A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ACIDENTES NUCLEARES. São acidentes que ocorrem em instalações nucleares Acidente Radiológico/ Radioativo/por Radiação É caracterizado por:  campos de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ACIDENTES NUCLEARES. São acidentes que ocorrem em instalações nucleares Acidente Radiológico/ Radioativo/por Radiação É caracterizado por:  campos de."— Transcrição da apresentação:

1 ACIDENTES NUCLEARES

2 São acidentes que ocorrem em instalações nucleares Acidente Radiológico/ Radioativo/por Radiação É caracterizado por:  campos de intensa radiação não intencional  liberação não controlada de grandes quantidades de material radioativo  envolvendo exposição ou contaminação de seres humanos ou meio ambiente  causando sérios danos ou morte

3 CLASSIFICAÇÃO DE ACIDENTES ENVOLVENDO SERES HUMANOS 1) IRRADIAÇÃO EXTERNA (RADIOEXPOSIÇÃO) corpo inteiro parcial do corpo localizada 2) CONTAMINAÇÃO (RADIOCONTAMINAÇÃO) externa (superfície) interna (inalação/ingestão/injeção/absorção de pele ou ferimentos) 3) COMBINADOS (MISTOS)

4 Tipos de acidentes - radiação externa Local do acidente tipo de radiação instalações nucleares neutron/  Exposição hospitais: de corporadioterapia inteiroradiodiagnósticos X e  indústrias: fontes de radiografia Exposição instalações nucleares Localizada hospitais X,  e  indústria

5 Tipos de acidentes - contaminação Local do acidente tipo de radiação instalações nucleares neutron/  Externa hospitais: radioisótopos laboratório pesquisas  indústrias: laboratório pesquisas estabelecimento de ensino Interna ferimentos instalações nucleares ingestão hospitais  inalação indústrias injeção estabelecimento de ensino

6 IRRADIAÇÃO EXTERNA Severidade dos danos biológicos Dose absorvida pelos tecidos Taxa de dose Energia e tipo de radiação

7 Avaliação da severidade dos danos Clínica: Sinais e Sintomas eritemavômito anorexiafadiga náuseadiarréia Biológica: Dados hematológicos e bioquímicos sangueurina Dosimétrica: Física Biológica (análise cromossômica)

8 Principais acidentes radiativos no mundo : mortes pela Síndrome aguda da radiação

9 Acidentes radioativos fatais relatados pela IAEA Ano local fonte de radiação fatalidades trabalhadores público 1961 Switzerland água triciada México fonte de radiografia China irradiador de sementes Alemanha água triciada Itália irradiador Argélia fonte de radiografia Noruega irradiador Marrocos fonte de radiografia GO - Brasil fonte de teleterapia El Salvador irradiador Israel irradiador Belarus irradiador China fonte de pesquisa Estônia rejeitos Geórgia fonte de radioterapia- 1 TOTAL

10 Acidentes mais sérios relatados pela IAEA Ano local tipo de radiaçãoconseqüências 1965Illinois-USAaceleradoramputação de perna e braço ( Gy) 1975Stimos, Itália  1 fatalidade (~12 Gy) 1982Kjeller, Noruega  1 fatalidade (~22 Gy) 1989El Salvador  1 fatalidade (~8 Gy); 2 pessoas dose de corpo inteiro 2,9 e 3,8 Gy, queimaduras no pé 1990Soreq, Israel  1 fatalidade (10-20 Gy) 1991Nesuizh, Belarus  1 fatalidade (~11 Gy); 1991Hanoi, Vietnãaceleradoramputação de 1 mão e dedos da outra mão (10-50 Gy) 1991Maryland, USAaceleradoramputação de 4 dedos de cada mão (~55 Gy) 1991Forbach, FrançaaceleradorLesões na pele (~40 Gy)

11 Outubro/ Windscale (Inglaterra) vReatores de U-natural, refrigerado à água vnúcleo foi resfriado sem liberar energia vreativado o sistema de aquecimento vsuperaquecimento IRRADIAÇÃO vdireta vinalação e ingestão (água e alimentos) - leite 131 I MONITORAÇÃO vleite, vegetais, ovos, carne e água - limites inferiores vcontrole nas áreas acima de 3700 Bq de 131 I - leite

12 HISTÓRICO v liberação radioativa  levantamento dos níveis de radiação local - não houve problemas de irradiação externa não houve problemas de inalação - ar R  - contaminação do leite v manhã Bq de 131 I - leite tarde Bq de 131 I - leite

