A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cap. 2 – O nível aplicação 1ª Parte Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cap. 2 – O nível aplicação 1ª Parte Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL."— Transcrição da apresentação:

1 Cap. 2 – O nível aplicação 1ª Parte Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL

2 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 2 Nota prévia A estrutura da apresentação é semelhante e utiliza algumas das figuras, textos e outros materiais do livro de base do curso James F. Kurose and Keith W. Ross, "Computer Networking - A Top-Down Approach Featuring the Internet,“ Addison Wesley Longman, Inc., 3rd Edition, 2005

3 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 3 Objectivos do capítulo Perceber como são organizadas e funcionam algumas das aplicações mais comuns Perceber o paradigma cliente / servidor e o paradigma P2P (“par a par” ou “peer-to-peer”) Conhecer protocolos aplicacionais populares

4 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 4 Organização do capítulo Aplicações em rede ou distribuídas Conceitos de base, paradigmas e tipos de transportes Protocolo HTTP (Web) O DNS (“Domain Name System”) Protocolo SMTP — Correio electrónico Transferência de ficheiros - Protocolo FTP e sistemas P2P Os protocolos RTP e SIP

5 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 5 Aplicações distribuídas application transport network data link physical application transport network data link physical application transport network data link physical Aplicação: processos distribuídos que comunicam através de mensagens Executam nos hosts em “user space” Comunicam através de protocolos do nível aplicação Usam os serviços do nível de transporte da rede Protocolos Aplicacionais Definem as mensagens trocadas pelas aplicações e a sua semântica Não são senão uma parte da aplicação

6 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 6 Alguma terminologia A aplicação é formada por um conjunto de processos distribuídos Os processos distribuídos comunicam através de um IPC Inter Process Communication Facility de comunicação em rede Um IPC também se designa uma API (“Application Programming Interface”) de comunicação O IPC é usado para executar um protocolo do nível aplicação Um processo interactivo que serve directamente um utilizador diz-se um agente do utilizador (“user agent”)

7 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 7 O paradigma cliente servidor application transport network data link physical application transport network data link physical request reply

8 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 8 Características de base Em geral, o cliente toma a iniciativa de contactar o servidor, enquanto que o servidor espera pelo contacto do cliente O cliente solicita serviços ao servidor Este responde ao pedido Um servidor que serve um cliente de cada vez diz-se um servidor iterativo (serializa os pedidos) Um servidor que serve vários clientes em paralelo diz-se um servidor concorrente Ao protocolo base chama-se um protocolo “pedido / resposta” (“request / reply”) A sincronização característica é semelhante à da invocação de um procedimento ou método

9 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 9 Arquitecturas P2P Conjuntos de hosts comunicam directamente entre si sem uma estruturação hierárquica Os Peers (pares, parceiros, …) nem sempre estão ligados e podem trocar de endereço IP de cada vez que estão ligados Muito escalável Mas mais difícil de gerir

10 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 10 Sistemas híbridos Cliente / Servidor e P2P Skype A comunicação da chamada telefónica é de host a host - P2P A pesquisa dos interlocutores é centralizada Os utilizadores (peers) registam o seu IP no servidor Os peers contactam o servidor para saber o IP do seu parceiro Correio electrónico As caixas de correio estão em servidores As mensagens são trocadas entre servidores de correio electrónico de forma horizontal (servidores actuando de forma P2P entre si) Presença e mensagens instantâneas As aplicações dos utilizadores trocam mensagens directamente - P2P Localização e detecção da presença centralizada num servidor: Os utilizadores quando on-line registam o seu endereço num servidor Os utilizadores contactam o servidor central para localizar os seus amigos

11 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 11 Organização do capítulo Aplicações em rede ou distribuídas Conceitos de base, paradigmas e tipos de transportes Protocolo HTTP (Web) O DNS (“Domain Name System”) Protocolo SMTP — Correio electrónico Transferência de ficheiros - Protocolo FTP e sistemas P2P Os protocolos RTP e SIP

12 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 12 Necessidades das aplicações Perca de dados Algumas aplicações toleram perca de dados (som,...) Outras necessitam de fiabilidade a 100% (e.g. transferência de um ficheiro) Capacidade de transferência Algumas aplicações necessitam de uma certa garantia de capacidade mínima (som,...) Outras são “elásticas” e adaptam-se à capacidade disponível (e.g. transferência de um ficheiro) Latência ou tempo de trânsito (“Timing”) Algumas aplicações necessitam de garantias no que toca à latência e até à sua variação (Jogos, som interactivo,...) Outras toleram grandes variações da latência

13 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 13 Exemplos Aplicação file transfer Documentos Web real-time audio/video stored audio/video Jogos interactivos Aplicações financeiras Perca de dados ? não tolera tolera não tolera Capacidade garantida ? elástica audio: 5Kb-1Mb video:10Kb-6Mb idem > alguns Kbps elástica Sensível ao tempo ? não sim, 100’s ms sim, alguns seg sim, 100’s ms sim e não

