A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIA DA PALAVRA 07 DE NOVEMBRO DE 2013 “DEUS É O DEUS DA VIDA “DEUS É O DEUS DA VIDA Lc 20,27-38.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIA DA PALAVRA 07 DE NOVEMBRO DE 2013 “DEUS É O DEUS DA VIDA “DEUS É O DEUS DA VIDA Lc 20,27-38."— Transcrição da apresentação:

1 DIA DA PALAVRA 07 DE NOVEMBRO DE 2013 “DEUS É O DEUS DA VIDA “DEUS É O DEUS DA VIDA Lc 20,27-38

2 Canto: Que alegria, Cristo ressurgiu Que alegria, Cristo ressurgiu, no evangelho ele vai falar. Entoemos nosso canto de louvor e gratidão: Sua palavra vamos aclamar.Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia!

3 Lc 20, Aproximando-se alguns dos saduceus - que negam exis- tir ressurreição - 28 interrogaram- no: "Mestre, Moisés deixou-nos escrito: Se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, tomará a viúva e susci- tará descendência para seu irmão.

4 Lc 20, Ora, havia sete irmãos. O primeiro tomou mulher e morreu sem filhos. 30 Também o segundo, 31 e depois o terceiro a tomaram; e assim os sete morreram sem deixar filhos. 32 Por fim, também a mulher morreu.

5 Lc 20, Essa mulher, na ressur- reição, de qual deles vai se tornar mulher? Pois todos os sete a tiveram por mulher”. 34 Jesus lhes respondeu: "Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento;

6 Lc 20, mas os que forem julgados dignos de ter parte no outro mundo e na ressurreição dos mortos, não tomam nem mulher nem marido; 36 Como também não podem morrer: são seme- lhantes aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressur- reição.

7 Lc 20, Ora, que os mortos ressuscitam, também Moisés o indicou na passagem da sarça, quando diz: o Senhor Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó'. 38 Ora, ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos, todos, com efeito, vivem para ele."

8 Esse texto situa-nos em Jerusalém, nos últimos dias antes da paixão de Jesus. Destaca um conflito que Jesus enfrenta com os promotores de uma sociedade que exclui. Discussão após discussão torna-se claro que estas lideranças judaicas rejeitam a proposta de Jesus. Contextualizando a Palavra Os “adversários” de Jesus nesse texto, são os saduceus. Quem são eles?

9 Eles formavam um partido influ- ente constituídos por grandes proprietários de terras, os chefes dos sacerdotes a nobreza da elite sacerdotal e os anciãos. Os saduceus exerciam a sua au- toridade no Templo e no Sinédrio o tribunal de Israel.

10

11 Os saduceus detêm em suas mãos o poder econômico, político, religioso e judiciário mantendo uma socie- dade excludente, que Jesus denun- ciava em Suas pregações.

12 Defensores radicais da Lei, não acredi- tavam na ressurreição dos mortos porque nenhum livro da Torá apoiava de modo ex- plícito essa crença. Do ponto de vista religioso os saduceus são conservadores, ad- mitindo somente os textos bíblicos da Torá, a Lei judaica, cons- tituída pelos cinco pri- meiros livros da Bíblia.

13 por isso não havia por que esperar “outra vida na ressurreição”. Defendendo que a alma perece com a morte da pessoa, os saduceus acreditavam que a única vida exis- tente era a vida presente nesta vi- da eles eram “privilegiados”

14 Foram os saduceus um dos princi- pais grupos responsáveis pela con- denação de morte de Jesus.

15 com o objetivo de apanharem Jesus em contradição e ridicularizarem a crença da ressur- reição. Jesus é confrontado com um grupo de saduceus Texto de hoje: Lc 20,27-33 Os saduceus, apoiados na Lei de Moisés, apresentaram a Jesus uma questão:

16 27 Aproximando-se alguns dos saduceus - que negam existir ressurreição - 28 inter- rogaram-no: "Mestre, Moisés deixou-nos escrito: Se alguém tiver um irmão casa- do e este morrer sem filhos, tomará a viúva e suscitará descendência para seu irmão. 29 Ora, havia sete irmãos. O pri- meiro tomou mulher e morreu sem fi- lhos. 30 Também o segundo, 31 e depois o terceiro a tomaram; e assim os sete mor- reram sem deixar filhos.

