A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3.1. Níveis supra- segmentais A sílaba. Bibliografia Goldsmith (1990, 1995) Mateus & dAndrade (2000) Freitas & Santos (2001) Mateus et al. (2003) Mateus,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3.1. Níveis supra- segmentais A sílaba. Bibliografia Goldsmith (1990, 1995) Mateus & dAndrade (2000) Freitas & Santos (2001) Mateus et al. (2003) Mateus,"— Transcrição da apresentação:

1 3.1. Níveis supra- segmentais A sílaba

2 Bibliografia Goldsmith (1990, 1995) Mateus & dAndrade (2000) Freitas & Santos (2001) Mateus et al. (2003) Mateus, Falé e Freitas (2005) Goldsmith (1990, 1995) Mateus & dAndrade (2000) Freitas & Santos (2001) Mateus et al. (2003) Mateus, Falé e Freitas (2005)

3 A sílaba Constituinte fonológico maior do que o segmento (apesar de poder ser constituída por um segmento); Constituinte para o qual não há evidência fonética, apenas fonológica; Os falantes intuem sílabas - ex.: tlfone = /te.le.fo.ne/; Alguns jogos ou lapsi linguae servem de evidência adicional; Íntima relação com o ritmo da fala. Constituinte fonológico maior do que o segmento (apesar de poder ser constituída por um segmento); Constituinte para o qual não há evidência fonética, apenas fonológica; Os falantes intuem sílabas - ex.: tlfone = /te.le.fo.ne/; Alguns jogos ou lapsi linguae servem de evidência adicional; Íntima relação com o ritmo da fala.

4 Organização interna A sílaba apresenta um estrutura interna, cujos sub-constituintes estabelecem uma estrutura hierárquica entre si e com os segmentos que os constituem; Estes sub-constituintes são domínio de aplicação de processos fonológicos. A sílaba apresenta um estrutura interna, cujos sub-constituintes estabelecem uma estrutura hierárquica entre si e com os segmentos que os constituem; Estes sub-constituintes são domínio de aplicação de processos fonológicos.

5 O Modelo da Teoria da sílaba de Ataque-Rima Sílaba ( ) Ataque Rima Ataque pode ter nº indeterminado de segmentos; a Rima não; Os elementos do Ataque, por um lado, e da Rima, por outro, mantêm coesão entre si; Sílaba ( ) Ataque Rima Ataque pode ter nº indeterminado de segmentos; a Rima não; Os elementos do Ataque, por um lado, e da Rima, por outro, mantêm coesão entre si;

6 A Rima, por sua vez, pode, ainda, ramificar em Núcleo e Coda; O Núcleo aloja as vogais (e ditongos) da Rima; a Coda aloja as consoantes da Rima (??) A Rima, por sua vez, pode, ainda, ramificar em Núcleo e Coda; O Núcleo aloja as vogais (e ditongos) da Rima; a Coda aloja as consoantes da Rima (??)

7 A R NúcleoCoda p a r A R NúcleoCoda p a r

8 Ataque À excepção de [¯] e [¥], qualquer consoante pode ocupar a posição de Ataque, que em posição inicial de palavra, quer em posição medial. Os grupos consonânticos de oclusiva+líquida (ocl+r>ocl+l) são os mais frequentes e naturais no PE. À excepção de [¯] e [¥], qualquer consoante pode ocupar a posição de Ataque, que em posição inicial de palavra, quer em posição medial. Os grupos consonânticos de oclusiva+líquida (ocl+r>ocl+l) são os mais frequentes e naturais no PE.

9 Ataque simples vs. Ataque ramificado AtaqueRima NuCd x x x x t r as. [te] Ataque ramificado Ataque Rima NúCoda xxx pas. [ta] Ataque simples

10 Rima ramificada vs. Não ramificada Pá vs. pás

11 Núcleo ramificado vs. Não ramificado Pá vs. pai

12 Coda Apenas as consoantes /l,r,s/ podem ocupar a posição de Coda em PE; Não há Coda ramificada em Português. Apenas as consoantes /l,r,s/ podem ocupar a posição de Coda em PE; Não há Coda ramificada em Português.


Carregar ppt "3.1. Níveis supra- segmentais A sílaba. Bibliografia Goldsmith (1990, 1995) Mateus & dAndrade (2000) Freitas & Santos (2001) Mateus et al. (2003) Mateus,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google