A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estrutura e Competências da ANEEL Rio de Janeiro-RJ 22 de março de 2012 Márcio Pina Marques Procurador Geral da ANEEL IV JURE – Simpósio Jurídico das Empresas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estrutura e Competências da ANEEL Rio de Janeiro-RJ 22 de março de 2012 Márcio Pina Marques Procurador Geral da ANEEL IV JURE – Simpósio Jurídico das Empresas."— Transcrição da apresentação:

1 Estrutura e Competências da ANEEL Rio de Janeiro-RJ 22 de março de 2012 Márcio Pina Marques Procurador Geral da ANEEL IV JURE – Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico – FunCOGE

2 Congresso Nacional Presidência da República CONSUMIDORES CNPE / MME ANEEL G CCEECCEE ONSONS BNDES T D C Eletrobrás EPE Concessionárias AGÊNCIASESTADUAISAGÊNCIASESTADUAIS SNRH, MMA, ANA e CONAMA Entidades de Defesa do Consumidor CONSELHOS DE CONSUMIDORES SDE / MJ CADE – SEAE SDE / MJ CADE – SEAE ANPANP Políticas Regulação e Fiscalização Mercado Agentes Institucionais *Atualizado com base nas Leis nº /2004 Estrutura Institucional do Setor Elétrico

3 Papéis Institucionais no Setor Elétrico Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) Ministério de Minas e Energia – MME Congresso Nacional Empresa de Pesquisa Energética – EPE Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL Políticas e diretrizes diretrizes Planejamento e garantia do equilíbrio entre oferta e demanda Planejamento e garantia do equilíbrio entre oferta e demanda Realização de estudos e pesquisas setoriais Realização de estudos e pesquisas setoriais Órgão Regulador e delegado do Poder Concedente Concedente Órgão Regulador e delegado do Poder Concedente Concedente

4 Supervisão, controle e operação dos sistemasSupervisão, sistemas  Operador Nacional do Sistema  Elétrico – ONS Acompanhamento e avaliação da continuidade e segurança do suprimentoAcompanhamento e avaliação da continuidade e segurança do suprimento Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico – CMSE Contabilização e liquidação e liquidaçãoContabilização  Câmara de Comercialização de  Energia Elétrica – CCEE Execução e prestação dos serviços e usuários Execução e prestação dos serviços e usuários Agentes G, T, D e C Papéis Institucionais no Setor Elétrico

5 Controles sobre a ANEEL Qualidade / Modicidade tarifária Audiências Públicas Requerimentos de Informação Auditorias Sabatina e aprovação dos nomes dos Diretores Apreciação das demandas judiciais em face dos atos regulatórios Judiciário Ministério Público Executivo – MME / Sec. Federal de Controle Sociedade Contrato de Gestão Legalidade dos atos emitidos (somente recomendações) Congresso Nacional Senado Câmara dos Deputados Tribunal de Contas Congresso Nacional Senado Câmara dos Deputados Tribunal de Contas

6 MISSÃO Proporcionar condições favoráveis para que o mercado de energia elétrica se desenvolva com equilíbrio entre os agentes e em benefício da sociedade MISSÃO Proporcionar condições favoráveis para que o mercado de energia elétrica se desenvolva com equilíbrio entre os agentes e em benefício da sociedade

7 InteressePúblico Garantir os Direitos dos Consumidores e a melhoria da Qualidade do serviço Equilíbrio Estabilidade de Regras, Obediência aos Contratos e Remuneração Adequada do Serviço Garantir o equilíbrio entre agentes com interesses divergentes e até conflitantes é o grande desafio da ANEEL Missão da ANEEL

8 Autonomia técnica REGULAMENTAÇÃO Orientação e prevenção. Aplicação de penalidades quando indispensável (caráter educativo) Solução de conflitos por meio da composição MEDIAÇÃO Delegação do Poder Concedente (*) Leilões de energia Leilões para novos empreendimentos (G e T) (*) Autorizações(*) (*) União, por meio do Ministério de Minas e Energia Competências da ANEEL: Regular o funcionamento do Setor Elétrico FISCALIZAÇÃO

9 Autarquia sob regime especial (Art. 1º) Finalidade: regular e fiscalizar a produção, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, em conformidade com as políticas e diretrizes do governo federal. (Art. 2º) Lei 9.427/1996 – Criação da ANEEL

10 Competências – legislação esparsa Lei n. 9427/1996; Decreto n /1997 Decreto n /2003 (alterado pelo Decreto 4.970/2004) Lei 8.987/1995 Lei n /1995 Decreto 2.655/1998 Lei /2004