13 JANEIRO/ CHINA Fonte 60 Co (  ) - atividade de 10 Ci irradiação de sementes encontrada pelo filho de trabalhadores rurais HISTÓRICO a fonte foi encontrada e levada para casa guardada na gaveta da cozinha (5-9 dias) 5 pessoas foram expostas (não uniforme): (A)mãe (44 anos) (B e C) 2 irmãos (10 e 20 anos) (D) irmã (13 anos) (E) rapaz (12 anos) (F) tio (39 anos)- ficou hospedado 1 noite

14 SINAIS E SINTOMAS: Inicialmente: mal estar, fraqueza, anorexia, náusea, vômito e dores abdominais Posteriormente: 1) depleção aguda das células nucleadas da MO 2) queda acentuada dos precursores dos eritrócitos 3) diminuição dos leucócitos 4) infecção e febre alta (5 pacientes- exceção do tio) 5) Perda de cabelo 6) óbito de 2 pacientes com SGI (quem carregou e 1 irmão)

15 Medidas Terapêuticas isolamento (contaminação bacteriana) repouso e nutrição adequados uso de antibióticos e transfusões de sangue Transplante de MO (pacientes que receberam dose letal; não havendo rejeição ao transplante) Dentro de 2 meses, os sobreviventes estavam curados Acompanhamento após 16 anos (1979): Efeitos tardios Paciente local/dose(cGy) ocorrência A (mãe) gônada/1.800amenorreia C (irmão) gônada/730 esterilidade permanente D (irmã) gônada/180 normal (2 filhos normais) F (tio) gônada/210 esterilidade transitória

16 1 ) Todos os casos: persistência de AC nos LSP 2) Tio: necrose da tíbia e amputação 3) nenhum caso: neoplasia alteração eletroencefálica anormalidade genética nos recém nascidos

17 MAIO/ ARGÉLIA  Fonte de gamagrafia 192 Ir, atividade 25 Ci  caiu de um caminhão  encontrada por 2 garotos (3 e 7 anos) HISTÓRICO  garotos brincaram com a fonte por algumas horas  mãe (47 anos) guardou-a na cozinha (38 dias)  várias pessoas irradiadas, entre elas 4 mulheres jovens (14 e 20 anos)

18 IRRADIAÇÃO CRÔNICA DE CORPO INTEIRO (4 pessoas) Fonte liberava taxa de dose de 8 R/h a 1 metro Exposição estimada em cGy phantom Paciente/idadeDose máxima pele Dose média MO DJ (19 ) NG (20) FA (17) NO (14)

19 Observações clínicas iniciais DJ (19): hemorragias severas (boca e sistema digestório) extravasamento sangüíneo na pálpebra estado geral: pobre, prostração, anorexia e náusea NG(20): gestante (8 semanas) - morte fetal 9,5 semanas Síndrome MO e GI FA (17): quadro hematopóiético grave NO (14) síndrome GI

20 Quadro das manifestações clínicas (período crítico) anorexia debilidade náusea, vômito e diarréia hemorragias febre acima de 39 o C (indicativo de infecção) perda parcial ou total de cabelos Quadro indicativo da Síndrome Aguda GI CONDUTA TERAPÊUTICA 1) Isolamento (7 semanas) em câmara plástica estéril. Infecção local e septicêmica presente 2) Antibióticos 3) Terapia Hematológica Compensadora (transfusão): reticulócitos, leucócitos e plaquetas 4) Administração IV de proteínas, lipídios e glicídios (2000 calorias + vitaminas essenciais)

21 IRRADIAÇÃO AGUDA LOCALIZADA (2 crianças) Acidentados : AEK (3 anos) e R (7 anos) - encontraram a fonte AEK: brincou com a fonte colocou na boca (2.500 cGy/dose cefálica) nas mãos ( cGy) amputação de um dedo R: apresentou lesões nas mãos e nádegas não foi feita estimativa dosimétrica CONDUTA TERAPÊUTICA: antibióticos CONDUTA CIRÚRGICA: conservadora (enxerto abdominal)

22 Dezembro/ Juárez - México 60 Co fontes com 37 TBq HISTÓRICO v centro médico comprou uma unidade de RT dos USA (37 TBq) ~6000 pastilhas vnunca foi usada, portanto, estocada sem nenhuma precaução v a unidade foi desmontada e vendida em partes vtransporte para o ferro velho vtécnico rompeu a fonte encapsulada, durante o trajeto v1 m do caminhão - taxa de dose de 650 mSv/h

23 vespalhamento das pastilhas ao longo do trajeto vespalhamento das pastilhas pela área do ferro-velho vespalhamento das pastilhas nas áreas ao redor vvenda das pastilhas para fundições (pernas de mesa) v16/01/ descoberta do acidente, através de um sinal de irradiação acionado pela passagem de um caminhão com material de uma fundição MEDIDA DEFENSIVA v casas v814 casas demolidas v1.400 clientes v2.500 itens contaminados

