A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AMBIENTE DE TRABALHO. AMBIENTE DE TRABALHO TODO ESPAÇO, FÍSICO OU ABSTRATO, QUE, AO INTERAGIR COM O TRABALHADOR, INFLUENCIA-O DE MANEIRA POSITIVA OU NEGATIVA,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AMBIENTE DE TRABALHO. AMBIENTE DE TRABALHO TODO ESPAÇO, FÍSICO OU ABSTRATO, QUE, AO INTERAGIR COM O TRABALHADOR, INFLUENCIA-O DE MANEIRA POSITIVA OU NEGATIVA,"— Transcrição da apresentação:

1 AMBIENTE DE TRABALHO

2 AMBIENTE DE TRABALHO TODO ESPAÇO, FÍSICO OU ABSTRATO, QUE, AO INTERAGIR COM O TRABALHADOR, INFLUENCIA-O DE MANEIRA POSITIVA OU NEGATIVA, ALTERANDO SEU ESTADO FÍSICO, PSÍQUICO E SOCIAL

3 AMBIENTE DE TRABALHO UM CONJUNTO DE FATORES INTERDEPENDENTES, MATERIAIS OU ABSTRATOS, QUE ATUA DIRETA E INDIRETAMENTE NA QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS E NOS RESULTADOS DOS SEUS TRABALHOS (WADA, 1990)

4 AMBIENTE DE TRABALHO TODO AMBIENTE DE TRABALHO É COMPOSTO POR UM CONJUNTO DE FATORES INTERDEPENDENTES. QUANDO UM DESSES FATORES, OU UM CONJUNTO DELES, FOGE AO CONTROLE, SEJA PELOS NÍVEIS PERMITIDOS OU PELOS PROCESSOS QUE SE DESENCADEIAM, O AMBIENTE DE TRABALHO TORNA-SE SUSCETIVEL DE DESENVOLVER AS CHAMADAS PATOLOGIAS DO TRABALHO, QUE PODEM SER CITADAS COMO ACIDENTES DO TRABALHO, DOENÇAS PROFISSIONAIS OU DOENÇAS DO TRABALHO.

5 AMBIENTE DE TRABALHO PORTANTO, NO AMBIENTE DE TRABALHO NECESSITAMOS ENCONTRAR CONDIÇÕES CAPAZES DE PROPORCINAR O MÁXIMO DE PROTEÇÃO E AO MESMO TEMPO SATISFAÇÃO NO TRABALHO. E QUANDO EXISTE ESSA COMBINAÇÃO, COM TODA CERTEZA RESULTA NUM AUMENTO SIGNIFICATIVO DA PRODUTIVIDADE,,, MELHORIA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS, REDUÇÃO DO ÍNDICE DE ABSENTEÍSMO E DIMINUIÇÃO DRÁTSICA DAS DOENÇAS E DOS ACIDENTES DO TRABALHO.

6 AMBIENTE DE TRABALHO POLUENTES: OS POLUENTES ATUAM DIRETAMENTE NA QUALIDADE DO AMBIENTE E PODEM SER CLASSIFICADOS EM:

7 AMBIENTE DE TRABALHO PRIMÁRIO: SÃO AQUELES EMITIDOS DIRETAMENTE DE FONTES IDENTIFICÁVEIS, ESTÃO NA ATMOSFERA NA MESMA FORMA EM QUE FORAM EMITIDOS. EX.: POEIRAS EM GERAL, COMPOSTOS DE ENXOFRE, MONÓXIDO DE CARBONO, COMPOSTOS RADIOATIVOS...

8 AMBIENTE DE TRABALHO SECUNDÁRIO: SÃO PRODUZIDOS NO AR PELA REAÇÃO ENTRE DOIS OU MAIS POLUENTES. EX.: DIÓXIDO DE ENXOFRE, PROVENIENTE DAS ATIVIDADES INDUSTRIAIS (COMBUSTÃO DE ÓLEOS, OPERAÇÕES DE FUSÃO, USINAS DE NATUREZA TIPICAMENTE QUÍMICA), NEBLINA DE ÁCIDO SULFÚRICO.

