A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

May, 2010IHE Orientation-Rio de Janeiro 1 INTEGRATING THE HEALTHCARE ENTERPISE (IHE) Workshop de Orientação International HL7 Interoperability Conference-10.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "May, 2010IHE Orientation-Rio de Janeiro 1 INTEGRATING THE HEALTHCARE ENTERPISE (IHE) Workshop de Orientação International HL7 Interoperability Conference-10."— Transcrição da apresentação:

1 May, 2010IHE Orientation-Rio de Janeiro 1 INTEGRATING THE HEALTHCARE ENTERPISE (IHE) Workshop de Orientação International HL7 Interoperability Conference-10 Carlos Guilherme Costa, Product Manager, ALERT Life Sciences Computing, IHE US & Eu Connectathon participant Julio Carau, Director Hospital de Clinicas "Dr. Manuel Quintela", Montevideo, Uruguai

2 2 Agenda Manhã: 1ª Parte: O PROCESSO DE ADOPÇÃO DE STANDARDS IHE: atingir interoperabilidade efectiva Tarde: 2ª Parte: COOPERAÇÃO ENTRE UTILIZADORES E EMPRESAS: de que forma posso contribuir e beneficiar com as normas IHE? COMO UTILIZAR RECURSOS IHE: caso prático

3 3 Agenda 1ª Parte O PROCESSO DE ADOPÇÃO DE STANDARDS IHE: atingir interoperabilidade efectiva

4 4 IHE: Uma Framework para a Interoperabilidade Uma Framework comum para a uniformização e implementação de vários standards Aplicação - Aplicação Aplicação - Aplicação Sistema - Sistema Sistema - Sistema Ambiente clínico - Ambiente clínico Ambiente clínico - Ambiente clínico Permite o fluxo de informação clínica dentro e entre instituições, regiões e países Promove a selecção indiscriminada e o uso coordenado de standards clínicos e informáticos capazes de responder a necessidades específicas do sector da Saúde

5 5 Standards: Necessários…Não Suficientes Os standards podem ser: Fundamentais – para a interoperabilidade e comunicações Fundamentais – para a interoperabilidade e comunicações Abrangentes – variando em interpretações e implementações Abrangentes – variando em interpretações e implementações Restritas – podem não ter em consideração a relação entre os domínios dos standards Restritas – podem não ter em consideração a relação entre os domínios dos standards Abundantes – muitas vezes redundantes e desconexos Abundantes – muitas vezes redundantes e desconexos Focalizadas – a implementação de um standard apenas foca um único standard Focalizadas – a implementação de um standard apenas foca um único standard A IHE propõe um processo uniforme para a implementação de vários standards

6 6 IHE: Ligando standards com Cuidados de Saúde Profissionais de saúde trabalham com a indústria Coordenar a implementação de standards para responder a necessidades clínicas e administrativas Profissionais de saúde e informáticos identificam os principais problemas de interoperabilidade com que se deparam Profissionais de saúde e informáticos identificam os principais problemas de interoperabilidade com que se deparam Profissionais de saúde e a indústria trabalham em conjunto para desenvolver e disponibilizar soluções baseadas em standards Profissionais de saúde e a indústria trabalham em conjunto para desenvolver e disponibilizar soluções baseadas em standards Implementadores seguem linhas de orientação comuns no que diz respeito à compra e integração de sistemas Implementadores seguem linhas de orientação comuns no que diz respeito à compra e integração de sistemas IHE: Um fórum para o acordo de um método de implementação de standards e processos

7 7 Processo de Adopção de Standards Documentação de requisitos do Caso de Uso Identificação de standards existentes ( ex: HL7, DICOM, IETF, OASIS) Criação de especificações técnicas Teste em Connectathons Demonstrações IHE Produtos com IHE Acesso atempado à informação Facilidade de integração entre produtos

8 8 Benefícios para os Intervenientes Prestadores de cuidados de saúde Melhores workflows Melhores workflows Informação disponível quando e onde for necessário Informação disponível quando e onde for necessário Menos possibilidades de erro Menos possibilidades de erro Menos tarefas entediantes/trabalho repetido Menos tarefas entediantes/trabalho repetido Melhores tempos de execução Melhores tempos de execuçãoFornecedores Alinhar a interoperabilidade do produto com o consenso da indústria Alinhar a interoperabilidade do produto com o consenso da indústria Menores custos e menor compexidade na instalação e gestão de interfaces Menores custos e menor compexidade na instalação e gestão de interfaces Foco competitivo no espaço da funcionalidade/serviço e não no espaço de transporte de informação Foco competitivo no espaço da funcionalidade/serviço e não no espaço de transporte de informação SDOs (Organizações de Desenvolvimento de standards) Feedback rápido para ajustar standards ao mundo real Feedback rápido para ajustar standards ao mundo real Criação de massa crítica e adopção alargada Criação de massa crítica e adopção alargada

