades, típicas da modernização agrícola, ocorre: biodiversidade => pragas => uso de pesticidas e fertilizantes => contaminação dos solos e aqüíferos => produtividade do solo => uso de pesticidas e fertilizantes. Compactação do solo através da utilização de máquinas; Intensificação dos processos erosivos; Assoreamento do leito dos rios;

21 8.3 – Expansão das fronteiras agrícolas. Topografia plana Cursos d'água perenes, Regularidade do cultivo (clima); Solos férteis (basalto) Preço das terras, Intervenção do estado por meio de programas e incentivos governamentais, Desenvolvimento de pesquisas, Valorização da soja e dos biocombustíveis. Modernização da produção agrícola.

22 9. A polêmica dos Transgênicos no Brasil Defensor dos OGMs: Aumento da produtividade agrícola; Maior competitividade nos mercados mundiais; Melhora a quantidade e a qualidade do abastecimento interno; Menor utilização de defensivos químicos e redução das agressões ambientais; Críticos dos OGMs: A falta de conclusões confiáveis nos estudos dos possíveis impactos ambientais; Subordinação às Transnacionais, que monopolizam a produção de sementes (Monsanto); Homogeneidade de espécies cultivadas; A manipulação é antinatural; Podem causar riscos à saúde humana: problemas alérgicos e afetar o sistema imunológico;


Carregar ppt "Geografia II Unid. 1 – As atividades primárias Prof.: Evandro Cruz."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google