A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Einstein e o nascimento da Cosmologia Alexandre Bagdonas Henrique.

Cópias: 1
Einstein e o nascimento da Cosmologia Alexandre Bagdonas Henrique.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Einstein e o nascimento da Cosmologia Alexandre Bagdonas Henrique."— Transcrição da apresentação:

1 Einstein e o nascimento da Cosmologia Alexandre Bagdonas Henrique

2 Índice 1- A vida de Einstein 2- A Física na época de Einstein 3 - A Teoria da relatividade a) Relatividade restrita b) Relatividade geral 4 - O início da Cosmologia 5 - Um pouco mais sobre Einstein

3 1) Albert Einstein Nasceu em 1879, em Ulm, Alemanha Boatos de que era mau aluno são infundados Foi estudar na Suíça e naturalizou-se para evitar o serviço militar na Alemanha Era autodidata e criticava métodos de ensino tradicionais Formou-se em física em 1900, e foi trabalhar num escritório de patentes

4 3) A Relatividade Restrita Postulados: As leis físicas valem em todos os referenciais sem aceleração A velocidade da luz é constante

5 Fim do espaço e tempo absolutos Tudo é relativo não é relatividade Mas a base da relatividade é que a velocidade da luz não é relativa. Nada pode se mover mais rápido que a luz

6 Problemas com a gravitação Nada pode se propagar com velocidade maior que a da luz Relatividade restrita não vale para referenciais acelerados

7 Instabilidade gravitacional

8 Universo não é estável com gravidade Newton já havia percebido esse problema. Argumentou que o espaço seria infinito, com infinitas estrelas cercando cada uma.

9 Instabilidade gravitacional

10

11

12

13 Tentativas de modificar a gravidade Von Neuman e Seeliger: Universo finito Densidade de estrelas tende a zero para d ~ 8000 anos luz Einstein conhecia essa tentativa Houve também tentativas em que F seria repulsiva a grandes distâncias

14 Relatividade Geral Einstein passa a buscar equações de movimento para quaisquer referências, estender a relatividade para todas as situações possíveis Em geral na física há modelos ou imagens antes dos cálculos matemáticos Isso não aconteceu na R.G. Explicações não matemáticas são artificiais

15 Matemática da R.G. Foi ajudado por seu amigo Grossman 1913 – artigo conjunto Einstein – Grossmann Einstein cometeu um erro, então não acharam as equações corretas 1915 – Einstein discute suas idéias com Hilbert, e este encontra as soluções que Einstein procurava alguns dias antes de Einstein, mas o próprio Hilbert reconheceu que o mérito (pela idéia) era de Einstein

16 Motivação: massa inercial e massa gravitacional Queda dos corpos Corpos caem sempre com a mesma aceleração Massa inercial: resistência dos corpos a aceleração Massa gravitacional: relacionada com a intensidade da força gravitacional Coincidência: são iguais

17 Princípio de equivalência Gedanken Queda livre e ausência de gravidade são equivalentes, assim como nave acelerando com a=g e campo gravitacional terrestre. Explicação: espaço é curvo! presente de Eric Rogers

18 Geometria euclidiana Espaço infinito Soma dos ângulos =180° Retas paralelas não se cruzam Séc. XIX- descobertas geometrias não euclidianas János Bolyai ( ) Nicholas Lobatschewsky ( ) Georg B. Riemann ( )

19 Espaço curvo 2D Superfície da terra. Quase plana para pequenas distâncias Soma dos ângulos >180° Geodésicas: menor distância entre dois pontos

20 Espaço curvo 3D 2D é fácil de entender pois podemos olhar de fora Há outros tipos de espaços como selas de cavalo Espaço 3D curvo é impossível de imaginar, assim como espaço – tempo 4D

21 Princípio da equivalência: espaço curvo Efeito semelhante ao do experimento anterior, mas com uma dimensão a mais Localmente nosso espaço parece ser plano, mas ele é curvo Corpos caem sempre com a mesma aceleração

