A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Sumário, aula 5 1) Especialização –Vantagem Absoluta –Vantagem Relativa –Exercícios 2) Curva das possibilidades de produção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Sumário, aula 5 1) Especialização –Vantagem Absoluta –Vantagem Relativa –Exercícios 2) Curva das possibilidades de produção."— Transcrição da apresentação:

1 1 Sumário, aula 5 1) Especialização –Vantagem Absoluta –Vantagem Relativa –Exercícios 2) Curva das possibilidades de produção

2 2 Especialização Um indivíduo não é capaz de produzir todos os bens que consome (?) As razões são diversas –Indivisibilidade do processo produtivo –Necessidade de conhecimento –Questões locais Climatéricas Factores de produção não transaccionáveis

3 3 Especialização Indivisibilidade do processo produtivo –Não se pode produzir apenas um litro de gasolina Necessidade de conhecimento –Para construir um automóvel é necessário muito conhecimento

4 4 Especialização Questões locais –Climatéricas Não é possível produzir bananas na Suécia nem salmão em Angola –Factores de produção não transaccionáveis Não posso deslocar os terrenos xistosos da região vitivinícula do Douro para outro local Não posso cultivar arroz na Argélia

5 5 Especialização Torna-se obrigatório que os agentes económicos se especializem –Na produção de apenas alguns BS –Na execução de apenas algumas actividades

6 6 Especialização Mas, mesmo que o processo produtivo fosse divisível e não houvesse questões locais, Como as pessoas são diferentes Idade; altura; peso; sexo; etc. Há actividades em que são mais produtivas (em termos absolutos ou relativos)

7 7 Especialização Se os AE se especializarem nas operações em que são mais produtivos, surge um aumento da eficiência E.g., nas economias de mercado, os AE estão especializados em –Famílias ( 99% dos indivíduos) Vendem trabalho e compram BS –Firmas ( 1% dos indivíduos) Compram trabalho e vendem BS

8 8 Vantagens absolutas Um ganho de eficiência implica –Produzir mais com os mesmos recursos –Produzir o mesmo com menos recursos Produzir mais com mais recursos não diz nada sobre a eficiência –Veremos que poderá não ser assim

9 9 Vantagens absolutas Notar que Apenas é possível a especialização dos indivíduos se os indivíduos poderem trocar BS entre si

10 10 Vantagens absolutas If a foreign country can supply us with a commodity cheaper than we ourselves can make it, better buy it of them with some part of the produce of our own industry, employed in a way in which we have some advantage. " Smith, Adam (1776), An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations.

11 11 Vantagens absolutas –Um indivíduo tem uma vantagem absoluta quando realiza uma tarefa com menor custo que todos os outros Exemplo No processamento de animais, temos Operação JoãoManuelDuarte Cortar10m15m13m Embalar15m10m13m Congelar13m15m10m

12 12 Vantagens absolutas Vamos supor que cada um faz as três operações durante 8 h. a produção será Operação JoãoManuelDuarte T. Total38m40m36m Corta12,61213,3 Embala12,6 1213,3 Congela12,6 1213,3 Nas 8 h são processam 38 animais –O Duarte é o trabalhador mais produtivo

13 13 Vantagens absolutas O Duarte, na operação Congelar demora menos tempo que todos os outros. Como o tempo traduz o custo da operação, O Duarte tem uma vantagem absoluta na operação Congelar –O Manuel tem uma vantagem absoluta na operação Embalar –O João tem uma vantagem absoluta na operação Cortar

14 14 Vantagens absolutas Vamos supor que eles se especializam na operação em que têm vantagem absoluta. Operação JoãoManuelDuarte Cortar Embalar Congelar No total, processam 48 animais (+10) –Qual é o trabalhador mais produtivo?

15 15 Vantagens comparativas Mesmo que haja um AE pior em tudo que os outros, com a especialização podem melhorar todos. Não é nada intuitivo Tem a ver com os custos de oportunidade –A actividade com menor CO

16 16 Vantagens comparativas Num casal, com 6 crianças e 20 m2 de relva, há duas tarefas a realizar M demora 10m a banhar uma criança e 2m a cortar 1m2 de relva; H demora 30m a banhar uma criança e 3m a cortar 1m2 de relva; –M tem vantagem absoluta em ambas as tarefas. –Será que M vai fazer tudo e H ficar a descansar?

