A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cenáculos de Oração Missionária A ORAÇÃO DE JESUS NA IMINÊNCIA DA SUA MORTE COM …

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cenáculos de Oração Missionária A ORAÇÃO DE JESUS NA IMINÊNCIA DA SUA MORTE COM …"— Transcrição da apresentação:

1 Cenáculos de Oração Missionária A ORAÇÃO DE JESUS NA IMINÊNCIA DA SUA MORTE COM …

2 Introdução Anim. – Irmãs e irmãos, estamos aqui, neste dia, em comunhão com todos os cenáculos, que têm a nossa mesma vocação e missão que é: oferecer ao Pai, por Cristo, a nossa vida; pedir sem cessar o dom do Espírito Santo para o povo de Deus, para as religiões e para o mundo, e viver em comunhão uns com os outros, para testemunhar a fé em Jesus, Filho de Deus. Coloquemo-nos na Escola de Jesus e peçamos-lhe que nos revele a sua presença divina, sobretudos nos momentos de sofrimento e de aparente falta de resposta de Deus às nossas necessidades.

3 Cântico

4 Saudação Anim. – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Todos: Ámen! Anim. – A Graça e a Paz de Deus, nosso Pai, pelo Coração Aberto de Cristo, Fonte do Espírito Santo, estejam convosco. Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo

5 Anúncio do Tema "Ao meio dia, a terra ficou escura até as três da tarde. Às três, Jesus gritou em alta voz: "Eloì, Eloì, lemà sabactàni?", que significa: "Meu Deus, Meu Deus, por que me abandonastes?"(Mc 15,34). Jesus deixa que o seu coração exprima dor, mas deixa emergir, ao mesmo tempo, o sentido da presença do Pai e a aceitação do seu desígnio de salvação para a humanidade. Também nós, sentimos o "hoje" do sofrimento e do silêncio de Deus - que exprimimos tantas vezes na nossa oração - mas encontramos também o "hoje" da Ressurreição, da resposta de Deus que tomou sobre si os nossos sofrimentos, e nos dar a firme esperança de que serão vencidos.

6 Invocação do Espirito sobre o Cenáculo Anim. - Vinde, Espírito Santo, e enchei o coração dos vossos fiéis! Todos - Vinde, Espírito Santo, e enchei o coração dos vossos fiéis! Anim. - Abri os nossos ouvidos, iluminai a nossa inteligência e uni- nos num só coração e numa só alma. Todos - Vinde, Espírito Santo... Anim. - Dai-nos o olhar e o sentir do Coração de Cristo, Bom Pastor, por cada pessoa e pelo mundo. Todos - Vinde, Espírito Santo... Anim. - Mostrai-nos a vontade do Pai e dai-nos força para a cumprir com prontidão e generosidade. Todos - Vinde, Espírito Santo...

7 Oremos Anim. - Rezemos em dois coros o Salmo 22 que Jesus rezou na eminência da sua morte e deixemos que tenha eco em nós. - Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes? Clamo de dia e não me respondeis E durante a noite, sem conseguir sossegar. - E, no entanto, Vós sois o Santo de Israel. Em Vós confiaram os nossos pais. Confiaram, e Vós os salvastes. - Eu, porém, estou a sofrer demais. Todos os que me vêem escarnecem de mim e dizem: Confiou no Senhor, Ele que o livre!

8 Oremos - Senhor, pertenço-Vos desde o seio materno! Não me abandoneis, porque estou atribulado! Não há quem me ajude! - O meu coração tornou-se como cera, Derretem-se dentro de mim as minhas entranhas, A língua pegou-se-me ao paladar! -Mas Vós, Senhor, sois o meu auxílio! Apressai-Vos em socorrer-me E cantarei o Vosso nome na assembleia. - Diante do Senhor se prostrarão todas as nações. Os grandes do mundo se curvarão perante Ele E proclamarão a Sua salvação.