9 9 Estratégia de Implementação IHE Operacionalizar standards estabelecidos de forma a permitir disponibilização rápida e planear o futuro Pragmatismo, Facilidade de Evolução Permitir liberdade de arquitectura (foco no paciente vs foco no profissional, centralização vs. descentralização, escalável [de gabinetes a empresas e de redes locais a redes regionais e nacionais) Flexibilidade de Configuração Apoiar casos de uso inovadores: variedade de ambientes de prestação de cuidados, coordenação de cuidados, saúde pública, PHR, EHR Interoperabilidade para públicos-alvo abrangentes IHE: Promove a partilha de informação entre EHR e outros sistemas de informação de forma consistente e baseada em standards

10 10 12 Anos de Crescimento Sustentado 1998 – 2010 Os Domínios de Desenvolvimento IHE Farmácia NOVO 2009 Patologia desde 2006 Radio-Oncologia since 2004 Radiologia desde 1998 Cardiologia desde 2004 Dispositivos de Cuidados de Saúde desde 2005 Coordenação dos Cuidados de Saúde desde 2004 Oftalmologia desde 2006 Qualidade Investigação e Saúde Pública desde 2006 Laboratório desde 2004 Infra-estrutura de SI (de Saúde) desde 2003

11 11 Crescimento Internacional do IHE França Implementação Local, Extensões Nacionais Eventos Promocionais e Demonstrações ao Vivo Mais de 300 Organizações-Membro (todos intervenientes) EUA Alemanha ItálIA Japão RU Canadá Tailândia Holanda Espanha Áustria Uniformização pragmática de standards globais + partilha de boas práticas 2008 Austrália 2010 China Turquia Malásia Suíça

12 12 Perfis de Integração IHE - Modelo Actores com papéis bem definidos Abstrai uma função específica do sistema de informação Abstrai uma função específica do sistema de informação … a executar transações bem definidas Utilizando standards existentes Utilizando standards existentes … para resolver problemas de interoperabilidade do mundo real Especificando Perfis de Integração Especificando Perfis de Integração

13 13 Conceitos IHE fundamentais Sistemas Gerais-> ActoresSistemas Gerais-> Actores Interacções entre Actores -> TransacçõesInteracções entre Actores -> Transacções Cenários Problema/Solução-> Perfis de IntegraçãoCenários Problema/Solução-> Perfis de Integração Em cada Perfil de Integração:Em cada Perfil de Integração: É definido o contexto (qual é o problema do mundo real)É definido o contexto (qual é o problema do mundo real) São definidos os actores (quais os sistemas envolvidos)São definidos os actores (quais os sistemas envolvidos) São definidas transacções (o que deve ser feito)São definidas transacções (o que deve ser feito)

14 14 O Mundo do Produto….. Produto XYZ do Fornecedor T

15 15 O Mundo IHE…. Actor IHE Actor Actor ActorTransacçãoIHE TransacçãoIHE TransacçãoIHE

16 16 Mapeamento IHE em Produtos Produto XYZ do Fornecedor T Actor IHE Actor Actor ActorTransacçãoIHE TransacçãoIHE TransacçãoIHE

17 17 Organização das Frameworks Técnicas Volume 1: Perfis de Integração e de Conteúdos Descreve necessidade clínica e casos de uso Descreve necessidade clínica e casos de uso Identifica : Identifica : Actores e transacções Actores e transacções Módulos de conteúdos Módulos de conteúdos Volume 2+ da Framework Técnica Fornece especificações de implementação de transacções ou módulos de conteúdos Fornece especificações de implementação de transacções ou módulos de conteúdos

18 18 IHE e Arquitecturas Orientadas a Serviços (SOA) SOA é um método de design poderoso e orientado para o negócio SOA embrulha interoperabilidade em serviços, mas não resolve as questões de interoperabilidade: Ex: Web Services podem ser utilizados ou não em SOA. Os Perfis IHE são maioritariamente (embora nem sempre) baseados em Web Services. Ex: Web Services podem ser utilizados ou não em SOA. Os Perfis IHE são maioritariamente (embora nem sempre) baseados em Web Services. A standardização de serviços em conjunto com os protocolos têm 20 anos (Open System Interconnect). Contudo, a definição de um Serviço não garante só por si a compatibilidade na ligação. A standardização de serviços em conjunto com os protocolos têm 20 anos (Open System Interconnect). Contudo, a definição de um Serviço não garante só por si a compatibilidade na ligação. Os Perfis de Integração IHE apoiam mas não requerem a utilização de SOA. O IHE está atento aos Serviços! Bits têm ser compatíveis na ligação: Não há forma de evitar a especificação de transações e conteúdos Bits têm ser compatíveis na ligação: Não há forma de evitar a especificação de transações e conteúdos

