A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | Gerência de Qualidade em Tecnologia de Informação Qualidade de Produto de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | Gerência de Qualidade em Tecnologia de Informação Qualidade de Produto de."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | Gerência de Qualidade em Tecnologia de Informação Qualidade de Produto de Sofware Prof. Mário Satochi Assano

2 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 2 Qualidade de Software

3 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 3 Enfoque Juran  Qualidade = Fitness for Use

4 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 4 Atributos do produto e Características da Qualidade  Tecnológica = Dureza, indutânçia, acidez, etc  Psicológica = Paladar, beleza, status, etc  Tempo = Confiabilidade, manutenibilidade, etc  Contratual = Garantias,  Éticos = Cortesia do pessoal de vendas, honestidade, etc

5 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 5 Parametros para Fitness to Use  Disponibilidade - Tempo disponível / (tempo total) - MTBF/(MTBF+MTTR)  Confiabilidade = livre de falhas  Manutenibilidade - Manutenção programada ou preventiva - Manutenção corretiva  Manufaturabilidade = o quanto um produto projetado pode ser produzido

6 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 6 Enfoque Crosby  Qualidade = Conformance to Requirements  Conformidade com requerimentos, medidas pelo custo da não conformidade

7 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 7 Quality = Conformance to requirements + Fitness for use Conformance to requirements = O projeto tem que produzir o que disse que produziria Fitness for Use = O produto tem que satisfazer as necessidades reais do cliente

8 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 8 NBR ISO 9000 “ A totalidade das características de uma entidade que lhe confere a capacidade de satisfazer as necessidades explicitas e implicitas” Totalidade das características = indica que tanto aspectos funcionais quanto não funcionais devem ser considerados Satisfazer as necessidades implicitas e explicitas = ressalta a importancia da conformidade, tanto com requisitos, como com a satisfação daquelas necessidades que não necessariamente estão descritas nos requisitos

9 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 9 Qualidade de produto de software  Conformidade a requisitos funcionais e de desempenho declarados explicitamente, padrões de desenvolvimento claramente documentados e as caracteristicas implicitas que são esperadas de todo software desenvolvido profissionalmente. requisitos do usuário Performance de execução do sistema; cumprimento de cronograma; orçamento do desenvolvimento do produto

10 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 10 Aspectos gerais da evolução do software Anos iniciais Orientação a batch Distribuição limitada Software específico PCs Sofware Houses Segunda era -Multiusuário -Tempo real -Banco de dados -Pacote Terceira era -Sistemas distribuidos -Inteligentes -Hw de baixo custo -Impacto do consumidor Quarta era -PCs poderosos -Tecnologia orientada a Objetos -Sistemas especialistas -Redes neurais -Computação paralela -Redes Atualmente -Sistemas abertos -SW baseado em componentes -Wireless -Model Driven development

11 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 11 Software e suas caracteristicas como produto ComplexidadeRegras a serem cumpridas; linhas de código; diversos desenvolvedores Invisibilidade e intangibilidade O software é invisível para o usuário; o que se vê são as consequencias de execução do software. Necessita de modelos paa representar os sistemas de software Conformidade e modificabilidade É a interdace entre diversas entidades do meio no qual será utilizado; equipamentos, outros produtos de software, usuários e cultura organizacional Produção sob medida Não existe produção em séries, cada usuário é um cliente Não se desgasta com o uso Os componentes lógicos são duráveis. A falha de sw resulta de erros de projeto ou de implementação, e os seus defeitos permanecem no sistema até serem percebidos devido a ocorrencia de um erro quando uma determinada entrada acontece Não tem prazo de validade Não é sensível a problemas ambientais e nao sofre defeito devido a uso Custo final Copias em segundos, distribuidas e vários clientes, com o custo unitário do projeto e do desenvolvimento O cliente paga para corrigir se apresentar erro Nova versão licenciada, com apenas erros corrigidos

12 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 12 Iniciativa para a qualidade de processo de software NBR ISO aplicada a desenvolvimento de software, fornecimento e manutenção NBR ISO/IEC Define os processos de ciclo de vida de software NBR ISO/IEC Avaliação de processo de software. ISO IEC modelo para avaliação; ISO/IEC modelo-referencia de processo CMMI (CHRISSIS, 2003) Substitui o CMM, modelo de maturidade de processos TRILLIUM Canadá, modelo para avaliar o desenvolvimento de produtos e a capacidade de produção de fornecedores de produtos de telecomunicação MPS Modelo de processo do software, baseado no CMMI, ISO/IEC E ISO/IEC e na realidade do mercado brasileiro