9 Leitura Bíblica (Mc 15, 25-47) 25 Eram nove horas da manhã quando o crucificaram. 26 Por cima da cruz puseram um letreiro, com o motivo da sua condenação, que dizia: “O rei dos judeus”. 27 E crucificaram dois ladrões juntamente com ele: um à sua direita e outro à sua esquerda. 28 Cumpriu-se assim a Escritura que diz: Foi considerado como um criminoso. 29 Os que passavam por ali insultavam-no e abanando a cabeça diziam: «Olha o tal que deitava abaixo o templo e tornava a construí-lo em três dias! 30 Desce agora da cruz e salva-te a ti mesmo!» 31 Também os chefes dos sacerdotes e os doutores da lei troçavam de Jesus dizendo uns para os outros: «Salvou os outros e não consegue salvar-se a si mesmo! 32 Já que é o Cristo, o rei de Israel, desça agora da cruz para vermos e acreditarmos nele.» Até os dois ladrões que foram crucificados com ele o insultavam. 33 A partir do meio-dia toda a terra ficou às escuras até às três horas da tarde.

10 Leitura Bíblica (Mc 15, 25-47) 34 Foi então que Jesus exclamou com voz forte: «Eloí, Eloí, lemá sabactáni?» que traduzido quer dizer: «Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?» 35 E alguns dos presentes ao ouvirem-no diziam: «Olhem! Está a chamar por Elias!» 36 Então um homem foi a correr, molhou uma esponja em vinagre, pô-la na ponta duma vara, chegou-a à boca de Jesus e disse: «Deixem lá, vamos a ver se Elias o vem tirar da cruz!» 37 Mas Jesus deu um grande grito e morreu. 38 Então a cortina do templo rasgou-se ao meio, de alto a baixo. 39 O oficial do exército romano, que estava em frente da cruz, vendo como Jesus morreu, exclamou: «Este homem era realmente o Filho de Deus!» 40 Estavam também algumas mulheres a observar de longe. Entre elas Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago Menor e de José, e ainda Salomé.

11 Leitura Bíblica (Mc 15, 25-47) 41 Estas mulheres tinham seguido e ajudado Jesus quando ele andava pela Galileia. Encontravam-se lá também muitas outras que o tinham acompanhado até Jerusalém. 42 Ao cair da noite, na altura da preparação do sábado, isto é, na sexta-feira à tardinha, 43 apareceu José de Arimateia. Era um conselheiro muito respeitado que também esperava a vinda do reino de Deus. Encheu-se de coragem, foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. 44 Pilatos ficou admirado ao ouvir que Jesus já tinha morrido e mandou chamar o oficial para lhe perguntar se tinha sido há muito tempo. 45 Depois de o oficial o ter informado, Pilatos entregou o corpo de Jesus a José de Arimateia. 46 Este foi despregá-lo da cruz e envolveu-o num lençol de linho que tinha comprado. Depois sepultou-o num túmulo escavado na rocha e rodou uma grande pedra para tapar a entrada. 47 Maria Madalena e Maria, mãe de José, estiveram a ver onde foi sepultado. Palavra do Senhor.

12 Ressonância da Palavra: Comentário: (Catequese de Bento XVI) “Que significado terá a oração de Jesus, naquele brado que Ele lança ao Pai: «Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste»? Significará dúvida sobre a sua missão, sobre a presença do Pai? Nesta oração Jesus não terá tido porventura a sensação de ter sido abandonado? As palavras que Ele dirige ao Pai são o início do Salmo 22, em que o Salmista manifesta a tensão entre o sentir-se abandonado e a consciência da presença de Deus no meio do seu povo. Ele reza, dizendo: «Meu Deus, grito de dia e não me respondes; de noite, e não tenho sossego. E, no entanto, Tu és o Santo de Israel» (v. 3). No momento de angústia, a oração diante de Deus, aparentemente ausente, torna-se um grito.