17 17 Vantagens comparativas Avaliar os custo de oportunidade de M e H de dar banho e de cortar a relva (em termos relativos) M demora 10m a dar um banho às crianças e 2m a cortar 1m2 de relva; H demora 30m a dar um banho às crianças e 3m a cortar 1m2 de relva;

18 18 Vantagens comparativas Em termos de custo de oportunidade, –Dar Banho M, 1 banho tem um CO de 5m2 de relva; H, 1 banho tem um CO de 10m2 de relva; –Cortar Relva M, 1m2 de relva tem um CO de 0,2 banhos; H, 1m2 de relva tem um CO de 0,1 banhos; H tem uma vantagem relativa na relva

19 19 Vantagens comparativas Vamos supor que cada um tem disponível 1 hora. Especializados M dá banho às 6 crianças H corta os 20m2 de relva –Para podermos compara as situações vamos fixar uma das quantidades, e.g., têm que dar banho a 6 crianças

20 20 Vantagens comparativas Vamos supor que cada um tem disponível 1 hora. Não especializados M lava 4 crianças e corta 10 m2 de relva H esgota o tempo a lavar 2 crianças No total, só cortariam 10m2 de relva –A especialização permite, mantendo as crianças lavadas e cortar toda a relva

21 21 Exercício 1 - VC No processamento de animais, temos Operação JoãoManuel Cortar10m12m Embalar11m15m A)Em que actividade se vão especializar os trabalhadores? B)Qual o ganho de eficiência?

22 22 Exercício 1 Cortar J 1 cortado CO de 11/11=0.91 embalado *M 1cortado CO de 12/15 = 0,80m embalado Embalar *J 1 embalado CO de 11/10 = 1.10 Cortados M 1 embalado CO de 15/12=1,25 Cortados O J tem uma vantagem relativa a Embalar O M tem uma vantagem relativa a Cortar

23 23 Exercício 1 Com especialização (8 horas) J embala 43,6 animais M corta 40 animais Sem especialização (cada um corta 20 an.s) J corta 20 e embala 25,5 animais M corta 20 e embala 16 animais Embalam 41,5 < 43,6 Mantendo a quantidade cortada, embalam mais 2,1 animais

24 24 Possibilidades de produção Vamos aplicar este conceito quando Existe um factor de produção que pode ser usados alternativamente na produção de dois Bens ou Serviços Por exemplo, Tenho um terreno fixo onde posso cultivo milho ou feijão em que se cultivar mais milho, terei menos feijão e vice-versa

25 25 Possibilidades de produção Quando falarmos do produtor, vamos estender este conceito a quando Existem dois factores de produção que podem ser usados em substituição na produção de um BS Por exemplo, Com adubo e trabalho, cultivo milho Com mais adubo, produzo mais milho Com mais trabalho, produzo mais milho

26 26 Possibilidades de produção Voltemos ao exercício 1 do talho No processamento de animais, temos Operação JoãoManuel Cortar10m12m Embalar11m15m Tendo o João 8 horas de trabalho, quanto pode produzir?

27 27 Possibilidades de produção No processamento de animais, temos Operação JoãoManuel Cortar10m12m Embalar11m15m Em 8 horas de trabalho, será que o João Pode cortar 10 e embalar 30 animais? Pode cortar 30 e embalar 10 animais? Pode cortar 25 e embalar 25 animais?

28 28 Possibilidades de produção

29 29 Possibilidades de produção

30 30 Possibilidades de produção

31 31 Curva das Possibilidades de produção Traduz a fronteira das combinações do que eu posso produzir. –Com o recurso disponível. Traduz a curva de eficiência –Em qualquer ponto interior, eu posso produzir mais de um BS sem diminuir a produção do outro BS

32 32 CPP Sobre condições normais (?) –A CPP é côncava (não tem entradas)

33 33 CPP Sobre condições normais –Esgota os recursos disponíveis (?) O que permite a sua determinação –Relativamente ao J T= 11E + 10C = 480 C(E) = 48 –1.1 E Para produzir 25E, só pode produzir 20,5C

34 34 CPP O declive da CPP, d, é O CO do BS da abcissa relativamente ao da ordenada. O CO do BS da ordenada relativamente ao da abcissa é 1/d. –Quanto mais inclinada a CPP, maior é o CO do BS da abcissa e menor é CO do bem da ordenada.

35 35 CPP Considerando dois pontos da recta, (x 0,y 0 ), (x 1,y 1 ), o declive vem dado por

36 36 Exercício 2 - cpp + co Sabemos que o Zé no dia 1 produziu 50 sapatos e 100 sandálias e no dia 2 produziu 75 sapatos e 50 sandálias A) Sendo diligente, qual o seu custo de oportunidade de produzir sapatos?

37 37 Exercício 2

38 38 Exercício 2 A)Sendo a inclinação da recta dada por d = (100-50)/(50-75) = -2 O custo de oportunidade de produzir um sapato é deixar de produzir duas sandálias

39 39 CPP - Agregação A CPP, como é uma curva eficiente, terá em conta a especialização no bom sentido Operação Susana Tono Nozes3kg/h0,75kg/h Café1,5kg/h0,75kg/h Será óptimo especializarem-se? Em quê? Como será a CPP considerando em simultâneo a Susana e o Tono?

