A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FISIOLOGIA VEGETAL – ABSORÇÃO E TRANSPIRAÇÃO – Aula 17.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FISIOLOGIA VEGETAL – ABSORÇÃO E TRANSPIRAÇÃO – Aula 17."— Transcrição da apresentação:

1 FISIOLOGIA VEGETAL – ABSORÇÃO E TRANSPIRAÇÃO – Aula 17

2 FISIOLOGIA VEGETAL 1)Introdução A fisiologia vegetal é a parte da botânica que estuda o funcionamento do organismo das plantas, que inclui: a nutrição vegetal (absorção e produção de nutrientes), transporte de nutrientes, o crescimento, a ação dos hormônios vegetais, a transpiração etc.

3 Quantidade de água na célula vegetal: MUITA ÁGUA: o vacúolo aumenta e faz pressão sobre a parede celular (CÉLULAS TÚRGIDAS). Com a turgenscência as células fazem pressão umas sobre a outra e sustentam o vegetal. POUCA ÁGUA: células nao exercem pressão e a planta murcha. A ÁGUA NAS CÉLULAS

4 CÉLULAS PODEM MURCHAR QUANDO EM MEIO HIPERTÔNICO (OSMOSE) COM ISSO: - A MEMB. PLASMÁTICA SE DESPRENDE QUASE QUE COMPLETAMENTE DA PAREDE CELULAR (FICANDO PRESA PELOS FILAMENTOS DE HECHT), FICANDO PLASMOLISADAS.

5 ABSORÇÃO DE ÁGUA E SAIS MINERAIS ÁGUA IMPORTANTE PARA: -Metabolismo geral (fotossíntese, transporte de solutos, resfriamento através da transpiração etc) MINERAIS IMPORTANTES PARA: -Equilíbrio osmótico, formação da parede celular, de enzimas, clorofila etc -ABSORÇÃO = ZONA PILÍFERA DA RAIZ

6 EXPERIÊNCIA DE OHLERT COMPROVA QUE A REGIÃO PILÍFERA ABSORVE ÁGUA. OCORRE POR OSMOSE, PORTANTO: -DENTRO DA RAIZ DEVE TER ALTA CONCENTRAÇÃO SALINA (HIPERTÔNICO) COMPARADA COM O SOLO (HIPO), COM ISSO: -SOLO – PELOS – PARÊNQUMA CORTICAL – XILEMA -OSMOSE: SOLVENTE DO HIPO PARA HIPER

7 POR OSMOSE NÃO HÁ GASTO DE ENERGIA (TRANSPORTE PASSIVO) MINERAIS GERALMENTE PASSAM POR DIFUSÃO SIMPLES POIS ESTÃO EM MAIOR CONCENTRAÇÃO NO SOLO (TRANSPORTE PASSIVO) PODE HAVER GASTO DE ENERGIA (quando a concentração do mineral for baixa no solo) (TRANSPORTE ATIVO)

8 Nutrição Vegetal Absorção de água e sais pelas raízes Local de absorção nas raízes: zona pilífera Após atravessar a epiderme: A água se locomove em direção ao xilema via: a)Simplasto: passando por dentro das células via plasmodesmos. a)Apoplasto: passando entre as células Ao chegar na endoderme: Simplasto Apoplasto Células contém estrias de Caspary (suberina) o Ocorre a seleção dos sais minerais que entram no xilema o Regulação da quantidade de água que pode entrar para o xilema. Fisiologia Vegetal

9 VIAS SIMPLÁSTICA E APOPLÁSTICA

10 OBSERVA-SE A SELEÇÃO DOS NUTRIENTES, COM TRANSPORTE ATIVO DE SAIS E O CONTROLE DA ÁGUA QUE CHEGA AO XILEMA

11 SECA FISIOLÓGICA OCORRE QUANDO O VEGETAL NÃO CONSEGUE ABSORVER ÁGUA MESMO ESTANDO DISPONÍVEL NO AMBIENTE,DEVIDO: SOLO HIPERTÔNICO EM RELAÇÃO A RAIZ (pântanos, manguezais e solo com muito adubo) TEMPERATURAS BAIXAS QUANDO O EXCESSO DE ÁGUA DIMINUI O OXIGÊNIO (não há como gastar energia pra absorver alguns sais) PRESENÇA DE SUBSTÂNCIAS TÓXICAS (alteram a permeabilidade da membrana)

12 TRANSPIRAÇÃO PERDA DE VAPOR D`ÁGUA PODE-SE PERDER MAIS DE 90% DA ÁGUA ABSORVIDA PODEMOS DIVIDI-LA EM: -ESTOMÁTICA (MUITO MAIOR) -CUTICULAR

13 MOVIMENTOS ESTOMÁTICOS COM ÁGUA SUFICIENTE NO AMBIENTE, AS CÉLULAS SE MANTEM TÚRGIDAS E COM ISSO O OSTÍOLO SE ABRE

14 MOVIMENTOS ESTOMÁTICOS COM ÁGUA INSUFICIENTE NO AMBIENTE, AS CÉLULAS MURCHAM E O OSTÍOLO SE FECHA

15 MOVIMENTOS ESTOMÁTICOS

16 LUZ: -REALIZANDO FOTOSSÍNTES HÁ AUMENTO DA CONCENTRAÇÃO DE GLICOSE E POR OSMOSE A ÁGUA ENTRA NAS CÉLULAS-GUARDAS, ABRINDO O OSTÍOLO -Maioria das plantas (abrem estômatos durante o dia) e os fecham (à noite) -LUZ ESTIMULA ABERTURA DO OSTÍOLO

17 MOVIMENTOS ESTOMÁTICOS GÁS CARBÔNICO: -BAIXAS CONCENTRAÇÕES DE CO2: ABERTURA DOS ESTÔMATOS -ALTAS CONCENTRAÇÕES DE CO2: FECHAMENTO (rsrs)

18 ACREDITA-SE QUE HAJA ENTRADA OU SAIDA DE ÍONS K+ Abertura Entrada de K+ Água entra nas células guarda Células guarda tornam-se túrgidas Promove a abertura do ostíolo Fechamento Saída de K+ Água sai das células guarda Células guarda tornam-se plasmolizadas Ocorre o fechamento do ostiolo

19 FATORES QUE INFLUENCIAM NA TRANSPIRAÇÃO UMIDADO DO AR (QTO MAIOR, MENOR A TRANSPIRAÇÃO) TEMPERATURA (QTO MAIOR, MAIOR A TRANSPIRAÇÃO) VENTOS (MODERADOS, AUMENTAM, MAS FORTES DIMINUEM A TRANSPIRAÇÃO) ESPESSURA DA CUTÍCULA (QTO MAIOR, MENOR A TRANSPIRAÇÃO) TAMANHO DA FOLHA (QTO MAIOR, MAIOR A TRANSPIRAÇÃO) DISPOSIÇÃO E LOCALIZAÇÃO DOS ESTÔMATOS (MUITO JUNTOS, AUMENTAM A UMIDADE E DIMINUEM A TRANSPIRAÇAO)

20 Métodos para demonstrar a transpiração CAMPÂNULA DE VIDRO POTÔMETRO BALANÇA


Carregar ppt "FISIOLOGIA VEGETAL – ABSORÇÃO E TRANSPIRAÇÃO – Aula 17."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google