A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 9 Análise de Mercados Competitivos. Capítulo 9Slide 2 Tópicos para Discussão Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 9 Análise de Mercados Competitivos. Capítulo 9Slide 2 Tópicos para Discussão Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais:"— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 9 Análise de Mercados Competitivos

2 Capítulo 9Slide 2 Tópicos para Discussão Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais: Excedentes do Consumidor e do Produtor Eficiência do Mercado Competitivo Preços Mínimos

3 Capítulo 9Slide 3 Tópicos para Discussão Política de Preços Mínimos e Quotas de Produção Quotas e Impostos de Importação O Impacto de um Imposto ou Subsídio

4 Capítulo 9Slide 4 Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais: Excedentes do Consumidor e do Produtor Revisão Excedente do Consumidor é o benefício total ou valor que os consumidores recebem além daquilo que pagam pela mercadoria. Excedente do Produtor é o benefício total ou receita que os produtores obtêm além do custo de produção de uma mercadoria.

5 Excedente do Produtor Entre 0 e Q 0 os produtores auferem um ganho líquido na venda do bem-- Excedente do protutor. Excedente do Consumidor Excedente do Consumidor e do Produtor Quantidade 0 Preço S D 5 Q0Q0 Consumidor C 10 7 Consumidor BConsumidor A Entre 0 e Q 0 os consumidores A e B auferem um ganho líquido no consumo do bem -- Excedente do consumidor

6 Capítulo 9Slide 6 Para determinar o efeito de bem-estar de uma política governamental, podemos medir o ganho ou a perda nos excedentes do produtor e do consumidor. Efeitos de bem-estar Ganhos e perdas causadas pela intervenção do governo no mercado. Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais: Excedentes do Consumidor e do Produtor

7 Capítulo 9Slide 7 A perda dos produtores é a soma do retângulo A e do triângulo C. Os triângulos B e C, em conjunto, medem o peso morto. B A C O ganho dos consumidores é a diferença entre o retângulo A e o triângulo B. Peso Morto Variação no Excedente do Consumidor e do Produtor devido a Controle de Preços Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0 P max Q1Q1 Q2Q2 Suponha que o governo imponha um preço máximo de P max abaixo do preço de mercado P 0.

8 Capítulo 9Slide 8 Observações: A perda total é igual à área B + C. A variação total do excedente = (A - B) + (-A - C) = -B - C O peso morto é a ineficiência causada pelo controle de preços.  A perda de excedente do produtor supera o ganho em excedente do consumidor. Variação no Excedente do Consumidor e do Produtor devido a Controle de Preços

9 Capítulo 9Slide 9 Observação Os consumidores podem sofrer uma perda no excedente do consumidor quando a demanda for suficientemente inelástica. Variação no Excedente do Consumidor e do Produtor devido a Controle de Preços

10 Capítulo 9Slide 10 B A P max C Q1Q1 Se a demanda for suficientemente inelástica, o triângulo B poderá ser maior do que o retângulo A e o consumidor sofrerá uma perda devido ao controle de preços. Exemplo: Controle do preço do petróleo e escassez de gasolina em 1979 S D Efeito do Controle de Preços quando a Demanda é Inelástica Quantidade Preço P0P0 Q2Q2

11 Capítulo 9Slide 11 Controle de Preços e Escassez de Gás Natural O controle de preços, feito em 1975, levou à escassez de gás natural. Qual foi o peso morto?

