A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. A morfologia vegetal, uma das.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. A morfologia vegetal, uma das."— Transcrição da apresentação:

1

2 A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. Utilizada, dentre outras coisas, no auxílio à classificação de plantas (também conhecido como sistemática) na fisiologia vegetal. Utilizada, dentre outras coisas, no auxílio à classificação de plantas (também conhecido como sistemática) na fisiologia vegetal.

3 A organização do corpo dos vegetais é bem diferente da organização do corpo dos animais. A organização do corpo dos vegetais é bem diferente da organização do corpo dos animais. Essas diferenças são devido às adaptações ao modo autotrófico de vida que caracteriza os vegetais. Essas diferenças são devido às adaptações ao modo autotrófico de vida que caracteriza os vegetais.

4 Grupamento de células relativamente homogêneo que, em conjunto, desempenham funções equivalentes e/ou complementares. Grupamento de células relativamente homogêneo que, em conjunto, desempenham funções equivalentes e/ou complementares. Os tecidos vegetais podem ser divididos em: Os tecidos vegetais podem ser divididos em: 1. MERISTEMAS (tecidos de formação ou meristemáticos) 1. MERISTEMAS (tecidos de formação ou meristemáticos) 2. PERMANENTES (tecidos adultos ou diferenciados) 2. PERMANENTES (tecidos adultos ou diferenciados)

5 Tecidos indiferenciados que dão origem a outros tecidos ou a outras células meristemáticas. Apresentam intensa atividade mitótica. Encontrados no embrião ou nas partes em crescimento da planta. Tecidos indiferenciados que dão origem a outros tecidos ou a outras células meristemáticas. Apresentam intensa atividade mitótica. Encontrados no embrião ou nas partes em crescimento da planta. As células apresentam parede celular delgada, citoplasma abundante, núcleo grande e vacúolos ausentes ou reduzidos. As células apresentam parede celular delgada, citoplasma abundante, núcleo grande e vacúolos ausentes ou reduzidos.

6 Localiza-se na ponta do caule e da raiz e provoca crescimento em comprimento da planta. Localiza-se na ponta do caule e da raiz e provoca crescimento em comprimento da planta. No Caule forma pequenos brotos, as gemas apicais (na ponta do caule) e as gemas laterais ou axilares (nas ramificações do caule), dos quais surgem novos ramos, folhas e flores. No Caule forma pequenos brotos, as gemas apicais (na ponta do caule) e as gemas laterais ou axilares (nas ramificações do caule), dos quais surgem novos ramos, folhas e flores.

7 O meristema da ponta da RAIZ é protegido por um capacete de células, a coifa ou caliptra. O meristema da ponta da RAIZ é protegido por um capacete de células, a coifa ou caliptra. A parte inferior desse meristema repõe as células da coifa à medida que elas se desgastam motivo pelo qual recebe nome de caliptrogênio. A parte inferior desse meristema repõe as células da coifa à medida que elas se desgastam motivo pelo qual recebe nome de caliptrogênio.

8

9 PROTODERME: origina a epiderme, tecido protetor que reveste o vegetal. PROTODERME: origina a epiderme, tecido protetor que reveste o vegetal. PROCÂMBIO: diferencia-se nos tecidos condutores de seiva, localizados no interior da raiz e do caule. PROCÂMBIO: diferencia-se nos tecidos condutores de seiva, localizados no interior da raiz e do caule. MERISTEMA FUNDAMENTAL: produz os demais tecidos da planta, responsáveis pela sustentação, fotossíntese, armazenamento de substâncias, etc. MERISTEMA FUNDAMENTAL: produz os demais tecidos da planta, responsáveis pela sustentação, fotossíntese, armazenamento de substâncias, etc.

10

11

12

13 PRIMÁRIO LONGITUDINAL SECUNDÁRIO ESPESSURA (DICO E CONÍFERAS)

14 Responsável pelo crescimento em espessura. Responsável pelo crescimento em espessura. Está localizado no interior do caule e da raiz das gimnospermas, da maioria das dicotiledôneas e em algumas monocotiledôneas que formam arbustos. Está localizado no interior do caule e da raiz das gimnospermas, da maioria das dicotiledôneas e em algumas monocotiledôneas que formam arbustos.

15 1. FELOGÊNIO: localizado na parte mais externa do caule e da raiz, forma células de preenchimento e de reserva (FELODERME) e células de proteção (SÚBER), que substituem a epiderme. 1. FELOGÊNIO: localizado na parte mais externa do caule e da raiz, forma células de preenchimento e de reserva (FELODERME) e células de proteção (SÚBER), que substituem a epiderme.

16 2. CÂMBIO: localizado mais internamente no caule e na raiz, produz novos vasos condutores de seiva à medida que o vegetal aumenta em espessura. 2. CÂMBIO: localizado mais internamente no caule e na raiz, produz novos vasos condutores de seiva à medida que o vegetal aumenta em espessura.

