A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Angiospermas A flor e o fruto!!! ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET PROFESSOR: CARLOS 2 ANO B BIOLOGIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Angiospermas A flor e o fruto!!! ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET PROFESSOR: CARLOS 2 ANO B BIOLOGIA."— Transcrição da apresentação:

1 Angiospermas A flor e o fruto!!! ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET PROFESSOR: CARLOS 2 ANO B BIOLOGIA

2 Grupo mais utilizado na nossa alimentação: feijão, arroz, soja, milho, cana-de-açúcar, café, verduras, frutas, raízes, etc. É o único grupo que produz frutos proteção das sementes As sementes e os frutos são formações derivados das flores

3 A flor padrão de uma angiosperma É um sistema de reprodução reprodução sexuada Formada por folhas modificadas sépalas pétalas Flor completa- 4 tipos de folhas modificadas estames carpelos

4

5 Sépalas: são folhas verdes, pequenas proteção do botão floral Pétalas: são folhas coloridas atração do agente polinizador

6 Estames: são folhas que dobraram-se sobre si mesmas Estame antera filete Filete: porção que suporta a antera Antera: protege 4 bolsas produtoras de grãos de pólen ( sacos polínicos)

7 Carpelo: folha modificada diferenciada em 3 regiões Carpelo ovário estigma estilete a)Ovário: protege os óvulos b)Estigma: porção receptora de grãos de pólen c)Estilete: liga o estigma ao ovário O carpelo modificado é o pistilo

8 Conjuntos: Corola é o conjunto de pétalas Cálice é o conjunto de sépalas Perianto = cálice + corola

9 Gineceu é o conjunto de carpelos ou pistilos feminino Androceu é o conjunto de estames masculino

10 As angiospermas podem ser monóicas ou dióicas :

11 Após a reprodução, o que acontece com a flor? Reprodução sexuada Os óvulos se transformam em sementes O ovário se transforma no fruto

12

13 Flor isolada forma fruto isolado inflorescência forma infrutescência

14 Frutos a)Pseudofrutos: não é o ovário que é comestível Maçã: o receptáculo floral desenvolve-se muito e torna-se comestível. Ele envolve o ovário com as sementes.

15 Morango: o receptáculo floral é comestível, mas não envolve os ovários, eles ficam expostos Caju: o pedúnculo floral é comestível. O ovário fica exposto – castanha Dentro do ovário está a semente

16 b) Frutos partenocárpicos Frutos dentro dos quais não se formam sementes. Banana: os pontos escuros são óvulos não-desenvolvidos Abacaxi: o receptáculo que é comestível

17 A semente e a futura planta Semente: óvulo modificado e desenvolvido

18 Embrião e a semente -radícula: primeira estrutura a emergir quando o embrião germina -caulículo: responsável pela formação das primeiras folhas embrionárias Folha embrionária é o cotilédone!!!

19 Quantos cotilédones?? dicotiledôneas Angiospermas monocotiledôneas

20 Monocotiledôneas

21 Raiz: lembra uma cabeleira – raiz fasciculada Flores: são trímeras Elementos florais são 3 ou múltiplos de3

22 Caule: não forma tronco e não cresce em espessura Folhas: paralelinérveas

23 Monocotiledôneas: exemplos arroz abacaxi orquídea Cana-de-açúcar

24 Dicotiledôneas

25 Raiz: há um eixo principal – raiz axial Flores: tetrâmera ou pentâmera

26 Caule: cresce em espessura – tronco Folhas: largas e reticulinérveas

27 Dicotiledôneas - exemplos feijão soja alface beterraba

28 Polinização Transporte de pólen da antera até o estigma da mesma flor ou de outra da mesma espécie Agentes polinizizadores: Vento Água Animais ( insetos, pássaros, morcegos, moluscos, etc..)

29 Fatores de atração de polinizadores: Alimentos: néctar – localizado na base das pétalas grãos de pólen comestíveis A polinização pode ocorrer de dia ou de noite: Dia - corola colorida e vistosa perfume Noite – perfume forte corola branca ou escura

30 Anemofilia – polinização feita pelo vento Entomofilia – insetos Quiropterolfilia – morcegos Ornitofilia – aves Hidrofilia - água

31 ANGIOSPERMAS - CAULE IMPORTÂNCIA!!!!!!

32 CAULES Sustentação da planta. Ligação entre as partes da planta – conduzindo a seiva. As angiospermas são divididas em 3 grupos de acordo com seu hábito (porte) em: árvore, arbusto e erva.

33 A árvore é formada por raiz, caule, e folhas. Podem ter ou não flores e frutos. O caule tem, além dos tecidos de suporte, o xilema e floema, para transportar substâncias, ou seja as árvores são vasculares. O xilema transporta seiva bruta que é composta por água e sais minerais retirados do solo e vai da raiz até as folhas. O Floema transporta a seiva elaborada composta por água, sais minerais e glicose.