9 AMBIENTE DE TRABALHO FONTES NATURAIS DE POLUENTES: EX.: VEGETAÇÃO, POLENS, SOLO, GOTÍCULAS DO MAR, POEIRA

10 AMBIENTE DE TRABALHO FONTES DE POLUIÇÃO: NAS INDÚSTRIAS: POLUENTES EMITIDOS; METALÚRGICA: MONÓXIDO DE CARBONO, FUMOS, GÁS SULFUROSO.... MANUFATURA E ACABAMENTOS METAIS: FUMOS METÁLICOS, POEIRAS DE FUNDIÇÃO, VAPORES SOLVENTE.. MINERAÇÃO: GASES EXPLOSIVOS... QUÍMICA E FARMACÊUTICA: TODAS AS FORMAS DE POLUIÇÃO DO AR....

11 AMBIENTE DE TRABALHO FATORES QUE INFLUENCIAM O AMBIENTE DE TRABALHO

12 AMBIENTE DE TRABALHO O AMBIENTE DE TRABALHO É ONDE O TRABALHADOR PASSA A MAIOR PARTE DA SUA VIDA

13 AMBIENTE DE TRABALHO POR ISSO, O AMBIENTE DE TRABALHO MERECE ESPECIAL ATENÇÃO DE TODOS E PRINCIPALMENTE DO SESMT

14 AMBIENTE DE TRABALHO FATORES METEOROLÓGICOS E TOPOGRÁFICOS: A ATMOSFERA (VENTOS, TEMPERATURA, UMIDADE DO AR, PRECEPITAÇÕES (CHUVA, NEVE...)

15 AMBIENTE DE TRABALHO FATORES EMOCIONAIS É NATURAL QUE O TRABALHADOR LEVE PROBLEMAS PESSOAIS PARA O AMBIENTE DE TRABALHO

16 AMBIENTE DE TRABALHO FATORES EMOCIONAIS ESTES FATORES SÃO OS GRANDES RESPONSÁVEIS PELO AUMENTO DE ABSENTEÍSMO, DOENÇAS E ACIDENTES DO TRABALHO

17 AMBIENTE DE TRABALHO RISCOS AMBIENTAIS DE ACORDO COM A NR-9, NORMA DO MINISTÉRIO DE TRABALHO QUE TRATA DO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS, OS AMBIENTES DE TRABALHO ESTÃO EXPOSTOS AOS SEGUINTES RISCOS:

18 AMBIENTE DE TRABALHO RISCOS AMBIENTAIS FÍSICOS: AS DIVERSAS FORMAS DE ENERGIA A QUE POSSAM ESTAR EXPOSTOS OS TRABALHADORES TAIS COMO RUÍDOS, VIBRAÇÕES, PRESSÕES ANORMASI, TEMPERATURAS EXTREMAS, RADIAÇÃO IONIZANTES OU NÃO IONIZANTES, BEM COMO O INFRASSOM E O ULTRASSOM BIOLÓGICOS: BACTÉRIAS, FUNGOS, BACILOS, PARASITAS, PROTOZOÁRIOS, VÍRUS,....

19 AMBIENTE DE TRABALHO RISCOS AMBIENTAIS QUÍMICOS: SUBSTÂNCIAS, COMPOSTOS OU PRODUTOS QUE POSSAM PENETRAR NO ORGANISMO PELA VIA RESPIRATÓRIA, NAS FORMAS DE POEIRAS, FUMOS, NÉVOAS, NEBLINAS, GASES OU VAPORES Riscos ergonômicosACIDENTES (Riscos ergonômicos)

20 AMBIENTE DE TRABALHO CLASSIFICAÇÃO DAS PARTÍCULAS SÓLIDAS E LÍQUIDAS: FUMOS; PARTÍCULAS SÓLIDAS COM DIÂMETRO MENOR QUE 1mm; POEIRAS: SÃO PARTÍCULAS COM DIÂMETRO MAIOR QUE 1mm; NÉVOAS: SÃO PARTÍCULAS LÍQUIDAS SUSPENSAS NO AR E PODEM SER MAIORES OU MENORES QUE 1mm

21 AMBIENTE DE TRABALHO CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO: DE ACORDO COM A NR-17, NORMA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO QUE TRATA DA ERGONOMIA: AS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO DEVEM ESTAR ADEQUADAS ÀS CARACTERÍSTICAS PSICOFISIOLÓGICAS DOS TRABALHADORES E À NATUREZA DO TRABALHO A SER EXECUTADO.