13 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 13 Comparação entre os modelos para processo de software Aspectos abordadosNBR ISO/IEC 12207CMMINBR ISO/IEC 15504MPS objetivo Estabelecer uma terminologia e um entendimento comum para os processos entre todos os envolvidos com SW Determinar a capacidade da organização e apoiar a sua evolução de acordo com os niveis estabelecidos Conhecer e avaliar os processos da organização, determinar a capacitação e prover a melhoria Melhorar os processos de software na micro, pequenas e medias empresas, a custo acessível em diversos locais do pais Abordagem Definição dos processos para aquisição, fornecimento, desenvolvimento, operação e manutençao do SW Avaliação dos processos e enquadramento da organização em um dos níveis de maturidade Avaliação dos processos da organização em relação aos níveis de capacitação Avaliação dos processos da organização em relação aos níveis de maturidades (combinação entre processos e sua maturidade) Organizações-alvo Organizações em geral Organizações que necessitam de comprovação formal de sua capacidade Organizações em geral Definição de processo 43 processos, em 7 áreas de processo 22 áreas de processo, 5 níveis crescente de maturidade 35 processos, em 5 categorias 22 processos, 7 níveis crescente de maturidade Flexibilidade nos aspectos definidos pelo modelo Classificação de processos pode ser utilizada coforme objetivos da organização Níveis e áreas-chave de processo são a base do modelo e não podem ser alterados Permite a definição de perfis de processo e práticas de acordo com os objetivos da organização Níveis e menor conteúdo de implementação para facilitar as empresas e motivar a adesão ao modelo.

14 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 14 Categorias de produto de software - Pressman Básico Um conjunto de programas necessários para dar apoio a outros programas Compiladores, sitemas operacionais, editores de texto Tempo real Monitorar, analisar e controlar eventos do mundo real Controle de navegação, controle de voo, sistema de injeção eletronica, sistemas de direção, jogos de computador e sinalizações Comercial Desenvovlido por empresas com o objetivo de lucrar com sua comercialização Controle de estoque, folha de pagamento, contas a pagar e a receber Científico e de engenharia Algoritmos de processamento numérico Sistema de astronomia, controle da dinamica orbital de naves espaciais, sistemas de manufatura automatizada Embarcado Produto usado para controlar outros produtos e sistemas Controle de teclados em microondas, controle de sistemas digitais em automoveis, painel de combustivel, freio De computador pessoal Programas de software utilizados em computadores de uso pessoal Editores de texto, planilhas eletronicas, gerenciamento de dados, acesso a banco de dados De inteligência artifical Utilizado para o uso de algoritmos não numéricos, para resolver problemas complexos Sistema com entrada pelo reconhecimento de voz e imagem (digitais, foto)

15 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 15 Categorias de produto de software – norma IEEE 1062 COTS COMERCIAL OFF-THE- SHELF-SOFTWARE Este tipo de software é desenvolvido pelo fabricante, com os requisitos pelos quais muitos usuários podem ser beneficiados. MOTS MODIFIED OFF-THE- SHELF-SOFTWARE Existe um produto padrão e, a partir de padrão, serão desenvolvidas particularidades para clientes, diferenciando o produto ao longo do tempo CUSTOMIZADO ou FD FULL DEVELOPED SOFWARE Software totalmente desenvolvido para o cliente

16 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 16 Categorias de produto de software – norma IEEE 1062 CaracterísticasCOTSMOTSFD EscopoFixo Parcialmente customizado Totalmente customizado Adequação ao usodemonstrado Demonstrado em aplicações similares Sem precedentes ManutençãoSem controleControle parcialControle total Prazo de entregaimediatoCurto - LongoLongo Custo de aquisiçãoBaixo - médioMédio - AltoAlto Qualidade ISO/IEC Não controladaParcilamente controlada Controlada em sua maior parte

17 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 17 Avaliaçao de produto de software  Avaliaçao pode ser vista como o exame sistemático para determinar até que ponto uma entidade é capaz de atender os requisitos especificados.  Avaliar um produto de software é atribuir um certo valor a esse produto, com base em requisitos pré-estabelecidos e sob demanda de um patrocinador. Os requisitos são derivados dos modelos de qualidade definido nas normas de produto de software  O patrocinador pode ser um usuário, comprador, o próprio desenvolvedor ou fabricante