14 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 14 Transportes e suas características TCP Orientado conexão (exige conexão prévia) Transporte fiável de uma sequência de octetos (“bytes”) Controlo de fluxo Controlo de saturação Não dá garantias de banda nem de latência UDP Serviço datagramas sem conexão (não exige conexão prévia) Não fiável (“best effort”) Não tem garantias de banda, latência, controlo de fluxo ou saturação

15 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 15 Exemplos Aplicação remote terminal access Web file transfer streaming multimedia remote file server Internet telephony Protocolo do nível aplicação smtp [RFC 821] telnet [RFC 854] http [RFC 2068] ftp [RFC 959], NFS Protocolo de transporte TCP TCP ou UDP tipicamente UDP

16 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 16 Organização do capítulo Aplicações em rede ou distribuídas Conceitos de base, paradigmas e tipos de transportes Protocolo HTTP (Web) Protocolo SMTP — Correio electrónico O DNS (“Domain Name System”) Transferência de ficheiros - Protocolos TFTP, FTP e sistemas P2P Os protocolos RTP e SIP

17 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 17 WWW - um serviço de acesso a informação multimédia para a Internet O Protocolo HTTP e o serviço WWW

18 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 18 Terminologia Página Web: formada por “objectos” endereçada via um URL As páginas Web geralmente são formadas por: página HTML de base, e referências para objectos. Um URL tem duas componentes: nome de um host e nome de um objecto local ao servidor: O User agent chama-se um browser: MS Internet Explorer Netscape Communicator Opera, … Existem vários servidores: Apache (public domain) MS Internet Information Server ….. asc.di.fct.unl.pt/rc/index.html

19 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 19 Aspectos fundamentais Os servidores funcionam como repositórios de informação A estruturação da informação baseia-se em “hyperlinks / hypermedia” A interface dos browser é intuitiva, generalizada e permite lidar com múltiplos formatos e tipos de recursos Os browsers admitem a “navegação” dinâmica através dos “hyperlinks” O browser interpreta o conteúdo dos documentos, expandindo dinamicamente os formatos multimedia (texto, som, imagem, …) através de funcionalidades internas ou de programas externos Para melhor desempenho, os browsers gerem uma cache local dos últimos documentos que foram acedidos

20 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 20 Forma geral de um URL - Uniform Resource Locator Os URLs são endereços de recursos WEB protocolo ou método de acesso://servidor[:porta]/nome-do-objecto Exemplos de protocolos: HTTP, FTP, TELNET, FILE, MAILTO, … Servidor: nome DNS do servidor onde reside o objecto Porta: porta a usar na conexão, pode ser omitida, nesse caso usa-se uma por defeito em função do protocolo

21 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 21 O protocolo HTTP HTTP: hypertext transfer protocol Protocolo do nível aplicação cliente/servidor cliente: browser envia pedidos, recebe, interpreta e mostra os objectos servidor: o servidor Web envia os objectos em resposta aos pedidos http1.0: RFC 1945 http1.1: RFC 2068 PC running Int Explorer Server running Apache Web server Mac running Mozilla http request http response

22 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 22 Continuação http: usa o transporte TCP: O cliente abre uma conexão TCP para a porta 80 do servidor O servidor aceita a conexão do cliente O servidor e o cliente trocam mensagens HTTP A conexão TCP é fechada O http é sem estado (“stateless”) O servidor não mantêm nenhuma informação sobre as conexões dos clientes Os protocolos que mantêm “estado” são mais complexos! O estado (“história”) tem de ser mantido Se o servidor ou o cliente avariam, o estado pode ficar não coerente e tem de ser re-sincronizado

23 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 23 Como funciona o HTTP O que se passa quando é solicitado a um browser que aceda a um recurso especificado por um URL, como por exemplo: ? 1) O browser faz a análise do URL 2) Solicita ao DNS o endereço do servidor (en.wikipedia.org) 3) O DNS responde com por exemplo 4) O browser abre uma conexão TCP para o porto 80 de ) Envia então o comando: “GET /wiki/Main_Page HTTP/1.0” seguido de uma linha em branco 6) O servidor responde com esse documento 7) O browser lê o documento através do canal TCP 8) O servidor e o browser fecham a conexão 9) O browser começa a interpretação do documento e abre novas conexões para ir buscar as imagens e outros documentos indicados no mesmo