19 19 Processo de Adopção de Standards Documentação de requisitos de Casos de Uso Identificação de standards existentes(e.g. HL7, DICOM, IETF, OASIS) Desenvolver especificações técnicas Teste em Connectathons Demonstrações IHE Produtos com IHE Acesso atempado à informação Facilidade de integração entre produtos

20 20 Connectathon IHE Convite aberto à comunidade de fornecedores e outros implementadores Ferramenta de teste avançada (GAZELLE) Testes organizados e supervisionados por equipa de gestão de projecto Milhares de testes realizados entre fornecedores Resultados registados e publicados

21 21 Grandes eventos anuais: fornecedores engineers systems ….integrated in 5 days Connectathons IHE Fornecedores apenas passam testes… após validação por um Gestor de Projecto IHE! Última Connectathon: Chicago, EUA, Janeiro, 2010 Bordéus, França, Abril, 2010

22 22

23 23 Influência das Declarações de Integração IHE Fornecedores Podem publicitar os seus produtos como estando de acordo com as standards IHE Podem publicitar os seus produtos como estando de acordo com as standards IHE Podem confiar nas especificações objectivas e Podem confiar nas especificações objectivas e exaustivas (Framework Técnica IHE) Aceitam compromissos contratuais Aceitam compromissos contratuais Aceitam corrigir erros de implementação Aceitam corrigir erros de implementaçãoClientes Comparar capacidades de integração de produtos Comparar capacidades de integração de produtos Simplificar e melhorar os seus RFP Simplificar e melhorar os seus RFP Obter compromisso público e objectivo Obter compromisso público e objectivo Menor custo e complexidade na disponibilização e gestão da interface Menor custo e complexidade na disponibilização e gestão da interface

24 24 Demonstrações IHE: NÃO Connectathon IHE O Connectathon IHE tem como objectivo qualificar implementações do mundo real. Processos bem definidos e monitorização de testes técnicos. As Demonstrações IHE são momentos de apresentação e promoção de o que algumas implementações testadas durante a Connectathon são capazes. As implementações que participam nas Demonstrações IHE são obrigatoriamente validadas durante os Connectathons. Nem todos os fornecedores e produtos são apresentados.

25 25 HIMSS Interoperability Showcase

26 26 Exemplo: 2010 HIMSS Interoperability Showcase

27 Ferramentas de Implementação (1) Estão disponíveis implementações open source para XDS, XCA, XCPD, PIX, PDQ, ATNA, CT, e mais: Microsoft under codeplex NIST under Source Forge HIE-OS under Source Forge FHA CONNECT Continua na página seguinte... 27

28 September, Estão disponíveis implementações open source para XDS, XCA, XCPD, PIX, PDQ, ATNA, CT, e ainda, from Open Health Tools: OHT – IHE Profiles (Charter) https://iheprofiles.projects.openhealthtools.org https://iheprofiles.projects.openhealthtools.org OHT – Open Exchange (Forge) https://openexchange.projects.openhealthtools.org OHT – Model Driven Health Tools (Charter) https://mdht.projects.openhealthtools.org https://mdht.projects.openhealthtools.org Ferramentas de Implementação (2)

29 29 Q&A?

30 30 Prestadores de Cuidados e Fornecedores a trabalhar em conjunto para produzir sistemas de informação interoperáveis para instituições de saúde e para todos os ambientes clínicos

31 31 Requisitos para um HIE/EHR aberto Oferecer fiabilidade e facilidade de uso a profissionais de saúde: Instituições de saúde escolhem informação a partilhar: Instituições de saúde escolhem informação a partilhar: Com base no estado de saúde dos pacientes Com base no estado de saúde dos pacientes Sempre que consideram necessário (aquando da alta, do final da consulta, etc.) Sempre que consideram necessário (aquando da alta, do final da consulta, etc.) E qual informação que irão partilhar (selecção de documentos e conteúdos relevantes). E qual informação que irão partilhar (selecção de documentos e conteúdos relevantes). Instituições de saúde acedem a informação de pacientes através: Instituições de saúde acedem a informação de pacientes através: Do seu próprio EMR (caso tenham) Do seu próprio EMR (caso tenham) De um portal/serviço partilhado. De um portal/serviço partilhado. Ao aceder a informação do paciente: Ao aceder a informação do paciente: Pretendem saber rapidamente se existe informação relevante (query único) Pretendem saber rapidamente se existe informação relevante (query único) Poderão seleccionar informação de entre vários registos relevantes (poderá ser feito em background) Poderão seleccionar informação de entre vários registos relevantes (poderá ser feito em background) Optar por importar parte ou totalidade da informação de um processo clínico local Optar por importar parte ou totalidade da informação de um processo clínico local