24 DESCONTAMINAÇÃO v m 3 de solo v4.500 toneladas de metal v4.000 pessoas expostas v720 pessoa s - doses entre 0,005 e 0,25 Gy v75 pessoas - doses entre 0,25 e 3 Gy v5 pessoas - doses entre 3 e 7 Gy vNão houve fatalidades

25 Abril/ Tchernobyl (Ucrânia) vQueda repentina da potência do reator vAumento na pressão do núcleo do reator vExplosão do núcleo do reator vLiberação de produtos radioativos por 2 semanas IRRADIAÇÃO vexterna (chuva) vinterna vingestão (água e alimentos)

26 CONSEQUÊNCIAS v10 18 Bq  89,90 Sr, 103,106 Ru, 131 I, 134, 137 Cs, 239 Np, 138 Pu vfragmentos quentes - altura de 1 km vmetades dos produtos da emissão - área de 60 km vEuropa 10 milhões de km 2 v2 óbitos - trabalhadores próximos à instalação TÉCNICOS  350 pessoas - 12 horas  84 irradiação aguda externa (  /  ) vroupas - água radioativa  chuva v8 pessoas morreram - 1 a semana danos na pele danos hematológicos danos gastrointestinais

27 POPULAÇÃO v203 pessoas expostas v31 pessoas morreram v13 pessoas sofreram transplante de MO 6 sobreviveram ao tratamento MONITORAÇÃO valimentos num raio de 30 km vleite - 37x10 3 Bq/L de 131 I vvegetais - 3,7x10 5 Bq/L de 137 Cs vPrincípio ALARA: doses devem ser mantidas tão baixas quanto razoavelmente exeqüível

28 Pacientes que desenvolveram a Síndrome Aguda da Radiação Intervalo de número de número síndrome dose (cGy) pacientes de mortes aguda SMO-moderada SMO-severa SMO-severa/GI

29 Setembro/ Goiânia (Brasil)  137 Cs -  e  - T 1/2 : 30 anos vfonte com GBq ou Ci vfonte de radioterapia - pó aglomerado HISTÓRICO v fonte foi removida do Instituto Goiano de Radioterapia (IGR) rompimento da fonte v RSA (22 anos) - vômito WMP - vômitos, náusea, diarréia, inchaço nas mãos v DAF (36 anos) - comprou o cabeçote IBS (22 anos) e AAS (18 anos) - manuseiam a fonte FATAL

30 v DAF leva para a sala de sua casa distribui os fragmentos da cápsula MGF (28 anos) - náusea, vômitos e diarréia FATAL v WMP - é internado v IAP (irmão de DAF) leva os fragmentos para casa, LNF (6 anos) ingere o pó de césio v MGF e GGS (21 anos) levam a fonte para a vigilância sanitária de ônibus coletivo por 30 minutos. GGS carrega a fonte no ombro (queimaduras) v físico confirma ser material radioativo Detectável quadras antes Comunica o fato a CNEN procura localizar a proveniência da fonte

31 v Chega o diretor de fiscalização da CNEN As pessoas são alojadas em um estádio olímpico para alimentação especial e triagem das pessoas Descontaminação incial (roupas, pele -água, sabão vinagre, pedra-pome) Casos mais graves de contaminação e com lesões graves visíveis - Hospital Geral de Goiânia (HGG) Hemograma das pessoas v pacientes são removidos para o Hospital Naval Marcílio Dias (RJ)

32 AÇÕES INICIAIS Radioacidentados - HGG busca das áreas contaminadas evacuação e isolamento das áreas divulgação pela imprensa atendimento e triagem das pessoas que se dirigiam ao estádio rastreamento aéreo (descoberta de mais um ponto)-detector EXPOSIÇÕES externa externa e interna comercialização de material contaminado contato pessoal circulação de animais contaminados circulação de ferramentas contaminadas ação ambiental ( vento e chuva)

33 Dosenúmero de pessoas rem/ 1-7 Sv rem/ 0,25-1 Sv54 0, rem/ 0, ,25 Sv244 < 0,5 rem/ < 0,005 Sv e 1 mSv/ano AVALIAÇÃO DE DOSE  Contador geiger-müller (manual/portátil) e cintiladores  Análise de fezes e urina  Contador de corpo inteiro  Dosimetria Biológica (AC)  Cálculos teóricos

34 triagem 249 contaminação significativa 120contaminação roupa e calçados 129contaminação interna e externa 50contaminação interna 20alterações hematológicas radiodermite 6 - HNMD - maior gravidade 4 - foram ao óbito MGF (F- 37 anos) LF (F - 6 anos) 2R/h (2,5 mR/h) IBS (M-22 anos) AAS (M-18 anos) 79contaminação externa

