A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

 Suporte a Diversos Padrões de Comunicação através de Meio Físico Padronizado.  Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out através de Interface de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: " Suporte a Diversos Padrões de Comunicação através de Meio Físico Padronizado.  Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out através de Interface de."— Transcrição da apresentação:

1  Suporte a Diversos Padrões de Comunicação através de Meio Físico Padronizado.  Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out através de Interface de Conexão Padronizada.  Possuir Arquitetura Aberta possibilitando a Conectividade entre Produtos de Diversos Fabricantes.  Aderência aos Padrões Internacionais. Conceitos Básicos do Sistema de Cabeamento Estruturado Conceitos Básicos do Sistema de Cabeamento Estruturado

2  Sistema Telefônico/Ramais de PABX.  Redes de Computadores/Computadores Pessoais.  Intercomunicação / Sonorização.  Televisão / TV a Cabo / CFTV.  Controle de Iluminação.  Detectores de Fumaça.  Controle de Acesso/Leitoras de Cartão.  Sistemas de Segurança.  Controles Ambientais (Ar Condicionado e Ventilação). Suporte a Diversos Padrões de Comunicação... Suporte a Diversos Padrões de Comunicação...

3 A 365A 390A 370C 380A EIA-232 IBM 3270 AS/400 Fujitsu Token Ring Telefonia ISDN BRI ATM155, 622 e 1200 Mbps UTP 384A TV a Cabo 10BaseT 100BaseT 1000BaseT Fax...Através de Meio Físico Padronizado - UTP...Através de Meio Físico Padronizado - UTP

4 384A 385DP UTP COAXIAL COAXIAL UTP77CANAIS C A T V Aplicações de TV a Cabo - CATV Aplicações de TV a Cabo - CATV

5 380A 380A UTP COAXIAL SAÍDAAUDIO ENTRADAAUDIO COAXIAL UTP Aplicações de Vídeo Banda Base Aplicações de Vídeo Banda Base

6 Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out... Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out...

7 ...Através de Interface de Conexão Padronizada RJ-45...Através de Interface de Conexão Padronizada RJ-45

8  Avaya ®, Micronet ®, NCR ®, Nortel ®, 3Com ®.  10BASE-T / 100BASE-T / 1000BASE-T.  ATM 155 Mbps, 622 Mbps e 1.2 Gbps.  Token Ring 4/16 Mbps.  FDDI, TPPMD.  IBM 3270, AS 400.  Honeywell, Johnson Controls.  Carrier ®. Possuir Arquitetura Aberta Possuir Arquitetura Aberta

9  ANSI/TIA/EIA-568A - Cabeamento Estruturado.  ANSI/TIA/EIA-568A-5 - Cabeamento CAT.5e.  ANSI/EIA/TIA-569A - Caminhos e Espaços para CE.  ANSI/TIA/EIA Administração e Identificação do CE.  ANSI/TIA/EIA Aterramento do CE.  TSB-67 - Parâmetros de Testes em Campo do UTP CAT.5.  TSB-95 - Parâmetros Adicionais de Testes em Campo CAT.5.  ISO/IEC Cabeamento Estruturado.  Cobei/ABNT - NBR (  568A).  Cobei/ABNT - Projeto (  569A). Aderência aos Padrões e Normas Vigentes Aderência aos Padrões e Normas Vigentes

10 Subsistemas do Sistema de Cabeamento Estruturado Subsistemas do Sistema de Cabeamento Estruturado

11 Subsistema Área de Trabalho - ATR Subsistema Área de Trabalho - ATR

12 No mínimo 1 ATR a cada 10 m 2 de acordo com a Norma NBR Dimensionamento da Área de Trabalho - ATR Dimensionamento da Área de Trabalho - ATR

13 No mínimo 2 PT - Ponto de Telecomunicações por ATR de acordo com a Norma NBR Quantidade de PT por Área de Trabalho - ATR Quantidade de PT por Área de Trabalho - ATR

14 São reconhecidos 2 Esquemas de ligação do Conector Modular 8 Vias CM8V pela Norma NBR Esquemas de Ligação do Conector Modular CM8V Esquemas de Ligação do Conector Modular CM8V

