A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 32, 33. 1 – “E o primeiro anjo tocou a sua Trombeta, e houve saraiva,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 32, 33. 1 – “E o primeiro anjo tocou a sua Trombeta, e houve saraiva,"— Transcrição da apresentação:

1 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 32, – “E o primeiro anjo tocou a sua Trombeta, e houve saraiva, e fogo misturado com sangue, e foram lançados na Terra, que foi queimada na sua terça parte; queimou-se a terça parte das Árvores, e toda a erva verde foi queimada” (Ap 8:7). Quando Jesus lançar o incensário sobre a Terra, fechando a porta da graça, e for removida a restrição dada aos quatro anjos: “Não danifiqueis a terra nem o mar, nem as árvores até que hajamos assinalado nas suas testas os servos do nosso Deus” (Ap 7:3), “Satanás mergulhará os habitantes da Terra em uma grande angústia final. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundo inteiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antiguidade” (Ellen G. White, O Grande Conflito, 614). Quando Jesus lançar o incensário sobre a Terra, fechando a porta da graça, e for removida a restrição dada aos quatro anjos: “Não danifiqueis a terra nem o mar, nem as árvores até que hajamos assinalado nas suas testas os servos do nosso Deus” (Ap 7:3), “Satanás mergulhará os habitantes da Terra em uma grande angústia final. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundo inteiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antiguidade” (Ellen G. White, O Grande Conflito, 614).

2 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – Pode Satanás manipular os elementos da Natureza? Satanás “estudou os segredos dos laboratórios da Natureza, e emprega todo o seu poder para dirigir os elementos tanto quanto o permite Deus”. (Ellen G. White, O Grande Conflito, 589). Embora muitos interpretem a saraiva e o fogo como sendo simbólicos, a Bíblia sugere que são literais. Devemos tomar a Bíblia no sentido literal, a menos que ela mesma interprete o simbolismo. Ellen G. White interpreta as primeiras quatro pragas de Ap 16 como sendo literais (O Grande Conflito, 628), e parece coerente e correto entendermos que se as pragas de Ap 16 são literais, a contrafação também é literal.

3 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 33, – A primeira trombeta anuncia juízos sobre a Terra tal como a primeira praga de Ap 16: 2, mas a saraivada da primeira trombeta imita a saraivada da sétima praga de Ap 16:21. Ao som da primeira trombeta não há chuva, mas somente saraiva. Podemos entender a falta de chuva na primeira trombeta ao examinarmos Ap 11:6. “Estas (as duas testemunhas) têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia”. A história vai se repetir. Elias “pediu que não chovesse, e por três anos e seis meses, não choveu sobre a Terra” (Tg 5:17), enquanto Jezabel estava reinando sobre Israel. A profecia de Ap 11:6 certamente vai se cumprir quando Jezabel espiritual, isto é, Roma Papal, estiver novamente reinando sobre a Terra, a partir do tempo em que o Decreto Dominical se tornar universal. Neste tempo as florestas e árvores estarão extremamente secas por falta de chuva.

4 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – Uma situação muito semelhante é descrita pelo profeta Joel: “Ah! Aquele dia! Porque o dia do Senhor está perto, e virá como uma assolação do Todo_Poderoso... A semente apodrece debaixo dos seus torrões, os celeiros foram assolados, os armazéns derribados, porque se secou o trigo. Como geme o gado! As manadas de vacas estão confusas porque não tem pasto; também os rebanhos de ovelhas são destruídos. A Ti, ó Senhor clamo, porque o fogo consumiu os pastos do deserto, e a chama abrasou todas as árvores do campo. Também todos os animais do campo bramam a Ti; porque os rios se secaram e o fogo consumiu os pastos do deserto” (Jl 1:15-20).

