A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEXUALIDADE E AFETIVIDADE NA DEPENDÊNCIA QUIMICA Juliana Almeida Psicóloga UNIAD SBC Marina Rodrigues Terapeuta Ocupacional UNIAD SBC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEXUALIDADE E AFETIVIDADE NA DEPENDÊNCIA QUIMICA Juliana Almeida Psicóloga UNIAD SBC Marina Rodrigues Terapeuta Ocupacional UNIAD SBC."— Transcrição da apresentação:

1 SEXUALIDADE E AFETIVIDADE NA DEPENDÊNCIA QUIMICA Juliana Almeida Psicóloga UNIAD SBC Marina Rodrigues Terapeuta Ocupacional UNIAD SBC

2 Definições Sexo: relaciona-se as características biológicas que definem seres humanos como homem ou mulher. Sexualidade é um aspecto central do ser humano durante a vida. Abrange sexo, identidade e papéis do gênero, orientação sexual, erotismo, prazer, intimidade e reprodução. A sexualidade é experienciada e expressada em: pensamentos, fantasias, desejos, opiniões, atitudes, valores, comportamentos, práticas, papéis e relacionamentos. A sexualidade é influenciada pela interação de fatores biológicos, psicológicos, sociais, econômicos, políticos, cultural, éticos, legais, históricos e religiosos e espirituais.

3 Definições Saúde sexual: é um estado de bem estar físico, emocional, mental e social relacionado a sexualidade. Não é meramente a ausência da doença, disfunção ou enfermidade. A saúde sexual pode ser influenciada por aspectos relacionados ao comportamento sexual, atitudes e fatores de sociedade (risco biológico e predisposição genética).

4 Afetividade A afetividade compreende o estado de humor ou ânimo, os sentimentos, as emoções e as paixões e reflete sempre a capacidade de experimentar sentimentos e emoções. É ela quem determina a atitude geral de pessoas diante de qualquer experiência, promove impulsos motivacionais e inibidores, e percebe os fatos de maneira agradável ou sofrível. É uma dinâmica profunda e completa que liga uma pessoa a outra, na descoberta dos sentimentos de relação afetiva.

5 Sexualidade O mundo moderno preconiza que o ser humano logre uma melhor qualidade de vida. A sexualidade humana está embutida nessa melhoria porque, sem sombra de dúvida, é uma das maiores, senão a maior fonte de prazer da espécie humana.

6 Sexualidade A sexualidade não cumpre apenas a função social de reprodução da espécie, mas também da busca de prazer pessoal. A sexualidade deve ser compreendida em todas as suas esferas, biológica, psicológica e social. Nela há a necessidade de receber e expressar afeto, e o contato que todas as pessoas possuem e que traz sensações prazerosas. Não é apenas sexo ou ato sexual, mas é toque, abraço, gesto, carinho e troca afetiva. Embasa o bem-estar do indivíduo, tanto do ponto de vista físico quanto psicológico, este é o sentido da sexualidade.

7 A Dependência Química Infelizmente, muitas substâncias que influenciam a sexualidade humana diminuem, em vez de intensificarem, o desejo e o prazer sexual, especialmente, quando ingeridas em doses acentuadas e de forma contínua.

8 DrogaDesejoExcitaçãoOrgasmo Álcool Aumenta em pequenas doses Prolonga por reduzir a sensibilidade Retarda em elevadas doses Diminui em elevadas dosesUso crônico causa impotência Morfina e derivados Ausente em elevadas dosesImpotência em elevadas dosesInibe em elevadas doses Cocaína Registros de aumento Há registro de aumentoAumenta em pequenas doses Impotência em elevadas doses Interfere em elevadas doses, sobretudo na mulher Anfetaminas Aumenta em pequenas doses Diminui em uso crônico Aumenta em pequenas doses Diminui em elevadas doses Interfere em elevadas doses, sobretudo na mulher LSD Registros de efeito mistosNenhum efeitoNão há registros Maconha Registros de efeito mistos Registros de aumento