17 32 Por fim, também a mulher morreu. 33 Essa mulher, na ressurreição, de qual deles vai se tornar mulher? Pois todos os sete a tiveram por mulher”.

18 a lei do levirato (ou lei do cunhado) sintetizada dessa for- ma: Uma mulher desposou sete irmãos. Todos morreram, inclusive a mulher, e não deixaram descendência. Quando ressuscitarem, ela será mulher de qual dos irmãos? Dt 25,5-10 “Se alguém tiver um irmão casado e este falecer sem filhos, o irmão deve casar-se com a viúva a fim de suscitar descen- dência para seu irmão”

19 Era importante dar continuidade à descendência, para que a “vida” não tivesse um “fim”, e para que os bens permanecessem na família, perpe- tuando o nome do falecido, a família e o patrimônio. Era dever desposar a viúva do irmão sem descendência.

20 conforme o costume da época, a mulher viúva não podia vol- tar para casa do pai e se não tivesse filho, teria que sair da sua própria casa não per- mitir que os bens do morto caíssem nas mãos dos especuladores, visto que a viúva dificilmente poderia con- servar para si o que pertencia a seu marido isto era considerado como castigo de Deus A lei do levirato tinha um objetivo claro: não permitir que alguém mor- resse sem descendência objetivo menos evidente

21 34 Jesus lhes respondeu: "Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamen- to; 35 mas os que forem julgados dignos de ter parte no outro mundo e na ressur- reição dos mortos, não tomam nem mu- lher nem marido; 36 Como também não podem morrer: são semelhantes aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição. Jesus responde aos saduceus em dois momentos No primeiro momento (vv.34-36)

22 ressurreição não é uma simples continuação da vida que vivemos neste mundo, mas uma vida nova e distinta, que dificilmente po- demos entender a partir das nossas realidades cotidianas A afirmação de Jesus não deixa dú- vidas

23 a ressur- reição ultrapassa totalmente essa realidade A nossa capacidade de compre- ensão desse mistério é limitada, pois estamos acostumados a contemplar as situações e a classificá-las à luz das nossas realidades

24 O poder de Deus que chama o ser humano à vida transforma-o por inteiro em sua “passagem” para uma vida nova todo o ‘ser’ é elevado à plenitude

25 porque a morte não é a última coisa que pode acontecer, mas a porta que abre à eternidade e ao amor de Deus. são semelhantes aos an- jos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição. Jesus não fala de “reviver”, mas de ressurreição 36b

26 Ressurreição é a “passagem” para uma vida nova onde, sem deixar de sermos nós mesmos, seremos totalmente ‘outro’

27 Comparar a ressurreição com os anjos é um jeito de mostrar a impossibilidade de descrever a vida em plenitude. Deus é o Criador de todas as coisas e está além do tempo. Ele ressuscita o ser humano por uma ação do Seu amor Criador.

28 37 Ora, que os mortos ressuscitam, também Moisés o indicou na passagem da sarça, quando diz: o Senhor Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó'. 38 Ora, ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos, todos, com efeito, vivem para ele." é a certeza da ressurreição No segundo momento (vv.37-38)

29 texto que os saduceus aceitam como sagrado Jesus diz que a ressurreição se baseia na mais pura revelação de Deus Jesus cita-lhes a Torá Ex 3,6 no episódio da sarça ar- dente

30 Na afirmação de Jesus os patriarcas vivem em Deus Nesse texto do Êxodo, Deus revelou-se a Moisés como “Eu SOU o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó” “Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abrão, o Deus de Isac e o Deus de Jacó.” assim pode-se afirmar a realidade da ressurreição

31 O sentido de toda a criação é viver para Deus e, pela Sua res- surreição, Jesus abriu-nos o ca- minho da vida eterna.

32 Conclui-se assim, que a filiação que nos une a Deus é para sem- pre, porque Deus é o Deus da Vi- da, na comunhão com o Filho e o Espírito Santo; e na comunhão com a humanidade; porque so- mos filhos, no Filho.