22 Uma nova visão da gravidade Gravidade não é uma força É um conjunto de ações e comportamentos observados. Newton - força que se propaga instantaneamente Einstein – massas seguem a curvatura do espaço tempo

23 Espaço tempo curvo Corpos se movem em linha reta no espaço- tempo, mas parecem mover-se em curvas pois o espaço é curvo Espaço-tempo afeta o movimento dos corpos assim como o movimento dos corpos afeta o espaço-tempo

24 Luz Aceleração Princípio da equivalência

25 Luz A luz atinge a outra parede, num ponto inferior ao que ela entrou. X Gravidade tan ~ ~ g l 2c 2 Para ângulos muito pequenos. gl 2 2c 2 l Deflexão da luz

26 Idéias anteriores sobre a curvatura da luz John Michell Luz afetada pela gravidade Imagina os buracos negros Soldner: calcula ângulo de deflexão usando mecânica clássica α= Einstein α= 1.75 (curvatura do espaço-tempo)

27 A confirmação da Relatividade Expedição inglesa confirmando teoria Alemã (inimigos na I Guerra ) Eddington foi mandado para a expedição para não ser preso

28 Expedição ao Brasil Sobral -CE Eclipse: fotos das estrelas α=1.98±0.12 Ilha do Príncipe α=1.61±0.31 Valor esperado α= 1.75 (Einstein) α= (Newton)

29 Esperiências futuras Problemas nas observações: turbulência na atmosfera erro~ valor da medida Radioastronomia: Quasares, erro < 1%

30 Lentes gravitacionais Efeito da relatividade geral que vem sendo muito estudado Detecção de exoplanetas

31 Times de Londres " Revolução na ciência: nova teoria do Universo, idéias newtonianas descartadas" Espaço e tempo absolutos abandonados. Influência sobre idéias absolutas na moral, filosofia, música e artes.

32 4) Universo de Einstein Universo com Relatividade Geral não é estável (mesmo problema de Newton) Homogêneo, finito e ilimitado Espaço curvo: reta prolongada para sempre volta no mesmo ponto Análogo a uma geodésica numa esfera

33 Constante cosmológica Acrescentou uma constante nas suas equações Repulsão entre os corpos, para contrabalançar a atração gravitacional Sem conseqüências testáveis, inserida artificialmente para explicar universo estático

34 Universo em expansão Hubble descobre as Galáxias Descobre que elas estão se afastando Universo está em expansão Einstein se arrepende de sua Constante Cosmológica Galáxia de Andrômeda distância: 2 milhões de A.L.

35 O Nascimento da Cosmologia Passaram a investigar as soluções das equações da RG Havia a possibilidade de Universos em expansão e contração, que não foi levada em conta por Einstein De Sitter Lemaître Friedmann

36 A fama de Einstein Grande exposição na mídia Estereótipo de físico Envolvimento em causas políticas Nazistas: 100 autores contra Einstein Carta para o presidente dos EUA Convidado para ser presidente de Israel

37 O mito de Einstein A crença de que Einstein mudou radicalmente a física em 1905 é falsa e prejudicial

38 O mito de Einstein A idéia de um grande gênio que mudou toda a física em um ano é falsa Ela é reforçada pelo desejo infantil de acreditar em ídolos e seres sobrenaturais

39 O mito de Einstein Mito prejudicial: Dá uma indicação errada, aos jovens, sobre como podem participar do desenvolvimento científico Transmite uma visão errônea sobre a natureza da pesquisa e da ciência

40 Ciência só para gênios Não se deve pensar que a teoria da relatividade seja uma coisa incompreensível Bastam vontade e tempo para se dedicar a aprender essa teoria Pode-se dizer que é mais fácil aprender a teoria da relatividade do que aprender a tocar piano, ou aprender a dançar balé, por exemplo Só impossível sem a matemática adequada

