A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Oferta da Industria. 2 Introdução Tendo visto como derivar a curva da oferta a partir da curvas de custo marginal, e dado que num mercado competitivo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Oferta da Industria. 2 Introdução Tendo visto como derivar a curva da oferta a partir da curvas de custo marginal, e dado que num mercado competitivo."— Transcrição da apresentação:

1 1 Oferta da Industria

2 2 Introdução Tendo visto como derivar a curva da oferta a partir da curvas de custo marginal, e dado que num mercado competitivo existem muitas empresas, A curva da oferta da indústria será a soma das ofertas das curvas individuais

3 3 Oferta da indústria Empresa A Empresa B Oferta da Indústria n empresas c. oferta empresa i

4 4 Equilíbrio em curto prazo Empresa A Empresa B Empresa C

5 5 Entrada e Saída Q P S0S0 S1S1 Entrada aumenta a oferta Novas empresas entram numa indústria onde as incumbentes têm lucro positivo As empresas saem em caso de prejuízo Á medida que novas empresas entram, a oferta da indústria aumenta

6 6 Entrada e Saída S0S0 S2S2 Saída diminui a oferta Á medida que novas empresas saem, a oferta da indústria diminui A curva da oferta da indústria desloca-se para a esquerda O preço sobe, a quantidade desce e o lucro de cada empresa aumenta

7 7 Barreiras à entrada Licenças Restrições legais … Aquisição de factores fixos e fenómenos de entrada e saída (efeitos de longo prazo) relacionados

8 8 Equilíbrio da empresa P= CMg determina o output de uma empresa P Custo médio determina o número de empresas Mecanismo de entrada: Se o gap p-c/q for suficientemente largo, permite a entrada A aplicação iterativa desta regra permite a determinação da dimensão da indústria

9 9 Equilíbrio da empresa com entrada Q P 1.Desenhe o CMg e o CMédio 2. derive a curva da oferta a partir do CMg 3. Use o preço para determinar o output Cmédio CMg q1q1 P

10 10

11 11 Exemplo Todas as empresas têm funções custo de longo prazo idênticos c(y) Custos médios minimizados em y* p*=c(y*) : preço que permite o break-even Break-even: RT=CT Break-even de curto prazo:o preço que cobre exactamente os custos médios a curto prazo 4 empresas no mercado

12 12 Indústria: Curvas da oferta com livre entrada P min consistente com Π0 P min consistente com Π0

13 13 Curva da oferta a longo prazo

14 14 Curva da Oferta a Longo Prazo

15 15 Função oferta a longo prazo Não são sempre horizontais Declive positivo se as funções custo não forem idênticas Economias externas podem gerar curvas de oferta a longo prazo com declive negativo Deseconomias externas podem gerar curvas de oferta a longo prazo com declive positivo

16 16 Economias externas Mudanças na dimensão de uma indústria afectam as empresas de 2 formas: Efeitos pecuniários: os preços factoriais podem variar à medida que o output da indústria aumenta Efeitos técnicos: o output que pode ser produzido com dados inputs pode variar à medida que o output da indústria aumenta

17 17 Rent Mesmo que a posição de equilíbrio da empresa competitiva seja de lucro económico =0, podem existir em equilíbrio retornos acima desse nível Ex: indivíduo com talento empresarial extraordinário, capaz de gerar lucros económicos positivos numa indústria de c.p.; factores fixos disponíveis só para algumas empresas; restrições legais para a entrada Funções custo podem não ser idênticas na indústria Rent = P*y* - c v (y*)

18 18

19 19 Rent-seeking Esforços para manter ou adquirir posição de vantagem Altera o valor de mercado dos factores produtivos existentes Deadweight loss para a sociedade

20 20 Exemplo Assuma as seguintes f. custo C 1i = 0,04 q 1i 3 – 0,8 q 1i q 1i C 2i = 0,04 q 2i 3 – 0,8 q 2i q 2i Se 50 empresas na indústria em cada categoria, qual a função oferta da indústria? E os preços? E as quantidades? E os lucros ?