15 Armário de Telecomunicações Information Outlet (IO) IO Rede Secundária Subsistema Rede Secundária Subsistema Rede Secundária

16 Subsistema Rede Secundária Subsistema Rede Secundária

17 Existem 4 tipos de cabos reconhecidos pela Norma NBR Cabo UTP 4 Pares  Cabo Óptico MM 2 Fibras /125  m Tipos de Mídia da Rede Secundária Tipos de Mídia da Rede Secundária Cabo Óptico MM 2 Fibras - 50/125  m Cabo SCTP e FTP 4 Pares 

18 De acordo com a Norma NBR as mídias devem ser utilizadas da seguinte maneira:  Um PT deve ser suportado por um cabo UTP de 4 Pares, 100 , categoria 3 ou superior.  O segundo PT deve ser suportado, no mínimo, por um dos seguintes meios secundários:  Cabo UTP de 4 Pares e 100  (categoria 3 ou superior).  Cabos Blindados SCTP e FTP de 4 Pares e 100 .  Cabo de Fibra Óptica Multimodo com duas fibras 62,5/125  m.  Cabo de Fibra Óptica Multimodo com duas fibras 50/125  m. Escolha das Mídias da Rede Secundária Escolha das Mídias da Rede Secundária

19 Token Ring 10BASE-T ATM Telefonia Padrões Suportados pelo Cabo UTP de 4 Pares Cat.5 ou Superior Padrões Suportados pelo Cabo UTP de 4 Pares Cat.5 ou Superior

20 TIA/EIA TSB-75 Método TradicionalxZone Wiring Múltiplos Cabos de 4 pares Painel de Conexão Armário de Telecomunicações PCC Cabo de 25 Pares Ponto de Consolidação Armário de Telecomunicações Painel de Conexão

21 Armário de Telecomunicações (AT) Cabos UTP 25 Pares PT Ponto de Consolidação de Cabos (PCC) Conexão Cruzada da Rede Secundária Cabos UTP 4 Pares Escritório Montado com Arquitetura ZONE WIRING Escritório Montado com Arquitetura ZONE WIRING

22 CABO UTP 25 PARES CABO UTP 4 PARES CAIXA DE SUPERFÍCIE BLOCO DE CONEXÃO IDC PARES KIT BLOCO DE CONEXÃO IDC PARES Soluções para ZONE WIRING Soluções para ZONE WIRING

23  Mudanças e Reconfigurações Freqüentes do Local.  Limitações na Infra Estrutura do Ambiente.  Número de Pontos Insuficiente.  Flexibilidade na Alteração de Layouts.  Instalações e Móveis Modulares.  Utilização de Divisórias. ZONE WIRING é a solução ideal para locais que sofram alterações de layouts ou reconfigurações com uma certa freqüência Motivadores do ZONE WIRING Motivadores do ZONE WIRING

24 Cabos da Rede Primária Equipamentos Hardware de Conexão Subsistema Armário de Telecomunicações - AT Subsistema Armário de Telecomunicações - AT

25 No mínimo 1 AT por andar (até 1000 m 2 ) de acordo com o Projeto de Norma ATs adicionais deverão ser fornecidos caso:  A área do andar a ser servido exceder 1000 m 2.  A distância da Rede Secundária à ATR exceder 90 m. Área a ser servidaTamanho do AT até 500 m 2 1,50 m x 0,80 m de 500 à 1000 m 2 1,50 m x 1,20 m (*) Dimensionamento do Armário de Telecom- AT Dimensionamento do Armário de Telecom- AT (*) Tamanho mínimo

26 Armário de Telecom p/ Andares c/ até 500 m 2 Armário de Telecom p/ Andares c/ até 500 m 2

27 Armário de Telecom p/ Andares de 500 à 1000 m 2 Armário de Telecom p/ Andares de 500 à 1000 m 2

28 Sleeve Backbone Riser Cable Rede Primária Subsistema Rede Primária Subsistema Rede Primária

29 Subsistema Rede Primária Subsistema Rede Primária

30 Existem 4 tipos de cabos reconhecidos pela Norma NBR Cabo STP-A 2 Pares  Cabo Óptico Multimodo /125  m Cabo Óptico Monomodo - 9/125  m Cabos UTP  Tipos de Mídia da Rede Primária Tipos de Mídia da Rede Primária

