A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A força da economia solidária que inclui e liberta! Fórum Social Mundial 2010 – 10 anos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A força da economia solidária que inclui e liberta! Fórum Social Mundial 2010 – 10 anos."— Transcrição da apresentação:

1 A força da economia solidária que inclui e liberta! Fórum Social Mundial 2010 – 10 anos

2 Entidade Executora: GUAYÍ Empreendimentos Integrantes da RICS: Guayí – Gestão, formação e operacionalização Semente – Corte, modelagem e acompanhamento técnico Costurando e Inovando Ações Solidárias - Costura Costura Solidária da Tuca – Costura Shalom Costura em Rede - Costura Liberdade (Presídio Feminino Madre Pelletier) – Costura Aracaju - Costura

3 Conjuntura O quadro de feminilização da pobreza e miséria no Brasil, agravado com o crescimento de mulheres como chefes de família. As mulheres que tiveram uma trajetória prisional, tem ainda mais dificuldades de inserção no mundo do trabalho. Formas espontâneas de trabalho caracterizadas pela descapitalização; pouco conhecimento técnico, defasados meios de produção, parte submetidas à exploração do trabalho de facção, tornam estas trabalhadoras pouco qualificadas ou excluídas no mercado de bens e serviços. Ações de instituições públicas e privadas buscam incluir estes trabalhadores empreendedores em feiras e espaços para comercialização, proporcionando, no máximo, ganhos pontuais.

4 Desafio: Existem muitos grupos de mulheres ligados à Associações de Moradores ou projetos sociais na área da confecção; A sustentabilidade dos empreendimentos de Economia Solidária é precária. não basta somente ações pontuais de formação ou realização de comercialização, é preciso uma inserção contínua de renda e capacitação para a superação da situação de vulnerabilidade social.

5 Demanda Socialmente Orientada Parceria entre: O desafio é propiciar melhores condições para a inserção econômica autosustentável destes empreendimentos solidários, possibilitando maior agregação de valor na produção. Mulheres que passam de excluídas/desempregadas para empreendedoras autogestionárias e protagonistas de uma nova forma de desenvolvimento, com bases sólidas na solidariedade e desalienação. Organizações de apoio técnico e formação para autogestão e Instituições Públicas ou Privadas que demandem serviço ou produto, e Empreendimentos Solidários Autogestionários.

6 Projeto RICS Uma parceria entre GHC, a Guayí e trabalhadores da ES, que resultou na Rede Industrial de Confecção Solidária (RICS), através da produção da roupas hospitalares utilizadas nos hospitais do grupo. Os empreendimentos da RICS passaram a fazer parte do Núcleo de Confecção da Associação Emrede RS. O funcionamento da rede e dos empreendimentos tem como princípios a economia solidária e a autogestão.

7 Objetivo Geral Consolidar uma Rede de Economia Solidária, de empreendimentos autogestionários da confecção, incluindo mulheres em situação de vulnerabilidade social, como alternativa de organização social do trabalho frente ao sistema econômico excludente que vivemos.

8 Público do projeto O público do projeto são trabalhadoras dos empreendimentos solidários do segmento de confecção de Porto Alegre e região metropolitana, especialmente mulheres de baixa renda e com dificuldades de inclusão no mercado de trabalho, incluindo detentas e egressas da Penitenciária Feminina Madre Pelletier.

9 Resultados Alcançados Atualmente a rede é formada por seis empreendimentos solidários e a OSCIP Guayí. Três grupos encontram-se formalizados como microempresas solidárias: o Costurando e Inovando Ações Solidárias, Costura Solidária da Tuca e o Shaloom - Costura em Rede ; O número de trabalhadoras da RICS foi para 40 trabalhadoras. A renda média das trabalhadoras passou de R$ 150,00 para R$ 800,00 e o faturamento médio per capta R$ 1.150,00.

10 Resultados Alcançados Foram reinseridas na rede 6 pessoas oriundas do grupo Liberdade (Madre Pelletier) que passaram para o regime semi- aberto ou condicional. O contrato com o GHC foi renovado três vezes e está no 5º ano de execução. As trabalhadoras da rede tiveram ganhos sociais e econômicos, algumas voltaram a estudar, reformaram suas casas, passaram a cuidar da saúde, contribuir com o INSS, serem reconhecidas na comunidade. Passaram de trabalhadoras excluídas à empreendedoras autogestionárias qualificadas.

11 Principais Parceiros Grupo Hospitalar Conceição / Ministério da Saúde Finep – Financiadora de Estudos e Projetos / Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria Nacional de Economia Solidária / Ministério do Trabalho Fundação Banco do Brasil Susepe (Superintendência de Serviço Penitenciário) Associação Comunitária Campo da Tuca Associação de Moradores do Loteamento Cavalhada Centro de Formação Profissional São João Calábria EmRede: Associação dos Empreendimentos Solidários do Rio Grande do Sul.

12 Reconhecimento 2009 A RICS foi selecionada como uma das 24 finalistas ao Prêmio Nacional de Tecnologia Social da FBB A RICS está entre os dez finalistas da Seleção do Projeto Parceiros em Ação 2009.

13 Empreendimentos Semente Gestão, corte, modelagem e acompanhamento técnico

14 Empreendimentos Costurando e Inovando Ações Solidárias Confecção

15 Empreendimentos Costura Solidária da Tuca Confecção

16 Empreendimentos Shalom Costura em Rede Confecção

17 Empreendimentos Liberdade – Penitenciária Feminina Madre Pelletier Confecção

18 Empreendimentos Aracaju - Costura Vila Nova Confecção

19


Carregar ppt "A força da economia solidária que inclui e liberta! Fórum Social Mundial 2010 – 10 anos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google