A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Geração da Onda Ultrassônica. Característica da Onda Ultrassônica Feixe ultrassônico não divergente com áreas de concentração molecular (CONDENSAÇÃO)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Geração da Onda Ultrassônica. Característica da Onda Ultrassônica Feixe ultrassônico não divergente com áreas de concentração molecular (CONDENSAÇÃO)"— Transcrição da apresentação:

1 Geração da Onda Ultrassônica

2 Característica da Onda Ultrassônica Feixe ultrassônico não divergente com áreas de concentração molecular (CONDENSAÇÃO) e áreas de diminuição da concentração molecular (RAREFAÇÃO).Feixe ultrassônico não divergente com áreas de concentração molecular (CONDENSAÇÃO) e áreas de diminuição da concentração molecular (RAREFAÇÃO).

3 Tipos de Ondas Ultrassônicas Depende da direção do movimento molecular que elas provocam: - ONDAS LONGITUDINAIS: tecidos moles - ONDAS TRANSVERSAIS: tecido ósseo

4 Absorção e Atenuação Gráfico da absorção exponencial da energia no meio. % de energia disponível e d de “depth”(profundidade)

5 Absorção e Atenuação “Half Value Depth”: representa a profundidade nos tecidos na qual metade da energia da superfície está disponível. - Haverá diferença para cada tecido e para cada frequência. (Hoogland, 1995)

6 Absorção e Atenuação Como eu alcanço uma intensidade específica a uma determinada profundidade? Devo considerar a proporção da energia absorvida pelos tecidos mais superficiais! Nível aproximado de redução de energia em tecidos típicos com 1 e 3 MHz.

7 Absorção e Atenuação A capacidade de absorção da radiação ultrassônica é diferente nos diversos tecidos: Tecidos ricos em proteína: > absorção (tt, mm) Tecidos pobres em proteína: < absorção (sg, lipídeos)

8 Absorção e Atenuação Cartilagem e Osso: apesar de apresentarem alta absorção à radiaçào ultrassônica, a maior parte dessa radiação sofre reflexão ao atingir a superfície desses tecidos (diferença de impedância). Logo, Em termos práticos, os tecidos que mais absorvem a radiação ultrassônica são aqueles ricos em colágeno: ligamento, tendão, fáscia, cápsula articular, cicatriz (Watson 2000, ter Haar 199, Nussbaum 1998, Frizzel & Dunn 1982)

9 Atenuação do feixe ultra-sônico de 1 MHZAtenuação do feixe ultra-sônico de 1 MHZ (TAR, 3ed, 1996) Tecido Atenuação (%/cm) Sangue3 Gordura13 Músculo24 Vasos Sanguíneos 32 Pele39 Tendão59 Cartilagem68 Osso96

10 Modo de Emissão das Ondas Ultrassônicas

11

12 Mode Pulse Ratio Duty Cycle Continuous100% Pulsed1:150% 1:233% 1:325% 1:420% 1:910%

13 Cálculo da Intensidade do Ultra-som Tissue State Intensity required at the lesion (W/cm²) Acute 0,1 – 0,3 Sub Acute 0,2 – 0,5 Chronic 0,3 – 0,8

14 Cálculo da Itensidade do Ultra-som A tabela abaixo indica a intensidade requerida na superfície (W/cm²) para alcançar uma intensidade particular a uma dada profundidade usando ultra-som de 3 MHz.

15

16 Cálculo da Intensidade do Ultra-som A tabela abaixo, indica a intensidade requerida na superfície (W/cm²) para alcançar uma intensidade particular a uma dada profundidade usando ultra-som de 1 MHz.

17

18 Tempo de Tratamento -É necessário entregar no mínimo 1 minuto de radiação ultrassônica efetiva para cada área (de 1 cm² ou do tamanho do cabeçote) que necessita ser tratada.

19 Tempo de Tratamento Será influenciado pela área a ser tratada e pela relação TON/TOFF:Será influenciado pela área a ser tratada e pela relação TON/TOFF: -Quanto maior a área tratada → maior o tempo de tratamento -Quanto menor o ciclo útil → mais tempo será necessário para entregar 1 minuto de radiação ultrassônica efetiva. Supondo uma lesão aguda que tenha uma área de tratamento do tamanho do cabeçote:Supondo uma lesão aguda que tenha uma área de tratamento do tamanho do cabeçote: (1 minuto) x (número de vezes que o cabeçote cobre a lesão) x (relação TON/TOFF, sendo o ciclo útil de 20%, que é = 1:4) (1) X (1) x (5) = 5 minutos