35 LOCALIZAÇÃO DA ATIVIDADE 67 km 2 de área foi monitorada nos 1 os dias (manual, carros, helicópteros) 7 pequenos sítios (100 m de raio cada) foram isolados 42 sítios contaminados significantemente foram identificados REGIME DE MONITORAMENTO pessoas cédulas em circulação frota de ônibus suprimento de água e produção local

36 MEDIDA DEFENSIVA E AÇÕES 200 pessoas evacuaram 41 casas 85 casas  descontaminação significante 7 casas demolidas toneladas de lixo radioativo foi monitorado 575 profissionais, técnicos, voluntários 6 meses de duração

37 AÇÕES POSTERIORES Tratamento das vítimas tempo controlado para atendimento médico atividade da fonte descontaminação da área armazenamento de rejeitos avaliação do meio ambiente rastreamento terrestre

38 Fevereiro / San Salvador - El Salvador  Esterilização de produtos médicos  60 Co - 23 TBq (620 Ci) ACIDENTE 1 o evento - parte A - 05/02/89  fonte não estava na blindagem  o operador aplicou um pressão maior para elevar a fonte  o operador entrou na sala de irradiação  empilhou 5 caixas num local onde caberiam 4 caixas  ocorreu uma deformação em uma caixa  essa deformidade impediu a fonte de retornar à blindagem

39 1 o evento - parte B - 05/02/89  Trabalhador A entrou na sala juntamente com B e C  removeram as caixas  A  agachado, pernas afastadas  B  perna direita próxima a fonte  C  pé esquerdo próximo do produto e direito no pistom  soltaram cerca de 2 metros de cabo do suporte da fonte  verificaram o brilho azul  dose de corpo inteiro entre 3 e 8 Gy  dose localizada - pés 10 Gy 2 o evento - 05/02/89  Trabalhador D notou que a porta principal estava aberta caixas estavam em desordem  Arrumou as caixas  10/02/89- detectou-se uma dose inferior nos produtos esterilizados  suspeita de perda de fontes

40

41 EFEITOS CLÍNICOS: Paciente A:  05/02/89 : vômito, náusea (fase prodrômica)  intoxicação alimentar  07/02/89 : náusea, vômito, febre eritema e queimadura nas pernas e pés  13/02/89 : enterite (inflamação do trato GI), náusea, vômito, febre  15/02/89 : transplante de MO  28/02/89 : Síndrome SGI e SMO, radiodermatite, sinais de queimadura, edema nas mãos, náusea, vômito, diarréia, desnutrição (perda de 20% do peso corpóreo) TRATAMENTO: isolamento, suplemento alimentar e transfusão de sangue  23/03/89 : tratamento às bolhas nas pernas (gangrena após 3 meses)  16/06/89 : amputação da perna direita acima do joelho  27/07/89 : persistência das infecções, nova transfusão, amputação da perna esquerda, possibilidade de leucemia  10/08/89 : pneumonia  20/08/89 : óbito

42 Paciente B:  05/02/89 : vômito, náusea (fase prodrômica)  intoxicação alimentar  09 e 10/02/89 : ardência e dores nos pés ( casa )  02/03/89 : Síndrome SGI e SMO, queimaduras nas pernas e pés, desnutrição, progressiva necrose no dedo do pé  15/06/89 : amputação perna esquerda acima do joelho  25/08/89 : amputação perna direita  efeitos tardios : catarata Paciente C:  05/02/89 : vômito  06/02/89 : hospitalizado vômito, náusea (fase prodrômica)  intoxicação alimentar  09/03/89 : leves sintomas hematopoiéticos, queimaduras no pé esquerdo  12/09/89 : fisioterapia : dores nos pés, mancava

43

44 Junho / Soreq - Israel vIndústria de esterilização de produtos médicos e de condimentos v 60 Co (12.6 PBq KCi) v21/06/90 - falha no sistema de transporte do material à ser irradiado, causado por uma embalagem danificada vpor um “emperramento” no sistema de transporte a fonte não retornou à blindagem vsoaram 2 sinais duvidosos de alerta - * fonte segura * fonte não segura voperador optou pelo sinal de fonte segura, destrancou a porta e desligou o alarme ( não portava dosímetro)