9 Dependência Química Feminina e Sexualidade Dificuldades de ordem sexual são freqüentes causas de desenvolvimento de dependências, tendo em vista o efeito relaxante e desinibidor de determinadas substâncias psicoativas sobre o comportamento. De acordo com EDWARDS et al., 2005 a disfunção sexual pode contribuir para a cronicidade do consumo de substâncias psicoativas em mulheres e inclusive podem estar associados a comportamentos sexuais de risco, predispondo-as a HIV/AIDS e a Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST

10 No universo masculino,a sexualidade ocupa, nas mais diversas culturas, uma importância ímpar, pois, desde a mais tenra idade, o homem é levado ao culto do seu genital, estando isso vinculado aos conceitos de força, poder, magia e virilidade. (Andrade-Silva, 1999). O desempenho sexual, para o homem, tem um duplo papel: serve de canal através do qual se extravasa uma série de tensões latentes e, ao mesmo tempo, garante o atestado viril. As substâncias psicoativas podem afetar vários aspectos do comportamento sexual masculino: algumas alterando o desejo, enquanto outras afetam a resposta fisiológica manifesta nos órgãos genitais: ereção, orgasmo e ejaculação Dependência Química Masculina e Sexualidade

11 Grupo de Sexualidade e Afetividade Por quê??? O efeito das drogas sobre a sexualidade sempre gerou curiosidade entre as pessoas. O consumo de álcool e de outras drogas aumenta a freqüência de parceiros sexuais causais e a chance de uma pratica sexual de risco, isto é, sem medidas de proteção, como a camisinha.

12 Grupo de Sexualidade e Afetividade O que é discutido??? Dinâmica Seqüência de Palavras O que é uma Relação Sexual Satisfatória e o que são Disfunções Sexual O que é Transtorno Sexual Compulsão Sexual DST – AIDS Camisinha Métodos Contraceptivos Planejamento familiar Gravidez Indesejada Órgãos reprodutores Ciclo Mestrual Hormônios (masculino e feminino)

13 Referências Andrade-Silva, M.C. Identidade de gênero e expressão sexual masculina e feminina. Scientia Sexualis, Rio de Janeiro, v. 3(2): 80-88, dez Edwards, Marshall & Cook. Mulheres com problemas relacionados ao consumo de álcool. In: Edwards, Marshall & Cook. O tratamento do Alcoolismo. Porto Alegre: Artmed; Página 155. Freitas, J.D. Sexualidade, drogas e melancolia: uma abordagem multidisciplinar. Universidade de Fortaleza. Figlie, N.B., Melo, D.G., Payá, R. Dinâmicas de Grupo aplicadas no tratamento da dependência quimíca: manual teórico e prático. São Paulo: Roca, Kahhale EMP. Subsídios para reflexão sobre sexualidade na adolescência. In: Bock, AMB, Gonçalves MGM, Furtado O, (organizadores). Psicologia sócio-histórica (uma perspectiva crítica em psicologia). São Paulo: Cortez; p

14 Referências Sawaya BB. O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In: Acosta AR, Vitale MAF. Família: Redes, Laços e Políticas Públicas. São Paulo, IEE/PUCSP; Site do Kamasutra, disponivel em de-sexo-e-sexualidade-was/. Acessado em 25 de setembro de 2009.http://www.kamasutra.blog.br/2007/08/15/definicao- de-sexo-e-sexualidade-was/ Site do Kamasutra, disponivel em a-respostas-sexual-humana/>. Acessado em 25 de setembro de 2009http://www.kamasutra.blog.br/2007/08/14/drogas-e- a-respostas-sexual-humana/ Site Álcool e Drogas sem Distorção. Disponivel em Acessado em 19 de setembro de


Carregar ppt "SEXUALIDADE E AFETIVIDADE NA DEPENDÊNCIA QUIMICA Juliana Almeida Psicóloga UNIAD SBC Marina Rodrigues Terapeuta Ocupacional UNIAD SBC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google