12 Capítulo 9Slide 12 Oferta: Q S = P G P O Quantidade ofertada em trilhões de pés cúbicos (Tpc) Demanda: Q D = -5P G P O Quantidade demandada (Tpc) P G = preço do gás natural em $/mpc P O = preço do petróleo em $/barril. Controle de Preços e Escassez de Gás Natural Dados de 1975

13 Capítulo 9Slide 13 P O = $8/b No equilíbrio: P G = $2/mpc e Q = 20 Tpc Preço máximo estabelecido em $1 Tais informações podem ser vistas graficamente: Controle de Preços e Escassez de Gás Natural Dados de 1975

14 Capítulo 9Slide 14 B A 2,40 C O ganho para os consumidores é o retângulo A menos o triângulo B, e a perda para os produtores é a soma do retângulo A e do triângulo C. SD 2,00 Quantidade (Tpc) 0 Preço ($/mpc) (P max )1,00 Controle de Preços e Escassez de Gás Natural

15 Capítulo 9Slide 15 Medindo o Efeito de Controles de Preço 1 Tpc = 1 bilhão de mpc Se Q D = 18, então P = $2,40  [18 = -5P G + 3,75(8)] A = (18 bilhões mpc) x ($1/mpc) = $18 bilhões B = (1/2) x (2 b. mpc) x ($0,40/mpc) = $0,4 bilhões C = (1/2) x (2 b. mpc) x ($1/mpc) = $1 bilhão Controle de Preços e Escassez de Gás Natural

16 Capítulo 9Slide 16 Medindo o Efeito de Controles de Preço 1975  Variação no excedente do consumidor = A - B = 18 – 0,04 = $17,6 bilhões  Variação no excedente do produtor = -A - C = = -$19,0 bilhões Controle de Preços e Escassez de Gás Natural

17 Capítulo 9Slide 17 Medindo o Efeito de Controles de Preço Peso morto em dólares de 1975  = -B - C = -0,4 - 1 = -$1,4 bilhões  Em dólares de 2000, o peso morto é superior a $4 bilhões por ano. Controle de Preços e Escassez de Gás Natural

18 Capítulo 9Slide 18 A Eficiência do Mercado Competitivo Sob que condições um mercado competitivo gera uma alocação de recursos ineficiente, ou uma falha de mercado? 1) Externalidades  Custos ou benefícios que não se refletem no preço de mercado (p.ex. poluição)

19 Capítulo 9Slide 19 A Eficiência do Mercado Competitivo Sob que condições um mercado competitivo gera uma alocação de recursos ineficiente, ou uma falha de mercado? 2)Falta de informação  A existência de informação imperfeita impede que os consumidores tomem decisões que maximizem sua utilidade.

20 Capítulo 9Slide 20 Na presença de falhas de mercado, a intervenção governamental pode aumentar a eficiência. Na ausência de falhas de mercado, a intervenção governamental gera uma ineficiência, ou peso morto. A Eficiência do Mercado Competitivo

21 Capítulo 9Slide 21 P1P1 Q1Q1 A B C A fixação de um preço máximo igual a P 1 resulta no peso morto dado pelos triângulos B e C. Perda de bem-estar quando um preço é fixado abaixo do preço de equilíbrio Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0

22 Capítulo 9Slide 22 P2P2 Q3Q3 A B C Q2Q2 Qual seria o peso morto se Q S = Q 2 ? A fixação de um preço mínimo igual a P 2 resulta na quantidade demandada Q 3. O peso morto é dado pelos triângulos B e C Perda de bem-estar quando um preço é fixado acima do preço de equilíbrio Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0

23 Capítulo 9Slide 23 O Comércio de Rins Humanos A Lei de Transplantes de Órgãos, aprovada pelo Congresso dos EUA em 1984, proíbe a venda de órgãos para transplante. Qual foi o efeito da lei? Oferta: Q S = ,2P  Se P = $20.000, Q = Demanda: Q D = – 0,2P

24 Capítulo 9Slide 24 D Os retângulos A e D medem o valor total dos rins quando a oferta é restringida. A C A perda dos ofertantes é dada pelo retângulo A e pelo triângulo C. O Mercado de Rins e os Efeitos da Legislação Americana (National Organ Transplantation Act), de 1984 Quantidade Preço $ $ $ B Se os consumidores recebessem rins sem nenhum custo, seu ganho seria dado pelo retângulo A menos o triângulo B S D $ S’ A Lei de 1984 torna o preço igual a zero.