24 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 24 Exemplo O Utilizador solicita o URL 1a. O cliente HTTP inicia a abertura de uma conexão para en.wikipedia.org na porta O cliente HTTP envia a request message (contendo o URL) através do socket TCP. A mensagem indica que o cliente quer o objecto wiki/Main_Page 1b. O servidor HTTP en.wikipedia.org estava à espera de pedidos de conexão na porta 80. “aceita” a conexão e indica isso ao cliente 3. O servidor HTTP recebe a mensagem, forma a response message contendo o objecto e envia-a através do socket time (que contém texto e referências para 10 objectos)

25 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 25 Continuação 5. O cliente HTTP cliente recebe a mensagem contendo o objecto, interpreta-o visto ser HTML. Ao fazer a interpretação encontra a referência para 10 objectos 6. Os passos 1 a 5 são repetidos para os 10 objectos 4. O servidor HTTP fecha a conexão TCP. time

26 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 26 Modelização do tempo de resposta RTT: tempo de ida e volta de um pequeno pacote entre o cliente e o servidor. Tempo total de resposta: Um RTT para iniciar a conexão Sensivelmente mais um RTT por cada pedido HTTP com alguns bytes da resposta Tempo de transmissão do objecto total = 2.RTT+tempo total de transmissão do objecto time to transmit the object initiate TCP connection RTT request file RTT object received time

27 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 27 Conexões persistentes e não persistentes Não-persistentes HTTP/1.0 O servidor analisa o pedido, responde, e fecha a conexão TCP 2 RTTs pelo menos por cada objecto pedido Persistentes Disponíveis em HTTP/1.1 Sem fechar a conexão: o servidor analisa, responde, analisa, responde,.. Pipelining: logo que o cliente reconhece URLs envia os pedidos mesmo sem esperar pelas respostas anteriores Menos RTTs

28 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 28 As mensagens HTTP GET /somedir/page.html HTTP/1.0 Host: User-agent: Mozilla/4.0 Connection: close Accept-language:fr (extra carriage return, line feed) request line (GET, POST, HEAD,....) header lines Carriage return, line feeds indicam o fim da mensagem

29 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 29 Forma geral de um pedido HTTP

30 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 30 HTTP/1.0 GET POST HEAD asks server to leave requested object out of response HTTP/1.1 GET, POST, HEAD PUT uploads file in entity body to path specified in URL field DELETE deletes file specified in the URL field Comandos do cliente

31 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 31 Um cliente HTTP manual 1. Fazer telnet para um servidor Web: Abrir conexão para a porta 80 Tudo o que se escrever é enviado ao servidor pela conexão TCP telnet Escrever o comando GET HTTP: GET /~jalm/ HTTP/1.0 Host: Desta forma (carregando em RETURN duas vezes) envia-se o pedido manualmente 3. Obter a resposta enviada pelo servidor HTTP!

32 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 32 Análise de uma resposta HTTP/ OK Connection close Date: Thu, 06 Aug :00:15 GMT Server: Apache/1.3.0 (Unix) Last-Modified: Mon, 22 Jun 1998 …... Content-Length: 6821 Content-Type: text/html data data data data data... status line (protocol status code status phrase) header lines data, e.g., requested html file

33 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 33 Alguns cabeçalhos Os cabeçalhos usados tanto nos pedidos como nas respostas são cabeçalhos MIME que servem para indicar propriedades e outras opções do diálogo entre o browser e o servidor. Exemplos: MIME-versionversão MIME usada If-Modified-Sinceconditional GET Last-Modifieddata da última modificação Content-lengthdimensão Content-Encodingcodificação MIME Content-Typetipo MIME do documento Datedata do request From do user Serveridentificação do servidor User-Agentidentificação do browser …. Nota: o cabeçalho MIME Content-Transfer-Encoding não é necessário.

34 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 34 Transmissão de dados para o servidor Através de um “post method”: Frequentemente as páginas têm um “form” Os dados do utilizador são transmitidos para o servidor no corpo (“body”) da mensagem Através do URL: Usa o método GET Os dados vão codificados no URL

35 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 35 CGI - Common Gateway Interface File system CGI Ficheiros não executáveis server browser http + parâmeteros Por convenção, o directório “/cgi-bin” contem o código executável dos “scripts”.

36 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 36 Alguns códigos de resposta Os códigos de resposta têm o formato geral: xyz (3 digitos) seguidos de uma frase informativa Exemplos: 200Ok, request succeeded 204Ok, but no content to return 301Requested resource has been assigned a new URL 304Document has not been modified (conditional GET) 400Bad request 404Not found …..

37 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 37 HTML - HyperText Markup Language Linguagem HTML é a linguagem adoptada na Web para se descreverem os documentos de hypertext que são visualizados pelo browser. Os documentos HTML são estruturados (Cabeçalhos, Títulos, Tipos/Fontes, Tamanhos, Barras, Imagens in-line, Listas, Menus, Links, …) A linguagem HTML permite a anotação de um texto com marcas (“tags”) que correspondem a directivas de formatação. HTML é um sub-conjunto da linguagem de markup SGML (Standard Generalized Markup Language) que é definida pela norma ISO 8879.