22 AMBIENTE DE TRABALHO CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO: NOS LOCAIS DE TRABALHO EM QUE SÃO EXECUTADOS ATIVIDADES QUE EXIJAM ESFORÇO INTELECTUAL DEVE-SE TER OS SEGUINTES CUIDADOS: NÍVEIS DE RUÍDO DE ACORDO COM A NBR , NORMA BRASILEIRA REGISTRADA NO INMETRO; ÍNDICE DE TEMPERATURA ENTRE 20ºC E 23ºC; VELOCIDADE O AR NÃO SUPERIOR A 0,75 M/S; UMIDADE RELATIVA DO AR >= 40%

23 Educação e geração de uma cultura de segurança em ambientes laborais

24 Riscos Ambientais Riscos físicos: Ruído, Vibrações, radiação ionizante (raio- x, alfa, gama) radiação não-ionizante (radiação do sol, radiação de solda), temperaturas extremas (frio / calor), pressões anormais e umidade.

25 Riscos Físicos RUÍDO O ruído é definido como um som indesejável, produto das atividades diárias da comunidade. O som representa as vibrações mecânicas da matéria através do qual ocorre o fluxo de energia na forma de ondas sonoras.

26 Riscos Físicos VIBRAÇÃO É qualquer movimento que o corpo executa em torno de um ponto fixo. Esse movimento pode ser regular, do tipo senoidal ou irregular, quando não segue um padrão determinado

27 Riscos Físicos RADIAÇÃO IONIZANTE São emissões de energia em diversos níveis, desde a fixa do visível, passando pelo ultra-violeta, raio-X, raio gama e partículas alfa e beta, capazes de contato com elétrons de um átomo, retirando-as, provocando a ionização dos mesmos.

28 Saiba Mais ! Radiação Ionizante: partícula ou onda eletromagnética que ao interagir com a matéria, ioniza direta ou indiretamente seus átomos ou moléculas

29 Riscos físicos Radiação Não-Ionizante Ao contrário da anterior, não tem poder de ionização. Apenas podem ativar todo o conjunto de átomos que recebem esta carga de energia. São classificadas pelo comprimento de onda de nanômetros a quilômetros.

30 Saiba Mais! Radiação Não-Ionizante Conforme a sua freqüência podem ser apenas refletidas, absorvidas sem conseqüências, a medida que aumentam fazem contrações cardíacas, debilitação do sistema nervoso central e como efeitos agudos causam catarata ou até mesmo a morte. Fator determinante é o tempo de exposição.

31 Saiba Mais ! A ionização ocorre quando existe um desequilíbrio eletrônico dentro do átomo. Esse desequilíbrio é originado quando o n.º de prótons (+) se torna diferente do número de elétrons (-), transformando átomos em íons. (danos fisiológicos)

32 Riscos Físicos Temperaturas extremas FRIO CALOR

33 Riscos físicos Pressões Anormais Hipobárica: quando o homem está sujeito a pressões menores que a pressão atmosférica. Estas situações ocorrem a elevadas altitudes. (coceira na pele, dores musculares, vômitos, hemorragias pelo ouvido e ruptura do tímpano) Hiperbárica: quando o homem fica sujeito a pressões maiores que a atmosférica. (mergulho e uso de ar comprimido).

34 Riscos físicos Umidade Faixa de conforto a que corresponde à temperatura de 22 a 26 º C e umidade relativa do ar entre 45 e 50 %.

35 Riscos Ambientais Riscos Químicos Riscos químicos são: poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases, vapores, etc.

36 Riscos Químicos Aerosóis:podem ser encontrados na forma de gases e vapores, ou na forma de partículas. As partículas quando dispersas na atmosfera possuem estabilidade de suspensão e dividem-se em: PoeirasFumos NévoasNeblinas

37 Poeiras Aerosóis sólidos formados por desagregação mecânica de corpos sólidos. As partículas geradas tem em geral diâmetros maiores que um mícron Poeiras minerais Poeiras de madeira Poeira em geral

38 Fumos Aerosóis sólidos formados por condensação de vapores, geralmente metálicos. As partículas geradas tem em geral diâmetros maiores que um mícron Fumos de solda

39 Névoas Aerosóis constituídos por partículas líquidas, independente da natureza e do diâmetro das partículas, formadas por desagregação mecânica de corpos líquidos. Névoa de tinta

40 Neblina Aerosóis líquidos, formados por condensação de vapores.

41 Vapores São substâncias que se encontram no estado gasoso como resultado de algum tipo de alteração no seu estado normal e temperatura ambiente.