25 Capítulo 9Slide 25 A lei limita a quantidade ofertada (doações) a Perda do excedente do ofertante: A + C = (8.000)($20.000) + (1/2)(4.000)($20.000) = $200 milhões. O Comércio de Rins Humanos

26 Capítulo 9Slide 26 Ganho dos receptores: A - B = (8.000)($20.000) - (1/2)(4.000)($20.000) = $120 milhões. Peso morto: B + C ou $200 milhões - $120 milhões = $80 milhões O Comércio de Rins Humanos

27 Capítulo 9Slide 27 Outros Custos de Ineficiência 1)Os rins não são necessariamente alocados aos indivíduos para os quais eles têm maior valor. 2)Devido ao excesso de demanda, os rins são freqüentemente racionados, e seu preço pode atingir o nível de equilíbrio de $ Boa parte do valor dos rins é, assim, capturada pelos hospitais. O Comércio de Rins Humanos

28 Capítulo 9Slide 28 Argumentos em favor da proibição da venda de órgãos: 1)Existência de informação imperfeita sobre a saúde do doador. Mas tal problema pode ser parcialmente superado através da realização de exames. O Comércio de Rins Humanos

29 Capítulo 9Slide 29 Argumentos em favor da proibição da venda de órgãos : 2)Alocação dos rins de acordo com a disposição a pagar pode ser injusta  A manutenção do preço abaixo do nível de equilíbrio cria excessos de demanda  Órgãos versus substitutos artificiais O Comércio de Rins Humanos

30 Capítulo 9Slide 30 Preços Mínimos Algumas vezes, a política governamental visa manter os preços acima do nível de equilíbrio de mercado. Investigaremos essa questão através de dois exemplos: um preço mínimo para determinado produto e o salário mínimo.

31 Capítulo 9Slide 31 B A A variação no excedente do produtor é A - C - D. É possível que o bem-estar dos produtores caia em relação à situação original. C D Preços Mínimos Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0 P min Q3Q3 Q2Q2 Os produtores estão dispostos a produzir Q 2, mas a quantidade Q 2 - Q 3 não será vendida.

32 Capítulo 9Slide 32 B O peso morto é dado pelos triângulos B e C. C A w min L1L1 L2L2 Desemprego As empresas são obrigadas a pagar pelo menos w min. Isso resulta em desemprego. S D w0w0 L0L0 O Salário Mínimo L w

33 Capítulo 9Slide 33 Regulamentação para Empresas Aeroviárias No período de , o setor aeroviário nos EUA sofreu mudanças significativas. A desregulamentação causou grandes modificações na indústria. Enquanto algumas companhias aéreas sofreram fusões ou encerraram suas atividades, outras empresas entraram no mercado.

34 Capítulo 9Slide 34 B A C Depois da desregulamentação: Os preços caíram para P O.. A variação no excedente do consumidor é A + B. Q3Q3 D A área D é o custo da produção que não foi vendida. Efeito da Regulamentação para Empresas Aeroviárias feita pelo Órgão de Aeronáutica Civil dos EUA (CAB) Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0 Q1Q1 P min Q2Q2 Antes da desregulamentação o preço era P min e Q D = Q 1 e Q s = Q 3.

35 Dados do Setor Aeroviário nos EUA Número de companhias Fator de utilização (%) Taxa passageiro-milha (dólares constantes de 1995)0,2180,2100,1660,1500,1290,126 Índice de custo real (1995=100) Índice de custo real corrigido em relação aos aumentos de combustível ocorridos

36 Capítulo 9Slide 36 Dados do Setor Aeroviário nos EUA Os dados do setor aeroviário mostram: 1)Aumento no número de companhias na indústria e redução dos preços, o que denota um ajuste de longo prazo no mercado. 2)Elevação dos fatores de utilização, o que indica maior eficiência