32 32 Requisitos para um HIE/EHR aberto (2) Oferecer fiabilidade e privacidade a pacientes: Apenas organizações e prestadores de cuidados autenticados podem transaccionar informação com o HIE: Apenas organizações e prestadores de cuidados autenticados podem transaccionar informação com o HIE: Cada nó ou sistema de informação que efectua interface é devidamente autenticado Cada nó ou sistema de informação que efectua interface é devidamente autenticado Cada utilizador é autenticado no sistema cliente Cada utilizador é autenticado no sistema cliente Todo o tráfego efectuado através da infra-estrutura é encriptado Todo o tráfego efectuado através da infra-estrutura é encriptado O Consentimento do paciente necessita de diferentes opções e níveis O Consentimento do paciente necessita de diferentes opções e níveis Excepto opt-in, nenhuma informação sobre qualquer paciente poderá ser partilhada Excepto opt-in, nenhuma informação sobre qualquer paciente poderá ser partilhada Várias políticas de partilha de dados para consentimento do paciente Várias políticas de partilha de dados para consentimento do paciente A cada registo/documento partilhado é atribuída uma política específica (ou não é partilhado) no momento da consulta. A cada registo/documento partilhado é atribuída uma política específica (ou não é partilhado) no momento da consulta. Os prestadores de cuidados apenas são autorizados a aceder a registos/documentos compatíveis com o seu perfil. Os prestadores de cuidados apenas são autorizados a aceder a registos/documentos compatíveis com o seu perfil.

33 33 Categorias de Serviços de Comunicação de Saúde Segurança Partilha de Documentos Gestão de ID de Paciente e do Prestador de Cuidados Acesso Dinâmico a Informação Gestão de Workflow Processos clínicos armazenados no sistema origem Informação específica prestada mediante requisição 2 ou mais entidades sincronizam uma tarefa Ex: acesso a histórico de análises e resumos de consultas dos últimos 6 meses Ex: requisitar análises, verificar estado da tarefa e receber resultados Ex: obter lista actualizada de alergias ou medicamentos a partir de uma fonte Hospitais HIE e EHR partilhados

34 34 Categorias de Serviços de Comunicação de Saúde Segurança Partilha de Documentos Gestão de ID de Paciente e do Prestador de Cuidados Acesso Dinâmico a Informação Gestão de Workflow Processos clínicos armazenados no sistema origem Informação específica prestada mediante requisição 2 ou mais entidades sincronizam uma tarefa e.g. acceEx: acesso a histórico de análises e resumos de consultas nos últimos 6 meses Ex: requisitar análises, verificar estado da tarefa e receber resultados Ex: obter lista actualizada de alergias ou medicamentos a partir de uma fonte Hospitais HIE e EHR partilhados Cross-Enterprise Document Sharing (XDS) Patient Id Cross- Referencing (PIX) Medical Summary (XDS-MS)

35 35 Especificação de Perfis IHE Para XDS: IT Infrastructure Ex: IT Infrastructure Technical Framework (XDS.b) Ex: IT Infrastructure Technical Framework (XDS.b) Para PIX: IT Infrastructure Ex: IT Infrastructure Technical Framework (PIX, HL7V2) Ex: IT Infrastructure Technical Framework (PIX, HL7V2) Ou PIXV3 supplement (PIX HL7 V3). Ou PIXV3 supplement (PIX HL7 V3). Para XDS-MS: Patient Care Coordination Ex : PCC Technical framework (XDS-MS) Ex : PCC Technical framework (XDS-MS)

36 36 O Processo de Adopção Global de standards IHE Primeiro Passo: Propor um Caso de Uso para Interoperabilidade

37 37 Patient Identifier Cross-referencing for MPI Serviços Permitir que todos os participantes de organizações registem os identificadores que utilizam para os pacientes nos seus domínios Os participantes mantêm controlo sobre o(s) índice(s) dos pacientes dos seus domínios Apoiar buscas a domínios de sistemas para mapear identificadores de outros sistemas para os seus pacientes Opcionalmente, notificar sistemas de domínios quando outros sistemas actualizarem o mapeamento de identificadores para os seus pacientes.

38 38 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Proposta de Valor Manter e interligar todos os identificadores de pacientes de um sistema num único local Utilizar algoritmos (encapsulados) para encontrar pacientes que correspondam aos critérios da busca entre domínios de identificadores díspares Menor custo para a sincronização de dados entre sistemas Não é necessário forçar alterações de identificadores ou de formato em sistemas existentes Não é necessário forçar alterações de identificadores ou de formato em sistemas existentes Potenciar os benefícios de standards e transacções já utilizadas no IHE

39 39 O Processo de Adopção Global de standards IHE Segundo Passo: Propor uma concepção e seleccionar standards para determinado Perfil IHE

40 40 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Diagrama de Transacção Patient Identifier Cross-referencing para MPI Diagrama de Transacção

41 41 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Fluxograma ID de Domínios e Transacções

42 42 Patient Identifier Cross-referencing para MPI B:X456 C: 2RT Identity Patient Cross References B:X456 C: ?