11 Competência para extinção da concessão Lei nº 8.987/1995 Art. 29. Incumbe ao poder concedente: IV - extinguir a concessão, nos casos previstos nesta Lei e na forma prevista no contrato; Lei nº 9.427/1996 Art. 3o-A Além das competências previstas nos incisos IV, VIII e IX do art. 29 da Lei no 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, aplicáveis aos serviços de energia elétrica, compete ao Poder Concedente: (Incluído pela Lei nº , de 2004)incisos IVVIIIIX do art. 29 da Lei no 8.987, de 13 de fevereiro de 1995(Incluído pela Lei nº , de 2004) Decreto 4.932/03 Art. 1° Ficam delegadas à Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL: (Redação dada pelo Decreto nº 4.970, de ) (Redação dada pelo Decreto nº 4.970, de ) I - as competências estabelecidas nos arts. 3o-A, 26 e 28 da Lei no 9.427, de 26 de dezembro de 1996; e (Incluído pelo Decreto nº 4.970, de )arts. 3o-A2628 da Lei no 9.427, de 26 de dezembro de 1996(Incluído pelo Decreto nº 4.970, de )

12 UHE BAÚ I – 110 MW PROCURADORIA: Competência da ANEEL para extinção da concessão. Inteligência do Art. 1º, inciso I do Decreto nº 4.932/03 c/c Art. 3º-A da Lei nº 9.427/1996 c/c Art. 29, inciso IV da Lei nº DIRETORIA: A competência para a extinção de concessões de potenciais hidrelétricos acima de 50 MW é da União (Art. 26, inciso VI, Lei 9.427/1996). Encaminhamento ao Ministério de Minas e Energia para promoção da extinção e consulta sobre o alcance da delegação de competências promovida pelo Decreto nº 4.932, de Ref.: Processso /

13 Proposta de aplicação da penalidade de caducidade - Art. 38, Lei 8.987/1995. Competência do Poder Concedente –Ausência de delegação à ANEEL Encaminhamento ao MME – proposta de aplicação da pena de declaração de caducidade. Ref. Processo / Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA

14 UTE Carioba Extinção da concessão antes do termo contratual – rescisão amigável: competência do Poder Concedente Delegação à ANEEL : Decreto n /03 (Parecer 131/2007) Competência MME para autorizar a rescisão amigável - Art. 79, § 1º, Lei n /93 § 1o A rescisão administrativa ou amigável deverá ser precedida de autorização escrita e fundamentada da autoridade competente. Ref. Processo n /

15 Competência para dirimir divergências Lei 9.427/1996 Art. 3o Além das atribuições previstas nos incisos II, III, V, VI, VII, X, XI e XII do art. 29 e no art. 30 da Lei no 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, de outras incumbências expressamente previstas em lei e observado o disposto no § 1o, compete à ANEEL: (Redação dada pela Lei nº , de 2004) (Vide Decreto nº 6.802, de 2009).incisos IIIIIVVIVIIXXIXII do art. 29art. 30 da Lei no 8.987, de 13 de fevereiro de 1995(Redação dada pela Lei nº , de 2004)(Vide Decreto nº 6.802, de 2009). (...) V - dirimir, no âmbito administrativo, as divergências entre concessionárias, permissionárias, autorizadas, produtores independentes e autoprodutores, bem como entre esses agentes e seus consumidores;

16 A ANEEL é incompetente para decidir - em procedimentos administrativos envolvendo concessionários e consumidores - sobre indenização por danos morais e lucros cessantes. Competência exclusiva do Poder Judiciário. Parecer nº 130/2004-PF/ANEEL. Resolução Normativa ANEEL n.414/2010. Art. 209, Parágrafo único: Art. 209 (...) Parágrafo único. Não compete às agências estaduais conveniadas e à ANEEL analisar reclamações de ressarcimento por danos morais, lucros cessantes ou outros danos emergentes, assim como aqueles casos já decididos por decisão judicial transitada em julgado. Ressarcimento a danos elétricos

17 UTE Norte Fluminense X UTE TermoMacaé Pedido de ressarcimento por supostos prejuízos decorrentes da alteração da Subestação Seccionadora Macaé, instalação de transmissão compartilhada pelas geradoras. Mediação administrativa da ANEEL solicitada pela UTE TermoMacaé. Interesses meramente privados, sem qualquer impacto sobre as instalações de transmissão compartilhadas ou sobre outros agentes do setor. Incompetência da ANEEL para decidir matéria cível – Princípio da Especialidade. Não cabe ao órgão regulador decidir alegação de enriquecimento ilícito e ausência de boa-fé. Ref. Processo /2004=24

18 CUST Competência para dirimir controvérsias sobre responsabilidade contratual Cláusula 24ª CUST: Ausência de consenso sobre a análise de perturbação. Contratação de três árbitros, de notório saber, para as questões controvertidas. Parecer 211/2011: Recurso administrativo interposto pela ABIAPE contra decisão do ONS. Ausência de fundamento legal. Conhecimento do recurso com fundamento no direito de petição. Diretoria: Cabimento do recurso com base na competência estabelecida para dirimir conflitos entre agentes do setor. Ref. Processo /

19 Controle dos atos da CCEE Controle de legalidade dos atos da CCEE: opinião da PGE Diretoria: controle de mérito, instância recursal?

20 Obrigado SGAN – Quadra 603 – Módulos “I” e “J” Brasília – DF – TEL. 55 (61)


Carregar ppt "Estrutura e Competências da ANEEL Rio de Janeiro-RJ 22 de março de 2012 Márcio Pina Marques Procurador Geral da ANEEL IV JURE – Simpósio Jurídico das Empresas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google