37 Capítulo 9Slide 37 Dados do Setor Aeroviário nos EUA Os dados do setor aeroviário mostram: 3)Redução das tarifas 4)Ligeiro aumento do custo real (corrigido pela variação do custo do combustível) 5) Elevados ganhos de bem-estar

38 Capítulo 9Slide 38 Política de Preços Mínimos e Quotas de Produção A maior parte da política agrícola dos EUA é baseada em um sistema de preços mínimos. Isso significa que o preço mínimo é definido acima do preço de equilíbrio e o governo compra o excedente. A política de preços mínimos é, freqüentemente, complementada por incentivos para reduzir ou restringir a produção

39 Capítulo 9Slide 39 B D A Para manter um preço P s o governo compra a quantidade Q g. A variação no excedente do consumidor é –(A+ B), e a variação no excedente do produtor é A + B + D D + Q g QgQg Política de Preços Mínimos Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0 PsPs Q2Q2 Q1Q1

40 Capítulo 9Slide 40 D + Q g QgQg B A Política de Preços Mínimos Quantidade Preço S D P0P0 Q0Q0 PsPs Q2Q2 Q1Q1 O custo do governo é representado pelo retângulo pontilhado P s (Q 2 -Q 1 ) D Perda total de bem-estar Variação total de bem-estar = D-(Q 2 -Q 1 )p s

41 Capítulo 9Slide 41 Política de Preços Mínimos Pergunta: Há uma maneira mais eficiente de aumentar a renda do agricultor em A + B + D?

42 Capítulo 9Slide 42 Quotas de produção Outra forma de o governo causar um aumento no preço de uma mercadoria é reduzindo a oferta. Política de Preços Mínimos e Quotas de Produção

43 Capítulo 9Slide 43 Qual é o impacto das seguintes medidas: 1)Controle da entrada de novos ofertantes no mercado de táxis? 2)Controle do número de licenças para a venda de bebidas alcoólicas? Política de Preços Mínimos e Quotas de Produção

44 Capítulo 9Slide 44 B A EC reduzido em A + B Variação no EP = A - C Peso morto = BC C D Restrições de Oferta Quantidade Preço D P0P0 Q0Q0 S PSPS S’ Q1Q1 Oferta restringida em Q 1 Oferta desloca-se para S’ em Q 1

45 Capítulo 9Slide 45 B A C D Restrições de Oferta Quantidade Preço D P0P0 Q0Q0 S PSPS S’ Q1Q1 P s é mantido com quotas de produção e/ou incentivos financeiros Custo do governo = B + C + D

46 Capítulo 9Slide 46 Restrições de Oferta B A Quantidade Preço D P0P0 Q0Q0 PSPS S S’ D C = A - C + B + C + D = A + B + D. A variação no excedente do consumidor e do produtor é a mesma que ocorreria no caso de preços mínimos. = -A - B + A + B + D - B - C - D = -B - C.

47 Capítulo 9Slide 47 Restrições de Oferta Perguntas: Como poderia o governo reduzir o custo e continuar subsidiando o agricultor? O que é mais dispendioso: incentivos ou limitação de áreas de plantio? B A Quantidade Preço D P0P0 Q0Q0 PSPS S S’ D C

48 Capítulo 9Slide 48 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1981 Oferta: Q s = P Demanda: Q D = P O preço de equilíbrio e a quantidade produzida eram de $3,46 e milhões de bushels

49 Capítulo 9Slide 49 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1981 O preço mínimo foi definido em $3,70 Q D + Q G = Q DT = P + Q G Q S = Q D P = P + Q G Q G = 506P –1.750 Q G = (506)(3,70) -175=122 milhões de bushels

50 Capítulo 9Slide 50 D + Q g Por meio da compra de 122 milhões de bushels o governo aumentou o preço de equilíbrio do mercado. P 0 = $3, A B C QgQg AB = perda do consumidor ABC = ganho do produtor S D P 0 = $3, O Mercado de Trigo em 1981 Quantidade Preço

51 Capítulo 9Slide 51 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1981 A variação no excedente do consumidor = (-A -B) A = (3,70 – 3,46)(2.566) = $616 milhões B = (1/2)(3,70-3,46)( ) = $8 milhões  Variação no excedente do consumidor: -$624 milhões.