17

18

19

20

21 PERMANENTES PERMANENTES Originados a partir dos meristemas. São tidos como diferenciados ou duradouros. Apresentam- se relativamente especializados e agrupam-se em sistemas de acordo com as semelhanças estruturais e fisiológicas. Originados a partir dos meristemas. São tidos como diferenciados ou duradouros. Apresentam- se relativamente especializados e agrupam-se em sistemas de acordo com as semelhanças estruturais e fisiológicas. Revestimento (EPIDERME E PERIDERME) Revestimento (EPIDERME E PERIDERME) Sustentação (COLÊNQUIMA E ESCLERÊNQUIMA) Sustentação (COLÊNQUIMA E ESCLERÊNQUIMA) Preenchimento e armazenamento (PARÊNQUIMA) Preenchimento e armazenamento (PARÊNQUIMA) Condução de seiva (XILEMA E FLOEMA) Condução de seiva (XILEMA E FLOEMA)

22

23 Têm a função de fornecer proteção mecânica e evitar a desidratação nas plantas terrestres. Têm a função de fornecer proteção mecânica e evitar a desidratação nas plantas terrestres. São dois tipos: São dois tipos: 1. EPIDERME 1. EPIDERME 2. SÚBER 2. SÚBER

24 Reveste as folhas e as partes jovens do caule e da raiz; Reveste as folhas e as partes jovens do caule e da raiz; É formada por uma camada de células vivas, sem clorofila, que apresenta na face externa a cutícula (cobertura de cutina = lipídio impermeável) que impede a evaporação da água. É formada por uma camada de células vivas, sem clorofila, que apresenta na face externa a cutícula (cobertura de cutina = lipídio impermeável) que impede a evaporação da água.

25 Na raiz não há cutina. Na raiz não há cutina. As células formam os pêlos absorventes, que aumentam a superfície de absorção de água e sais minerais. As células formam os pêlos absorventes, que aumentam a superfície de absorção de água e sais minerais.

26 Em alguns vegetais de clima seco, as células da epiderme apresentam projeções chamadas de pêlos ou tricomas, que formam um emaranhado na superfície da folha que ajuda a reter umidade, dificultando a perda de água por transpiração. Em alguns vegetais de clima seco, as células da epiderme apresentam projeções chamadas de pêlos ou tricomas, que formam um emaranhado na superfície da folha que ajuda a reter umidade, dificultando a perda de água por transpiração.

27 Protege as partes mais antigas do caule e da raiz; Protege as partes mais antigas do caule e da raiz; É formado por várias camadas de células mortas e ocas, que possuem as paredes revestidas por suberina (lipídio impermeável). É formado por várias camadas de células mortas e ocas, que possuem as paredes revestidas por suberina (lipídio impermeável). Do súber se produz a cortiça. Do súber se produz a cortiça.

28

29

30 A cutina dificulta a passagem de gases pela folha, mas existem estruturas que garantem essa passagem – os estômatos. A cutina dificulta a passagem de gases pela folha, mas existem estruturas que garantem essa passagem – os estômatos.

31 Os estômatos podem se fechar sempre que a perda de água pela planta, provocada pela sua transpiração, ameaçar sua sobrevivência. Os estômatos podem se fechar sempre que a perda de água pela planta, provocada pela sua transpiração, ameaçar sua sobrevivência. O Súber apresenta estruturas de arejamento formadas por grupos de células arredondadas com espaços entre elas pelos quais o oxigênio passa para os tecidos internos da planta. Essas estruturas chamam-se Lenticelas. O Súber apresenta estruturas de arejamento formadas por grupos de células arredondadas com espaços entre elas pelos quais o oxigênio passa para os tecidos internos da planta. Essas estruturas chamam-se Lenticelas.

32

33 PARÊNQUIMAS = são os tecidos responsáveis pela assimilação (fotossíntese) e reserva de substâncias. PARÊNQUIMAS = são os tecidos responsáveis pela assimilação (fotossíntese) e reserva de substâncias. Suas células são vivas, com parede celulósica sem espessamentos. Suas células são vivas, com parede celulósica sem espessamentos. Há dois tipos de parênquimas: Há dois tipos de parênquimas:

34 PARÊNQUIMA CLOROFILIANO (De Assimilação) Responsável pela fotossíntese; Rico em cloroplastos; Presente nas folhas e nos caules jovens.

35 PARÊNQUIMA DE RESERVA PARÊNQUIMA AMILÍFERO = Armazenam amido e desenvolve-se nas partes mais internas do caule, nas raízes, nas sementes e nos frutos. PARÊQUIMA AQÜÍFERO = especializado em armazenar água, presente em plantas de regiões áridas. Cacto. AERÊNQUIMA = armazena ar, presente em plantas aquáticas, servindo de flutuador para esses vegetais.

