A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO Descoberta do Fenômeno da Depressão Alastrante (Leão, 1944); Estudos do sinal óptico intrínseco concomitante à depressão alastrante em retinas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO Descoberta do Fenômeno da Depressão Alastrante (Leão, 1944); Estudos do sinal óptico intrínseco concomitante à depressão alastrante em retinas."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO Descoberta do Fenômeno da Depressão Alastrante (Leão, 1944); Estudos do sinal óptico intrínseco concomitante à depressão alastrante em retinas de rã (Gouras, 1958); Descrição das alterações das propriedades ópticas em retina de ave (Martins- Ferreira e Oliveira Castro, 1966 ). Associação da videomicroscopia ao estudo de fenômenos biológicos (década de 90); Procedimento de análise do sinal óptico intrínseco em todas as camadas da retina de ave sem corte histológico (Duarte, 2003).

2 OBJETIVO Apresentar uma técnica de processamento de imagem para a construção da evolução espaço-temporal do espalhamento de luz durante a Depressão Alastrante em retina de ave.

3 MATERIAIS E MÉTODOS Suporte computacional LANEC Processamento: Fortran Saída Gráfica: Matlab Montagem experimental para aquisição do sinal óptico. Determinação da Velocidade de propagação A tangente do ângulo é a estimativa da velocidade. x t

4 DP Janela de observação, para montagem da imagem única Alinhamento de colunas de um conjunto de imagens sucessivas e justapostas de modo a formar uma imagem única. O deslocamento DP das colunas é função da velocidade.

5 RESULTADOS Evolução espaço temporal do espalhamento de luz na retina Média das linhas 2 mm

6 Benefícios deste método: Corrige distorções no sinal óptico dentro da camada em estudo; Facilidade da visualização do fenômeno em imagem única; Fácil determinação do comprimento longitudinal espacial e temporal de cada um dos picos; Método Novo Método Antigo 2 mm

7 Benefícios deste método: Corrige distorções no sinal óptico dentro da camada em estudo; Facilidade da visualização do fenômeno em imagem única; Fácil determinação do comprimento longitudinal espacial e temporal de cada um dos picos; Amostra das imagens originais Imagem final

8 DISCUSSÃO E CONCLUSÃO Método permite a análise de parâmetros cinéticos da onda de DA sem as distorções causadas pela propagação do sinal óptico ao longo das camadas da retina; Os resultados são, em conseqüência, mais precisos; As informações sobre o comprimento dos picos podem ser associadas com características fisiológicas do tecido durante o fenômeno como excitabilidade, movimentações iônicas, mecanismos de transporte, entre outras; Os resultados obtidos são coerentes com outros encontrados na literatura.

9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS LEÃO, A. A. P., 1944, Spreading Depression of Activity in the Cerebral Cortex, J. Neurophysiology, v. 8, pp. 33-45. GOURAS, P., 1958, Spreading Depression of activity of amphibian retina, Am. J. Physiology, v. 195, pp. 18-32. MARTINS-FERREIRA, H., OLIVEIRA CASTRO, G., 1966, Light- Scattering Changes Accompanying Spreading Depression in Isolated Retina, J. Neurophysiology, v. 29, pp. 715-726. DUARTE, M. A., ALMEIDA, A. C. G., INFANTOSI, A. F. C. & BASSANI, J. W. M., 2003, Functional Imaging of the Retinal Layers by Laser Scattering: An Approach for the Study of Leãos Spreading Depression in Intact Tissue, Journal of Neuroscience Methods, v. 123, pp. 139-151.


Carregar ppt "INTRODUÇÃO Descoberta do Fenômeno da Depressão Alastrante (Leão, 1944); Estudos do sinal óptico intrínseco concomitante à depressão alastrante em retinas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google