A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

METODOLOGIA E RELATORIA. SCDC A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – SCDC foi instituída pelo Decreto nº 7.743, em 31 de maio de 2012 e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "METODOLOGIA E RELATORIA. SCDC A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – SCDC foi instituída pelo Decreto nº 7.743, em 31 de maio de 2012 e."— Transcrição da apresentação:

1 METODOLOGIA E RELATORIA

2 SCDC A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – SCDC foi instituída pelo Decreto nº 7.743, em 31 de maio de 2012 e reuniu as atividades de duas secretarias anteriores - SCC e SID,por intermédio do Programa Nacional de Promoção da Cidadania e da Diversidade Cultural Cultura Viva e do Programa Brasil Plural. Essa nova conformação tem por objetivo fortalecer o protagonismo cultural da sociedade brasileira, valorizar as iniciativas culturais de grupos e comunidades em áreas de vulnerabilidade sociocultural e ampliar o acesso aos bens culturais.

3 TEIA NACIONAL DA DIVERSIDADE A TEIA da Diversidade é o encontro nacional dos Pontos de Cultura e das redes da diversidade que integram o Programa Cultura Viva. Em sintonia com as estratégias e diretrizes gerais do Plano Nacional de Cultura, a TEIA Nacional da Diversidade 2014 abre um espaço para encontro, reconhecimento, convivência, reflexão, formação e divulgação de temas prioritários de grupos, coletivos, comunidades, Pontos de Cultura e iniciativas que integram o Programa Cultura Viva.

4 OBJETIVOS Refletir criticamente sobre: A proposta de realinhamento do PCV, a partir da Portaria 118 de 30 de dezembro de 2013, na perspectiva de instituí-lo como um programa de base comunitária para o Sistema Nacional de Cultura e O processo de integração de programas, projetos e ações do Cultura Viva ao Sistema MinC e órgãos de cultura de entes federados.

5 PARA QUEM Mestres, praticantes, brincantes e grupos das culturas populares, urbanas e rurais Artistas e grupos artísticos independentes Pessoas em situação de rua Pessoas em situação de sofrimento psíquico Pessoas em privação de liberdade Crianças e adolescentes em cumprimento de medidas sócio educativas; (trabalho infantil) Populações de regiões fronteiriças grupos assentados da reforma agrária População sem teto Populações atingidas por barragens Comunidades de descendentes de imigrantes Crianças, adolescentes, jovens e idosos Pessoas com deficiência Povos indígenas, quilombolas, povos de terreiro, povos ciganos, outros povos e comunidades tradicionais e minorias étnicas Pessoas ou grupos vítimas de violência População LGBT Mulheres

6 METODOLOGIA Tradução intercultural, foco na horizontalidade, na troca de saberes, na fluidez e simultaneidade. É um esforço para reforçar as convergências e sinergias a partir da diversidade. Propomos atividades simultâneas, autogestionadas, preferencialmente com poucos debatedores para que todos os participantes possam dialogar. Os debatedores atuam como problematizadores ou provocadores, dando subsídios ao debate, que idealmente deve fluir entre todos os participantes.

7 ESPAÇO DE CONVERGÊNCIA Atividades autogestionadas organizadas pela SCDC, pelo Sistema MinC, pontos de cultura, instituições parceiras para reflexão, ação, debate, formação dos públicos da diversidade. Oficinas dos Pontos de Cultura: são as oficinas formativas propostas pelos Pontos de Cultura, que foram selecionadas por chamada pública, oferecidas para o público em geral. Programação Artística e Cultural: programação cultural e atividades formativas oriundas da Chamada Pública, propostas pelos pontos de cultura e pelos beneficiários do Cultura Viva e Brasil Plural. Feira de Economia Solidária e Criativa: vai ter artesanato, peças de vestuário e outros itens artísticos destinados à venda que são representativos da diversidade cultural e regional do Brasil.

8 DIÁLOGOS DA CIDADANIA E DA DIVERSIDADE Seminários, encontros e rodas de conversa que além do debate dos temas próprios aos seus segmentos, colaboram na reflexão dos objetivos da Teia ao formular e propor prioridades que subsidiarão o planejamento do Programa Cultura Viva, a partir de duas questões condutoras.

9 DIÁLOGOS DA CIDADANIA E DA DIVERSIDADE Questões 1.Definir as ações prioritárias para o meu segmento? (Propor ação, fomento, periodicidade, elencar três ações prioritárias) 2.Propor estratégia de articulação com o Sistema Nacional de Cultura (entre o Sistema Minc e entre os entes federados, elencar três propostas)

10 Os Diálogos da Cidadania e da Diversidade contarão com relatoria a cargo de bolsistas da UFRN e IFRN, para registro topicalizado e sistematizaçao dos principais conteúdos discutidos e consequente organização das propostas para apresentação e debate no momento de Síntese do Fórum da Cidadania e Diversidade e para subsídio dos planejamentos futuros. A Síntese do Fórum da Cidadania e Diversidade será no dia 24 pela manhã na Tenda da Diversidade.

11 Os relatores e as relatoras serão de graduação e cursos técnicos da UFRN e IFRN que ajudarão na produção e registro da memória do grupo de eventos relacionados aos Diálogos da Cidadania e da Diversidade. A função dos e relatoras será registrar os principais tópicos de discussão, sistematizando-os. Irão atuar sempre em DUPLA, sendo essa composta por pessoa indicada pelo proponente do evento, para orientar na construção do conteúdo.

12 Comunidade de aprendizagem As CA pressupõem três noções essenciais: a existência de um espaço de partilha e construção das aprendizagens; a existência de um processo de aprendizagem que se suporta no apoio mútuo entre os seus membros e se caracteriza pela colaboração, interação, pertença a um grupo e sentimento de partilha de saberes e experiências e ainda pela definição do conceito de aprendizagem como sendo um processo de construção que se edifica ao longo de um percurso.

13 A relatoria será feita no ambiente virtual do Observatório Participativo da Juventude, o Participatório: diversidadehttp://participatorio.juventude.gov.br/groups/profile/214083/teia-nacional-da- diversidade Página Colaborativa: Todos os relatores devem criar seu perfil no Participatório: participatorio-e-muito-simpleshttp://participatorio.juventude.gov.br/blog/view/212915/criar-um-perfil-no- participatorio-e-muito-simples

14 O termo escrita colaborativa se refere a alguns projetos cujos textos são criados de modo colaborativo, e não de forma individual. Alguns projetos são supervisionados por um editos ou um time editorial, mas muitos crescem sem orientação específica. A escrita colaborativa tem sido muito usada no contexto educacional e, por isso, vem despertando a atenção dos pesquisadores que se dedicam a estudar as novas formas de ensino-aprendizagem na sociedade moderna. Fonte: acesso e 15/05/2014.http://pt.wikipedia.org/wiki/Escrita_colaborativa

15 PERÍODO E LOCAL 19 a 24 de maio - Campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) - Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

16 INFORMAÇÕES Programação completa, notícias e mais informações no site Canais de comunicação Facebook Twitter YouTube Instagram Souncloud

17 OBRIGADA Valéria Viana Labrea Coordenação de Metodologia, programação, relatoria e avaliação da Teia Nacional da Diversidade 2014 Consultora do Observatório Participativo da Juventude da Secretaria Nacional de Juventude da Secretaria-Geral da Presidência da República


Carregar ppt "METODOLOGIA E RELATORIA. SCDC A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – SCDC foi instituída pelo Decreto nº 7.743, em 31 de maio de 2012 e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google