52 Capítulo 9Slide 52 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1981 Custo do governo: $3,70 x 122 milhões de bushels = $451,4 milhões Custo total = $ ,4 = $1.075,4 milhões Ganho total = A + B + C = $638 milhões O governo também pagou 30 centavos/bushel = $806 milhões

53 Capítulo 9Slide 53 Política de Preços Mínimos para o Trigo Em 1985, houve uma queda na demanda de exportação e o preço de equilíbrio do mercado do trigo caiu para $1,80/bushel.

54 Capítulo 9Slide 54 Política de Preços Mínimos para o Trigo Oferta em 1985 : Q S = P Demanda em 1986 : Q D = P Q S = Q D a $1,80 e milhões de bushels P S = $3,20  Para manter o preço a $3,20/bushel, foi imposta uma quota de produção de bushels

55 Capítulo 9Slide 55 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1985 Aquisição do governo: = P + Q G  Q G = P  P = $3,20 – preço mínimo  Q G = ($3,20) = 466 milhões de bushels

56 Capítulo 9Slide 56 O Mercado de Trigo em 1985 Quantidade Preço S D P 0 = $1, Para elevar o preço para $3,20, o governo comprou 466 milhões de bushels e impôs uma quota de produção de bushels. D + Q S S’ P 0 = $3, QSQS

57 Capítulo 9Slide 57 Política de Preços Mínimos para o Trigo 1985 Aquisição do governo :  Custo do governo = $3,20 x 466 = $1.491milhões  80 centavos de subsídio = 0,80 x = $1.940 milhões  Custo total = $3,5 bilhões

58 Capítulo 9Slide 58 Política de Preços Mínimos para o Trigo Pergunta: Qual foi a variação no excedente do produtor e do consumidor?

59 Capítulo 9Slide 59 Política de Preços Mínimos para o Trigo A “lei da liberdade agrícola” (“Freedom to Farm Law”) de1996 Reduziu os preços mínimos e as quotas até 2003, quando os efeitos da lei serão analisados.

60 Capítulo 9Slide 60 Política de Preços Mínimos para o Trigo O mercado do trigo em 1998 P = $2,65 Q D = P Q S = P Q = 2493 Subsídio governamental de 0,66/bushel ou $1,6 bilhões

61 Capítulo 9Slide 61 Quotas e Impostos de Importação Muitos países utilizam quotas de importação e impostos para manter o preço doméstico de um produto acima dos níveis mundiais.

62 Capítulo 9Slide 62 QSQS QDQD PWPW Importações A BC Eliminando as importações, o preço aumenta para P O. O ganho dos produtores é representado pela área A. A perda dos consumidores é A + B + C. Logo, o peso morto é B + C. Quotas ou Tarifas de Importação para eliminar Importações Quantidade Preço Qual seria a tarifa necessária para obter esse resultado? D P0P0 Q0Q0 S Em um mercado livre, o preço doméstico é igual ao preço mundial P W.

63 Capítulo 9Slide 63 D CB QSQS QDQD Q’ S Q’ D A P* PwPw Quotas ou Tarifas de Importação (caso geral) Quantidade Preço D S A elevação do preço pode ser obtida via quotas ou tarifas. A área A representa o ganho dos produtores domésticos. A perda dos consumidores é dada por A + B + C + D.