20 Fonoforese ou Sonoforese Produto Princípio Ativo % de Transmissão relativa à água 0,75 MHZ 1,5 MHz 3 MHz Feldene Gel Piroxican 74,64±5,33 108,00±2,67 108,00±5,33 Emla Creme Lidocaína 83,47±0,57 90,40±0,16 94,53±1,27 Intralgin Gel Benzocaína 87,33±0,29 11,40±0,54 120,27±0,50 Xilocaina Unguento Lidocaína 1,73±0,26 2,00±0,00 0,00±0,00 Stiedex Creme Dexametazona 11,07±0,33 1,87±0,57 11,47±1,75 Dipresone Creme Betametazona 1,47±0,44 11,07±0,95 14,67±0,59 Benson & McElnay (1988)

21

22 Parâmetros Práticos do Ultra-som Freqüência: 1 ou 3 MHzFreqüência: 1 ou 3 MHz Modo de emissão: contínuo ou pulsadoModo de emissão: contínuo ou pulsado Se pulsado, o ciclo útil: p X%Se pulsado, o ciclo útil: p X% Intensidade: 0,25 a 2,0 W/cm² (WHO: 3,0 W/cm²)Intensidade: 0,25 a 2,0 W/cm² (WHO: 3,0 W/cm²) Tempo de tratamento: (1min./cm²) ou (1 minuto) x (número de vezes que o cabeçote cobre a lesão) x (relação TON/TOFF) ou área tratada / pela ERA do cabeçote.Tempo de tratamento: (1min./cm²) ou (1 minuto) x (número de vezes que o cabeçote cobre a lesão) x (relação TON/TOFF) ou área tratada / pela ERA do cabeçote. Meio de acoplamento: água, gelMeio de acoplamento: água, gel Técnicas de aplicação: estacionária, em movimento, contato direto ou indireto (bolsa de água ou gel), subaquática, fonoforeseTécnicas de aplicação: estacionária, em movimento, contato direto ou indireto (bolsa de água ou gel), subaquática, fonoforese

23 Caso Clínico Lesão aguda do ligamento colateral medial do joelho em sua porção central onde o ligamento cruza a interlinha articular:Lesão aguda do ligamento colateral medial do joelho em sua porção central onde o ligamento cruza a interlinha articular: -Frequência: -Intensidade: -É necessário aumentar a intensidade da superfície assumindo que haverá perda de US com a profundidade? -Modo de emissão: -Tempo de tratamento (1’/cm²):

24 Caso Clínico Lesão sub-aguda no músculo bíceps braquial de aproximadamente duas vezes o tamanho do cabeçote.Lesão sub-aguda no músculo bíceps braquial de aproximadamente duas vezes o tamanho do cabeçote. Frequência:Frequência: -Intensidade: -É necessário aumentar a intensidade da superfície assumindo que haverá perda de US com a profundidade? -Modo de emissão: -Tempo de tratamento (1’/cm²):

25 Caso Clínico Lesão crônica na cápsula anterior do ombro (articulação gleno-umeral):Lesão crônica na cápsula anterior do ombro (articulação gleno-umeral): -Frequência: -Intensidade: -É necessário aumentar a intensidade da superfície assumindo que haverá perda de US com a profundidade? -Modo de emissão: -Tempo de tratamento (1’/cm²):

26 Ultra-som: Contra-indicações Sobre os olhos e coraçãoSobre os olhos e coração Aplicação direta sobre marcapasso cardíacoAplicação direta sobre marcapasso cardíaco Sobre útero gravídicoSobre útero gravídico Sobre testículosSobre testículos Tecido cancerígenoTecido cancerígeno Cuidado com aquecimento em regiões com alteração da sensibilidade nócica e térmicaCuidado com aquecimento em regiões com alteração da sensibilidade nócica e térmica Cuidado com aquecimento em áreas com deficiência circulatóriaCuidado com aquecimento em áreas com deficiência circulatória Áreas de tromboflebiteÁreas de tromboflebite Epífise de crescimento ósseo (uso limitado e baixa intensidade)Epífise de crescimento ósseo (uso limitado e baixa intensidade) Técnica estacionária sobre implantes metálicos e prótesesTécnica estacionária sobre implantes metálicos e próteses Não há razão para evitar o US em focos de fratura, a menos que a sensibilidade da região esteja comprometidaNão há razão para evitar o US em focos de fratura, a menos que a sensibilidade da região esteja comprometida Thermal Agents in Rehabilitation Susan L. Michlovitz, 3th ed.


Carregar ppt "Geração da Onda Ultrassônica. Característica da Onda Ultrassônica Feixe ultrassônico não divergente com áreas de concentração molecular (CONDENSAÇÃO)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google