18 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 18 Avaliaçao de produto de software  Avaliaçao pode ser vista como o exame sistemático para determinar até que ponto uma entidade é capaz de atender os requisitos especificados.  Avaliar um produto de software é atribuir um certo valor a esse produto, com base em requisitos pré-estabelecidos e sob demanda de um patrocinador.  Os requisitos são derivados dos modelos de qualidade definido nas normas de produto de software  O patrocinador pode ser um usuário, comprador, o próprio desenvolvedor ou fabricante

19 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 19 Método de Avaliaçao de produto de software – MEDE- PROS  O MEDE-PROS – Método de avaliação de Qualidade de Produto de Software, tendo como referencia as normas ISO/IEC 9126 e NBR ISO/IEC  Formado por 3 componentes 1.Lista de verificação 2.Manual do Avaliador 3.Modelo de relatório de avaliação

20 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 20 Método de Avaliaçao de produto de software – MEDE- PROS – lista de verificação Interface NBR ISO/IEC ISO ,11,12 ERGOLIST Documentação NBR ISO/IEC ANSI/IEEE 1063 NBR ISO/IEC ISO 9127 Software NBR ISO/IEC Descrição do Produto NBR ISO/IEC ISO 9127 Embalagem BR ISO/IEC ISO 9127

21 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 21 Método de Avaliaçao de produto de software – MEDE- PROS – lista de verificação Interface NBR ISO/IEC ISO ,11,12 ERGOLIST Documentação NBR ISO/IEC ANSI/IEEE 1063 NBR ISO/IEC ISO 9127 Software NBR ISO/IEC Descrição do Produto NBR ISO/IEC ISO 9127 Embalagem BR ISO/IEC ISO 9127 Interface – permite que as informações sejam transferiadas entre o usuário e os componentes de hardware ou sftware de um sistema computacional Embalagem – é um meio fisico que acondiciona a mídia e documentos impressos Software – são as instruções (programas de computador) que, quando executadas pelo usuário produzem a função e o resultado esperado Documentação – é o conjunto completo de documentos, disponível ao usuario de forma impressa ou não, sendo fornecida para auxiliar na utilização de produtos de SW Descrição – é o documento expondo as propriedades do SW, com o objetivo de auxiliar potenciais compradores na avaliação de adequação, antes da aquisição

22 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 22 Método de Avaliaçao de produto de software – Durante o Desenvolvimento Modelo de qualidade Doc Usuário Completitude Usabilidade Funcionalidade Interface Usuário Usabilidade Funcionalidade Software Funcionalidade Eficiencia Confiabilidade Portabilidade Descrição Produto Completitude Embalagem Funcionalidade Usabilidade Completitude Requisitos específicos do dominio

23 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 23 Efeito do produto de software Produto de SoftwareProcesso Método de Avaliaçao de produto de software – Durante o Desenvolvimento (NBR ISO/IEC ) Qualidade do processo Atributo de qualidade Interna Atributo de qualidade Externa Atributo de qualidade em uso Medidas do processo Medidas Internas Medidas Externas Medidas de qualidade em uso influencia Depende de influencia

24 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 24 Método de Avaliaçao de produto de software – Teste ciclo de vida para desenvolvimento de software Engenharia de Sistemas Analise de requisitos Projeto de Software Codificação Teste Manutenção Teste de unidade Teste de validação Teste de istema Teste de Integração Teste de regressão Outros Tempo

25 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 25 Processo de Avaliaçao de produto de software – ISO/IEC Estabelecer requisitos de avaliação Especificação de avaliação Projetar a avaliação Executar a Avaliação Estabelecer o propósito da avaliação Identificar tipos de produto a serem avaliados Especificar o modelo de qualidade Selecionar métricas Estabelecer níveis de pontuação para as métricas Estabelecer critérios para julgamento Produzir o plano de avaliação Obter as metricas Comparar com critérios Julgar os resultados

26 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 26 Processo de Avaliaçao de produto de software – Estabelecer o propósito da avaliação Nome do produto Versão do produto 1.Qual o domínio da aplicação do produto? 2.Qual o objetivo em relação à avaliação? 3.Quais aspectos de qualidade do produto que o requisitante da avaliação pretende que sejam avaliados e com que enfase? 1.Funicionalidade (ênfase 1 a 5) 2.Confiabilidade (ênfase 1 a 5) 3.Usabilidade (ênfase 1 a 5) 4.Portabilidade (ênfase 1 a 5) 5.Eficiência (ênfase 1 a 5) 6.Completitude (ênfase 1 a 5)