42 Gases Não possuem formas e volumes próprios e tendem a se expandir indefinidamente. À temperatura ordinária, mesmo sujeitos à pressão fortes, não podem ser total ou parcialmente reduzidos ao estado líquido. GLP, oxigênio

43 Riscos ambientais Riscos biológicos Microorganismos indesejáveis: bactérias (antraz), fungos (parasitas), protozoários, bacilos (bacilo de Kock)

44 Riscos ambientais Riscos ergonômicos Local de trabalho inadequado (anti- ergonômico), levantamento e transporte de pesos sem meios auxiliares corretos, postura inadequada.

45 Riscos ambientais Riscos de acidentes Variados (falta de iluminação, probabilidade de incêndio, explosão, piso escorregadio, armazenamento, arranjo físico e ferramenta inadequados, máquina defeituosa, mordida de cobra, aranha, escorpião).

46 A SIMPLICIDADE DO MAPA DE RISCOS Mapa e Mapeamento de Riscos Ambientais Mapa e Mapeamento de Riscos Ambientais

47 Histórico O mapa de riscos no Brasil, surgiu através: Portaria nº. 05 de 20/08/92 E modificada: Portaria nº. 25 de 23/12/94 e 08 de 23/02/99 Tornando obrigatória a elaboração do Mapa de Riscos pela CIPA

48 Histórico A NR 05 – item 5.16 Das Atribuições a) Identificar os riscos do processo de trabalho e elaborar o mapa de riscos, com a maior participação do maior numero de trabalhadores...

49 Histórico CIPA primeira CIPA foi formada no Brasil (LIGHT-RJ) regulamenta ç ão da CIPA – participa ç ão cada vez maior do sindicato dos trabalhadores e instituto nacional de sa ú de Fundacentro MG desenvolve curso de CIPA com introdu ç ão do mapa de riscos atrav é s de modelo oper á rio italiano de 1972.

50 Saiba Mais ! DE ACORDO COM A LEGISLAÇÃO EM VIGOR, - portaria nº 26, de 06 de maio de 1998, A FALTA DO MAPA DE RISCO OCASIONA MULTAS PESADAS, POR EXEMPLO: Uma empresa com 01 a 250 empregados pode pagar uma multa variando de 630 a ufir. Uma empresa com 250 a 500 empregados pode pagar uma multa entre de a ufir. Uma empresa com 501 a empregados pode pagar uma multa entre A ufir

51 Mapeamento dos riscos ambientais Por Que Fazer ? Estes riscos podem prejudicar o bom andamento da seção, portanto, devem ser identificados, avaliados e controlados de forma correta. forma correta.

52 Definições Mapa de riscos: Representação gráfica dos riscos existentes nos diversos ambientes da empresa.

53 Definições Mapeamento de riscos: É o levantamento realizado nos locais de trabalho apontando os riscos, aos quais os colaboradores estão expostos.

54 Objetivos do Mapa de Riscos: Reunir informações necessárias para elaboração do Mapa de Riscos; Possibilitar a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores dos ambientes de trabalho.

55 Etapas de Elaboração a) Conhecer o processo de trabalho: Os trabalhadores: nº, sexo, idade, treinamentos profissionais e de segurança, jornada de trabalho; Os trabalhadores: nº, sexo, idade, treinamentos profissionais e de segurança, jornada de trabalho; Os instrumentos e materiais de trabalho; Os instrumentos e materiais de trabalho; As atividades exercidas; As atividades exercidas; O ambiente. O ambiente.

56 Etapas de Elaboração b) Identificar os riscos existentes no local analisado; c) Identificar as medidas preventivas existentes e sua eficiência: Medidas de proteção coletiva; Medidas de proteção coletiva; Medidas de organização do trabalho; Medidas de organização do trabalho; Mediada de proteção individual; Mediada de proteção individual; Medidas de higiene e conforto: banheiros, lavatórios, vestiários, armários, bebedouros, refeitórios, área de lazer. Medidas de higiene e conforto: banheiros, lavatórios, vestiários, armários, bebedouros, refeitórios, área de lazer.