5 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 34, – Ellen White aplica este texto de Joel à quarta praga de Ap 16:8-9 (O Grande Conflito, 628). Satanás inicia sua obra de engano antes do fechamento da porta da graça, antes mesmo que o Decreto Dominical seja aprovado... Através de seus agentes, ou pessoalmente, ou talvez através de alguma manifestação espírita, aparece como anjo de luz: “O próprio Satanás está convertido segundo a nova ordem de coisas. Ele aparecerá no aspecto de Anjo de Luz. Mediante a agência do espiritismo, operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e se efetuarão muitas e inegáveis maravilhas”. (Ellen G. White, O Grande Conflito, 588). Essa aparição de Satanás como Anjo de Luz não deve ser confundida com a posterior aparição de Satanás personificando Jesus depois do fechamento da porta da graça. “O inimigo está se preparando para enganar o mundo inteiro através do poder de operar milagres. Ele pretenderá personificar os anjos de luz, e personificar Jesus Cristo”. (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol. 2, 21).

6 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – Antes do Decreto Dominical ser imposto o mundo já estará passando por profundas crises, “e então o grande enganador persuadirá os homens de que os que servem a Deus estão motivando esses males... Declarar-se-á que os homens estão ofendendo a Deus pela violação do descanso dominical; que este pecado acarretou calamidades que não cessarão antes que a observância do domingo seja estritamente imposta; e que os que apresentam os requisitos do quarto mandamento, destruindo assim a reverência pelo domingo, são perturbadores do povo, impedindo a sua restauração ao favor divino e à prosperidade temporal”. (Ellen G. White, O Grande Conflito, 590). A ausência da prosperidade temporal significa que antes do Decreto Dominical haverá uma crise financeira: “governantes e legisladores, a fim de conseguir o favor público, cederão ao pedido popular de uma lei que imponha a observância do domingo” (Ellen G. White, O Grande Conflito, 592).

7 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 35, – Existe uma seqüência das ações de Satanás: Pessoalmente, ou através dos seus agentes, aparece como Anjo de Luz. O grande enganador persuade os homens de que as calamidades pelas quais o mundo passa, não cessarão antes que a observância do domingo seja imposta. O Decreto Dominical é então aprovado. Após o fechamento da porta da graça ele obtém domínio completo sobre os impenitentes e afligirá toda a Terra, conforme o curso de ação já delineado nas Sete Trombetas.

8 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – Satanás só age dentro dos limites pré-estabelecidos por Deus. As Sete Trombetas revelam exatamente esses limites. A expressão ´terça parte” é repetida muitas vezes na profecia das Sete Trombetas: “a terça parte das árvores” (Ap 8:7); “a terça parte do mar” (Ap 8:8); “a terça parte dos rios” (Ap 8:10); “a terça parte do sol, a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhasse” (Ap 8:12); “a fim de matarem a terça parte dos homens” (Ap 9:15, 18). Satanás ficou conhecido como o anjo da “terça parte”... Se não fossem os limites colocados por Deus Satanás destruiria a Terra toda.

9 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – Satanás não quer ser visto como o originador dos eventos anunciados nas trombetas. “Por tal forma ele se ocultou de ser visto, que muitos quase que não acreditam em sua existência”. (Ellen G. White, Testemunhos Seletos, 2, 105). Ele sempre lançou em Deus a culpa, ou apontou Deus como sendo o originador da dor e do sofrimento... Muitos têm ouvido falar bastante sobre as Sete Pragas que Deus enviará sobre a Terra, e por isso ele tenta imitar o mais próximo possível essas pragas, para que pareça ao mundo que a destruição revelada nas trombetas tem origem em Deus... Quando chegar o momento da última contrafação, Satanás personificando Jesus... convencerá então o mundo de que os juízos destrutivos anunciados nas trombetas estão vindo da parte de Deus.

10 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 37, É grande a diferença entre a saraiva (chuva de pedras) e fogo da primeira trombeta (Ap 8:7), e as chagas malignas da primeira praga (Ap 16:2). Por que essa diferença? Se Satanás está tentando contrafazer as pragas, não poderia ele imitar também as chagas malignas? Sim, se Deus o permitisse, mas considerando que a primeira praga cai sobre “os homens portadores da marca e adoradores da sua imagem” (Ap 16:2), e que certamente Deus não permitiria que tal praga caísse sobre os Seus filhos, se Satanás, ao som da primeira trombeta, também provocasse chagas malignas, com isso estaria identificando os seus seguidores.