45 SINAIS CLÍNICOS vardência nos olhos e cabeça latejando vnáuseas vexposição aguda de corpo inteiro (10 e 20 Gy) por 1 a 2 minutos vSMO e SGI CRONOLOGIA CLÍNICA Dias 1 a 4 Dias 5 a 12 - eritema facial e palmar - vômito (1-2x/ dia) - vômito (8x/dia), diarréia - diarréia (perda mov.peristálticos - cefaléia, fadiga e fraqueza - redução de células brancas - transplante de MO - insuficiência renal e biliar Dias 13 a 21 - náusea, vômito e diarréia - eritema nas falanges, cabeça e tórax superior - vesículas nas orelhas e falanges de 4-5 dedos (MD) e 4 dedos (ME) - queda de cabelos e pêlos da face e púbis -aumento do fígado com distensão abdominal

46 2 horas 8 horas Dias 13 a 21 Dias 22 a 36

47 Dias 22 a 34 - queimaduras superficiais e profundas - agravamento do SGI - trombocitopenia e anemia - perda da função do fígado Dias 35 e 36 - confuso e desorientado - hipoxia e acidose metabólica - 27/07/90 (36 dia) óbito Autópsia: vdesnaturação do SGI vpneumonite vcitomegalovírus nos pulmões fígado SGI

48 Outubro / Tammiku - Estônia 3 irmãos removeram um container de metal contendo 137 Cs HISTÓRICO v21/10/94 - entrada de RiH, RaH e IH no depósito de lixo - RiH encontrou um container de metal contendo 137 Cs - RiH colocou o cilindro ( 137 Cs) no bolso - Carregaram o container por + 50 metros - RiH sentiu-se mal com vômito repetido - Foram para casa de RaH, posteriormente para RiH - Fonte foi guardada na gaveta da cozinha v25/10/94 - RiH foi hospitalizado com dores na perna v02/11/94 - falecimento de RiH - causa desconhecida v08/11/94 - técnicos do depósito, verificaram que o cadeado de segurança estava danificado v09/11/94 - RT (enteado de RiH) teve contato com a fonte enquanto consertava sua bicicleta

49 v16/11/94 - vários cães da família morreram (cozinha) vômito e sangue na urina v17/11/94 - RT foi internado com bolhas nas mãos polícia é notificada v18/11/94 - evacuação dos moradores da casa de RiH e de 15 casas vizinhas (taxa de dose 0,4  Gy/h) ASPECTOS CLÍNICOS  21/10 A 17/11/94 - fonte permaneceu na casa de RiH  moradores da casa  exposição de corpo inteiro (homogênea)  pessoas que tocaram a fonte  exposição localizada (queimadura)  4 pessoas  exposição de corpo inteiro e localizada

50 RiH  25 anos, sexo masculino - guardou a fonte no bolso (2000 a 3000 Gy/h) - apresentou mal estar, vômito, deficiência funcional da perda direita - 4 o dia - foi hospitalizado, sonolência, deficiência funcional de ambas as pernas, edema, lesões nos tecidos do quadril, coxa direita e pelve (bolhas e hemorragia) - 12 o dia - (02/11/94) - óbito - falência renal aguda e anemia severa Autópia: necrose aguda na coxa e quadril direito hemorragia intestinal e cólon broncopneumonia bilateral choque séptico

51 RaH  28 anos, sexo masculino - dose estimada 1 Gy - heterogênea - apresentou lesões no,polegar e parte adjacente da mão direita - bolhas e feridas acrescidas de secreção - 7 semana  lesão ulcerativa úmida no polegar direito - 1 ano após  reincidência da lesão ulcerativa úmida no polegar direito IH  27 anos, sexo masculino - dose estimada 0,9 Gy - heterogênea - leve trombocitopenia e leucopenia - 16/11 - apareceram ulceras no 3 o e 4 o dedo da mão direita AS  78 anos, sexo feminino (bisavó de RT) - dose estimada 2,7 Gy - prolongada - Síndrome da MO - anemia agravada por sangramento vaginal - 31/12/95 - óbito ( doenças cardíacas)

52 RT  13 anos, sexo masculino - exposição homogênea por 4 semanas - aplasia severa da MO - queimaduras na mão esquerda - 22 e 23/10 - contato direto com a fonte - surgimento de bolhas na palma da mão esquerda - dor ao movimentar a mão, se estendendo até os cotovelos - náusea, diarréia moderada - hemorragia cutânea no antebraço e membros - febre moderada - 8 o dia - bolhas na mão esquerda - 12 o dia - ulcerações na mão esquerda se estendendo até a superfície do dedo polegar e indicador - surgimento de eritema e descamação úmida na mão direita - 12/95 - necrose do polegar direito, com osteoporose e amputação

53 Agosto / San José - Costa Rica vSubstituição de uma fonte de radioterapia HISTÓRICO v22/08/1996 vHospital San Juan de Dios (HSJD) verro na calibração vtaxa de dose vRT > que a prescrita v2,02 Gy/min.  1,22 Gy/min. vDose mais elevada em cerca de 73% dos pacientes

