A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parte I – Características gerais/Conflitos árabe- israelenses. Autoria: Profª Fabiana Pegoraro Soares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parte I – Características gerais/Conflitos árabe- israelenses. Autoria: Profª Fabiana Pegoraro Soares."— Transcrição da apresentação:

1 Parte I – Características gerais/Conflitos árabe- israelenses. Autoria: Profª Fabiana Pegoraro Soares

2 ORIENTE MÉDIO Palco dos principais conflitos da atualidade. Motivos: território e religião. Berço das grandes civilizações e religiões judaica, cristã e muçulmana (predomínio atual do islamismo). 90% da sua área é dominada pelos climas árido e semi-árido = escassez de água. Contém as maiores reservas de petróleo do mundo.

3 Principais conflitos no Oriente Médio: Conflito árabe- israelense Guerras envolvendo o Iraque Guerras no Afeganistão Conflitos no Líbano. Tensão no Irã (persas x árabes)

4 1) Questão árabe-israelense Antes e durante a 2ª. GM: por causa do nazismo, judeus foram para a Palestina (território que ocupavam antes de se dispersarem pelo mundo devido às ocupações sofridas durante séculos); 1945: acabou a guerra; Palestina

5 Israel para os judeus 1947 – ONU dividiu a Palestina Palestina para os árabes Jerusalém (área internacional)

6 - Vizinhos árabes não aceitaram um país judeu entre eles = primeira guerra árabe-israelense! - 1967: guerra dos 6 dias – Israel vence e toma toda a Palestina, além de parte do Egito e da Síria.

7 Principal líder da luta palestina para reivindicar suas terras de volta: Yasser Arafat, presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP). Arafat morreu em dezembro de 2004. Em janeiro de 2005, Mahmoud Abbas foi eleito presidente da ANP. A Faixa de Gaza e a Cisjordânia estão em processo de devolução aos palestinos. Yasser Arafat Mahmoud Abbas

8 O partido político de Mhmoud Abbas é a Fatah, considerado moderado. Em janeiro de 2006, o Hamas -- grupo considerado terrorista por Israel, pelos EUA e pela UE--, venceu as eleições parlamentares e formou governo. A vitória do Hamas acirrou as tensões: o grupo não aceita a existência de Israel, e prega a destruição do Estado em sua carta de fundação, de 1988. Estado de São Paulo 16/06/2007 (capa) Problema:

9 Em dezembro de 2008, Israel iniciou bombardeios à Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, em resposta ao disparo de 80 foguetes Katiusha contra o sul do país O Estado de São Paulo 28/12/2008

10 10/02/2004 - 09h46 Saiba mais sobre o "muro de proteção" da Cisjordânia (da Folha Online) Os israelenses começaram a construir, em junho de 2002, entre Israel e a Cisjordânia um "muro de proteção" destinado a impedir ataques palestinos. A construção do "muro de proteção" foi requisitada pela direita e esquerda israelenses, após a onda de atentados suicidas que atingiu Israel desde o início da segunda Intifada (revolta palestina contra a ocupação israelense) no final de setembro de 2000. Com extensão prevista de 350 km, o "muro de proteção" deve cobrir do norte ao sul a "linha verde" e englobar também o setor oriental de Jerusalém, anexado por Israel desde 1967, e onde os palestinos pretendem construir um dia a capital do seu Estado. O complexo defensivo deve ser alto em alguns pontos e ainda terá dispositivos eletrônicos capazes de detectar infiltrações, fossas antitanques e pontos de observação e patrulha. Em certos lugares, como na região da cidade palestina de Qalqiliya, o "muro de proteção" chegaria à altura de oito metros. Em alguns pontos, a construção tem 45 metros de largura, que em outros pontos pode chegar a 75 ou 100 metros. Prevê-se que a construção vá custar US$ 1 bilhão. Até agora, acredita-se que a obra defensiva já custou cerca de US$ 2 milhões ao Estado de Israel.

11 http://www.youtube.com/watch?v=iPIFHUg_ER4&feature=related

12 O Estado de Israel abriga mais de 6 milhões de pessoas e é um dos países mais desenvolvidos do Oriente Médio: o país é líder de exportação de diamantes, equipamentos de alta tecnologia e alimentos, como frutas e vegetais. Porém, depende da importação de petróleo. A economia israelense conta com a ajuda dos Estados Unidos, que provê vários empréstimos ao país. Essa aliança com os Estados Unidos é o principal pretexto dos grupos fundamentalistas islâmicos para pregar o ódio ao ocidente e praticar atos terroristas como o de 11 de setembro de 2001.

13 http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/2006/02/27/ult1808u59952.jhtm www1.folha.uol.com.br/.../ult94u105499.shtml http://txt.estado.com.br/editorias/2007/06/16 http://www.guerras.brasilescola.com/11-setembro/ http://www.educacional.com.br/textocontexto/010911_1130.asp http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2002/iraque/eixo_do_mal.shtml http://veja.abril.com.br/busca/resultadoCapas.shtml BOLIGIAN, L., MARTINEZ, R., GARCIA, W. e ALVES, A. (2005) Geografia – Espaço e vivência. 7ª. Série. São Paulo. Atual. MIRIAM e MIRIAM. (2006) A nova visão da Geografia. 8ª. Série. São Paulo. Nova Geração. Bibliografia e sites consultados. http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u69049.shtml


Carregar ppt "Parte I – Características gerais/Conflitos árabe- israelenses. Autoria: Profª Fabiana Pegoraro Soares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google