27 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 27 Processo de Avaliaçao de produto de software – Identificar o tipo de produto a ser avaliado Nome do produto Versão do produto 1.Descrição geral do produto 1.Quantas funções o produto é composto? 2.Quais as principais tarefas? 3.Quais funcões merecem maior dedicação durante a avaliação? 4.Quantas janelas de interação de dados com o usuário o produto possui? 5.Quem são os principais usuários do produto? 2.Como é o ambiente no qual o produto será inserido? 1.Nível de conhecimento exigido dos usuários em relação à informática 2.Nível de conhecimento exigido dos usuários em relação ao domínio da aplicação em si 3.Quais sã os principais componentes do produto que serão submetidos à avaliação? 4.Existe massa de dados disponível para a avaliação, ou seja, dados-exemplo para agilizar a avaliação? 5.Especificar os requisitos de hw e sw para executar o produto de sw

28 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 28 Processo de Avaliaçao de produto de software – Especificar o modelo de qualidade Modelo de qualidade Doc Usuário Completitude Usabilidade Funcionalidade Interface Usuário Usabilidade Funcionalidade Software Funcionalidade Eficiencia Confiabilidade Portabilidade Descrição Produto Completitude Embalagem Funcionalidade Usabilidade Completitude

29 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 29 1.Selecionar 1.Respostas possiveis para questões: Sim= verdadeiro; Não= falso; NA= Não se Aplica, AP= Avaliação prejudicada 2.Resposta quantificada em faixa de valores: A= algumas vezes; N= nunca; M=muitas; P= poucas; T= Todas 2.Estabelecer níveis de pontuação para as medidas 3.Estabelecer critérios para julgamento Processo de Avaliaçao de produto de software – Especificar a avaliação

30 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 30 1.Selecionar 1.Respostas possiveis para questões: Sim= verdadeiro; Não= falso; NA= Não se Aplica, AP= Avaliação prejudicada 2.Resposta quantificada em faixa de valores: A= algumas vezes; N= nunca; M=muitas; P= poucas; T= Todas 2.Estabelecer níveis de pontuação para as medidas 3.Estabelecer critérios para julgamento Processo de Avaliaçao de produto de software – Especificar a avaliação Tipo de resposta Valores numéricos significado AP* Avaliação prejudicada N0,00Não NA*Não se Aplica S1,00Sim

31 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 31 1.Selecionar 1.Respostas possiveis para questões: Sim= verdadeiro; Não= falso; NA= Não se Aplica, AP= Avaliação prejudicada 2.Resposta quantificada em faixa de valores: A= algumas vezes; N= nunca; M=muitas; P= poucas; T= Todas 2.Estabelecer níveis de pontuação para as medidas 3.Estabelecer critérios para julgamento Processo de Avaliaçao de produto de software – Especificar a avaliação Tipo de resposta Valores numéricos significado A0,33Alguns AP Avaliação Prejudicada N0,00Nenhum NA*Não se Aplica Q0,66Quase Todos T1.00Todos

32 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 32 Processo de Avaliaçao de produto de software – Projetar a Avaliação Nome do produto Versão do produto 1.Descrição geral do produto 1.Quantas funções o produto é composto? 2.Quais as principais tarefas? 3.Quais funcões merecem maior dedicação durante a avaliação? 4.Quantas janelas de interação de dados com o usuário o produto possui? 5.Quem são os principais usuários do produto? 2.Como é o ambiente no qual o produto será inserido? 1.Nível de conhecimento exigido dos usuários em relação à informática 2.Nível de conhecimento exigido dos usuários em relação ao domínio da aplicação em si 3.Quais sã os principais componentes do produto que serão submetidos à avaliação? 4.Existe massa de dados disponível para a avaliação, ou seja, dados-exemplo para agilizar a avaliação? 5.Especificar os requisitos de hw e sw para executar o produto de sw Produzir um plano de avaliação Conter, explicitar e definir o método de avaliação

33 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 33 Processo de Avaliaçao de produto de software – Conclusão da Avaliação Arquivar os itens utilizados durante a avaliação 1.Relatório de avaliação do produto de software 2.Lista de verificação completamente preenchida 3.Finaliar a tarefa e entregar ao requisitante da avaliação : 1.Produto de software nas mesmas condições recebidas, incluindo folhetos e anexos impressos 2.Cópia do relaório de avaliação do produto de software 3.Declaração do resultado da avaliação Apresentar o resultado da avaliação para o requisitante da avaliação

34 Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | 34 Processo de Avaliaçao de produto de software – Conclusão da Avaliação Apresentar o resultado da avaliação para o requisitante da avaliação


Carregar ppt "Universidade de Mogi das Cruzes © Todos os direitos reservados Exatas | 2005 | Gerência de Qualidade em Tecnologia de Informação Qualidade de Produto de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google