43 43 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Actores Patient Identity Source Definição Definição Atribui identificadores a pacientes dentro do seu domínio Atribui identificadores a pacientes dentro do seu domínio Informa o Patient Identifier Cross-reference Manager de todos os eventos relacionados com identificação de pacientes (criação, fusão, etc.) Informa o Patient Identifier Cross-reference Manager de todos os eventos relacionados com identificação de pacientes (criação, fusão, etc.) Exemplo: Actor do Registo (ADT) num Perfil IHE Radiology Scheduled Workflow (SWF) Exemplo: Actor do Registo (ADT) num Perfil IHE Radiology Scheduled Workflow (SWF) Transacção suportada - Obrigatória Transacção suportada - Obrigatória Patient Identity Feed [ITI-8] (emissor) Patient Identity Feed [ITI-8] (emissor)

44 44 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Actores Patient Identifier Cross-reference Consumer Definição Definição Necessita de informação acerca de identificadores de pacientes noutros domínios Necessita de informação acerca de identificadores de pacientes noutros domínios Necessita de informação de identificadores de pacientes a partir do Patient Identifier Cross-reference Manager Necessita de informação de identificadores de pacientes a partir do Patient Identifier Cross-reference Manager Transacção suportada - Obrigatória Transacção suportada - Obrigatória PIX Query [ITI-9] (emissor) PIX Query [ITI-9] (emissor) Transacção suportada - Opcional Transacção suportada - Opcional PIX Update Notification [ITI-10] (receptor) PIX Update Notification [ITI-10] (receptor)

45 45 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Actores Patient Identifier Cross-reference Manager Definição Definição Serve um grupo bem definido de Domínios de Identificadores de Pacientes Serve um grupo bem definido de Domínios de Identificadores de Pacientes Recebe informação acerca de identificadores de pacientes a partir de Patient Identity Source Actors Recebe informação acerca de identificadores de pacientes a partir de Patient Identity Source Actors Gere inter-referenciação de identificadores entre domínios Gere inter-referenciação de identificadores entre domínios Transação suportada - Obrigatória Transação suportada - Obrigatória Patient Identity Feed [ITI-8] (receptor) Patient Identity Feed [ITI-8] (receptor) PIX Query [ITI-9] (receptor) PIX Query [ITI-9] (receptor) PIX Update Notification [ITI-10] (emissor) PIX Update Notification [ITI-10] (emissor)

46 46 Patient Identifier Cross-referencing para MPI Standards usados nos 2 Perfis PIX: HL7 Versão 2.5 Registo ADT e Update Trigger Events (HL ) Registo ADT e Update Trigger Events (HL ) A01: admissão no Internamento A01: admissão no Internamento A04: registo na Consulta Externa A04: registo na Consulta Externa A05: pré-admissão A05: pré-admissão A08: actualização de informação do paciente A08: actualização de informação do paciente A40: fusão de pacientes A40: fusão de pacientes Queries para identificadores correspondentes (ADT^Q23/K23) Queries para identificadores correspondentes (ADT^Q23/K23) Notificação de actualizações a listas de identificadores (ADT^A31) Notificação de actualizações a listas de identificadores (ADT^A31) PIX V3: HL7 V3 Potenciação de Web Services (Web Services uniformizados através do Apêndice V do IHE) Potenciação de Web Services (Web Services uniformizados através do Apêndice V do IHE)

47 47 O Processo de Adopção Global de Standards IHE Terceiro Passo: Reunir implementadores para testar implementações em Connectathons Quarto Passo: Tendo por base as conclusões retiradas nas Connectathons, os implementadores corrigem/clarificam o Perfil e publicam-no como Texto Final na Framework Técnica do respectivo Dominio Irá ser apresentado na 2ª parte Irá ser apresentado na 2ª parte

48 48 O IHE oferece uma vasta gama de Perfis Os Casos de Uso analisados são especificados numa série de Frameworks Técnicas de Domínio (Volume 1) Duas classes amplas dentro dos perfis: Integração (como movimentar dados) e Conteúdo (o que os dados transmitem). Alguns exemplos de integração cross-enterprise e perfis de conteúdos Lista completa disponível em:

49 49 Comunidade Consulta médica Sistema de informação clínico Partilha de Informação Clínica Processo clínico Processo do especialista Processo do Hospital O Registo de Processos Clínicos:IHE-XDS 1-Referência a registos Repositório de Documentos Índice de documentos de pacientes

50 50 Comunidade Consulta médica Sistema de informação clínco Agregar informação do paciente 4-Dados do paciente são apresentados ao médico HIE Processo Clínico Processo do especialista Processo do Hospital 2-Referência a Processos para pesquisa Acesso a Processos Partilhados: IHE-XDS 3-Processos devolvidos Repositório de Documentos Índice de documentos de pacientes

51 51 Interoperabilidade na partilha de informação de saúde: Cross-enterprise Document Sharing O Cross-Enterprise Document Sharing simplifica a gestão da informação clínica através da definição de uma infra-estrutura interoperável. Transparência = Facilidade de Evolução Os pacientes têm a garantia de portabilidade da informação e os prestadores de cuidados podem partilhar informação sem preocupações com erros de agregação. Documentos Digitais = Maiores poderes para Pacientes e Prestadores Suporta arquitecturas de repositórios tanto centralizadas como centralizadas. Facilidade de federação a nível nacional. Privacidade flexível, Flexibilidade de configuração Responde à necessidade de dados de saúde longitudinais (processos clínicos). Complementa workflows interactivos ou o acesso dinâmico a dados.

