A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SEMANA MUNDIAL DO COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO Departamento de Economia Solidária - DESOL Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SEMANA MUNDIAL DO COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO Departamento de Economia Solidária - DESOL Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013."— Transcrição da apresentação:

1 SEMANA MUNDIAL DO COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO Departamento de Economia Solidária - DESOL Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013

2 2 Departamento de Economia Solidária (DESOL) Economia Solidária e Comércio Justo são irmãos gêmeos. Paul Singer. OBJETIVO Contribuir para a superação da extrema pobreza por meio do apoio à inclusão socioprodutiva e a geração de trabalho e renda. Principais Políticas Operacionais e Programas do DESOL BNDES Fundo Social Fundo Amazônia (AMA) BNDES Microcrédito Programa de Apoio à Consolidação de Empreendimentos Autogestionários - PACEA

3 Atuação em Parceria Investimento em programas, conjuntos de projetos ou planos de investimento. Aumenta a capilaridade e a escala da atuação do Banco. Atinge público que não teria condições de acessar os recursos do BNDES através da modalidade direta. BNDES participa da escolha dos projetos apoiados, mas não contrata diretamente com os beneficiários finais. Parceiro garante a execução e acompanha os projetos e presta contas ao BNDES. Participação máxima de 50% (BNDES Fundo Social). Atuação do DESOL - Estratégia

4 Instituição parceira não é beneficiária final dos recursos: Atuação do DESOL Aplicação de dos recursos Projetos de Geração de Trabalho e Renda BNDES Instituição parceira Repasse dos recursos Conta corrente específica

5 Parceiros Potenciais Governos Federal, Estaduais e Municipais; Institutos e Fundações de direito privado sem fins lucrativos; Outros: instituições financeiras oficiais, empresas públicas etc. Atuação do DESOL

6 Evolução de contratações – Fundo Social Início da atuação com parceiros Média de R$7 milhões Média de R$113 milhões 2,81,9 9,0 13,0 6,3 65,3 146,3 93,8 147,0 Fonte: OPE

7 Operações diretas vs. parcerias Operações diretas Operações com parceiros Fonte: OPE e parceiros

8 Atuação do DESOL – BNDES Fundo Social ESTADOS Objetivo: Investimentos em empreendimentos coletivos, com foco no desenvolvimento de atividades produtivas de populações de baixa renda. Total de Recursos Investidos: R$ 140,9 milhões Participação do BNDES FS: R$ 65,5 milhões Estados Apoiados: CE, PB, RN, BA, SE, AL, PI, MA, SC

9 VISITAS DE ACOMPANHAMENTO

10 CARTEIRA COM ESTADOS

11 Atuação do DESOL – BNDES Fundo Social MUNICÍPIOS Objetivo: Apoio complementar aos investimentos de Municípios acima de 500 mil habitantes e Capitais promover a inclusão social e produtiva de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis e gerar benefícios ambientais, a partir da Coleta Seletiva Domiciliar (porta a porta). Parcerias Atuais: Rio de Janeiro, Curitiba, Sorocaba, Porto Alegre, Brasília e Osasco

12 Foto Odécio Catadores de Recicláveis no Lixão

13 Catadores de Recicláveis nas Ruas

14 Desenvolvimento

15 Parceria com Municípios Projetos de Inclusão Social de Catadores a partir da Coleta Seletiva Domiciliar

16 Investimentos BNDES - RESUMO Comercialização em Rede Na formiga qualquer um pisa, mas no formigueiro ninguém pisa. Catador Alex

17 ATUAÇÃO EM PARCERIAS – PAIS Produção Agroecológica Integrada e Sustentável Fundação Banco do Brasil (BNDES Fundo Social) e Ação no entorno de grandes projetos do BNDES: ex: SUAPE – Complexo Industrial Portuário de Pernanbuco (comprador da produção) Linha ISE – Investimento Social de Empresas / Responsabilidade Social