33 É nessa comunhão de “Aliança” com Deus que não se conhece a “morte”. O Seu amor não limita o existir, mas oferece um amor que O contemplará na Páscoa de cada ser humano, à vida que não tem fim.

34 APRENDENDO COM A PALAVRA: O QUE O TEXTO DIZ EM SI MESMO? A partir das informações do texto e da contextualização respondamos: a) Qual é o grupo que interroga Jesus sobre o caso da viúva e dos sete maridos já falecidos? b) Qual é a condição daqueles que já morreram segundo o evangelho? c) O que mais lhes chamou a atenção no texto sagrado e na exposição apresentada?

35 PARTILHANDO A PALAVRA: O QUE O TEXTO NOS DIZ HOJE? Animador(a): Atualizemos a Palavra em nossa vida. a) O texto diz que Deus é o Deus da vida. A nossa fé n’Ele nos tem levado a dar mais sentido a nossa vida? b) “Ora, ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos; todos, com efeito, vivem para Ele” (v. 38). As adversidades desta vida tem nos ajudado a sentir o amor de Deus? c) Crendo na ressurreição, como nos preparamos para essa vida nova?

36 REZANDO A PALAVRA: O QUE O TEXTO ME LEVA A DIZER A DEUS? Animador(a): Este é o momento em que somos convidados a elevar a Deus as nossas orações. Diante do texto que meditamos, vamos rezar, suplicar, louvar ou agradecer:. Após cada oração, em comunidade, rezemos o refrão do Salmo 17(16) : Todos: Ao despertar, me saciará vossa presença e verei a vossa face, Senhor!

37 Canto: SOMOS GENTE DA ESPERANÇA Somos gente da esperança, Que caminha rumo ao Pai. Somos povo da Aliança, Que já sabe aonde vai. De mãos dadas, a caminho, Porque juntos somos mais, P’ra cantar um novo Hino De Unidade, Amor e Paz.

38 Canto: SOMOS GENTE DA ESPERANÇA Para que o mundo creia, Na Justiça e no Amor, Formaremos um só povo, Num só Deus, um só Pastor. De mãos dadas, a caminho, Porque juntos somos mais, P’ra cantar um novo Hino De Unidade, Amor e Paz.

39 COMPROMETENDO-SE COM A PALAVRA: O QUE O TEXTO ME LEVA A VIVER? A realidade da ressurreição nos oferece uma “vida nova”, onde viveremos à Luz de Deus, porque tudo converge para Ele. Viveremos na ressurreição de Cristo, porque Deus é sempre o Deus de todos nós.

40 COMPROMETENDO-SE COM A PALAVRA: O QUE O TEXTO ME LEVA A VIVER? A vida deve ser assumida em vista desta comunhão com Deus, como filhos de Deus. Viver procurando fazer que cada instante seja uma pertença ao amor d’Aquele que nos dá a vida, Deus. Vamos amar, viver, sentir, perdoar

41 COMPROMETENDO-SE COM A PALAVRA: O QUE O TEXTO ME LEVA A VIVER? E como compromisso comunitário Vamos a partir de hoje, nos organizar e começar a programar a nossa No- vena. O melhor presente que pode- mos dar a Deus é o nosso coração aberto ao Seu amor e a nossa comu- nidade reunida em oração por meio da Novena.

42

43 Ladainha de Todos os Santos Animador(a): Vamos fazer a nossa oração de louvor a Deus Pai, por todos os Santos e Santas, rezando ou cantando a Ladainha de Todos os Santos

44 18/20 Senhor tende piedade de nós! (bis) Jesus cristo tende piedade de nós! (bis) Ladainha de Todos os Santos

45 1. Maria Mãe de Deus, rogai a Deus por nós! Ó Virgem Imaculada, rogai a Deus por nós! Senhora Aparecida, Rogai a Deus por nós! Das dores, Mãe amada, Rogai a Deus por nós! Rogai por nós! / rogai por nós! (bis)

46 Ladainha de Todos os Santos 2. Ó anjos do Senhor, Rogai a Deus por nós! Miguel e Rafael, Rogai a Deus por nós! De Deus os mensageiros, Rogai a Deus por nós! Arcanjo Gabriel, Rogai a Deus por nós!