52 52 Cross-Enterprise Document Sharing (XDS) Standards utilizados Standards de Conteúdos Clínicos HL7 CDA header extract Tipos de dados HL7 Standards de Internet HTTP, IETF, W3C, … Standards de negócio electrónicos Registo ebXML, SOAP, Web Services… Implementado em todo o mundo por mais de 150 fornecedores e em open source. Adoptado em vários projectos regionais e nacionais: Itália, Áustria, Canadá, EUA, Japão, África do Sul, França, Holanda, etc.)

53 53 Por que é o IHE-XDS uma inovação? Baseia-se em standards internacionais; registo ebXML: standards OASIS e ISO, serviços Web/Soap/XML. A partilha de documentos digitais atestados pela fonte representa uma resposta a necessidades urgentes. Paradigma comprovado na partilha de dados na comunidade clínica (alimentar um servidor Web central com possibilidade de visualização apenas retrai o uso de EHRs). Eficiente no suporte de todos os tipos de Sistemas Informáticos de Saúde (IDNs, Hospitais, Ambulatório, Farmácia, Centros de Daignósticos, etc.) e tipos de informação: estruturados e não estruturados. Responde tanto a necessidades de envio de dados por parte de fontes como de obtenção a pedido numa variedade de arquitecturas centralizadas ou distribuídas. Fornece um modo de partilha de informação funcional, consistente e baseado em standards para EHRs, PHRs e outros sistemas de informação

54 54 Combinação de Perfis IHE Conteúdos de Documentos e Modos de Partilha de Documentos Perfis de Integração de Partilha de Documentos Partilha de Documentos XDS / XCA Partilha de MeiosXDM Partilha Fiável Pt-PtXDR Perfis de Conteúdos de Documentos (Conteúdo Semântico) Docs Digitaliz. XDS-SD LaboratórioXD*-Lab PartilhaPHRXPHR Alta e ReferenciaçãoXDS-MS Imagiolog.XDS-I Consent.BPPCUrgênciasEDR Pré-cirurgiaPPHPAvaliaçãoFuncionalFSA

55 55 Cuidados Intensivos (Hospital) Centros de Saúde e Clínicas (Ambulatório) Cuidados prolongados Outros cuidados especializados (incl. serviços diagnósticos) Contínuo de Cuidados : Processo Longitudinal Tipicamente, um paciente realiza uma sequência de consultas em diferentes ambientes clínicos

56 56 Cuidados Intensivos (Internamento) Centros de Saúde e Clínicas (Ambulatório) Cuidados Prolongados Outros Cuidados Especializados ou Serviços de Daignóstico Construção e Acesso a Documentos Sistemas de registo de cuidados que apoiam a prestação de cuidados Registo de Documentos Repositório de Documentos Processo Longitudinal utilizado entre consultas Envio de Referências de Documentos Recolha de Documentos Seleccionados

57 57 Cross-Enterprise Document Sharing (XDS.b) Diagrama Actor/Transacção

58 58 XDS – Proposta de Valor Fundação para Infra-Estruturas de Sistemas de Informação de Saúde: EHR partilhado numa comunidade, região, etc. Meios efectivos para contribuir e aceder a documentos clínicos entre instituições de saúde. Partilha escalável de documentos entre médicos privados, clínicas, farmácias, instituições de cuidados prolongados e cuidados intensivos com diferentes sistemas de informação clínicos. Acesso fácil: são prestados meios para os prestadores de cuidados pesquisarem e recolherem documentos clínicos de interesse.

59 59 XDS – Proposta de Valor Distribuído: cada instituição de saúde publica informação clínica para outras. Os documentos efectivos podem permanecer no EHR fonte. Inter-institucional: Um Registo fornece um índice de informação publicada a instituições de saúde autorizadas que pertençam ao mesmo domínio clínico (ex: uma região). Foco no Documento: Dados clínicos publicados são organizados em documentos clínicos através da utilização de tipos de documentos standard previamente acordados (HL7-CDA, PDF, DICOM, etc.) Conteúdo Neutro: O conteúdo de documentos é tratado apenas por sistemas source e consumer. Atributos Standard do Registo: Queries baseadas em atributos pertinentes garantem pesquisas determinadas a documentos.