64 Capítulo 9Slide 64 Quotas ou Tarifas de Importação (caso geral) No caso de uma tarifa, o governo aufere uma receita igual a D, de modo que a perda líquida para o país é B + C. No caso de uma quota, a área D torna-se parte dos lucros dos produtores estrangeiros, e a perda líquida para o país passa a ser B + C + D. D CB QSQS QDQD Q’ S Q’ D A P* PwPw Quantidade D S Preço

65 Capítulo 9Slide 65 Pergunta: Os Estados Unidos estariam em melhor situação com um sistema de quotas ou de tarifas? (ex: restrições às importações do Japão nos anos 80) Quotas ou Tarifas de Importação (caso geral) D CB QSQS QDQD Q’ S Q’ D A P* PwPw Quantidade D S Preço

66 Capítulo 9Slide 66 A Quota de Açúcar O preço mundial do açúcar tem sido de 4 centavos por libra, enquanto nos Estados Unidos, seu preço tem sido de centavos por libra.

67 Capítulo 9Slide 67 A Quota de Açúcar O Impacto de um Mercado Restrito (1997) Produção dos EUA = 15,6 bilhões de libras Consumo nos EUA = 21,1 bilhões de libras Preço nos EUA = 22 centavos/libra Preço mundial = 11 centavos/libra

68 Capítulo 9Slide 68 A Quota de Açúcar O Impacto de um Mercado Restrito E S nos EUA = 1,54 E D nos EUA = -0,3 Oferta nos EUA : Q S = -7,83+ 1,07P Demanda nos EUA : Q D = 27,45 – 0,29P P = 0,23 e Q = 13,7 bilhões de libras

69 C D B Q S = 4,0Q’ S = 15,6Q’ d = 21,1 Q d = 24,2 A O custo das quotas para os consumidores foi de A + B + C + D, ou $2,4b. O ganho dos produtores foi a área A, ou $1b. A Quota de Açúcar em 1997 Quantidade (bilhões de libras) Preço (centavos/libra) S EUA D EUA P W = 11 P EUA = 21,9 30

70 C D B Q S = 4,0Q’ S = 15,6Q’ d = 21,1 Q d = 24.2 A A Quota de Açúcar em 1997 Quantidade (bilhões de libras) Preço (centavos/libra) S EUA D EUA P W = 11 P EUA = 21,9 30 O retângulo D foi o ganho dos produtores estrangeiros detentores de quotas, ou $600 milhões. Os triângulos B e C representam o peso morto de $800 milhões.

71 Capítulo 9Slide 71 Impacto de um Imposto ou de um Subsídio A carga fiscal de um imposto (ou o benefício de um subsídio) recai parcialmente sobre o consumidor e parcialmente sobre o produtor. Consideraremos um imposto específico, ou seja, uma determinada quantia em dinheiro cobrada por unidade vendida.

72 Capítulo 9Slide 72 D S B D A Os compradores perdem A + B, os vendedores perdem D + C e o governo arrecada A + D. O peso morto é B + C. C Incidência de um Imposto Específico Quantidade Preço P0P0 Q0Q0 Q1Q1 PSPS PbPb t P b é o preço (incluindo o imposto) pago pelos compradores. P S é o preço que os vendedores recebem, com lucro líquido. A carga fiscal é repartida igualmente.

73 Capítulo 9Slide 73 Incidência de um Imposto Específico Quatro condições que devem ser satisfeitas após a implementação do imposto: 1)A quantidade vendida e P b devem estar situados sobre a curva de demanda: Q D = Q D (P b ) 2) A quantidade vendida e P S devem estar situados sobre a curva de oferta: Q S = Q S (P S )

74 Capítulo 9Slide 74 Incidência de um Imposto Específico Quatro condições que devem ser satisfeitas após a implementação do imposto : 3)Q D = Q S 4)P b - P S = imposto

75 O Impacto de um Imposto depende das Elasticidades de Oferta e de Demanda Quantidade Preço S D S D Q0Q0 P0P0 P0P0 Q0Q0 Q1Q1 PbPb PSPS t Q1Q1 PbPb PSPS t Carga fiscal sobre o comprador Carga fiscal sobre o vendedor

76 Capítulo 9Slide 76 Transferência E S /(E S - E d ) Por exemplo, quando a demanda é totalmente inelástica (E d = 0), a transferência é igual a 1 e todo o imposto recai sobre o consumidor. O Impacto de um Imposto ou Subsídio

77 Capítulo 9Slide 77 Os Efeitos de um Imposto ou Subsídio Um subsídio pode ser analisado da mesma forma que um imposto. Pode ser interpretado como um imposto negativo. O preço recebido pelo vendedor excede o preço pago pelo comprador.