36 Parênquima Amilífero Aerênquima

37

38 São formados por células de parede espessa, que dão resistência e sustentação às diferentes partes da planta. São formados por células de parede espessa, que dão resistência e sustentação às diferentes partes da planta. 1. COLÊNQUIMA 1. COLÊNQUIMA 2. ESCLERÊNQUIMA 2. ESCLERÊNQUIMA

39 Presente em partes jovens da planta e em vegetais herbáceos, localiza-se na periferia do caule e da folha, logo abaixo de epiderme. Presente em partes jovens da planta e em vegetais herbáceos, localiza-se na periferia do caule e da folha, logo abaixo de epiderme. É formado por um agrupamento de células vivas; É formado por um agrupamento de células vivas; Resistente; Resistente; Flexibilidade. Flexibilidade.

40 É formado por Células Mortas; com paredes espessas de celulose e lignina. É formado por Células Mortas; com paredes espessas de celulose e lignina. Células do tipo Fibras = ajuda na sustentação da planta; Células do tipo Fibras = ajuda na sustentação da planta; Células do tipo Pétreas = muito duras, servem para sustentação e proteção dos embriões de algumas sementes, mas podem estar em outras partes do vegetal. Células do tipo Pétreas = muito duras, servem para sustentação e proteção dos embriões de algumas sementes, mas podem estar em outras partes do vegetal.

41 Tecidos de Sustentação sustentam o corpo vegetal. v COLÊNQUIMA Tecido formado por células vivas cujas paredes celulares apresentam reforços de celulose e pectina. É resistente e flexível. Encontrado, geralmente, abaixo da epiderme em órgão em crescimento ativo. v ESCLERÊNQUIMA Tecido morto. As paredes das células apresentam intensa lignificação (deposição de lignina). Encontrado em grande quantidade em torno dos vasos condutores. Apresenta expressiva importância econômica (têxtil, fibras, sisal, juta e linha) 2 tipos celulares:Fibras (mais alongadas) Esclereídes (formas variadas)

42

43

44 Tecidos condutores de seiva Xilema (lenho) seiva bruta (raiz para as folhas) Floema (líber) seiva elaboradas (folha p/ d+ partes) v XILEMA Sistema de vasos que percorre o corpo da planta tendo agregado células de preenchimento (parênquima) e de sustentação (fibras esclerenquimáticas). O lenho é um tecido morto, devido à lignificação das células.

45 Tipos celulares Tipos celulares Traqueídes - comunicação por pontuações Traqueídes - comunicação por pontuações Elementos de vasos * (traquéia) - células perfuradas Elementos de vasos * (traquéia) - células perfuradas * - típico de angiospermas

46 Alburno xilema funcional (externo) Cerne xilema inativo (central). Tilas projeções de parênquima que se depositam no interior dos vasos lenhosos.

47 FLOEMA Tecido constituído de células vivas. Tipos celulares Elementos crivados (células crivadas) – anucleadas Célula companheira A comunicação entre os adjacentes é feita em nível de suas paredes transversais perfuradas, onde numerosos plasmodesmos atravessam os poros estabelecendo comunicação entre os citoplasmas. As paredes celulares perfuradas são chamadas de placas crivadas. Corpo caloso - deposição de calose (carboidrato) no interior da célula crivada. Corpo caloso - deposição de calose (carboidrato) no interior da célula crivada.

48

49

50

51

52 São tecidos que fabricam diversas substâncias úteis à planta (secreções). São tecidos que fabricam diversas substâncias úteis à planta (secreções). NECTÁRIO = é um agrupamento de células que produz o néctar. NECTÁRIO = é um agrupamento de células que produz o néctar. VASOS LACITÍFEROS = produtores de látex. VASOS LACITÍFEROS = produtores de látex. PÊLOS GLANDULARES = fabricam líquido cáustico (plantas carnívoras e urtiga). PÊLOS GLANDULARES = fabricam líquido cáustico (plantas carnívoras e urtiga).

53 HIDATÓDIOS = estruturas que eliminam água na forma líquida através do processo chamado Gutação. Presente em plantas de clima úmido. HIDATÓDIOS = estruturas que eliminam água na forma líquida através do processo chamado Gutação. Presente em plantas de clima úmido. BOLSAS SECRETORAS = acumulam produtos que ajudam afugentar insetos. BOLSAS SECRETORAS = acumulam produtos que ajudam afugentar insetos. Também acumulam cristais de oxalato de cálcio chamados drusas ou ráfides. Também acumulam cristais de oxalato de cálcio chamados drusas ou ráfides.

54 HIDATÓDIOS LATICÍFEROS BOLSA SECRETORA CRISTAIS DE OXALATO

55 LINHARES, Sergio. GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia: volume único – 1. ed. – São Paulo: Ática, LINHARES, Sergio. GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia: volume único – 1. ed. – São Paulo: Ática, Figuras e Fotos pesquisados e retirados do Google. Figuras e Fotos pesquisados e retirados do Google.

56

57

58


Carregar ppt "A morfologia vegetal, uma das bases da botânica, tem por objetivo estudar e documentar formas e estruturas das plantas. A morfologia vegetal, uma das."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google