54 PACIENTES pacientes 09 - Hospital infantil 37 - Calderón Guardia Hospital 67 - HSJD EFEITOS CLÍNICOS Efeitos subagudos ( 1 as manifestações dentro de 6 a 12 meses) Efeitos crônicos (1 as manifestações dentro de + de 12 meses) EFEITOS CLÍNICOS  ulcerações na pele  náusea, vômito e diarréia

55 ÓRGÃOS COM MAIOR GRAVIDADE  1 o Sistema Nervoso Central  2 o pele  3 o Sistema Gastrointestinal  4 o Sistema Cardiovascular Sensibilidade dos tecidos Tumores de cabeça e pescoço região pélvica mediastino (tórax)

56 SISTEMA NERVOSO CENTRAL Manifestações clínicas Tumores cerebrais Gy (frações < 2 Gy/dia)  atrofia cortical (50%)  leucoencefalopatia (26%)  calcificações (8%) Quanto mais jovem a criança > a atrofia  letargia  espasmos ou convulsões  demência progressiva

57 SISTEMA NERVOSO CENTRAL Manifestações clínicas Necrose probabilidade moderada> probabilidade 40 Gy (10x)50 Gy (15x) 50 Gy (20x)60 Gy (20x) 60 Gy (30x)70 Gy ( 30x) fracionamento de doses = 5 semanas  dores de cabeça  aumento da pressão intracraniana  deficiência sensorial  alterações psicóticas

58 20% dos pacientes receberam 42 Gy (15x)55 Gy (25x) 60 Gy (30x) 70 Gy (40x) danos no nervo óptico  cegueira 10% dos pacientes receberam 47 Gy na coluna espinhal Dose tolerante = Gy  paralisia PELE Manifestações clínicas Locais mais sensíveis: onde ocorre maior atrito e umidade axila, virilha e “dobras” * difícil cicatrização * necrose * ulceração crônica* epilação permanente * despigmentação* limitação de movimentos * fibrose severa (> 52 Gy/20x)

59 SISTEMA GASTROINTESTINAL Manifestações clínicas (49 a 72 Gy)  Constipação  dor abdominal (com ou sem ulceração)  diarréia contínua e sangüinolenta  anemia  perda de peso  ulcerações periretal SISTEMA CARDIOVASCULAR Manifestações clínicas  25 a 35% dos pacientes  50 Gy (25x)  redução das funções ventriculares  efusão pericardial

60 ABRIL A AGOSTO/97 Soldados  desenvolveram lesões na pele Diagnóstico  bolhas térmicas, dermatite ou vasculite de contato AGOSTO/97 Diagnóstico: “bolhas de vários graus (radiação) Exposições fracionadas, por vários meses 26/08/97 Descoberto  ponto de radiação centro de treinamento 13/09/97  6 fontes foram estocadas temporariamente próximo a um ferro velho  1 fonte foi removida do bolso da jaqueta de inverno de um soldado Agosto/97 - Lilo

61 INÍCIO DE SETEMBRO/97 Todos os pacientes  reações locais de radiação Alguns apresentaram SAR 09/10/97 IAEA foi notificada 22/10/97  Pacientes NA, EP, CG apresentaram náusea, vomito, perda de apetite e eritema  Paciente EP apresentou dores de cabeça  Paciente CG apresentou dores de cabeça e mal estar  paciente SN não apresentou sintomas

62 PACIENTE NA 10-17/07/96 hospitalizado sem diagnóstico preliminar DEZEMBRO/96 lesões nos tecidos das coxas atrofia do polegar, dedo indicador e mínimo (2 mãos) 13/05/97 hospitalizado para enxerto na pele (sem sucesso) 10/10/97 diagnosticado SAR, fase subaguda, queimadura de radiação de 4 o grau nas coxas

63 EP, CG, TK, GL e BZ  diagnóstico: doenças de pele eritemas tornaram-se ulceras demarcadas com necrose central SO e ID  diagnóstico: “dermatite tóxica” com infecções secundárias recaída Todos os pacientes sinais gerais e sintomas doença crônica de radiação com ulceração na pele ( síndrome cutânea)

64 PACIENTE EP 03/04/97 náusea, vomito, fraqueza temperatura 37,5 a 38 o C 12 a 15/04/97 lesões cutâneas 33 máculas despigmentadas em diversas partes do corpo (abdome, costas, braços, pernas, tórax e próximo a glândula tireóide) pontos com hemorragia lesões primárias sem cicatrização: antebraço, costas, nádega direita e panturrilha esquerda DIAGNÓSTICO: 33 lesões com severidade de 1 o a 4 o grau em diferentes partes do corpo