13 Ressonância da Palavra: Comentário: (Catequese de Bento XVI) E isto acontece também na nossa relação com Deus: nas situações mais difíceis e dolorosas, quando parece que Ele não ouve, não devemos ter medo de confiar-Lhe todo o peso que levamos no nosso coração: não devemos ter medo de gritar-Lhe o nosso sofrimento. Temos que estar convictos de que Deus está próximo, embora aparentemente esteja calado. Repetindo, na cruz, precisamente as palavras iniciais do Salmo — «Elli, Elli, lemá sabactháni?» — «Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?» (Mt 27, 46), Jesus reza no momento da última rejeição dos homens, na hora do abandono; mas reza com o Salmo, consciente da presença de Deus Pai, também naquela hora em que sente o drama humano da morte. E, em nós, surge a pergunta: como é possível que um Deus tão poderoso não intervenha para tirar o seu Filho desta situação terrível? É importante compreender que a prece de Jesus não é um grito de quem vai, desesperado e abandonado, ao encontro da morte. Nesse momento, Jesus faz seu todo o Salmo 22, o Salmo do povo de Israel que sofre, mas que também conhece a ação salvadora de Deus.

14 Ressonância da Palavra: Comentário: (Catequese de Bento XVI) Deste modo, Jesus assume sobre Si não só o sofrimento do seu povo, mas o de todos os povos, de todos os tempos, que padecem pela opressão do mal. Ao mesmo tempo, leva tudo isto ao Coração do próprio Deus, na certeza de que o seu clamor será atendido na Ressurreição: «O grito de dor, naquele momento extremo, é certeza da resposta divina, certeza da salvação — não só para Si próprio, mas para “muitos”» (Jesus de Nazaré II, ). Nesta oração de Jesus há sentimentos de extrema confiança e de abandono nas mãos de Deus, mesmo quando Ele parece ausente, mesmo quando Ele não diz nada, seguindo um desígnio que nos é incompreensível. No Catecismo da Igreja Católica lemos assim: «No amor redentor que constantemente O unia ao Pai, [Jesus] assumiu-nos no nosso afastamento de Deus por causa do nosso pecado, a ponto de, na cruz, poder dizer em nosso nome: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?”» (n. 603). O seu é um sofrer em comunhão connosco e por nós, que deriva do amor e já contém em si a redenção, a vitória do amor.”

15 Pistas para o diálogo de grupo - Tal como Jesus, já rezamos ao Pai por nos sentirmos sozinhos e abandonados? - Tal como Jesus, apesar das humilhações mundanas e dos silêncios aparentes, somos capazes de rezar ao Pai, com confiança?

16 Leitura missionária

17 Preces Senhor, concedei-nos o dom da fé, que nos ajude na nossa debilidade e nos torne capazes de confiar e de rezar em todas as angústias, oremos ao Senhor. Nos momentos de dor e de dúvida, concedei-nos, Senhor, agraça de abandonar-nos com confiança nas mãos de Deus que é o nosso “escudo” e “glória”, oremos ao Senhor. Perante as situações mais difíceis e dolorosas, quando parece que Deus não ouve, que não tenhamos medo de Lhe confiar todo o peso que levamos no nosso coração, oremos ao Senhor. Em cada angústia, fazei, Senhor, que o nosso grito de ajuda se transforme em cântico de louvor, oremos ao Senhor.

18 Preces Por todas as pessoas que enfrentam o momento da sua morte, para que sintam esperança e a paz de Deus, oremos ao Senhor. Por todas as pessoas em situações de sofrimento, oremos ao Senhor. Outras intenções… Pai Nosso

19 Oração pelo mundo Anim. - Senhor, Vós sois grande e misericordioso, digno de louvor em tudo o que fazeis. Todos - Digno de louvor e de glória para sempre e em todos os povos! Anim. - Vós destruís o poder de Satanás, que estraga o mundo com o mal e faz os homens e os povos temerosos da morte. Vós sois grande e poderoso na Misericórdia! Todos - Digno de louvor e de glória para sempre e em todos os povos! Anim. - Enviastes os vossos servos e servas para testemunhar e anunciar a todos o Vosso grande poder Salvador! Todos - Digno de louvor e de glória para sempre e em todos os povos! Anim. - Do Coração aberto do Vosso Filho Jesus, enviastes o Espírito Santo, que renova os corações e o mundo! Todos - Mandai, Senhor, o Vosso Espírito e renovai a Terra!