60 60 Quão real é o XDS? Especificação IHE Technical Framework estável Suplemento XDS.b que oferece: Serviços Web mais recentes (MTOM/XOP) Serviços Web mais recentes (MTOM/XOP) Possibilidade de recolher vários documentos numa única transacção Possibilidade de recolher vários documentos numa única transacção Primeira implementação na região de Génova, Itália, desde Outras mais desde então: Áustria, Estado de Vermont, Nagóia, África so Sul, regiões na Holanda, etc. Adoptado por vários programas nacionais em todo o mundo 4 toolkits open source disponíveis, várias implementações proprietárias em EMRs e de infra-estrutura.

61 61 IHE, Perfis Baseados em Standards Internacionais Adoptados em Projectos Regionais e Nacionais (amostra) Quebec, Toronto, Alberta, British Columbia Canada Infoway THINC- New York NCHICA – N. Carolina Italy Conto Corrente Venetto - Friuli Boston Medical Center - MA Philadelphia HIE CHINA-MoH Lab results sharing CHINA-Shanghai Imaging Info Sharing JAPAN-Nagoya Imaging Info Sharing, Nationwide PDI guideline South Africa VITL-Vermont CareSpark – TN & VA NETHERLANDS Friesland Natnl Mamography Lower Austria France DMP Wales Imaging Belgium Flemish-Leuven Suisse St Gallen Lausane Providence Health System - OR KeyHIE Pennsylvania SHARP CA France Imaging IDF 61 Lista completa disponível em: tinyurl.com/wwXDS

62 62 O IHE-XDS faz parte de um conjunto de perfis Redes locais, regionais ou nacionais necessitam de um conjunto consistente de Perfis de Integração Quinze Perfis de Integração concluídos e testados, para além de outros cinco prontos a implementar = módulos de interoperabilidade baseados em standards para Rich Document Content para interoperabilidade entre aplicações end-to-end. Rich Document Content para interoperabilidade entre aplicações end-to-end. Gestão da identificação de pacientes Gestão da identificação de pacientes Segurança e Privacidade Segurança e Privacidade Notificação e captura de dados Notificação e captura de dados IHE-XDS + perfis de integração IHE relacionados fornecem uma solução completa para interoperabilidade

63 63 Perfis de Integração IHE para Redes de Informação Clínica O que se encontra disponível e em implementação-teste Referenciação Urgências Format of the Document Content and associated coded vocabulary Extracções/Actual. PHR Format of the Document Content and associated coded vocabulary Documentos ObGin Format of the Document Content and associated coded vocabulary Resultados de análises Format of the Document Content and associated coded vocabulary Documentos digitalizados Format of the Document Content Informação imagiologia Format of the Document Content and associated coded vocabulary Resumo clínico ( Medicamentos, Alergias) Formato do Conteúdo do Documento e vocabulário codificado associado Conteúdo Clínico e PHR Partilha de dados clínicos Query a Dados Demográficos de Pacientes Patient Identifier Cross-referencing Mapeamento de identificadores de pacientes em domínios de identificação independentes Notificação e Subscrição de Documentos Formulário de Requisição para Captura de Dados Formulário externo com scripting configurável para importação/exportação Gestão da Identificação de Pacientes Outros Texto Final Aprovado Implementação-Teste-2009–Txt Final 2010 Cross-Enterprise Document Sharing Registo, distribuição e acesso a documentos clínicos (formando um processo longitudinal) entre instituições de saúde Cross-Enterprise Document Partilha Fiável Pt-Pt Cross-Enterprise Document Partilha de meios Cross-Community Access" Segurança e Privacidade Tempo Consistente Coordenação de tempo entre sistemas em rede Audit Trail e Autenticação de Nós Audit trail de privacidade centralizado e autenticação de nós para a criação de um domínio seguro. Privacidade de Pacientes Estabelecer Consentimentos e disponibilizar controlo de acesso Assinatura Digital de Docs Atestado de cópia verdadeira e de origem Cross-Enterprise User Assertion Identidade Certificada

64 64 XDS-MS e XPHR possuem capacidades de interoperabilidade semântica e visão simples! Motivo para Referenciação Sinais Vitais Estudos Alergias História Social Plano de Cuidados Resumo Clínico XDS-MS ou Partilha de Extracção PHR Perfil baseado em HL7 CDA Rel 2 e HL7 CCD IG Cabeçalho estruturado e codificado Paciente,Autor, Autenticador, Instituição, Tempo de Serviço, etc. Cabeçalho sempre estruturado e codificado - Secções codificadas sem conteúdo estruturado ou codificado (texto, listas, tabelas). - Vista simples (XML Style sheet) Nível 1 Nível 2 Entrada Estrutura do Texto Entrada Estrutura do Texto Medicamentos, Problemas e Alergias com texto altamente estruturado. Texto fácil de importar/analisar Entrada Estrutura do texto Nível 3 Medicamentos, Problemas e Alergias têm uma estrutura complexa com codificação opcional. Esquema de codificação explicitamente identificado. Entrada Secção Codificada Entrada Secção Codificada Entrada Secção Codificada Nível 3 Medicamentos Problemas Conteúdo estruturado com secções codificadas:

65 65 Utilização de uma infra-estrutura XDS para aceder a Relatórios de Radiologia e Imagens (XDS-I) Hospital Centro de Imagiologia Consultórios médicos Entre Radiologia e: Entre Radiologia e: Especialistas de imagiologiaEspecialistas de imagiologia Outros profissionaisOutros profissionais PACS Y PACS Z Radiologia- Radiologia Radiologia- Médicos Infra-estrutura XDS semelhante (Registo e Repositório) para resumos clínicos e informação de imagiologia!

66 66 Prestadores de Cuidados e Fornecedores a trabalhar em conjunto para produzir sistemas de informação interoperáveis e para todos os ambientes clínicos Workflows intra-hospitalares e acesso a informação Workflows intra-hospitalares e acesso a informação para Instituições de Saúde

67 67 Soluções IHE intra-institucionais eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Devices Pharmacy Established Feb 2009

68 68 Soluções IHE intra-institucionais Exemplo: Cardiologia eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Devices Pharmacy Established Feb 2009 Perfis de Integração de Cardiologia Cardiac Catheterization Lab Workflow Echocardiography Lab Workflow Retrieve ECG for Display Displayable Reports Cath and Echo Evidence Documents

69 69 Soluções IHE intra-institucionais Exemplo: Infra-estrutura TI eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Devices Pharmacy Established Feb 2009 Infra-estrutura TI dos Perfis de Integração Patient Administration Management Patient Demographics Query Patient Identifier Cross-referencing Retrieve Information for Display Enterprise User Authentication Consistent Time Patient Synchronized Applications Audit Trail and Node Authentication Personnel White Pages Shared Value Sets

70 70 Soluções IHE intra-institucionais Exemplo: Radiologia eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Devices Pharmacy Established Feb 2009 Perfis de Integração de Radiologia Radiology Scheduled Workflow Patient Information Reconciliation Access to Radiology Information Portable Data for Imaging Consistent Presentation of Images Key Image Note Presentation of Grouped Procedures Evidence Documents Audit trail and Node Authentication (Rad option) Teaching Files and Clinical Trials Export Post-processing Workflow Reporting Workflow Charge Posting Simple Image and Numeric Reports

71 71 Soluções IHE intra-institucionais Exemplo: Laboratório eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Devices Pharmacy Established Feb 2009 Perfis de Integração de Laboratório Laboratory Testing Workflow Laboratory Information Reconciliation Laboratory Point Of Care Testing Laboratory Device Automation Laboratory Code Set Distribution Laboratory BarCode

72 72 Workflow de Testes de Laboratório (WTL) & Automatização de Dispositivos de Laboratório (ADL) Order FillerOrder Placer Order Result Tracker Placer order Filler order Results Work order WTL ADL Work Order Steps Query & download modes Analyzer Pre/post processor Automation Manager Tests results Perfis baseados em HL7 V2.5.1 Sólida experiência de implementação

73 73 Soluções IHE Intra-Institucionais Exemplo: Dispositivos de Cuidados de Saúde eMPI User Auth Enterprise IT Infrastructure Enterprise IT Infrastructure Laboratory LIS Auto Mgr Analyzer EMR - HIS Cardiology CIS CathECG Radiology RIS PACS Img Acq Eye Care Pathology Radiation Therapy Therapy Plan Img Acq Treatment Intensive Care Unit Nursing Station Devices Devices Home Hub Personal Devices Pharmacy Established Feb 2009 Perfis de Dispositivos de Cuidados de Saúde Device Enterprise Communication (DEC) Alarm Communication Mgt (ACM) Subscribe to Patient Data (SPD) Patient Identity Binding (PIB) Rosetta Terminology Mapping (RTM)

74 74 Prestadores de Cuidados e Fornecedores a trabalhar em conjunto para produzir sistemas de informação interoperáveis para Instituições de Saúde e para todos os ambientes clínicos

75 75 Agenda 1ª Parte: O PROCESSO DE ADOPÇÃO DE STANDARDS IHE: atingir interoperabilidade efectiva Hoje à tarde: 2ª Parte: COOPERAÇÃO ENTRE UTILIZADORES E EMPRESAS: de que forma posso contribuir e beneficiar com as standards IHE? COMO UTILIZAR RECURSOS IHE: caso prático

76 May, 2010IHE Orientation-Rio de Janeiro 76 Vemo-nos na 2ª parte, hoje à tarde


Carregar ppt "May, 2010IHE Orientation-Rio de Janeiro 1 INTEGRATING THE HEALTHCARE ENTERPISE (IHE) Workshop de Orientação International HL7 Interoperability Conference-10."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google