18 Parcerias com Institutos e Fundações Empresariais Parceria Investimento (R$ milhões) Participação BNDES (R$ milhões) EMD Famílias de Baixa Renda Atendidas Número de Projetos Área de Atuação Fundação Odebrecht ,27003 Bahia 5 municípios Fundação Banco do Brasil , Brasil Instituto Votorantim , municípios Instituto Camargo Correia , municípios Fundação Vale , municípios Soma

19 BNDES Fundo Social: Atuação com Parceiros Parceiro Valor do Investimento (R$ milhões) Participação do BNDES (R$ milhões) Famílias de Baixa Renda Atendidas Nº de Projetos Poder Público Federal 88,433, Poder Público Estadual 106,850, Poder Público Municipal 50,622, Acordo BNDES-FBB 76,935, Institutos e Fundações Empresariais 455,9226, Outras Parcerias 34,029, Total788,6384,

20 Fundo Amazônia – FA Fundação Banco do Brasil e FA a. Cadeias Produtivas; b. Tecnologias Sociais; c. Ações de apoio à gestão ambiental, regularização fundiária, licenciamento, fiscalização e monitoramento; d. Ações de manejo florestal sustentável, reflorestamento, certificação florestal e recuperação de áreas desmatadas. São previstos para os cinco anos da cooperação técnica e financeira, investimentos não reembolsáveis de R$ 100 milhões, na proporção de 60% para o FA e 40% para a FBB.

21 Indução de cadeias produtivas e o cooperativismo Objetivo: fortalecer cadeias produtivas e cooperativismo Programa de Apoio à Produção Familiar Rural Sinergia com Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) R$23 milhões do Fundo Social Sucesso da chamada pública: inscritos projetos no valor de R$76 milhões Parceria entre o BNDES e as Cresol Central SC/RS e Baser, para alavancar operações do Microcrédito Rural nos Territórios da Cidadania Expansão do cooperativismo outras regiões Fortalecimento da agricultura familiar R$18,9 milhões do Fundo Social Ajudar a promover a agroindustrialização de assentamentos da Reforma Agrária, a autonomia e sustentabilidade dos assentados R$150 milhões – Fundo Social – alavancando mais R$150 milhões em recursos não reembolsáveis e R$300 milhões em financiamentos – 5 anos Parceria com FBB, SG-PR, MDA, MDS, Incra e Conab

22 Objetivo: oferta de microcrédito produtivo orientado para pessoas físicas e jurídicas empreendedoras de atividades produtivas de pequeno porte utilizando metodologia baseada no relacionamento direto com os empreendedores por meio do Agente de Crédito no local onde é executada a atividade econômica Bancos Comunitários – Moeda social – Ex: CDD – Cidade de Deus – Banco Palmas. Atuação do DESOL – BNDES Microcrédito Dotação orçamentária: R$ 1,0 bilhão Vigência: Dezembro de 2013 Taxa de Juros: Taxa de juros para 1º piso = TJLP + 0,9% Taxa de juros para 2º piso = TJLP

23 Volume de recursos – Microcrédito Operações enquadradas, em análise e contratadas Fonte: OPE * Projeção linear * Microcrédito - Evolução e Avanços

24 24 PACEA - Programa de Apoio à Consolidação dos Empreendimentos Autogestionários OBJETIVO Apoiar a implantação e a consolidação de empreendimentos autogestionários no setor industrial. BENEFICIÁRIOS Cooperativas de produção, singulares ou centrais, com as seguintes características: constituição a partir de situações de falência ou fechamento de unidades produtivas que utilizem a estrutura de produção do antecessor gestão participativa

25 AGRIS-DESOL Área Agropecuária e de Inclusão Social – AGRIS Superintendente - Marcelo Porteiro Cardoso Departamento de Economia Solidária - DESOL Chefe do Departamento – Daniela Arantes OBRIGADO! João Picanço


Carregar ppt "SEMANA MUNDIAL DO COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO Departamento de Economia Solidária - DESOL Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google