20 Oração pelo mundo Anim. - Ele é o Calor da santidade e da vida eterna, que se espalha pelo ministério dos vossos enviados! Todos - Mandai, Senhor, o Vosso Espírito e renovai a Terra! Anim. - Ele é o Espírito de Amor, que nos reúne como família de Jesus e faz de nós um só coração e uma só alma, no testemunho e no serviço do Evangelho! Todos - Mandai, Senhor, o Vosso Espírito e renovai a Terra! Anim. - Pedimos o Vosso Espírito para os que Vos conhecem como Pai e a Cristo como Senhor e também para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam! Todos - Sim, ó Pai, em nome de Jesus, mandai o Vosso Espírito e renovai a Terra. Só Vós sois Santo! Só Vós sois o Senhor! Só Vós sois o Altíssimo, louvado e adorado em toda a Terra, com o Vosso Filho, no Espírito Santo. Amen!

21 Entrega do Cenáculo Anim. - Reunidos com Maria, para implorar o dom do Espírito Santo para a Igreja e para o mundo, entreguemo-nos a Jesus e confiemos- lhe os Cenáculos. Todos - Senhor Jesus, pelas mãos de Maria, Mãe e Educadora dos Apóstolos, junto com as missionárias e os missionários santos, nos Vos confiamos os Cenáculos de Oração Missionária. Anim. - Fazei deles fogueiras do Vosso Espírito, no seio da Igreja. Palpite neles o amor filial e apostólico do Vosso Coração de Bom Pastor. Todos - Inflamai-nos a todos com as labaredas do Espírito, que jorra do Vosso Coração aberto, crucificado e ressuscitado, presente na Eucaristia. Fazei que, juntos, comuniquemos amor, fé e esperança, à nossa volta e até aos confins do mundo. Anim. - Para que a oblação de todos os povos, por Vós apresentada, ó Jesus... Todos -...seja santificada pelo Espírito e aceite com alegria pelo Pai. Porque a Vós pertence a honra, a glória e o louvor, pelos séculos sem fim. Amen!

22 III Parte – Compromissos e Atividades Leitura da Ata anterior, ofertório e avisos Revisão do compromisso anterior – Cada um narra como o realizou. Novo compromisso: Nos momentos de dor e angústia rezar com confiança em Deus e estar atento ao que acontece em nós e à nossa volta. Ajudar outras pessoas a ver a sua dor na perspetiva da ressurreição e a focar-se no amor de Deus.

23 Oração Conclusiva Senhor, Deus da vida, da verdade e do amor, trazemos-te as nossas cruzes diárias, na certeza de que estás presente e nos ouves. Jesus, que o teu brado nos recorde que, na oração, devemos superar as barreiras do nosso «eu» e dos nossos problemas, abrindo-nos às necessidades e sofrimentos do próximo. Ensina-nos a orar com amor pelos numerosos irmãos e irmãs que sentem o peso da vida quotidiana, que vivem momentos difíceis, que estão na dor e que não recebem uma palavra de conforto para que, também eles, possam sentir o amor de Deus que nunca nos abandona.

24 Cântico

25 Bênção e Despedida Anim. - Por intercessão de Nossa Senhora, Rainha das Missões e Estrela da Evangelização, abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espirito Santo. Todos - Amen. Anim. Vamos em paz e que o Senhor, com Maria, Sua Mãe, nos acompanhe. Todos – Graças Deus.


Carregar ppt "Cenáculos de Oração Missionária A ORAÇÃO DE JESUS NA IMINÊNCIA DA SUA MORTE COM …"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google