65 PACIENTE CG ABRIL/97 náusea, vomito, fraqueza temperatura 37,6 a 38,2 o C Ulceração na coxa direita Necrose nos músculos da coxa Sangramento com pus queda de cabelo Realizado dois enxertos na pele (insatisfatório) Após a cirurgia, a úlcera aumentou de tamanho Retrações devido a fibrose no polegar, indicador e médio da mão direita DIAGNÓSTICO: lesão de 4 o grau (extremamente severo) na pele e tecido subcutâneo da coxa direita com áreas necrosadas

66 PACIENTE TK Úlcera na coxa direita Sangramento e hemorragias pontuadas pus queda de cabelo DIAGNÓSTICO: lesão de 4 o grau (extremamente severo) na coxa direita PACIENTE GL Úlcera na panturrilha esquerda Sangramento e hemorragias pontuadas máculas despigmentadas no pé esquerdo e na panturrilha direita DIAGNÓSTICO: lesão de 2 o e 3 o grau nas panturrilhas

67 PACIENTE BZ Úlcera na panturrilha esquerda e direita Pele despigmentada e sem pêlos ao redor da úlcera Hemorragias pontuadas DIAGNÓSTICO: lesão de 2 o e 3 o grau nas panturrilhas PACIENTE GG Úlcera na coxa e joelhos Pele despigmentada e sem pêlos ao redor da úlcera Hemorragias pontuadas Sem pêlo nas áreas ulceradas DIAGNÓSTICO: lesão de 3 o e 4 o graus na coxa direita

68 PACIENTE SO Úlcera na coxa Dificuldade de movimentação Sangramento ao tocar Hemorragias pontuadas Sem pêlo nas áreas ulceradas DIAGNÓSTICO: lesão de 3 o e 4 o graus na coxa esquerda PACIENTE ID 14 máculas despigmentadas na parte superior do corpo (ombro, tórax e abdomem e costas) úlcera na região glútea pontos com hemorragia DIAGNÓSTICO: lesões com severidade de 3 o e 4 o grau

69 PACIENTE SN Úlcera na coxa esquerda Sangramento ao tocar pontos com hemorragia Sem pêlo nas áreas ulceradas DIAGNÓSTICO: lesões com severidade de 2 o e 3 o grau na coxa esquerda PACIENTE AN Numerosas lesões nas mãos Perda de flexão Radionecrose na polpa do polegar e dedo médio ÍNDICES HEMATOLÓGICOS (10/97) leucopenia moderada EP, CG, BZ, SO, ID linfocitopenia AN, EP, CG, BZ, SO, VZ

70 PÓS TRATAMENTO GL, GG, SO, ID, VZ e SN retornaram a Georgia no final de EP (alta em 01/98) Sem sequelas TK Apresentou completa cicatrização Permaneceu hospitalizado para reabilitação AN apresentou boa condição geral lesões nas coxas cicatrizadas polegar direito cicatrizado BZ (alta em ) Completa cicatrização

71 Dezembro/98 - Istanbul 60 Co – radioterapia 02/98:  foi transportado duas blindagens de Ankara para Istambul  estocada no ferro velho  as blindagens foram removidas e acondicionadas em local vazio  9 meses após o ferro velho foi vendido  donos não perceberam as blindagens – foram vendidas como metal 10/12/98  pessoas que compraram o ferro velho, ignoraram o perigo de radiação  quebraram os containers

72 ACIDENTE 11-12/93- 3 fontes de 60 Co -radioterapia 02/98 – 2 fontes (A e B) foram transportadas para Istanbul 1 fonte (C ) permaneceu em Ankara 09-17/12/98  blindagens vendidas  carregadas por 2 irmãos (MI e NI)  MI, NI e KI quebraram os containers (pessoas observando)  MI colocou sua mão no centro do container.  Mal-estar (náusea e vômito  diagnóstico: intoxicação alimentar  KI teve vômitos por 4 dias  MI - vermelhidão no 2 o e 3 o dedos da mão direita

73 08-15/01/99  NI e I I  hospital particular  médico suspeitou de radiação  coletadas amostras sangüíneas de NI, II, AI e GI 404 pessoas (trabalhadores, médicos, físicos e a população) 18 pessoas (7crianças) – admitidos no hospital 10 adultos – apresentaram sintomas de SAR 5 adultos – hospitalizados por 45 dias 1 adulto – apresentou lesão na pele de 2 dedos da mão direita 12 pessoas apresentaram leucocitose (aumento de células brancas) 05 pessoas apresentaram leucopenia (baixa de células brancas

