A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

"F ATORES DE R ISCO E DE P ROTEÇÃO PARA O USO DE S UBSTÂNCIAS NA A DOLESCÊNCIA " Maria de Fátima Rato Padin.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: ""F ATORES DE R ISCO E DE P ROTEÇÃO PARA O USO DE S UBSTÂNCIAS NA A DOLESCÊNCIA " Maria de Fátima Rato Padin."— Transcrição da apresentação:

1 "F ATORES DE R ISCO E DE P ROTEÇÃO PARA O USO DE S UBSTÂNCIAS NA A DOLESCÊNCIA " Maria de Fátima Rato Padin

2 Em geral, as pessoas começam a consumir drogas por diferentes razões: Para sentir-se bem: Sensação de prazer, ex:cocaína: euforia, sensação de poder. P OR QUE ALGUMAS PESSOAS CONSOMEM DROGAS ?

3 Para sentir-se melhor: Pessoas que sofrem de ansiedade, fobia social, transtornos relacionados a estresse, a depressão = diminuir os efeitos. P OR QUE ALGUMAS PESSOAS CONSOMEM DROGAS ?

4 Para render melhor: A necessidade que algumas pessoas sentem de melhorar seu rendimento atlético ou cognitivo. P OR QUE ALGUMAS PESSOAS CONSOMEM DROGAS ?

5 Por curiosidade ou porque os outros fazem: Nesse aspecto, os adolescentes são particularmente vulneráreis devido a forte influência que têm sobre eles a pressão de seus amigos e companheiros P OR QUE ALGUMAS PESSOAS CONSOMEM DROGAS ?

6 D EPENDÊNCIA Q UÍMICA : FATORES BIOPSICOSSOCIAIS Não há um só fator que determine que alguém se torne DQ. Os riscos: constituição biológica, podendo ser influenciado pelo sexo, a etnia, a etapa de desenvolvimento, entorno social. Os fatores genéticos, incluindo as mudanças causadas por meio ambiente, constituem entre 40 e 60% da vulnerabilidade para DQ. Os adolescentes e as pessoas com transtornos mentais: maior risco. Fatores ambientais: Ambiente familiar é o mais importante na infância. Pais abusadores maior chance de que seus filhos usem/abusem. Os colegas/pares: maior influência. Fatores que aumentam riscos: uso precoce e forma de administração.

7 A DOLESCENTES A BUSADORES Têm alteração comportamental Baixo rendimento acadêmico Correm risco de gravidez não planejada Contrair DSTs Vítimas de violência e etc.

8 O QUE SE PASSA NA CABEÇA DOS A DOLESCENTES Engano: Vulcão de hormônios colocado em ebulição pelo processo de crescimento. Ou da angústia existencial própria de uma época de transição? Os adolescentes nem se ajustaram às mudanças causadas em seu corpo pela puberdade e o cérebro também começa a mudar. Pesquisas recentes revelam que nessa fase se inicia um processo de rearranjo dos neurônios tão intenso como aquele que aconteceu nos primeiros anos da infância. As áreas onde ocorrem as maiores transformações são justamente aquelas ligadas às emoções, ao discernimento e ao autocontrole. Essa é explicação científica para o comportamento tão impulsivo e temperamental dos teens. "Algumas áreas da estrutura cerebral só vão estar inteiramente maduras depois dos 20 anos

9 P ADRÕES DE USO DE ÁLCOOL ENTRE ADOLESCENTES B RASILEIROS 34% dos adolescentes bebem Idade média de início da experimentação 14a Maior freq de consumo: Região Sul,não estudam, não trabalham, cor negra e rendimento próprio. Quantidade usual: varia (sexo, classe social, renda e estudar ou não) Sexo masc: percentual bem maior do beber em binge Consumo de altas doses é frequente Pinsky e col.

10 A BUSO ALTERA CÉREBRO DE A BUSADORES ? 1) Prejuízo acadêmico 2) Maiores riscos em acidentes, brigas, DSTs, Aids e gravidez 3) Maior probabilidade de DQ

11 F ATORES DE R ISCO E DE P ROTEÇÃO 1. Comportamento agressivo 2. Hab. sociais deficientes 3. Falta de supervisão e apoio parental 4. Abuso de substância 5. Disponibilidade de drogas 6. Pobreza 1. Comportamento agressivo 2. Hab. sociais deficientes 3. Falta de supervisão e apoio parental 4. Abuso de substância 5. Disponibilidade de drogas 6. Pobreza 1. Auto controle 2. Relações Positivas 3. Monitoramento e apoio parental 4. Parte acadêmica positiva 5. Políticas de Saúde Pública 6. Condições econômicas favoráveis e apoio comunidade 1. Auto controle 2. Relações Positivas 3. Monitoramento e apoio parental 4. Parte acadêmica positiva 5. Políticas de Saúde Pública 6. Condições econômicas favoráveis e apoio comunidade Fatores de Risco Fatores de Proteção

12 Blog Jogo Limpo Blog Dependência Química Blog Se Liga!

13 O BRIGADA ! UNIAD. ORG. BR


Carregar ppt ""F ATORES DE R ISCO E DE P ROTEÇÃO PARA O USO DE S UBSTÂNCIAS NA A DOLESCÊNCIA " Maria de Fátima Rato Padin."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google