47 Ladainha de Todos os Santos 3. Sant'ana e São Joaquim, Rogai a Deus por nós! Isabel e Zacarias, Rogai a Deus por nós! João, o precursor, Rogai a Deus por nós! José, esposo de Maria, Rogai a Deus por nós!

48 Ladainha de Todos os Santos 4. São Pedro e São Paulo, Rogai a Deus por nós! São João e São Mateus, Rogai a Deus por nós! São Marcos e São Lucas, Rogai a Deus por nós! São Judas Tadeu, Rogai a Deus por nós!

49 Ladainha de Todos os Santos 5. Estevão e Lourenço, Rogai a Deus por nós! São Cosme e Damião, Rogai a Deus por nós! Inácio de Antioquia, Rogai a Deus por nós! Mártir Sebastião, Rogai a Deus por nós!

50 Ladainha de Todos os Santos 6. Maria Madalena, Rogai a Deus por nós! Inês e Luzia, Rogai a Deus por nós! Santa Felicidade, Rogai a Deus por nós! Perpétua e Cecília, Rogai a Deus por nós!

51 Ladainha de Todos os Santos 7. Gregório e Atanásio, Rogai a Deus por nós! Basílio e Agostinho, Rogai a Deus por nós! São Bento e Santo Amaro, Rogai a Deus por nós! Ambrósio e São Martinho, Rogai a Deus por nós!

52 Ladainha de Todos os Santos 8. Francisco e Domingos, Rogai a Deus por nós! Antônio e Gonçalo, Rogai a Deus por nós! Vianney e Benedito, Rogai a Deus por nós! São Raimundo Nonato, Rogai a Deus por nós!

53 Ladainha de Todos os Santos 9. Teresa e Teresinha, Rogai a Deus por nós! Santa Rosa de lima, Rogai a Deus por nós! Margarida Maria, Rogai a Deus por nós! De Sena Catarina, Rogai a Deus por nós!

54 Ladainha de Todos os Santos 10. Ó Santa Paulina, Rogai a Deus por nós! Santo Antônio Galvão, Rogai a Deus por nós! Beato Anchieta, Rogai a Deus por nós! Frederico Ozanan, Rogai a Deus por nós!

55 Ladainha de Todos os Santos Ó Senhor, sede nossa proteção, Ouvi-nos Senhor! Para que nos livreis de todo o mal, Ouvi-nos Senhor! Para que nos livreis da morte eterna, Ouvi-nos Senhor! Vos pedimos, por vossa encarnação, Ouvi-nos Senhor!

56 Ladainha de Todos os Santos Pela vossa paixão, ressurreição e ascensão Ouvi-nos Senhor! Pelo envio do Espírito de Amor, Ouvi-nos Senhor! Apesar de nós sermos pecadores, Ouvi-nos Senhor! Jesus Cristo ouvi-nos (bis) Jesus Cristo atendei-nos! (bis)

57 Avisos Encontros do mês de Novembro dos GBR’s 30º ENCONTRO: 2ª Semana  Lc 21, 5-19 “Testemunhar e Perseverar para Ganhar a Vida.” 31º Encontro: 3ª Semana  Lc 23, “ Na Cruz, o Reinado de Cristo” 32º Encontro: 4ª Semana  Mt 24,37-44 “Ficai Atentos e Vigiai” DEZEMBRO: NOVENA DE NATAL!!!!

58 ORAÇÃO E BÊNÇÃO FINAL Animador (a): Abençoe-nos o Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. AMÉM!

59 FELIZ NATAL ATÉ 2014


Carregar ppt "DIA DA PALAVRA 07 DE NOVEMBRO DE 2013 “DEUS É O DEUS DA VIDA “DEUS É O DEUS DA VIDA Lc 20,27-38."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google