34 O caule das árvores são resistentes devido o acúmulo de celulose e lignina. Durante o processo de crescimento, as árvores acumulam essas substâncias, aumentando a espessura do caule – anéis de crescimento – ajuda determinar a idade das árvores.

35 Curiosidades Baobá – natural da África, possui maior tronco do planeta, em espessura. Normalmente essas árvores chegam até 30 metros de altura, seu tronco pode chegar a ter até 11 metros de espessura.

36 BAOBÁ - Adansonia

37

38

39

40 Sequoias – podem atingir mais de 100 metros. É uma gimnosperma nativa da América do Norte.

41 ARBUSTOS É todo vegetal do grupo das angiospermas, é lenhoso, se ramifica desde junto ao solo e tem menor porte (abaixo de 6 m) em relação às árvores.

42 ERVAS Possuem caule flexível e são de pequeno porte. As ervas são encontradas na natureza em grande variedade. Com vasta possibilidade de utilização, elas são muito úteis na culinária, no uso medicinal e também em outros campos. Suas folhas verdes são freqüentemente utilizadas na culinária, mas suas raízes, flores, sementes, caules e algumas outras partes, são bastante utilizadas pela medicina complementar por suas características medicinais.

43 Ervas Camomila Confrei

44 Ervas Erva cidreira Sálvia

45 Partes do Caule

46 Tipos de Caule Caule aéreo do tipo tronco. Caule lenhoso resistente e cilíndrico, mais largo na base. Ramificado, típico das árvores como o jacarandá e eucalipto.

47 Caule aéreo do tipo colmo Caule com nós bem definidos, como o Bambu. Nó – É a região onde surgem os brotos laterais e as folhas. Entrenó – Região entre dois nós.

48 Caule aéreo do tipo estipe Caule que cresce perpendicularmente ao solo, fino e sem ramificações. Tem forma cilíndrica e as folhas estão no topo. A palmeira e o coqueiro são exemplos.

49 Caule aéreo do tipo haste Caule das ervas. Caule pequeno, tenro, clorofilado, pouco resistente e geralmente ramificado desde a base. Seus nós comumente só são percebidos pela presença das folhas.

50 Caule aéreo do tipo volúvel Caule sem força suficiente para sustentar o peso da copa, por isso, ao encontrar um suporte, enrola-se nele em espiral, são as plantas trepadeiras.

51 Caule rastejante Cresce paralelamente à superfície do solo. De espaço em espaço apresenta gemas, de onde surge uma nova planta que, por sua vez, desenvolve um novo caule rastejante com gemas. Ex: Melancia, Grama, Morango e Abóbora.

52 Angiospermas - raízes Função: fixação da planta e absorção de água e sais minerais.

53 Angiospermas - raízes Colo: é a zona de transição entre a raiz e o caule e tem pequenas dimensões. Zona suberosa: assim denominada pela presença de manchas de súber provenientes da cicatrização das feridas ocasionadas pela queda dos pêlos absorventes. Raiz lateral: expansão. Pelos: absorvem água e sais minerais. Coifa: região que protege a ponta da raiz e contém células que promovem o crescimento.

54 Angiospermas - raízes Tipos de raízes:

55 Adaptações das raízes Raízes tuberosas: servem de alimento. São subterrâneas que armazenam substâncias nutritivas.

56 Adaptações das raízes Raiz sugadora: comum em plantas parasitas. Nascem raízes muito finas denominadas haustórios, que penetram até os vasos da planta hospedeira, de onde retiram os alimentos necessários à sua vida.

57 Raiz sugadora ou haustório Bromélia

58 Adaptações de raízes Raiz suporte ou escora: são raízes aéreas, de origem caulinar, que fornecem uma fixação suplementar para a planta. Aparecem em plantas que crescem em meios de difícil fixação como mangue, pântano, lodo ou plantas relativamente altas em relação ao seu sistema radicular, pouco profundo.

59 Raiz suporte ou escora Rizophora mangle e Raízes aéreas do milho

60 Adaptações de raízes Raízes tabulares: Raízes tabulares são raízes aéreas em forma de tábua que se desenvolvem bem próximas à superfície do solo, ampliando a superfície de respiração e a estabilidade do vegetal. São comuns em plantas com caules bem desenvolvidos (ex: figueira).

61 Raízes tabulares

62 Adaptações de raízes Raízes grampiformes: São raízes aéreas em forma de grampos e tem por função a fixação dos vegetais em suportes. São freqüentes nas trepadeiras, como é o caso da hera, planta que sobe em muros e paredes.

63 Adaptações de raízes Raiz respiratória: São raízes de plantas que vivem em terrenos alagadiços onde o teor de oxigênio é baixo devido à intensa atividade de bactérias decompositoras.

64 Adaptações de raízes Raízes estrangulantes: São raízes aéreas, que envolvem o caule da planta suporte, causando sua morte. São também chamadas de mata - paus.


Carregar ppt "Angiospermas A flor e o fruto!!! ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET PROFESSOR: CARLOS 2 ANO B BIOLOGIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google