41 Autores da relatividade Poincaré EinsteinLorentz Provavelmente Einstein não conseguiria fazer tudo sozinho e as suas contribuições à teoria da relatividade teriam sido feitas por outras pessoas, se ele nunca tivesse nascido

42 Einstein e a Cosmologia Einstein, A.S. Eddington, P. Ehrenfest, H.A. Lorentz, W. de Sitter em Leiden (1920) Einstein não fez grandes contribuições, mas estabeleceu as bases matemáticas para o desenvolvimento futuro

43 Bibliografia Livros O Universo - Roberto Martins Einstein estava certo? - Clifford Will O Universo numa casca de noz - S. Hawking Uma breve história do Tempo - S. Hawking História e Filosofia das Ciências: subsídios para aplicação no ensino médio - Cibelle Silva Cosmology and Controversy -Helge Kragh Slides: Palestra de Roberto Martins, ministrada no IFSC em Carlos Alexandre Wuensche, INPE.

44 Bibliografia Sites cosultados einstein.stanford.edu/ Contém slides e outros materiais para ensino Wikipedia Artigos: Einstein, Relatividade, Cosmologia Livro: O Universo - R. Martins Google imagens Artigos Einstein, a física dos brinquedos e o princípio da equivalência, A. Medeiros, C. F. De medeiros, UFRPE; Cad. Brás. Ens. Fís., v. 22, n. 3: p , dez anos de cosmologia e desafios para o século xxi. I. Waga, RBEF, março de 2005 Nury Isabel Jurado Herrera (Mestrado em Física, Unicamp) A dinâmica do universo: Sir Arthur Eddington e as cosmologias relativísticas

45 Bibliografia Figuras gallery.hd.org

46 Extras

47 Espaço-tempo intervalo relativístico Não é relativo

48 Igualdade da massa inercial e massa gravitacional Na relatividade geral essa igualdade não é mais coincidência, é necessária Experimentos: Newton - sacos de trigo, pedras, etc.. Eotvos - 1 parte em 100 milhões Dicje e Braginsky - 1 parte em 1 milhão Missão espacial STEP - 1 parte em um trilhão

49 3) Qual é a velocidade da gravidade? propagação instantânea (Newton) or velocidade da luz (Einstein) 1) Precessão do periélio Newton arcsecs Atual arcsecs 2) No such thing as coincidence Balance b/w inertia~acceleration

50 Gravity Probe -B

51 Was Einstein right? Find out in 2006…

52

53 1905: Annus Mirabilis Trabalhos publicados Quantum de luz Teoria da relatividade Movimento browniano Albert Einstein

54 Praticamente tudo o que ensinamos no 2° grau já havia sido descoberto 2) A Física do século XIX mecânica clássica óptica termologia eletricidade e magnetismo

55 recomendou que os jovens não se dedicassem à física Os grandes princípios da física já estão estabelecidos. As futuras verdades da física terão que ser procuradas na 6ª casa decimal 1900: O fim da física? Michelson

56 As duas nuvens de Kelvin Lord Kelvin -Michelson e Morley (Relatividade) -Radiação de corpo negro (Mecânica Quântica)

57 Busca pelo éter Meio necessário para a propagação da luz Harvard

58 Michelson-Morley Experimento buscava medir a velocidade da luz c Não foi detectado qualquer deslocamento de franja ao rodar o experimento em 90° Michelson ficou inicialmente desapontado

59 Velocidade relativa

60 Transformações de Lorentz Velocidade da luz é constante Dilatação do tempo Contração dos comprimentos Lorentz

61 Viajando com v=0.95c

62 Habitantes do mundo 2D Edwin Abbott - Flatland Experimentos para medir a soma dos angulos internos réguas de platinas S=195° Fipótese: força curvando réguas. Réguas menores: S=187° Efeito universal, causado pela natureza de Flatland réguas muito pequenas s=180°


Carregar ppt "Einstein e o nascimento da Cosmologia Alexandre Bagdonas Henrique."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google