40 40 CPP Os custos de oportunidade serão Nozes Susana: 1 kg, perde 0,5kg de café Tono: 1 kg, perde 1kg de café Café Susana: 1 kg, perde 2kg de nozes Tono: 1 kg, perde 1kg de nozes Será óptimo especializarem-se? Em quê?

41 41 CPP A Susana especializa-se em Nozes O Tono especializa-se em Café Com 8 horas cada um, a produção total será Nozes: 24kg Café: 6kg Mas eu posso querer outra mistura E.g., posso produzir 12kg de nozes e de café?

42 42 CPP 1º) Vamos utilizar os especialistas A Suzana vai produzir os 12 kg de nozes, ficando com 4 h de tempo livre 8h - 12kg 3kg/h = 4h 2º) a Suzana vai produzir café no tempo remanescente, esgotando-o 4h.1,5kg/h = 12kg de café Acresce o tempo do Tono 8h.0.75kg/h = 6kg

43 43 CPP Somando a produção da Suzana com o Tono, temos exactamente a produção pretendida. É possível a produção de 12kg de Nozes e 12 kg de Café. Como esgotaram o tempo, estarão sobre a CPP conjunta. Na figura seguinte represento a CPP individual e continua Dentro da roda está a especialização total

44 44 CPP

45 45 CPP Em termos de análise gráfica Para o Tono, pensando nos pontos (0,6) e (6,0), teremos como inclinação (6-0)/(0-6) = -1 kg Nozes/ kg Café –O sinal menos traduz que é um custo. Assim, tiramos o sinal menos e fica Para o Tono, o CO de produzir 1 kg de café é deixar de produzir 1kg de Nozes.

46 46 CPP O custo de oportunidade da Susana produzir café será d = (24-0)/(0-12) = -2 kg Nozes/ kg Café Para a Susana, o CO de produzir 1 kg de café é deixar de produzir 2kg de Nozes.

47 47 CPP O CO da Susana produzir nozes é o inverso do CO de produzir café. -1/2 Para a Susana, o CO de produzir 1 kg de nozes é deixar de produzir 0.5kg de café. Para Tono, o CO de produzir 1 kg de nozes é deixar de produzir 1kg de café.

48 48 CPP - agregação Se a CPP de cada AE for uma recta, Se houver muitos AE, Se os AE se especializarem na actividade em que têm CO menor A CPP agregada será côncava. –Tem uma inclinação crescente O custo de oportunidade é crescente

49 49 Exercício 3 – CPP + V + CO A CPP diária de dois cozinheiros é a seguinte: A: R = 50-1/2P B: R = 10-1/4P sendo R o número de bolos-rei e P o número de pães-de-ló. A) Quem tem uma vantagem absoluta na produção de bolo-rei e na de pão-de-ló?

50 50 Exercício 3 Só produzindo R, o A produz 50, demora 9.6m e o B produz 10, demora 48m a produzir cada bolo-rei O A tem uma vantagem absoluta na produção de bolo-rei

51 51 Exercício 3 Só produzindo P, o A produz 100, demora 4.8m e o B produz 40, demora 12m a produzir cada pão-de-ló O A também tem uma vantagem absoluta na produção de pão-de-ló

52 52 Exercício 3 Quem tem uma vantagem comparativa a produzir bolo-rei? E pão-de-ló?

53 53 Exercício 3 A inclinação da recta é o CO de produzir P sendo o inverso o CO de produzir R CO A: para produzir +1kg R, produz - 2 kg de P CO B: para produzir +1kg R, produz - 4 kg de P O A tem uma vantagem comparativa na produção de bolo-rei. Resulta logo que B tem uma VC na produção de pão-de-ló.

54 54 Exercício 3 B Represente graficamente a curva de possibilidades de produção de cada cozinheiro. E a CPP conjunta

55 55 Exercício 3

56 56 Exercício 4 – CPP - CO Sem relevância para a avaliação Em termos agregados, a CPP dos bens A e B é Sendo que B = 5, qual o CO de B relativamente a A?

57 57 Exercício 4

58 58 Exercício 4 O CO de B em termos de A vem Para eu aumentar a produção de B em 1, diminuirei a produção de A em 0,67. –É o CO no ponto

59 59 Exercício 4 Em termos do arco, para o incremento de B de 5 para 6 (numa unidade) –Estamos em (A,B) = (6.71,5) e passáramos para (A,B) = (6,6) Para aumentar o B de 5 para 6, o CO seria de 0,71 A


Carregar ppt "1 Sumário, aula 5 1) Especialização –Vantagem Absoluta –Vantagem Relativa –Exercícios 2) Curva das possibilidades de produção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google