A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa Economia do Comércio Electrónico Pagamentos Electrónicos Docente: Professor Doutor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa Economia do Comércio Electrónico Pagamentos Electrónicos Docente: Professor Doutor."— Transcrição da apresentação:

1 Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa Economia do Comércio Electrónico Pagamentos Electrónicos Docente: Professor Doutor Jorge Lopes do Rosário Discentes: Ana Filipa Pinto Madeira Francisco Miguel Condeço Caetano de Sousa Liliana Andreia Pereira Almeida Liliana Lopes Santos Lisboa, 23 de Maio de 2007

2 2 Comércio Electrónico O comércio electrónico tornou-se um tema recorrente nos dias de hoje, deixando de ser uma ferramenta utilizada basicamente nas relações inter e intra empresas para passar a estar ao alcance de todos os cidadãos. Definição: Simples transacção comercial através de meios electrónicos (SANTOS, 2006).

3 3 Evolução do Comércio Electrónico Anos 70: as empresas utilizam o comércio electrónico através do serviço EFT que consistia na realização de transferências electrónicas de fundos entre bancos; Anos 80: o comércio electrónico realizado por meio do EDI e do correio electrónico, através das mensagens; Anos 90: surge a Internet, alterando a relação entre compradores e vendedores, através de uma tecnologia simples de produção e disseminação da informação; Situação actual: lojas virtuais oferecem tudo o que existe no mercado ao preço da inexistência de proximidade e contacto pessoal.

4 4 Vantagens do Comércio Electrónico Empresas, consumidores, países e economias: Diminuição das distâncias e tempos de espera; Diminuição dos custos de distribuição e transacção; Aumento da velocidade do desenvolvimento de novos produtos; Aumento da informação disponível aos compradores e vendedores; Aumento do leque de escolha dos consumidores; Maior alcance de fornecedores.

5 5 Pagamentos Electrónicos Instrumentos de pagamento: são mecanismos para o pagador iniciar a transferência do meio de pagamento: Instrumentos de pagamento tradicionais adaptados ao comércio electrónico: servem para adaptar os instrumentos já existentes aos novos mercados; Novos instrumentos de pagamento especificamente concebidos para o servir: tentam proporcionar novos benefícios ou incidem em partes específicas do ciclo do pagamento ou em nichos de mercado; Meio de pagamento: é um crédito monetário aceite por um beneficiário; PAGAMENTO ELECTRÓNICO: resultado da transferência numa base totalmente electrónica e altamente automatizada.

6 6 O ciclo do pagamento Fonte: Boletim Mensal do BCE (2003), pág. 64.

7 7 Formas de efectuar pagamentos electrónicos Sítios de leilão na Internet conduziu à emergência de prestadores de serviços que permitem pagamentos pessoais em linha; Utilização do correio electrónico e do respectivo site para a comunicação entre o prestador de pagamento e os utilizadores; Portal de pagamento disponibiliza contas de comerciantes aos retalhistas; Scratch cards, em que as contas pré-pagas dos utilizadores são financiadas através de cartões.

8 8 Tipos de Pagamentos Electrónicos Classes de pagamentos Mecanismo electrónico de suporte ao e- Money Relação com os mecanismos tradicionais Pagamentos de pequenos valores Cartão de crédito/ débito e-CashNotas e Moedas e-Check/SmartcardCheque Pagamentos de grandes valores e-CheckCheque EFT/EDI Fonte: COSTA, S., FERNANDES, J. & PAULA, M. (2004), pág. 6.

9 9 Moeda Electrónica (e-cash) Armazenagem por meio electrónico de um valor monetário num suporte técnico que pode ser amplamente utilizado como um instrumento pré-pago do portador para efectuar pagamentos a entidades, à excepção do emitente, sem envolver necessariamente nessa transacção contas bancárias (Report on electronic money, BCE, Agosto de 1998).