31 Dutos de Passagem dos Cabos Equipamentos Hardware de Conexão Cabos da Rede Primária Subsistema Sala de Equipamento SEQ Subsistema Sala de Equipamento SEQ

32 De acordo com o Projeto de Norma a Sala de Equipamento deve ser dimensionada em função da demanda inicial e futura dos equipamentos Recomenda-se uma área de 0,07 m 2 de Sala de Equipamento para cada ATR de 10 m 2, conforme a tabela abaixo: Qtd. de ATRsTamanho da SEQ m 2 (*) 101 à m à m à m 2 Dimensionamento da Sala de Equipamento Dimensionamento da Sala de Equipamento (*) Tamanho mínimo

33 Cabo de Interligação Externo Caixa de Emenda Unidades de Proteção Elétrica Hardware de Conexão Cabos da Rede Primária Subsistema Sala de Entrada de Telecom SET Subsistema Sala de Entrada de Telecom SET

34  Ponto de Demarcação entre o SP e o Cliente.  Proteção Elétrica dos Cabos que Chegam da Parte Externa (Cabo de Interligação Externo).  Aterramento do Cabeamento do Edifício.  Conexões e Emendas Feitas entre o Cabo de Interligação Externo e a Rede Primária do Edifício. Principais Funções da Sala de Entrada de Telecom - SET Principais Funções da Sala de Entrada de Telecom - SET

35 De acordo com o Projeto de Norma a Sala de Entrada de Telecomunicações deve ter, no mínimo, 6 m 2 (3 x 2 m 2 ) em edifícios com até 1000 ATRs Para edifícios com mais de 1000 ATRs recomenda-se adicionar 1 m 2 para cada 500 ATRs ou fração Dimensionamento da Sala de Entrada de Telecom - SET Dimensionamento da Sala de Entrada de Telecom - SET

36 Subsistema Administração Subsistema Administração

37 Hardware de Conexão Identificação Exemplos de Administração Exemplos de Administração

38 Sugestão de Identificação Sugestão de Identificação

39 Identificação do Cabeamento Identificação do Cabeamento

40   O cabeamento de hoje suportará as aplicações de amanhã (Ex.: ATM 155 Mbps, 622 Mbps e 1.2 Gbps, 1000Base-T, 1000Base-LX, 1000Base-SX, etc.)  Upgrades são facilmente executados.  Flexibilidade e Facilidade na alteração de lay-outs.  Possibilidade de instalação e implantação modulares.  Baixo custo operacional.  Etc, etc, etc,... Benefícios do Sistema de Cabeamento Estruturado Benefícios do Sistema de Cabeamento Estruturado

41  Manufatura / Indústria.  Aeroportos.  Hospitais.  Hotéis.  Universidades.  Finanças.  Telecomunicações.  Entre outros... Ramos de Atividade Suportados pelo S.C.S. Ramos de Atividade Suportados pelo S.C.S.

42  Banco Real (  pontos - Em andamento).  Editora Abril (2 Unidades  pontos).  Banco Santander (  pontos).  Rede Globo de Televisão (  pontos).  Microsoft (  pts. Cat.6).  Bancos Merrill Lynch, Brascan, BCN, Bradesco, etc.  Hospitais Albert Einstein, São Luis, Samaritano, etc.  Vésper, BASF, Credicard, BM&F, Editora Globo.  Empresas do Grupo POLICOM, entre outras... Algumas Instalações de Referência no Brasil Algumas Instalações de Referência no Brasil

43 Para que um sistema de cabeamento possa realmente ser estruturado diversos aspectos devem ser levados em conta e com certeza o custo inicial será maior, no entanto pode se obter diversos benefícios tais como uma vida útil maior do cabeamento e a flexibilidade na mudança de lay-out. Conclusão


Carregar ppt " Suporte a Diversos Padrões de Comunicação através de Meio Físico Padronizado.  Permitir Flexibilidade na Mudança de Lay-out através de Interface de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google