A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. MSc. Larissa Luz Gomes Aula 3 Análise e Projeto de Sistemas I.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. MSc. Larissa Luz Gomes Aula 3 Análise e Projeto de Sistemas I."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. MSc. Larissa Luz Gomes Aula 3 Análise e Projeto de Sistemas I

2 É uma representação, em miniatura, de uma realidade completa, que reflete certas características específicas do sistema que está sendo representado. Modelagem de Sistemas de Software

3 Objetivos: – auxiliar na organização de informações; – descrever o que o cliente deseja; – estabelecer uma base para a criação de um projeto de software; – definir um conjunto de requisitos que pode ser validado quando o software for construído; – gerenciar a complexidade; Modelos

4 Para que serve a Modelagem de Sistemas A modelagem de sistema ajuda o analista a entender a funcionalidade do sistema e modelos são usados para auxiliar a comunicação com os clientes. No setor de softwares comerciais, muitas vezes os programas são inadequados para a empresa e não atendem às necessidades dos usuários, devido à produtividade e facilidade oferecidas pelas linguagens de programação visual, e quanto mais complexo for o sistema, maior será a probabilidade de ocorrência de erros, no caso de ter sido feito sem nenhum tipo de modelagem.

5 Modelagem de Sistemas Modelos diferentes apresentam o sistema de perspectivas diferentes: – Perspectiva externa mostra o contexto ou o ambiente do sistema. – Perspectiva comportamental mostra o comportamento do sistema. – Perspectiva estrutural mostra a arquitetura do sistema ou estrutura de dados.

6 Modelos para representar (especificar) um SI Modelo Funcional Modelo de Dados Modelo de Dinâmico

7 Modelo Funcional O modelo funcional abrange o que um sistema faz e mostra como os valores de saída de um processamento derivam do processo de entrada, independente da ordem em que os valores são processados. É representado graficamente por meio do diagrama de fluxo de dados (DFD), que mostra o relacionamento funcional entre dados em um sistema, incluindo-se valores de entrada e saída e depósitos internos de dados.

8 Modelo Funcional - Ferramenta do Analista O Digrama de Fluxo de Dado (DFD) é utilizado para a representação lógica de processos; Ele descreve o que acontece, sem se preocupar em como e quando; Trata-se uma ferramenta para o modelo funcional do sistema;

9 Modelo Funcional - DFD Representação gráfica de fácil entendimento, pode ser utilizada com o pessoal técnico e não técnico; O DFD permite que se organize informações colhidas em entrevistas a cerca do sistema; Possibilita a visão global do sistema e seu desmembramento em níveis mais detalhados.

10 Modelo Funcional - DFD Exemplo de um diagrama de fluxo de dados:

11 Modelo Funcional - DFD

12 Modelo de Objetos O modelo de objetos descreve a estrutura estática de um sistema, isto é, a estrutura de seus objetos e os relacionamentos existentes entre eles em um determinado instante de tempo, os atributos e as que caracterizam cada classe de objetos. operações Este é o mais importante dos três modelos porque é o que melhor representa a realidade, sendo mais adaptável às modificações. Os modelos baseados em objetos apresentam uma intuitiva representação gráfica e são úteis para a comunicação com os clientes e para a documentação da estrutura do sistema.

13 Modelo de Objetos Exemplo de um modelo de objetos representado por um diagrama de classes:

14 Modelo Dinâmico O modelo dinâmico descreve os aspectos de um sistema examinado as modificações ocorridas nos seus objetos e seus relacionamentos em relação ao tempo. Os principais conceitos da modelagem dinâmica são os eventos, que representam os estímulos externos, e os estados, que representam o intervalo entre esses eventos e especificam o contexto em que são interpretados. A representação gráfica é feita pelos diagramas de estados. Cada um desses diagramas mostra seqüências de eventos, estados e operações que ocorrem no interior de um sistema para cada classe de objetos.

15 Modelo Dinâmico Exemplo de um diagrama de estado:

16 O Processo da Análise

17 Ciclo de Vida do Sistema O desenvolvimento de sistemas pode envolver diversas fases; O encadeamento das fases para a construção do sistema denominamos de ciclo de vida de desenvolvimento de sistemas; Como base do ciclo de vida teremos as seguintes fases: – análise, projeto e implementação.

18 Ciclo de Vida do Sistema Análise de Sistemas: determinar quais os requisitos dos sistemas, o que o sistema deve fazer, diz respeito e eficácia do sistema; Projeto de Sistemas: fase de desenvolvimento que determinará como o sistema funcionará para atender os requisitos especificados na análise, já se preocupa com a performance (recursos tecnológicos);

19 Ciclo de Vida do Sistema Implementação de Sistemas: fase em que será efetuada a construção do sistema de acordo com o modelo especificado no projeto.

20 PROCESSOS DE SOFTWARE

21 Processo em Cascata Metodologia de projeto estruturado original; O analista e os usuários prosseguem em seqüência de uma fase para outra; A vantagem principal é a especificação dos requisitos antes da programação começar; Uma das desvantagens é que os usuários raramente são apresentados adequadamente ao novo sistema.

22 Processo em Cascata

23 Processo Espiral Divide o sistema global em uma série de versões que são desenvolvidas seqüencialmente; Os envolvidos na especificação do sistema categorizam os requisitos em uma série de versões; Este tipo de desenvolvimento tem a vantagem de colocar rapidamente um sistema útil na mão dos usuários; Gerencia-se as expectativas dos usuários ao longo do caminho da implementação.

24 Processo Espiral O modelo reflete: – Aumento gradativo de investimentos em pessoas e recursos; – Entendimento, atenção e compromisso crescente com gerenciamento; – Melhor controle pelo uso de métricas de processo;

25 Processo Espiral

26 Exercício (0,2pts) Desenvolver um DFD para cada enunciado: 1) O caixa do banco recebe cheque para descontar. Ele verifica na ficha do cliente se há saldo disponível, em caso afirmativo, dá o dinheiro; caso contrário devolve o cheque. Entrega: 18/02

27 Exercício (0,2 pts) 2) Para fazer um bolo, pega-se ovos, fermento, leite e manteiga na geladeira. O açúcar e a farinha encontram- se no armário. Se estiver faltando um destes ingredientes, deve-se comprá-los no supermercado. Mistura-se todos os ingredientes até formar a massa. A massa deve ficar em repouso por uma hora. Depois deste tempo, deve-se colocar a massa no forno em fogo baixo. Após uma hora e trinta minutos, retirar do forno e deixar sobre a mesa para resfriar. Quando resfriar, acrescentar a cobertura a gosto, em seguida, guardar na geladeira.

28 Dúvidas e Perguntas

29 Próxima Aula Variações de Processos de Software Especificação dos requisitos


Carregar ppt "Prof. MSc. Larissa Luz Gomes Aula 3 Análise e Projeto de Sistemas I."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google