10 10 Circulação Fechada: não poderá ser novamente utilizada pelo beneficiário tendo que ser enviada ao emitente para reembolso. Circulação Aberta: funciona praticamente da mesma forma que as moedas e notas de banco, permitindo a realização de diversas transacções sem o envolvimento do emitente, tornando-se mais rentável em termos de custo para os sistemas e mais conveniente para os utilizadores. Características da moeda electrónica (e-cash)

11 11 Pode proporcionar diferentes graus de anonimato dependendo das características técnicas de cada sistema. Comparando com as moedas e notas de banco, que possuem características físicas de segurança, os produtos da moeda electrónica utilizam a criptografia electrónica, que garante a autenticidade, confidencialidade e integridade dos dados processados nas transacções em moeda electrónica. Características da moeda electrónica (e-cash)

12 12 Funcionamento da moeda electrónica (e-cash) Fonte: COSTA, S., FERNANDES, J. & PAULA, M. (2004), pág. 8.

13 13 Riscos Inerentes à utilização da moeda electrónica (e-cash) Introdução de um valor falso; Falhas importantes a nível técnico; Má gestão dos fluxos; Falhas por parte dos emitentes de moeda electrónica.

14 14 Cheque Electrónico (e-check) Mecanismo de pagamento no âmbito do comércio electrónico; Imita o cheque de papel, só que a ordem é em formato electrónico. Garante a segurança dos dados e controlo de acesso, através de assinaturas digitais e criptografia.

15 15 Cheque Electrónico (e-check) Garante a rapidez de transacção; Exige a identificação tanto do emissor e da sua conta bancária, como do beneficiário, da assinatura digital, do montante da transacção, o que implica a não existência do anonimato; É um pagamento feito através de transacção entre contas bancárias e dá-se à posteriori, visto que o momento da cobrança não é o mesmo que o da compra.

16 16 Vantagens do cheque electrónico (e-check) Rápida disponibilidade dos valores monetários para quem recebe; Redução tanto dos riscos de fraude, como do tempo gasto e de erros no processo de validação em comparação com o cheque tradicional e, ainda, a redução dos custos associados ao processamento de um cheque tradicional; Informação electrónica quer para o consumidor, quer para o comerciante, acerca do estado da liquidação dos valores: débitos e créditos.

17 17 Funcionamento do cheque electrónico (e-check) Fonte: COSTA, S., FERNANDES, J. & PAULA, M. (2004), pág. 10.

18 18 MBNet Serviço inovador, disponibilizado pela SIBS, Unicre e por grande parte dos bancos que exercem actividade em Portugal, para a realização de compras com seu cartão (débito ou crédito), em qualquer loja virtual nacional ou estrangeira, pela Internet, telefone, e-mail ou fax, com garantias acrescidas de segurança. Permite efectuar pagamentos de forma segura, realizados na Internet, e por ter um serviço de elevada facilidade de utilização e conveniência. No momento da adesão, o sistema fornecerá automaticamente uma Identificação MBNet (User ID), devendo o utilizador seleccionar o seu Código MBNet, garantindo sua confidencialidade e segurança.

19 19 Vantagens do MBNet Segurança, uma vez que quando se adere ao serviço é fornecido uma identificação e um código secreto, que permitem a criação de um cartão temporário com duração e plafons limitados; Inexistência de custos de adesão, sendo necessário apenas um cartão de débito ou de crédito emitido por uma Instituição participante no sistema e fazer a sua activação junto dos canais próprios disponibilizados pela entidade emissora, ou em qualquer das Caixas Automáticos Multibanco.

20 20 Evolução dos Pagamentos com o MBNet Evolução significativa tanto dos pagamentos como do número de cartões entre o ano de 2002 e 31 de Dezembro de 2006. Em 2002, o número de pagamentos era de aproximadamente 40.000 enquanto que o número de cartões ascendia aos 50.000. No final de 2006 o número de pagamentos perfazia um total de 500.000 e o número de cartões de 250.000. Fonte: http://www.mbnet.pt.