78 Capítulo 9Slide 78 D S Subsídio Quantidade Preço P0P0 Q0Q0 Q1Q1 PSPS PbPb s Como no caso do imposto, o benefício de um subsídio é dividido entre compradores e vendedores, dependendo das elasticidades de oferta e demanda.

79 Capítulo 9Slide 79 Subsídio Com o subsídio (s), o preço de venda P b fica abaixo do preço subsidiado P S, de modo que: s = P S - P b

80 Capítulo 9Slide 80 Subsídio O benefício do subsídio depende da relação E d /E S. Se a magnitude de E d /E S for pequena, o benefício recai principalmente sobre o consumidor. Se a magnitude de E d /E S for grande, é o produtor o maior beneficiado.

81 Capítulo 9Slide 81 O Imposto sobre a Gasolina Medição do Impacto de um Imposto de 50 Centavos sobre a Gasolina E P de médio prazo da demanda = -0,5 Q D = P E P da oferta = 0,4 Q S = P Q S = Q D ao preço de $1 e quantidade de 100 bilhões de galões por ano (bg/ano)

82 Capítulo 9Slide 82 O Imposto sobre a Gasolina Com um imposto de 50 centavos Q D = P b = P S = Q S (P S + 0,50) = P S P S = 0,72 P b = 0,5 + P S P b = $1,22

83 Capítulo 9Slide 83 O Imposto sobre a Gasolina Com um imposto de 50 centavos Q = 150 -(50)(1,22) = 89 bg/ano Q diminui em 11%

84 Capítulo 9Slide 84 D A Perda do excedente do consumidor Perda do excedente do produtor P S = 0,72 P b = 1,22 Impacto de um Imposto de $ 0,50 sobre a gasolina Quantidade (bilhões de galões por ano Preço ($ por galão , P 0 = 1,00 1,50 89 t = 0,50 11 A arrecadação anual do imposto é 0,50(89) ou $44,5 bilhões. O comprador paga 22 centavos do imposto, e o produtor paga 28 centavos. SD 60

85 Capítulo 9Slide 85 D A Perda do excedente do consumidor Perda do excedente do produtor P S = 0,72 P b = 1,22 Impacto de um Imposto de $ 0,50 sobre a gasolina Preço ($ por galão) , P 0 = 1,00 1,50 89 t = 0,50 11 SD 60 Peso morto = $2,75 bilhões/ano Quantidade (bilhões de galões por ano)

86 Capítulo 9Slide 86 Resumo Modelos simples de oferta e demanda podem ser utilizados na análise de uma grande variedade de políticas governamentais. Em cada caso, o excedente do produtor e do consumidor são utilizados para avaliar os ganhos e as perdas de produtores e consumidores.

87 Capítulo 9Slide 87 Resumo Quando o governo cria um imposto ou subsídio, a variação no preço é, geralmente, inferior ao valor total do imposto ou subsídio aplicado. A intervenção governamental resulta, geralmente, em um peso morto.

88 Capítulo 9Slide 88 Resumo A intervenção governamental em um mercado competitivo nem sempre é algo ruim.

89 Fim do Capítulo 9 Análise de Mercados Competitivos


Carregar ppt "Capítulo 9 Análise de Mercados Competitivos. Capítulo 9Slide 2 Tópicos para Discussão Avaliação de Ganhos e Perdas Resultantes de Políticas Governamentais:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google