38 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 38 Algumas TAGS comuns …. Indica uma página escrita em HTML …. Delimita o cabeçalho da página …. Título da página (não afixado) …. Corpo da página …. Heading de nível n (1 a 6) …. Texto em Boldface …. Texto em itálico …. Lista não numerada de itens …. Lista numerada de itens …. Menu Item de uma lista Produz uma mudança de linha obrigatória Fim de parágrafo Linha horizontal …. Texto pré-formatado Carregar uma imagem neste ponto …. Hyperlink (âncora)

39 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 39 Interacção com autenticação Objectivo: controlar o acesso a certos documentos Sem estado: o cliente tem de apresentar as credenciais em cada acesso Tipicamente nome, password cliente servidor usual http request msg 401: authorization req. WWW authenticate: usual http request msg + Authorization:line usual http response msg usual http request msg + Authorization:line usual http response msg tempo O browser faz caching do nome & password para tornar a utilização mais confortável.

40 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 40 Estado sobre um utilizador no servidor: cookies Muitos WEB sites que necessitam de manter estado sobre os clientes entre acessos usam cookies Quatro componentes: 1) cookie header line of HTTP response message 2) cookie header line in HTTP request message 3) cookie file kept on user’s host, managed by user’s browser 4) back-end database at Web site Exemplo: O João acede sempre à Internet usando o mesmo PC Visita com alguma frequência um dado site A quando do 1º acesso, o servidor cria para o João: um ID único Uma entrada na base de dados backend com esse ID

41 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 41 Acesso a um servidor com estado: cookies client Amazon server usual http request msg usual http response + Set-cookie: 1678 usual http request msg cookie: 1678 usual http response msg usual http request msg cookie: 1678 usual http response msg cookie- specific action cookie- spectific action server creates ID 1678 for user entry in backend database access Cookie file amazon: 1678 ebay: 8734 Cookie file ebay: 8734 Cookie file amazon: 1678 ebay: 8734 one week later:

42 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 42 Cookies (continued) What cookies can bring: authorization shopping carts recommendations user session state (Web e- mail) Cookies and privacy: cookies permit sites to learn a lot about you you may supply name and e- mail to sites aside How to keep “state”: protocol endpoints: maintain state at sender/receiver over multiple transactions cookies: http messages carry state

43 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 43 Web Caches (proxy server) O utilizador parametriza o browser para usar o proxy O browser envia os pedidos para o proxy Se o objecto está na cache do proxy este envia a cópia cached Senão, vai buscar o objecto ao servidor Web, faz caching dele e responde Objectivo: satisfazer o pedido do cliente sem envolver o servidor Web client Proxy server client http request http response http request http response http request http response origin server origin server

44 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 44 Hipóteses: Dimensão média dos objectos = bits Média de = 15 pedidos /segundo Latência do router local a cada site web = 2 segundos em média = Internet delay Consequências: Utilização da LAN = 15% Utilização do link de acesso = 100% Latência total = Internet delay + link delay + LAN delay = 2 seg + minutos + mili segundos origin servers public Internet institutional network 10 Mbps LAN 1.5 Mbps access link Alternativas de acesso à Internet

45 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 45 1ª solução possível - link a 10 Mbps Consequência Utilização da LAN = 15% Utilização do link = 15% Latência total = Internet delay + link delay + LAN delay = 2 segundos + mili segundos + mili segundos Mas a solução é cara origin servers public Internet institutional network 10 Mbps LAN 10 Mbps access link

46 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 46 Solução baseada num proxy Instala-se um proxy Por hipótese com um hit rate is 0.4 Consequências 40% dos pedidos satisfeitos localmente (admitamos um LAN delay de 2 ms) 60% dos pedidos satisfeitos pelo servidor final A utilização do link de acesso desceu para 60% (admitamos um delay no link de 10 ms) Latência total média = Internet delay + access delay + LAN delay = 0.6*(2.01) segundos + 0.4*0.002 < 1,2 segundos origin servers public Internet institutional network 10 Mbps LAN 1.5 Mbps access link institutional cache

47 Material de suporte às aulas de Redes de Computadores de J. Legatheaux Martins – Copyright DI - FCT/ UNL – Aplicações Internet / 47 Get condicional Objectivo: se a versão cached está actual, não enviar o objecto cliente: especifica a data da versão cached If-modified-since: servidor: a resposta só contem o objecto se este tiver sido modificado HTTP/ Not Modified cliente servidor http request msg If-modified-since: http response HTTP/ Not Modified object not modified http request msg If-modified-since: http response HTTP/ OK … object modified


Carregar ppt "Cap. 2 – O nível aplicação 1ª Parte Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google