11 As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – O sofrimento infligido por Satanás através das trombetas tem como objetivo despertar o ódio do mundo contra os guardadores do sábado. Ele confirmará que todos os sofrimentos e destruição foram causados, não pelos pecados do povo, mas por causa da profanação do domingo pelos guardadores do sábado, e a única solução será bani-los da face da terra, através de um Decreto de Morte. Os juízos anunciados nas trombetas são usados por Satanás como uma estratégia para conseguir a aprovação desse decreto.

12 As Sete Trombetas – A Segunda Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – “E o segundo anjo tocou a trombeta; e foi lançada no mar uma coisa como um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar. E morreu a terça parte das criaturas que tinham vida no mar; e perdeu-se a terça parte das naus” (Ap 8:8-9). Esta contrafação se aproxima bastante da segunda praga que é derramada sobre o mar. “E o segundo anjo derramou a sua salva no mar, que se tornou em sangue como de um morto, e morreu no mar toda a alma vivente” (Ap 16:3). Satanás “estudou os segredos dos laboratórios da Natureza, e emprega todo o seu poder para dirigir os elementos tanto quanto o permite Deus”. (Ellen G. White, O Grande Conflito, 589).

13 As Sete Trombetas – A Terceira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – “E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas. E o nome da estrela era Absinto, e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas” (Ap 8:10-11). Quem é a grande estrela que caiu do Céu? A Bíblia diz que “a terça parte das estrelas do céu” (Ap 12:4) foi lançada sobre a terra, isto é, a terça parte dos anjos do Céu foi expulsa junto com Lúcifer... A grande estrela que caiu do Céu, é o próprio Satanás. Em Is 14:12 o nome Lúcifer significa “aquele que brilha”. Na septuaginta a palavra usada significa “estrela da manhã”. Satanás, obviamente, é a grande estrela caída do céu. Em Lucas 10:18 Jesus diz: “Eu via Satanás cair do céu como um raio”.

14 As Sete Trombetas – A Terceira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – “E o nome da estrela era Absinto”; Absinto é um nome que expressa perfeitamente a amargura não só das águas, mas também a amargura da própria vida humana desde que o pecado aqui entrou. Absinto é um símbolo do mal no Antigo Testamento (Dt 29:18 e 32:32). A verdadeira natureza de Satanás também aparece ao fazer com que a “terça parte das águas” fiquem amargas; esta é uma contrafação da terceira praga (Ap 16:4) onde as águas dos rios se tornaram em sangue.

15 As Sete Trombetas – A Quarta Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – “E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça do sol, e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhasse, e semelhantemente a noite “ (Ap 8:12). Esta trombeta anuncia uma escuridão parcial cobrindo a terra. É uma imitação da quarta praga (Ap 16:8-9). “Assim como Satanás influenciou Esaú a marchar contra Jacó, instigará os ímpios a destruírem o povo de Deus no tempo de angústia... Conta com as multidões do mundo como seus súditos; mas o pequeno grupo que guarda os mandamentos de Deus, está resistindo a sua supremacia”. (Ellen G. White, O Grande Conflito, 618). Até aqui Satanás ainda não conseguiu cumprir seu intento, a aprovação de um Decreto de Morte contra o povo de Deus, assim ele lança mão dos “três ais”, das três últimas trombetas”.

16 As Sete Trombetas – A Quarta Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, – “ E olhei, e ouvi um anjo (do grego aetos, cuja tradução correta seria águia ou abutre) voar pelo meio do céu,dizendo com grande voz : Ai! Ai! Ai! Dos que habitam sobre a terra! Por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar “ (Ap 8:13). O Apocalípse fala de três diferentes bestas: a besta que subiu do mar (13:1), a besta que subiu da terra (13:11), e a besta que subiu do abismo (11:7; 17:8). Os “três ais” podem ser aplicados a estes três diferentes poderes.


Carregar ppt "As Sete Trombetas – A Primeira Trombeta Revelações do Apocalipse, volume II, cap. 8, 32, 33. 1 – “E o primeiro anjo tocou a sua Trombeta, e houve saraiva,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google