21 21 Aplicação aos impostos

22 22 Aplicação aos impostos Se livre entrada, o imposto vai aumentar o preço para os consumidores menos do que o imposto Parte do imposto a curto prazo recai sobre os produtores A longo prazo, o aumento de impostos induz a saída da indústria, a curva da oferta é horizontal, os consumidores pagam a totalidade do imposto

23 23 Equilíbrio Existente ? Único ? Estável ?

24 24 Existência Se existir um ou mais preços não negativos para os quais a D e a S são iguais e não negativas

25 25 Unico

26 26 Resumindo, a curto prazo CMg i = f(q i ) (1) A função oferta da empresa i é obtida a partir da condição de 1ª ordem da max. Π fazendo p=CMg e resolvendo (1) para q i =S i S i = S i (p) pmin CVM S i = 0 p min CVM A função oferta agregada é obtida somando horizontalmente as n funções oferta individuais S = Σ S i (p) = S(p), i: 1…,n A condição de 2ª ordem para a max Π requer que a CMg seja crescente Logo, a função oferta da empresa é monotonicamente crescente para preços no ou acima do mínimo CVM A curva da oferta agregada (indústria) coincide com o eixo de preços para preços abaixo do CVM min para todas as empresas e é monotónicamente crescente e logo com declive positivo

27 27 Exemplo C i = 0,1 q i 3 – 2q i q i + 10 CMg = 0,3 q i 2 -4 q i + 15 CM=p e resolvendo para q i q i =S i = (4+(1,2p-2) ½ )/0,6 CVM = 0,1 q i 2 – q i +15 ; a função oferta individual é relevante para os preços maiores ou iguais ao min CVM d(CVM i )/dq i = 0,2 q i -2 = 0, q i =10 Substituindo q i =10 em CVM, p=5. Se p<5, a empresa acha mais lucrativo não produzir S i = (4 + (1,2p -2) ½ )/0,6, se p5 Si = 0 se p<5 Se a indústria tiver 100 empresas, a f. oferta da indústria é S = 100 ((4 + (1,2p -2) ½ )/0,6 ) se p5 S = 0 se p<5 Ao preço de 22,5, a oferta da indústria será 1500.

28 28 Longo prazo O output óptimo da empresa a longo prazo é determinado P=CMg LP Se p < CMédio, zero output e a f. oferta a LP é a parte da função CMg LP para a qual CmgCMédio A derivação da função oferta da indústria a LP é semelhante ao curto prazo Na ausência de efeitos externos, a f. oferta LP tem declive positivo

29 29 Economias externas Realizadas se a expansão do output da indústria baixa a curva de custos totais de cada empresa na indústria Deseconomias externas: se a expansão do output da indústria aumenta a curva de custo total de cada empresa

30 30 Economias externas C i = f i (q i, q), i= 1,2,…n Cada empresário fornece uma pequena parte do output da indústria e max Π assumindo que o seu nível de output não afecta o nível de output da indústria Π i = RT i – CT i i= 1,2,…n

31 31 Economias externas Condições de 2ª ordem: Substituindo q=Σ q i, resolvendo o sistema de n equações acima indicada e escrevendo S i =q i, S 1 = S 1 (p) S 2 = S 2 (p) … S n = S n (p) Cada empresário baseia o seu comportamento na sua curva de CMg

32 32 Economias externas Observa ou antecipa o output da indústria e selecciona o seu output igualando p=Cmg Se necessário, com ajustamentos A função oferta da indústria pode ter declive negativo Ex: uma indústria com 2 empresas competitivas com f. custo C 1 =α q (α +β) 2 q 1 +β q 1 q C 2 =α q (α +β) 2 q 2 +β q 1 q

33 33


Carregar ppt "1 Oferta da Industria. 2 Introdução Tendo visto como derivar a curva da oferta a partir da curvas de custo marginal, e dado que num mercado competitivo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google