A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Informação na Saúde Suplementar DIDES - Diretoria de Desenvolvimento Setorial GGSIS - Gerência-Geral de Informações e Sistemas Apresentação cedida por:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Informação na Saúde Suplementar DIDES - Diretoria de Desenvolvimento Setorial GGSIS - Gerência-Geral de Informações e Sistemas Apresentação cedida por:"— Transcrição da apresentação:

1 Informação na Saúde Suplementar DIDES - Diretoria de Desenvolvimento Setorial GGSIS - Gerência-Geral de Informações e Sistemas Apresentação cedida por: Gerente - Ceres Albuquerque GEPIN – Gerencia de Produção de Informação Aula para o Curso de Gestão Hospitalar 01/03/05 João Luis Barroca

2 Cobertura de sistemas de saúde suplementar, IBGE, PNAD, 1998 RegiãoCobertura TOTAL24,45 Região Norte17,50 Região Nordeste12,39 Região Sudeste33,30 Região Sul25,32 Região Centro-Oeste22,50

3 Cobertura dos planos de saúde por classe de renda familiar em SM, Brasil, 1998 (PNAD)

4 Agência Nacional de Saúde Suplementar Assistência Suplementar  Informações sobre Saúde Suplementar  Desafios  Estágio atual:  Memória  Beneficiários x Indivíduos  Epidemiologia  Utilização de serviços  Recursos financeiros  Fiscalização

5 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Beneficiários por tipo de produto e evolução do cadastro: Beneficiários de todas as operadoras Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/ dez/00dez/01dez/02dez/03dez/04 Antigos (Anteriores à Lei 9.656/98)ColetivosIndividuaisTotalEvolução de registros no cadastro

6 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Beneficiários por tipo de produto e evolução do cadastro: Beneficiários de operadoras médico-hospitalares com ou sem odontologia Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS – 12/ dez/01dez/02dez/03dez/04 Antigos (Anteriores à Lei 9.656/98)ColetivosIndividuaisTotalEvolução de registros no cadastro

7 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Grau de Cobertura por UF Beneficiários de operadoras médico-hospitalares com ou sem odontologia Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/2004 População estimada por Município de 2004, divulgado no dia 30 de agosto de 2004 pelo IBGE.

8 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Usuários por segmentação Beneficiários de todas as operadoras Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/2004

9 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Pirâmide etária da população e do usuário Beneficiários de todas as operadoras Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/2004 População estimada por idade simples 2004 – IBGE Nota: excluídos beneficiários com idades inconsistentes

10 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Grau de Cobertura Beneficiários de todas as operadoras Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/2004 População estimada por idade simples revisão 2004, divulgado em 30 de agosto de 2004 pelo IBGE. Nota: excluídos beneficiários com idades inconsistentes

11 Dados Gerais do Setor Suplementar do Brasil Curva ABC da distribuição de Usuários entre as Operadoras Beneficiários de todas as operadoras Fonte: Cadastro de Beneficiários - ANS/MS - 12/2004 Cadastro de Operadoras/ANS/MS – 12/01/2005 *Existem beneficiários ativos em 9 operadoras inativas. Curva A: 278 operadoras (16,1% do total) detêm 80% dos beneficiários. Curva B: 503 operadoras (29,0% do total) detêm 90% dos beneficiários. Curva C: operadoras (100% do total) detêm 100 % dos beneficiários.

12 SIP – Sistema de Informação de Produtos  Recebimento trimestral de informações sobre a assistência : tipo de plano (individual/familiar, coletivo)  Conceito de exposição do beneficiário (exposto, não exposto)  Produz famílias de indicadores, tais como: despesa, saúde, prestação de serviços, odontológicos, incremento

13 Receita Total Operadoras Brasil e Regiões 2003

14 Fontes dos gastos (est.), Brasil, circa 2002

15 Interações das informações geradas pelo SUS com o Sistema de Saúde Suplementar Cartão Nacional de Saúde CNES SIM SINASC Ressarcimento

16 Próximos passos: Proposta: Projeto TISS Padrão único para a troca de informações entre operadoras e prestadores de serviços; Padrão de informação e comunicação em saúde (compatibilidade e a interoperabilidade entre sistemas independentes); Suporte aos processos clínicos e administrativos, análise estatística e epidemiológica; Redução de redundâncias, duplicação de esforços e custos administrativos.

17 Vantagens do processo eletrônico Nos EUA o processamento eletrônico é considerado obrigatório a partir de out/2003 (HIPAA) 50% das contas são processadas eletronicamente Redução de glosas de 30-40% processamento manual para 1- 2% Redução dos custos de processamento das contas Fontes: US Healthcare Industry Quarterly HIPAA Compliance Survey Results: Winter 2004 e Bleao 2002

18 A informação... É um poderoso instrumento gestor / regulatório! Processos de tratamento da informação: coleta dos dados qualidade e completude dos dados disseminação da informação Beneficiários Produtos Operadoras Prestadores

19 Qualidade do serviço operadoras, prestadores, beneficiários sistemas,disseminação. Indicadores Qualificação Resultados esperados

20 Dados do Setor


Carregar ppt "Informação na Saúde Suplementar DIDES - Diretoria de Desenvolvimento Setorial GGSIS - Gerência-Geral de Informações e Sistemas Apresentação cedida por:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google