74 PACIENTE MI descamação na superfície palmar do 2 o e 3 o dedos da mão direita sem dor local - sem febre dedos epitelizados e sem ulceração (24/02/99) redução significante no osso da 1 a falange do 2 o dedo (04/99) osteoporose, atrofia tecidual da 1 a falange do 2 o dedo e limitações na flexão (07/99) amputação da 1 a falange do 2 o dedo (11/99) reaparecimento das lesões ulcerativas com intervenção cirúrgica (02/00) PACIENTE NI PACIENTE HI leve sangramento na pele gengiva temperatura normal 39 o C

75 PACIENTE KI  leve sangramento na pele  infecção viral (herpes) no lábio  infecção comum em pacientes com aplasia  sem febre PACIENTE II  leve sangramento na pele  leve sangramento na submucosa da cavidade oral  39 o C de febre doses estimadas entre 2 e 4 Gy IAEA (equipe médica) recomendou : isolamento (prevenir infecções) transfusão de plaquetas (redução de sangramento)

76 02/99 10 pacientes estavam com o quadro clínico regular 04/99 contagem normal de células sangüíneas e plaquetas normais células brancas normais em 7 pacientes( MI, NI e KI  ) 03/00 sem sinais clínicos ou complicações apresentaram fadiga, dores de cabeça ocasionais e efeitos psicológicos

77 Fevereiro/99 - Yanango  Hidroelétrica de Yanango (Lima – Peru)  Reparo de um tubo ( 192 Ir)  12 horas  Fonte - desconectada soldador - colocou no bolso  Soldador sentiu dor na coxa direita  Ônibus para casa com mais 15 pessoas (22 horas)  20 horas  técnico- os reparos estavam prontos - radiografia  22 horas o assistente relatou que não havia radiação  Verificou-se que o cabo estava solto e a fonte havia desaparecido

78 EM CASA  O soldador chegou às 22:30 h  Relatou o ocorrido a esposa  Ela observou que a área estava avermelhada  Retirou a fonte do bolso e colocou na escada  Médico diagnosticou “picada de inseto” (compressas de água quente)  Pessoas na casa : criança de 18 meses, menina 10 anos, menino de 7 anos, esposa (permaneceram por 2 horas a + 3 metros) 21/02/99  admitido no hospital  amostras sangüíneas de todas as pessoas  somente o soldador tinha sido severamente exposto

79 TRATAMENTO MÉDICO 21/02/99 admitido no hospital ~ 20 horas após a exposição Apresentou eritema na parte superior da coxa 22/02/99 Apareceram bolhas ao redor da coxa 23/02/99 As bolhas aumentaram de tamanho juntando a coxa a nádega 26/02/99 Edema subcutâneo, inchaço no músculo da coxa 28/02/99 Cicatrização do edema da coxa progressiva desnudação evidente necrose da lesão

80 01-15/03/99 hiperpigmentação superficial ao redor da área inflamada ulceração superficial aparecimento de herpes genital dor intensa dificuldade na movimentação da perna direita 16-20/03/99 dormência na parte externa da coxa direita hipersensibilidade na parte interna necrose do tecido subcutâneo músculo tornou-se visível desaparecimento do herpes emagrecimento rápido (7 kg/mês)

81 24-31/03/99 vesículas e bolhas no 2 o e 3 o dedos da mão direita Eritema nas mãos Febre 39 o C Aparecimento de úlcera com pus (Streptococcus aureus) Úlceras na região glútea e saco escrotal 05-15/04/99 Redução do nível de testosterona 29ng/dL (normal 300–1000ng/dL) Decaimento de hemoglobina para 7,9 g/L (normal g/L) Transfusão de sangue bolhas na palma da mão direita próxima aos dedos 2 o, 3 o, 4 o e 5 o dedos da mão direita

82 20-30/04/99 eritema e descamação seca na parte externa da perna direita hemorragia grandes áreas de necrose edema 09/05/99 grande lesão necrótica na parte superior da coxa direita lesão profunda 13-16/06/99 temperatura de 39 o C leucocitose traços de necrose purulenta 18/10/99 coxa  inchada com descamação seca ulceração do períneo

83 14/12/99 lesões ulceronecróticas no períneo e perna esquerda exposição do osso 28/04/00 reaparecimento de lesão ulceronecrótica na perna direita Cálculo de dose estimada: Pele (14 cm do centro da lesão ) ~2 Gy Femur ~15 Gy Artéria femural 10 a 15 Gy Nervo Ciático 25 a 30 Gy


Carregar ppt "ACIDENTES NUCLEARES. São acidentes que ocorrem em instalações nucleares Acidente Radiológico/ Radioativo/por Radiação É caracterizado por:  campos de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google