57 Etapas de Elaboração d) Conhecer os levantamentos ambientais já realizados no local; e) Elaborar o mapa de riscos sobre o lay-out da empresa: O grupo a que pertence o risco; O grupo a que pertence o risco; O número de trabalhadores expostos ao risco; O número de trabalhadores expostos ao risco; A especificação do agente de risco; A especificação do agente de risco; A intensidade do risco; A intensidade do risco;

58 Simbologia A intensidade do risco será dimensionada, através de círculos ; Risco Grande Risco Médio Risco Pequeno

59 Simbologia Risco Físico Risco Químico Risco Biológico Risco Ergonômico Risco Acidente Para cada risco atribui-se uma cor:

60 Dificuldade ? de capacidade, informação e subsídios técnicos para identificar, avaliar e controlar os riscos existentes dentro de seus processo produtivos. A maior dificuldade das empresas no mapeamento dos riscos ambientais, está na falta de capacidade, informação e subsídios técnicos para identificar, avaliar e controlar os riscos existentes dentro de seus processo produtivos. Os MAPAS DE RISCO, devem ser refeitos a cada gestão da CIPA.

61 Para a empresa: Benefícios Para a empresa: Facilita a administração da prevenção de acidentes e de doenças do trabalho; Ganho da qualidade e produtividade; Aumento de lucros diretamente; Informa os riscos aos quais o trabalhador está expostos, cumprindo assim dispositivos legais.

62 Benefícios Para os trabalhadores Propicia o conhecimento dos riscos que podem estar sujeitos os colaboradores; Fornece dados importantes relativos a sua saúde; Conscientiza quanto ao uso dos EPI´s.

63 Informações Informações ? Os MAPAS DE RISCO contém, ainda informações como o número de trabalhadores expostos ao risco e especificação do agente. Os MAPAS DE RISCO contém, ainda informações como o número de trabalhadores expostos ao risco e especificação do agente. (Ex.Local laboratório: químico - ácido clorídrico - 5 colaboradores). (Ex.Local laboratório: químico - ácido clorídrico - 5 colaboradores).

64 Representação gráfica do MAPA DE RISCOS O mapa de riscos é representado graficamente, através de círculos de cores (conforme tabela anexa) e tamanhos proporcionalmente diferentes (riscos pequeno médio e grande), sobre o Lay-Out da empresa e deve ficar afixado em local visível a todos os trabalhadores.

65 CORES USADAS NO MAPA DE RISCOS Os números dentro dos círculos indicam quantos funcionários estão expostos ao risco. TAMANHO DOS CIRCULOSLEGENDA: CORES INDICA RISCOS FÍSICOS INDICA RISCOS QUÍMICOS INDICA RISCOS BIOLÓGICOS INDICA RISCOS ERGONÔMICOS INDICA RISCOS DE ACIDENTES INDICA RISCO PEQUENO INDICA RISCO MÉDIO INDICA RISCO GRANDE Nome e logotipo da empresa MAPA DE RISCOS – CIPA Gestão 2001/2002 Nome do Setor

66 CLASSIFICAÇÃO DOS RISCOS

67 MAPA DE RISCOS: ex.:

68 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Físico - Ruído Químico - Poeira Acidente - Máquina sem proteção - Eletricidade - Trabalho com Máquina

69 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Acidente - Probabilidade de incêndio

70 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Acidente - Arranjo físico inadequado

71 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Físico - Radiação não ionizante Químico - Fumos Acidente - Trabalho com Máquina - Eletricidade

72 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Acidente - Probabilidade de incêndio

73 DESCRIÇÃO DOS RISCOS Acidente - Probabilidade de incêndio Líquido Inflamável

74


Carregar ppt "AMBIENTE DE TRABALHO. AMBIENTE DE TRABALHO TODO ESPAÇO, FÍSICO OU ABSTRATO, QUE, AO INTERAGIR COM O TRABALHADOR, INFLUENCIA-O DE MANEIRA POSITIVA OU NEGATIVA,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google