21 21 Funcionamento do MBNet Fonte: CRUZ, A., COSTA G., GUEDES, P., PEREIRA, P. (2004), pág. 11.

22 22 Adesão ao MBNet É necessário ser titular de um cartão de crédito ou débito, emitido por uma instituição cooperadora ao sistema; A realização da adesão deverá ser junto do Banco/Emissor do cartão, ou em qualquer Caixa Automática da Rede Multibanco; No acto do registo por Multibanco é opcional indicar o montante máximo de compras por dia, num mínimo de 5 Euros, possibilitando ao cliente limitar os seus possíveis excessos; Após o registo, o cliente terá assim um talão com a sua identificação MBNet, a qual será utilizada, juntamente com o seu código secreto que servirá para a realização das suas operações de pagamento de compras na Internet; Caso, o cliente assim o entenda, o talão também irá exibir o montante máximo de compras por dia, contudo por motivos de segurança, o Código Secreto não é impresso no talão.

23 23 Utilização do MBNet Fonte: http://www.mbnet.pt. Sempre que um utilizador pretender efectuar o pagamento das suas compras, precisa, apenas de activar a MBNet-Sidebar, sem ser necessário sair do site do comerciante e fazer o seu login. O cliente clica no ícone MBNet que previamente instalou Aparecerá uma nova janela no ecrã na qual o cliente introduz a sua Identificação e o Código Secreto, confirmando com o botão OK. Solicitação de um novo cartão temporário e introdução dos dados obtidos no site do comerciante para completar o pagamento

24 24 Segurança do MBNet Autoridade de Certificação: MULTICERT: Aspectos chave: Atender ao prazo indicado aquando da recepção de um novo cartão, e em caso de falha avisar de imediato a entidade emissora; Os novos cartões devem ser assinados após a sua recepção; Guardar sempre o cartão num local seguro e de difícil acesso a terceiros, privando-lhes qualquer acesso ao mesmo; Manter o cartão em perfeitas condições, evitando colocá-lo junto a materiais metálicos ou campos magnéticos; Destruir o cartão quando este atinge o limite de validade; Confirmar periodicamente os movimentos do cartão; Garantir que o cartão é passado num único equipamento e exigir um comprovativo da compra.

25 25 Simulação Caso Prático 1. Acedemos ao site do MBNet (www.mbnet.pt) e procedemos à sua instalação:

26 26 Simulação Caso Prático 2. Seguimos então as indicações o que resultou no aparecimento do ícone do MBNet na barra do Explorer:

27 27 Simulação Caso Prático 3. Posto isto, acedemos ao site da Fnac, e optamos pela compra de uma máquina fotográfica digital:

28 28 Simulação Caso Prático 4. Após a escolha do produto que pretendíamos continuámos a compra:

29 29 Simulação Caso Prático 5. Continuámos o processo com a confirmação do produto escolhido:

30 30 Simulação Caso Prático 6. O passo seguinte foi o preenchimento dos dados pessoais:

31 31 Simulação Caso Prático 7. Segue-se a validação da compra:

32 32 Simulação Caso Prático 8. Efectua-se o pagamento, através do MBNet:

33 33 Conclusões O comércio electrónico promove a qualidade das transacções e contribui para a competitividade da conjuntura económica; Numa economia global, os vários tipos de pagamento electrónicos encontram-se em constante mudança. O principal elemento em relação ao desenvolvimento potencial da moeda electrónica baseia-se no enquadramento regulamentar e de supervisão; O mercado alvo do modo de pagamento por cheques electrónicos, são as grandes transacções, o que leva a uma maior garantia por parte dos dois intervenientes da transacção.

34 34 FIM


Carregar ppt "Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa Economia do Comércio Electrónico Pagamentos Electrónicos Docente: Professor Doutor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google